Cúpula do Progressistas avaliza candidatura de Arthur Lira à presidência da Câmara

Arthur Lira é apontado como o candidato de Bolsonaro

Camila Turtelli
Estadão

A cúpula do Progressistas definiu o deputado Arthur Lira (AL) como o candidato do partido para concorrer à presidência da Câmara, em 1º de fevereiro do ano que vem. A decisão, tomada em jantar nesta terça-feira, deverá ser oficializada nos próximos dias.

O encontro, com a participação do presidente do Progressistas, senador Ciro Nogueira (PI), e de boa parte da bancada do partido na Câmara, foi também uma confraternização de fim de ano,  realizado em um restaurante de Brasília.

CANDIDATO DE BOLSONARO – Lira é apontado como o candidato do presidente Jair Bolsonaro e deve rivalizar com um nome a ser definido pelo grupo do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A participação do próprio Maia na disputa ainda não está descartada, embora, ele diga que não irá concorrer.

Ainda nesta terça, 1, o Progressistas lançou um manifesto em que critica a possibilidade de o Supremo Tribunal Federal (STF) abrir caminho para a reeleição de Maia e também de Davi Alcolumbre (DEM-AP) no comando do Senado.  Intitulado “Carta à Nação Brasileira e ao Supremo Tribunal Federal, o documento chama qualquer iniciativa nesse sentido de “coronelismo parlamentar” e “casuísmo tacanho”. O texto foi assinado por doze partidos, incluindo o PT, que tem bom relacionamento com Maia.

A Constituição proíbe a recondução dos presidentes da Câmara e do Senado na mesma legislatura, mas a polêmica, agora, está com o Supremo. O julgamento do assunto foi marcado para a próxima sexta-feira, 4, no plenário virtual da Corte.

7 thoughts on “Cúpula do Progressistas avaliza candidatura de Arthur Lira à presidência da Câmara

  1. O ex-ministro Sergio Moro irá assumir o cargo de diretor da empresa americana Alvarez & Marsal. Ele vai atuar na área de “Disputas e Investigações”, que atende à Odebrecht, grupo investigado na Lava Jato. Reinaldo Azevedo pontua que o anúncio mostra o caráter “amoral e antiético” do ex-juiz e propõe um questionamento: será razoável que aquele que beneficiou a empreiteira através do acordo de leniência agora receba somas milionárias dessa mesma empresa?

    Reynaldo Azevedo

    E mais, mostra documentos da A&M atestando que o famoso triplex pertencia a OAS.
    Basta dar uma olhada no blog.

    Isso é jornalismo e não sabugice.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *