De surpresa, Bolsonaro visita Paulo Guedes para pedir que ele não se demita do Ministério

Exclusivo: Petrobras: Bolsonaro confrontou Guedes e minou imagem liberal do  governo | VEJA

Bolsonaro não sabe o que fazer se Guedes deixar o cargo

Alexandro Martello
G1 — Brasília

O presidente Jair Bolsonaro chegou por volta de 14h30 nesta sexta-feira (22) para uma visita ao ministro Paulo Guedes, no Ministério da Economia. O encontro ocorre em meio ao avanço da proposta do governo de alterar a regra do teto de gastos públicos para gastar mais com o programa social Auxílio Brasil. Ocorre também um dia após quatro secretários de Guedes pedirem demissão, alegando motivos pessoais.

Na quinta-feira (21), a comissão da Câmara aprovou a proposta de emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que fixa um limite, a cada exercício financeiro, para as despesas com os precatórios (dívidas da União já reconhecidas pela Justiça). Também foi alterada a regra de correção do teto de gastos.

AUMENTA A TENSÃO – As mudanças na regra do teto de gastos, aprovadas pela comissão, e a debandada no Ministério da Economia, adicionaram mais tensão aos movimentos do mercado financeiro.

O texto aprovado pela comissão da Câmara pode liberar quase R$ 84 bilhões para despesas em 2022, ano eleitoral. Na prática, o governo conseguiria essa margem para contornar o teto de gastos. Técnicos do Congresso, porém, estimam que esse espaço orçamentário pode ser ainda maior e ultrapassar R$ 95 bilhões.

AUXÍLIO BRASIL – A medida é uma das apostas do governo federal para viabilizar o Auxílio Brasil, programa social que deve substituir o Bolsa Família. O governo tenta reduzir o montante de precatórios, e implementar mudanças no teto de gastos.

A intenção é que cada família beneficiária do novo programa receba, pelo menos, R$ 400 por mês no próximo ano. Além do novo programa social, a medida também abre espaço para emendas parlamentares.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em tradução simultânea, Bolsonaro foi ao gabinete de Guedes para pedir que ele não confirme a demissão. É o mais provável, porque Guedes vive agarrado ao cargo feito carrapato, para não perder o foto especial no Supremo. O certo é que Bolsonaro não consegue nenhum economista de renome para segurar o rojão das pedaladas destinadas a romper o teto de gastos, que Guedes tenta evitar, para impedir o impeachment. (C.N.)

18 thoughts on “De surpresa, Bolsonaro visita Paulo Guedes para pedir que ele não se demita do Ministério

  1. Do Diário do Poder

    O governo federal agiu rápido e debelou a “crise”, confirmando a permanência de Paulo Guedes no Ministério da Economia e convidando os substitutos de dois servidores de terceiro escalão que se demitiram e foram acompanhados pelos respectivos adjuntos.

    Foram convidados Estevan Colnago, para ocupar a Secretaria de Tesouro e Orçamento, a quem caberá escolher o Secretário do Tesouro Nacional. Ele substituirá a Bruno Funchal.

    Nos bastidores, há a informação de que Adolfo Sachsida foi convidado para assumir esse posto.
    O presidente Jair Bolsonaro chegou às 14h30 desta sexta-feira (22) ao Ministério da Economia, como sinal de prestígio a Guedes e para reafirmar seu compromisso de preservar o princípio constitucional do teto de gastos.
    Tanto Colnago quanto Sachsida já integravam a equipe do ministro Paulo Guedes.

  2. Quando digo que o desgoverno do mito é a continuação dos desgovernos pestistas, muita gente talvez discorde, mas ele não está agindo igual à Dilmanta? Foi assim que o desgoverno dela acabou. Do impeachment neste primeiro desgoverno o mito escapa, no segundo é inevitável.

  3. O mesmo jornalismo prostituído, que vibrava com o “a economia a gente vê depois”, reclama de um auxílio de 400 pilas para famílias desesperadas pela crise econômica criada por malfeitores a serviço do crime organizado (PT + PSDB + STF e seus puxadinhos). Que nojo!

  4. Carlos Newton sempre atento aos motivos cruciais. O apego ao cargo contra tudo que ele defendeu é o medo da polícia federal, como bem apontou CN ele não perder o foro no caso dos fundos que ele administrou.

  5. Esse Guedes é um merda mesmo ! Quando eu pensei que ele ia dar uma de macho ele se deixou engabelar pela conversa mole do boçal. Só espero que os deputados e senadores que dizem nos representar deem uma lição neste falso presidente e o impeçam de continuar no planalto.

  6. Guedes perdeu completamente a credibilidade. Além de Ministro offshore, aquele que ganhou 51 milhões contas secretas no paraíso fiscal de das Ilhas Britânicas, porque no Brasil teria que pagar imposto e lá fora não paga nada. Pegou muito mal.
    Agora seu apelido mudou. Estão chamando Guedes de ministro fura teto. Pior, que ele e Bolsonaro execrávam a Dilma que furou o teto com as pedaladas fiscais.
    O governo Bolsonaro/ Guedes é ou não é uma cópia do governo Dilma/Lula?
    Acho que nesse ponto, não fico contra Bolsonaro, deveria ser de 600 reais. Guedes queria 300. A opção de Bolsonaro por 400 reais, demonstra que o presidente tem mais sensibilidade social do que Guedes.
    Ele está furando o teto de gastos, a contragosto, porque foi uma imposição de Bolsonaro.
    Algo tinha que ser feito,porque a pobreza está matando o povo pobre de fome.
    A sensibilidade do Guedes é com a jogatina financeira para ele enriquecer no exterior.

  7. Incomoda muito ao ministro Guedes, a acusação de trair sua agenda liberal, ao aceitar o Fura Teto de Gastos.
    Na entrevista hoje, junto ao presidente, Guedes disse, que essa Engenharia para turbinar o Bolsa Família, ops.. o Auxilio Brasil foi pensada com Arthur Lira, Rodrigo Pacheco e Luiz Fux do STF. Ou seja, não quer assumir a autoria do Fura Teto. Nesse caso, por justiça, realmente, o pai da criança não foi o Guedes, e sim, seu chefe, o presidente, Jair Bolsonaro.
    Por falar no chefe da nação, o semblante de Bolsonaro ao lado de Guedes, sério, nervoso, sem piscar, cara fechada, tenso, pois bem, tá aí, o verdadeiro Bolsonaro. Nos puxadinhos e em outras ocasiões, vemos o político Bolsonaro assumindo sua vertente de Ator de filmes classe B.
    Nada como uma crise, para observarmos como são as pessoas na realidade.
    Ali Bolsonaro não mentia, ele foi pedir para Guedes não pedir demissão. Mas, será que Guedes teria coragem de abandonar o barco?

  8. O Bolsonaro foi pedir para o guedes não sair. Porque o guedes não ia sair para não perder o foro privilegiado.

    Antes vocês inventavam uma falácia num dia; e outra no outro dia.

    Agora estão meio confusos ou desorganizados.

    • Data Vênia, o que chama a atenção e isso fica evidente na defesa inflamada e até aguerrida do governo Bolsonaro e por consequência seu principal ministro, o economista Paulo Guedes, trata-se das críticas contundentes, que gregos e troianos fizeram a Mailson da Nóbrega (Sarney), Zélia Cardoso de Mello( Collor),
      Antonio Palloci( Lula) e Guido Mantega ( Dilma).
      Todos tiveram dificuldades no comando da Economia. Pergunto: Qual a diferença dos citados em relação a Paulo Guedes? Seria ele a cereja do bolo? Lógico que não, porque a desorganização no seu Ministério é total. Do hoje houve a debandada de quatro auxiliares e antes de completar 10 anos, mais de 10 auxiliares saíram ou foram demitidos.
      Roberto Castelo Branco, amigo de Guedes foi demitido da Petrobrás, por causa dos aumentos da gasolina e do diesel e por impedir as nomeações políticas e subsídios aos caminhoneiros pedida por Bolsonaro, tudo isso descrito na entrevista de Castelo Branco ao jornal O Globo, após o término da quarentena de 6 meses. Há neste relato muito mais, porém se tornaria enfadonho descrever tudo.
      O general Silva e Luna substituiu o amigo de Guedes e tudo continua como antes no quartel de Abrantes, na Petrobrás. Os aumentos da gasolina estão sendo ainda maiores.
      Se isso não for bateção de cabeça e desorganização, então não sei o que pode ser.
      Se fosse no futebol, o time do Guedes já estaria na segunda divisão rumo ao rebaixamento.

    • 1 – O que eu escrevi; não tem nada há ver com o que você respondeu.
      O que eu disse: É que vocês estão contando duas mentiras contraditórias ao mesmo tempo.
      Vocês estão dizendo que o Bolsonaro foi pedir para o guedes ano sair; ao mesmo tempo, dizem que o guedes nunca quer sair, para não perder o foro.

      2 – Quanto a sua falácia das diferenças entre os governos.
      Não tem diferença nenhuma.
      Em todos os governos, foi a ESQUERDA que destruiu a economia.

      Nos governos Sarnei Lula Dilma, vocês quebraram a economia por incompetência.

      No governo Bolsonaro os esquerdistas quebraram a economia, com sabotagem.

      Os governadores esquerdistas quebraram o Pais com o “fique em casa; e paguem os funcionários da teta publica em dia”.

      Você conhece um único funcionário da teta publica, que não recebeu integralmente e em dia ?

  9. Boa noite , leitores(as):

    Senhor Carlos Newton , como explicar a ” MUDANÇA OU CRIAÇÃO DE UMA LEI ” , para anular os efeitos de uma lei que esta em pleno vigor , só para não respeita-la, não constitui crime ?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *