De olho no Supremo, Moro intensifica movimentos e avança na criação de sua base de apoio

Moro não descarta candidatura à Presidência, em 2022

Renato Souza
Correio Braziliense

Enquanto aliados do presidente Jair Bolsonaro comentam, reservadamente, que ele não desistiu de recriar o Ministério da Segurança Pública, até o final do governo, Sérgio Moro busca criar uma base de apoio para avançar em suas pretensões futuras. Além de lutar para manter a Polícia Federal sob seu comando, evitando alterações na estrutura da pasta que comanda, o ministro da Justiça tenta pavimentar o caminho para o Supremo Tribunal Federal.

Mas, caso outro nome seja indicado para ocupar a vaga do ministro Celso de Mello, que deixa o STF em novembro, Moro tem tudo para desembarcar do governo — de acordo com um ex-integrante do alto escalão do Executivo, que mantém proximidade com o ministro.

RECUO – No auge da crise envolvendo a recriação da pasta da Segurança pública — deixada de lado por enquanto —, o ministro fez chegar a Bolsonaro que não aceitaria a mudança. O presidente, então, recuou, e assim ficou demonstrada a força do integrante mais popular do governo. Os dois se encontram, ainda nesta semana, para acertar alguns pontos.

“Muitos querem dividir o MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional). É comum. O pessoal quer a luta pelo poder; o tempo todo tem alguém beliscando ministério. Agora, pelo que eu vi, o Moro não mordeu a isca, nem eu. Continua ele com o ministério (da Justiça), sem problema nenhum. Talvez me encontre com ele amanhã (esta quarta-feira — 29/1)”, afirmou Bolsonaro, ao chegar em Brasília depois da viagem oficial à Índia.

Com o apoio de parte do eleitorado, da ala militar do governo e de integrantes do Congresso, o ministro não descarta uma candidatura à Presidência, em 2022. Mas este seria um plano B, caso não seja indicado ao Supremo, de acordo com esse interlocutor de Moro.

NOMES NA FILA – Nos bastidores, rumores dão conta de que o presidente vai indicar para a vaga o ministro Jorge de Oliveira, chefe da Secretaria-Geral da Presidência. Ex-integrante do gabinete do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Oliveira tem seis anos de experiência como advogado e é visto no meio jurídico como alguém com currículo insuficiente para chegar a mais alta Corte do país.

O segundo cotado é o advogado-geral da União, André Mendonça, que tem elevada aceitação entre os integrantes do Supremo e no meio jurídico. Além disso, é evangélico, atributo que o presidente declarou ser importante para decidir quem ficará com a vaga. Moro é católico e, embora venha demonstrando apoio público ao presidente, se mantém descontente com diversas decisões em seu trabalho diário.

VISITA A BRETAS – Nesta terça-feira, dia 28, Moro visitou o juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio, que julga os casos da Lava-Jato no estado. Responsável por condenações como a do ex-governador Sérgio Cabral, o magistrado tem boa popularidade e é um aliado importante para as intenções futuras de Moro.

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurícioi Valeixo, que está na mira para ser removido do cargo, também participou do encontro. “Visita institucional a (sic) Sétima Vara da Justiça Federal do RJ, pelo MJSP, e pelo Diretor Geral da Polícia Federal, para apoio dos (sic) trabalhos na Operação Lava Jato do Juiz Federal Marcelo Bretas”, escreveu Moro no Twitter.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Conforme bem informou a matéria, Bolsonaro já verbalizou preferência por indicar o ministro Jorge Oliveira, sem experiência prática ou saber jurídico suficientes para o cargo. O outro nome seria o do ministro André Mendonça, com a “qualificação” exigida pelo presidente. Aliás, essa “necessidade” de ser “terrivelmente evangélico” é um absurdo tão grande, que reflete que o bom senso foi ladeira abaixo. Ao mesmo tempo, nesse enredo, Moro se apresenta como alguém com preparo e experiência como magistrado muito maior que ambos. Ainda assim é preterido. A questão é saber se mesmo com  a prerrogativa de escolher livremente os seus ministros, Bolsonaro indicará alguém inexperiente para o cargo quase vitalício. (Marcelo Copelli)

25 thoughts on “De olho no Supremo, Moro intensifica movimentos e avança na criação de sua base de apoio

  1. De antemão informo que não será fácil Moro sair vencedor na indispensável sabatina na comissão de justiça, no senado. caso passe, outra parada indigesta será no plenário. Sem dizer=frisar que no próprio STF Moro não é bem visto por diversos ministros. Não faço ilações nem tomo partido. apenas analiso com os fatos. Não brigo com eles.

    • Nenhum tipo de crime é mais nocivo as comunidades do Rio de Janeiro do que as milícias. Dominam essas comunidades e são fortes cabos eleitorais de muitos políticos. Essa é a razão da polícia não combater as milícias como combate o tráfico de drogas.

      • Caro amigo Jacob,

        A situação da segurança no Brasil está uma calamidade pública.

        Se podemos afirmar que uma das promessas de Bolsonaro que não foi cumprida ou sequer apresentado um planejamento para este genocídio anual de mortes através da violência, a segurança comprova o descaso dos governantes com relação ao povo ficar à mercê de milícias, traficantes de drogas e armas, e diversos outros tipos de criminosos, inclusive os parlamentares!

        Afirmo que não há mais como consertar esse gravíssimo problema, Jacob, tendo em vista a tua própria alegação que as milícias e traficantes servem como cabos eleitorais para muitos políticos!

        A segurança pública está descontrolada, a verdade é esta.
        De nada adianta a compra de veículos, armamentos, rádios, motos, se não há o combate real contra as facções existentes.
        Pura demagogia, política barata.

        A questão é que os governantes deixaram correr solto o banditismo, pois para o PT e demais partidos aliados, o crime era em decorrência da condição social do assassino, traficante, ladrão, estelionatário, estuprador e pedófilo!

        Pois esse pessoal cresceu, e se tornou poderoso, bem organizado, de modo que, se quisermos enfrentá-los, somente através de derramamento de sangue, e em larga quantidade.
        Possibilidade que os governantes não querem, pela repercussão negativa até para o exterior, então permitem que seja o povo, o cidadão, o trabalhador, o alvo desses bandidos, com a situação se agravando a cada dia que passa.

        Abração.

  2. Na corrida eleitoral à presidência, na primeira via (golpismo ditatorial) e não segunda via (partidarismo eleitoral ), não há espaço com perspectiva de vitória para mais ninguém senão apenas para os xiitas do Bolsonaro versus xiitas do Lula, ou seja, para bolsonarismo versus lulopetismo, que só podem ser derrotados pela Terceira Via de Verdade, que é a RPL-PNBC-DD-ME, que saiu às ruas em Junho de 2013, e que caso não entre na cédula eleitoral em 2022, continuará votando nulo, em branco ou se abstendo, porque em sã consciência não aguenta mais o continuísmo da mesmice dos me$mo$.

  3. “Conforme bem informou a matéria, Bolsonaro já verbalizou preferência por indicar o ministro Jorge Oliveira, sem experiência prática ou saber jurídico suficientes para o cargo. O outro nome seria o do ministro André Mendonça, com a “qualificação” exigida pelo presidente. ”

    -Parece o início de mais uma fofoca destinada a causar intrigas.

  4. Repito, o sistema apodrecido encontra-se ancorado no bolsonarismo (alicerçado no milicianismo, no crentismo e no militarismo, politiqueiros, fanáticos e mercenários), e no lulopetismo (alicerçado no sindicalismo e cia.), que hoje perfazem as duas colunas mestras de dão sustentação ao continuísmo do dito-cujo sistema apodrecido, colunas essas que só podem ser derrubadas pela kriptonita da Terceira Via de Verdade, que representa o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo de verdade, porque o resto é tudo mais dos me$mo$, todos inseridos no bolsonarismo ou no lulopetismo e não servem para outra senão para puxadinho ou linha auxiliar dos me$mo$, fato esse que faz do Moro carta fora do baralho eleitoral tendo em vista 2022.

  5. Bolsonaro não tem interesse em saber jurídico, pretende indicar alguém que defenda os interesse dele e do filho envolvido em rachadinha, se possível um “terrivelmente evangélico” para comungar com Dias Toffoli, Lewandowski e mais alguns que fazem de tudo para defender a impunidade.
    Com relação ao ministro Sérgio Moro, Bolsonaro,vai ficar numa sinuca de bico, se Moro crescer ainda mais de popularidade pode criar perigo às pretensões de reeleição dele, será obrigado a indica-lo ao STF, que certamente aumentará o número de ministro que são contra impunidade, o que não é do agrado do presidente, por motivos óbvios. Se Bolsonaro não indicar o Moro para o STF corre o risco de Moro sair candidato a presidente., neste caso a reeleição de Bolsonaro corre risco.
    Faz-se necessário acabar com a mentalidade, o fanatismo de: ou se é Lula , ou . Bolsonaro, nenhum dos dois valem o prato que comem, como se dizia antigamente.
    Há no Brasil políticos com boa experiência, como executivos, legisladores e honestos. Porquê tem que ser Bolsonaro, ou Lula? Isso é pobreza de raciocínio, ou alienação política

  6. Prezado Bendl,
    Tens toda a razão.
    Se, há muito tivessem feito a reforma do Código Penal com leis duras, a reforma do Código do Processo Penal eliminando essa enxurrada de recursos e a reforma do sistema prisional em que todos os detentos tivessem que trabalhar, não haveria necessidade de correr sangue.
    Boa parte dos políticos que estão envolvidos em corrupção, não querem nem ouvir falar nessas reformas;
    O Presidente da República esta mais interessado em sua reeleição e livrar o filho de ser processado.
    Quando disse que tens razão é porque o executivo, o legislativo e o judiciário, principalmente o STF não tem nenhum interesse em resolver esses problemas.
    Mas não esqueça que, quem elegeu esses ladrões e despreparados foi o povo eleitor.
    Vamos chegar a um ponto que vai ter que ser na marra mesmo.
    Um forte abraço amigo

  7. Sr. Nélio Jacob,
    Coaduno totalmente com seu pensamento.
    Hoje tenho minhas dúvidas se o melhor lugar pro Moro seria o Stf.

    Em primeiro lugar, ele não merece trabalhar nessa cloaca que se transformou o stf.

    O que o país necessita urgentemente é uma ruptura do sistema.
    Quando o terrivelmente boquirroto nos prometeu o enfrentamento a toda esta ASQUEROSIDADE, realmente achava que o lugar do Moro seria o stf, mas o “cruz muito pesada”, tá igual neném, todo cagado!!

    O traídor descarado, tá com o cú na mão, e eu que votei nele, quero que se F.

    O lugar do Moro é a PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, não há outro lugar pra acomodar este imenso homem.

    Não o vejo como um um salvador da pátria, isso não existe. Necessitamos hoje a frente do país, um homem de envergadura ímpar. Este, sem dúvida é Sérgio Moro.

    Temos que quebrar o Stablishment de qualque jeito, (porque o povo brasileiro é covarde, jamais irá por um enfrentamento, pois tem sangue pior que de barata morta) é não será Moro no stf a conseguir esta proeza.

    É uma chance de ouro, pra nós e pro Moro, pois o trem não passa duas vezes…

    Caso o traidor ofereça o stf pro Moro, este, terá que recusar o convite, em prol de algo muito maior, O PAÍS!

    O sofrido povo tem que exigir do Moro esta candidatura, porque o pleito já está ganho por antecipação!!

    Caso o Moro aceite a vaga do vagabundo e corrupto celso de mello, me levaria a pensar que Moro se acovardou perante o sistema, que se rendeu…

    Lamentarei profundamente, estaremos definitivamente acabados como povo e país.
    Seremos pior que uma republiqueta africana.

    Com o terrivelmente, não temos mais esperanças e concordo com o Sr. que não é possível pautar as eleições com bolsonaro x lula.
    Definitivamente isto não é saudável e nos mostra uma terceira via totalmente plausível, que é o Sr. Moro.
    Atenciosamente.

    P.S. Acabo de escutar no Jornal da Band, que o montezano acabou de falar que a auditoria do BNDES está correta e não houve nada de errado nos empréstimos pra jbs. rsrs
    Os empréstimos foram todos legais!!
    Dá pra acreditar nisso? rsrs
    QUANTA BAZÓFIA!!

    Sr. Nélio o país ruiu, é nos estamos pagando com gotas de sangue pela destruição.

  8. O ministro André Mendonça é Pastor Presbiteriano, igreja protestante reformada.

    Embora Bolsonaro tenha afirmado que pretende em algum momento colocar alguém “terrivelmente evangélico”, plagiando a ministra Damaris, não resta dúvidas que o ministro da AGU é qualificado para o posto e tem o perfil requerido para o STF.

    Moro poderá ser presidente em 26 e 30, e depois ir para o STF. Seria a coroação de uma carreira brilhante.

  9. Não indicando o Moro para a vaga do decano e, indicando alguém sem experiência alguma ou um cara pela característica de ser “terrivelmente evangélico”, o boçal acrescenta mais um inimigo aos milhões que já tem . E dá motivo para levar mais pau no lombo. O Moro não vai aceitar este desaforo, sai no fim do ano e entra na política no próximo. Aí o boçal arruma mais um adversário, agora de peso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *