Cunha recorre, alegando que Moro afrontou o Supremo ao mandar prendê-lo

Resultado de imagem para cunha recorre

Advogados pedem que o tribunal mande soltar Cunha

Tiago Dantas
O Globo

A defesa do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) entrou, na manhã desta segunda-feira, com um habeas corpus no Tribunal Regional da 4a. Região, a segunda instância da Justiça Federal, para pedir a liberdade de seu cliente. Os advogados argumentam que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, havia negado um pedido de prisão de Cunha e que, de lá pra cá, não surgiu nenhum fato novo que justificasse a medida. Segundo os advogados, a decisão do juiz Sérgio Moro é uma afronta ao STF.

Em 14 de setembro, Zavascki julgou um pedido de prisão preventiva contra Cunha feito pela Procuradoria Geral da República (PGR). No entendimento do ministro, as justificativas dadas pela PGR para manter o ex-presidente da Câmara preso estavam ligadas ao poder que ele tinha como deputado federal. Como o político não tinha mais mandato, segundo Zavascki, ele não precisaria mais ser preso.

Nas palavras dos advogados de Cunha, a decisão do juiz Sérgio Moro, da 13a. Vara Federal, de aceitar o pedido de prisão contra Cunha, é “uma afronta à autoridade da decisão do STF que julgou prejudicado o pedido de prisão”.

SEM FATO NOVO – Além de dizer que não há um fato novo que justifique a prisão de Cunha, a defesa também afirma que a decisão de Moro não descreve nenhuma conduta relacionada diretamente ao processo que corre em Curitiba. Assinada por seis advogados, a peça diz ainda que Cunha não oferece risco às investigações e pede que ele responda ao processo em liberdade.

Preso em seu apartamento funcional em Brasília na última quarta-feira, Cunha está detido na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Ele é réu em um processo da Lava-Jato que investiga se o ex-parlamentar recebeu US$ 1,5 milhão de propina na venda de um campo de petróleo em Benin, no continente africano, para a Petrobras.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Os advogados de corruptos são regiamente pagos e têm de mostrar serviço. O que restou da fortuna do ex-deputado será transferido para os bolsos desses ilustres causídicos, que no fundo sabem que não há chance de Cunha ser libertado, devido ao famoso clamor público. (C.N.)

2 thoughts on “Cunha recorre, alegando que Moro afrontou o Supremo ao mandar prendê-lo

  1. a piada do século,afronta é ver o ex-deputado desfilando a sua arrogância em liberdade.aliás se o Eduardo cunha fosse filiado ao psdb,o ministro Gilmar mendes sairia em sua defesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *