De forma poética e realista, Efigência Coutinho demonstra o que é ser poeta

Efigênia é de Petrópolis, uma cidade poética

Paulo Peres
Poemas & Canções

A artista plástica e poeta Efigênia Coutinho, nascida em Petrópolis (RJ),  versificou sua definição de “Ser Poeta”. A seu ver, a poesia será sempre um meio de comunicação de sentimentos na escrita. “Tenho um ritmo pessoal, operando desvios de ângulos, mas sem perder de vista a tradição, procurando atingir o núcleo da ideia essencial, a imagem mais direta possível, abolindo as passagens intermediárias”, revela.

SER POETA

Efigênia Coutinho

A noite sempre cálida me espera ,
Tenho em versos a recente emoção
Da inquietude que abraça a quimera,
Enquanto no meu peito pulsa a oração.

A noite ouve o acalanto, esta voz
Que brada a rima solta, e então viajo;
E busco o sopro terno do ninar em nós,
Onde se farta o frêmito voraz, que trajo.

Lá , ao vento espalhado, e envolto,
Meu verso solto, que diz: mortal, eu sou
Na arte que te fecunda e faz envolto…

Porque ser poeta é ser alguém que embelezou
A prosa e o lado vil do caso vário,
E deu-se a Deus que equilibra este rosário.

2 thoughts on “De forma poética e realista, Efigência Coutinho demonstra o que é ser poeta

  1. A Borboleta que Passa, de Fernando Pessoa:

    Passa uma borboleta por diante de mim
    E pela primeira vez no universo eu reparo
    Que as borboletas não têm cor nem movimento,
    Assim como as flores não têm perfume nem cor.
    A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
    No movimento da borboleta o movimento é que se move
    O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
    A borboleta é apenas borboleta
    E a flor é apenas flor.

    Réplica à Borboleta que Passa:

    Um poeta viu uma borboleta e disse que ela era incolor,
    Pois o colorido não era dela, mas da sua própria cor;
    Ela também não se movia – foi o seu poético sentimento,
    Pois o que se movia nas asas dela era o próprio movimento.

    Que coisa estranha, pensei, sem fazer mau julgamento,
    Pois muito se desconhece entre a terra e o firmamento.
    Quanto ao colorido ser da cor, o poeta pode até ter razão,
    Pois cor não passa de energia em forma de radiação.

    Agora o movimento, que o poeta quis explicar,
    Não pode existir por si só, e sair por aí a voar.
    Se alguém vir mover-se, por si só, um movimento,
    Procure urgente um médico, pra tratar desse tormento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *