De volta a 1964, em matéria de maldades contra os trabalhadores

Charge do Bira, reprodução do Arquivo Google

Carlos Chagas

Em 1964, depois de os militares tomarem o poder, começaram as maldades. Melhor deixar para outro dia a referência a tudo o que aconteceu em termos de direitos humanos, destruição das instituições democráticas e retrocessos políticos. Vamos ficar, apenas, no desmonte social. Prerrogativas do trabalhador foram para o espaço, mas a principal delas, coincidindo com a ascensão de Roberto Campos ao comando da economia, foi a extinção da estabilidade para o trabalhador que permanecesse dez anos no mesmo emprego, sem ter sofrido punições e demonstrasse cumprir suas funções com eficiência. Nesse caso, só poderia ser demitido por falta grave. Adquiria o direito de ficar até a aposentadoria sem curvar-se a exigências descabidas do patrão.

Trocaram, pela força, a estabilidade pelo fundo de garantia do tempo de serviço, que liberava as demissões do empregado a qualquer pretexto, desde que fizesse jus a um salário por ano trabalhado, ainda que só pudesse receber  esse dinheiro caso demitido, até sem motivos. Tamanha crueldade vige até hoje, quer dizer, mandaram para o espaço a garantia que todo trabalhador tem direito pela natureza das coisas. Foram os investidores americanos que forçaram tamanha barbaridade.

Agora que vem a reforma trabalhista prometida   pelo governo  Michel  Temer, imagina-se o que virá como complemento. Pelo que prometem seus mentores, será a extinção das indenizações. Quem for demitido, tanto faz se com um, dois ou quarenta anos de trabalho na mesma empresa, deixará de receber compensações pelos anos trabalhados. O FGTS só será aplicado caso  a empresa na qual o infeliz trabalha receba o aval do governo para a liberação de um dinheiro que só pertence ao trabalhador.

MAIS MALDADES – Junto com outras maldades, do tipo redução das horas extras,vem aí o fim do adicional pelo trabalho noturno, assim como a limitação das férias e do décimo terceiro salário.

É óbvio que o empresariado está em festa, e até deve-se reconhecer estar sendo sacrificado pela alta carga de impostos. Mas tirar do assalariado a diferença entre as necessidades do trabalhador e o lucro do empresário é repetir, sem tirar nem pôr, a fórmula de 1964. Não fossem outras sugestões já  em andamento, até piores, engendradas pelo governo Michel Temer…

4 thoughts on “De volta a 1964, em matéria de maldades contra os trabalhadores

  1. Caro Chagas, ÓTIMO ARTIGO, Cidadão Trabalhador, que com suor e lágrimas, rala pelo pão de cada dia, e busca construir um País decente e justo, tornou-se escravo dos Governos, pelos impostos escorchantes, entregando 06 meses anuais de seu miserável salário ( o mínimo não nos deixa mentir) sem o retorno dos DIREITOS BÁSICOS DA CIDADANIA, GOVERNOS hipócritas, que estão dilapidando o BRASIL.
    Que o eleitor repudie no VOTO, não reelegendo, é preciso, CHEGA DE BANCAR O OTÁRIO E PALHAÇO DESTE CIRCO MAMBEMBE
    QUE DEUS NOS AJUDE, MAS FAÇAMOS NOSSA PARTE, PARA NOS ORGULHARMOS DE SER BRASILEIROS, VOTANDO COM CONSCIÊNCIA E DIGNIDADE.

  2. Taí, Chagas, sou a favor do trabalhador e das leis trabalhistas como elas ainda são. Mas a tal estabilidade do trabalhador no emprego após 10 anos tornava o trabalhador praticamente ‘sócio’ do patrão, não?

    Conheci gente que não optou pelo FGTS. E não recebia aumentos como os demais. Isto o patrão não era obrigado a fazer, a não ser no dissídio coletivo, não é?
    De um jeito ou de outro é uma relação de forças contrárias.

  3. QUEM É QUE AINDA ACREDITA QUE O FGTS É NA DEFESA DO TRABALHADOR! É NA VERDADE UM ROUBO SOBRE A POUPANÇA DO TRABALHADOR, JÁ QUE PAGA DE JUROS METADE DO QUE PAGA A POUPANÇA QUE TAMBÉM NÃO CHEGA NEM A REPOR O QUE A INFLAÇÃO COME! SERVA MAIS MESMO É COMO FONTE DE RECURSOS ADMINISTRADOS PELA CEF AONDE OS POLITICOS CORRUPTOS METEM A MÃO! NA VERDADE FGTS SÓ É BOM PARA POLITICOS CORRUPTOS E PELEGOS SINDICAIS , NÃO SERVEM NEM AOS EMPRESÁRIOS QUE NÃO PODEM NEM PENSAR EM ATRASAR OS RECOLHIMENTOS, JÁ QUE É PRATICAMENTE IMPOSSIVEL CONSEGUIR PARCELAMENTO DOS DÉBITOS E MUITO MENOS AOS TRABALHADORES, MAIORES VITIMAS! EM SUMA, FGTS TEM QUE SER TOTALMENTE REPENSADO! E MUITOS DOS DEMAIS SUPOSTOS DIREITOS DOS TRABALHADORES, DO QUE É QUE SERVEM PARA MAIS DE 13 MILHÕES DE DESEMPREGADOS? E ESSA DE BOTAR A CULPA DE TUDO QUE EXISTE DE ERRADO NO BRASIL NAS COSTAS DOS AMERICANOS E DA CIA É REALMENTE UMA COISA DE POBREZA INTELECTUAL DE FAZER DÓ! COISA TIPICA DE VAGABUNDOS INTELECTUAIS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *