Declaração de Moreira Franco sobre Geddel causou estranheza no Planalto

Resultado de imagem para geddel e os lideres

Geddel é assediado pela imprensa, que não lhe dá trégua

Ilimar Franco
Site de O Globo

A manifestação de Moreira Franco, em Paris, colocando em dúvida a permanência de Geddel Vieira Lima no governo não foi bem recebida. Ministros do PMDB, do Planalto e da Esplanada cochicharam sobre o fato no Conselhão. Avaliam que ela foi desnecessária e, por isso, não entendem por que Moreira se empenhou em fragilizar Geddel ainda mais.

Na opinião pública há uma ideia disseminada, independe de culpa ou não, de que o ministro Geddel Vieira Lima deve ser crucificado. Ontem, o presidente Temer o segurou, mas nada indica que o fará amanhã. Ministros avaliam que é natural que o presidente Temer, em seu primeiro ato, seja solidário com Geddel. Mas o futuro, acreditam, vai depender da proporção que o assunto tomar na sociedade. Tudo vai depender da temperatura dos próximos dias. No início do governo, o presidente do PMDB, Romero Jucá, e o ex-ministro Henrique Alves foram colocados na frigideira e obrigados a deixar a Esplanada.

Os movimentos que foram às ruas pelo impeachment de Dilma batem cabeça diante da situação vivida pelo ministro Geddel Vieira Lima. O MBL está em silêncio. O Vem Pra Rua, a exemplo dos tucanos, pede o afastamento dele.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em sua coluna no jornal O Globo, Ilimar Franco, acrescenta que o presidente “deu uma chamada em Moreira Franco. Ontem, em Paris, depois de ter insinuado (anteontem) que Geddel era um risco, (Moreira) pediu para virar o disco. Contam que ele andou ligando para o Planalto, dizendo que não tinha sido bem assim”. Em tradução simultânea, isso significa que o clima está mesmo sinistro no Planalto, onde se trava uma guerra surda na disputa do poder, conforme temos divulgado aqui, sempre com absoluta exclusividade. (C.N.)

10 thoughts on “Declaração de Moreira Franco sobre Geddel causou estranheza no Planalto

  1. Na nossa política nada se perde, nada se cria, tudo vira porcaria… ( autocensura )…

    O conselheiro José Saraiva, da Comissão de Ética Pública da Presidência, solicitou nesta quarta-feira (23) ao presidente do colegiado, Mauro Menezes, para ser dispensado de analisar a acusação de que o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, teria pressionado o colega da Cultura para liberar a construção de uma obra em Salvador.

    Órgão vinculado à Presidência, a Comissão de Ética fiscaliza eventuais conflitos de interesse envolvendo integrantes do governo. O colegiado não tem poder para punir nenhum servidor público, entretanto, como é um órgão consultivo do presidente da República, pode recomendar ao chefe do Executivo sanções a integrantes do governo, entre as quais demissões.

    No ofício encaminhado ao presidente da comissão, Saraiva pediu para não participar da apreciação do caso alegando “suspeição por fatos supervenientes”. Ele não especificou no documento qual seria o motivo da suspeição, mas se referiu a “questionamentos veiculados em veículos de comunicação”.

  2. Por que será que esses gestores da coisa pública só se cercam de gente que não presta, de corruptos,enganadores? Obviamente ,pelo fato de todos fazerem parte de uma quadrilha.,com participação, não menos óbvia, do judiciário. Esses sujeito a são piores que ladrões e traficantes. Num país com mais de 55mil homicídios por anos e mais de 100 estupros por dia, o que não se compara com nenhum conflito no planeta, Não vislumbro outra alternativa a não ser uma intervenção militar constitucional….

    • Manhêê, é verdade que teve manifestação no domingo e na terça???? Eu tava com a minha panelinha de INOX prontinha pra ir mas nem ouvi o ruído das manifestações…..
      Será que teve mesmo, mamãe????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *