Defesa de Crivella aciona o STJ para anular busca e apreensão na sua casa e no gabinete

Advogados alegam que busca e apreensão foram ilegais

Rayssa Motta e Rafael Moraes Moura
Estadão

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para tentar anular os efeitos dos mandados de busca e apreensão cumpridos nesta quinta-feira, 10, em seu gabinete no Palácio da Cidade, sede do Executivo municipal na Zona Sul carioca, no prédio administrativo da prefeitura, conhecido como ‘Piranhão’, na região central, e em sua casa.

A defesa de Crivella, que é pré-candidato à reeleição, alega que a operação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual teve ‘claro intuito de gerar verdadeira propaganda eleitoral negativa’. “A ilegalidade da medida se mostra patente. Não há como admitir que agentes públicos tentem influenciar no pleito eleitoral, levando de forma clara e com o intuito de prejudicar o Paciente”, argumentam os advogados Alberto Sampaio Jr. e Michel Asseff.

“ILEGALIDADE” – O documento também sustenta que a ação foi ilegal por, segundo os advogados, ter desrespeitado o contraditório e o direito à ampla defesa. Os defensores do prefeito do Rio afirmam que não tiveram acesso aos autos do processo e não foram informados sobre os fundamentos que justificaram as buscas contra Crivella.

“Temos o chefe da municipalidade sendo violado em função do exercício de seu cargo, conferido honrosamente através de voto popular”, diz um trecho do pedido. Os mandados de busca contra o prefeito foram cumpridos no âmbito de uma investigação sobre suspeitas de corrupção e organização criminosa no Executivo carioca. As apurações são desdobramento da Operação Hades, deflagrada em março deste ano para desarticular o que ficou conhecido como ‘QG da propina’.

Segundo os investigadores, empresas interessadas em trabalhar para a Prefeitura entregariam cheques a Rafael Alves, apontado como operador do esquema, que faria a ponte para encaminhar os contratos. As informações foram reveladas em delação premiada pelo doleiro Sérgio Mizrahy.

8 thoughts on “Defesa de Crivella aciona o STJ para anular busca e apreensão na sua casa e no gabinete

  1. Crivella, um dos golpistas de 2016, está sentindo na carne o que é ser perseguido político. Tomara que com está lição ele aprenda a diferença entre política e politicagem.

  2. Gesto de humildade ou parcimônia?
    Um servo de Deus ungido pelo Espírito Santo, recorrer a um simples mortal como advogado, para fazer sua defesa?
    Triste, triste mesmo do ministro do STF, que negar provimento ao sacrossanto prefeito! Aquele que ousar contrariar o sobrinho do único homem capaz de dar ordens para o Altíssimo, São Edir Macedo. Quem se atrever a cometer quamanho sacrilégio será incinerado nos quintos do inferno!

  3. CANDIDATOS A PREFEITO PELO CIDADANIA DESTACAM PROJETOS PARA A JUVENTUDE

    Publicado em12 de setembro de 2020

    Em live nesta sexta-feira (11), organizada pelo coordenador do Juventude do estado de Goiás, Guilherme França, o deputado estadual Virmondes Cruvinel, pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo Cidadania, destacou as iniciativas para superar o momento da pandemia e o pós, como a retomada de empregos e qualificação, com pautas ligadas à juventude como primeiro emprego, empreendedorismo, cultura e esporte.

    “Um dos grandes desafios para quem pensa em ser prefeito é o resgate da juventude, que tem esbarrado na falta de experiência e oportunidade no mercado de trabalho. Temos defendido parcerias com o Sistema S e cursos de capacitação que podem prepará-los. Queremos também criar um banco de talentos, incentivando o uso da tecnologia como nova ferramenta de emprego e trazer a realidade das startups que ajudam a melhorar a gestão pública. Além de apoiar o jovem empresário que precisa de acesso ao crédito e orientação do poder público”, sustentou Cruvinel.

    Questionado, o pré-candidato em Goiânia também explicou sua ideia sobre projetos para modernização das escolas municipais e expansão dos sinais de internet por Goiânia. “O primeiro passo é trazer essa tecnologia para as escolas e popularizar o acesso à banda larga, garantindo a pulverização por toda a cidade. E pensar a ideia de sensos tecnológicos comunitários para que os jovens e os pais possam ter acesso às atividades online em parceria com entidades e Ongs com mais qualidade”.

    Cruvinel ainda ressaltou como pretende fortalecer a prestação de serviços da assistência social. “Temos que amparar no tripé formação, treinamento e inserção. A prefeitura esqueceu o cidadão, só pensa em obras. Dando oportunidades para a juventude os distanciamos de outros problemas, como as drogas, por exemplo. Por isso estamos muito motivados a encarar esse problema da assistência social e avançar pensando no cidadão”.

    A delegada Daniele Garcia, pré-candidata do Cidadania a prefeita de Aracaju (SE), também participou do debate e observou que a questão do desemprego entre jovens pode ser resolvida com um ambiente de negócios favorável, facilitando a abertura de empresas, que passa, necessariamente, pela capacitação dos jovens.

    “Pensamos em criar uma casa do empreendedor para desburocratizar a abertura dessas empresas. Mas vai além disso, temos uma juventude muito ociosa no nosso município, não temos mão de obra qualificada e, por isso, as empresas se estabelecem aqui e a mão de obra é toda de fora. Com capacitação e a prefeitura sendo intermediador para captação de recursos, facilitando o empreendedorismo para os jovens, conseguimos trazê-los para o mercado de trabalho”, afirmou Garcia.

    Durante a conversa, a delegada foi questionada sobre a importância de uma gestão participativa com a juventude. “Pensamos em descentralizar a gestão municipal através da criação de prefeituras-bairro. Contaria também com os conselhos participativos, onde a juventude tenha voz e participe da gestão da sua comunidade”, afirmou.

    No tocante ao combate à corrupção, a pré-candidata em Aracajú disse que fortalecerá os órgãos de controle interno. “A gente não consegue imaginar uma gestão sem controle interno e fiscalizador fortalecido, sem regras claras de compliance para a gestão pública. Esperamos controlar de perto, trazer minha experiência no combate a corrupção para evitar que se perpetue”.

    Outro participante, o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Macapá (AP) pelo Cidadania, Doutor Furlan, destacou as políticas públicas que serão priorizadas para a juventude no município, como o Pró-Bem, que é parte do plano de governo e será o carro chefe na área de educação, inclusão social e esportes.

    “Queremos otimizar o ensino das crianças no contraturno, levando reforço, musicalização, teatro, robótica. Na área social, criaremos o agente comunitário de educação, que funcionaria como um inspetor que faria o link entre a família e a escola, diminuindo a evasão escolar. Do ponto de vista dos esportes temos a intenção de construir três piscinas semiolímpicas”, disse.

    Doutor Furlan ainda falou sobre sua atuação como médico e a relação com a política. “Foi a Medicina que me levou para a política quando percebi dentro do meu consultório a dificuldade das pessoas em terem acesso a alguns serviços, a algumas condições básicas que poderiam levá-los a uma melhor qualidade de vida”.

    Como parlamentar, o pré-candidato em Macapá lembrou ser autor de algumas leis importantes, como o aplicativo SOS Vida, que funciona para os indivíduos que têm ideações suicidas, além de ser autor da lei que criou a notificação compulsória dos estabelecimentos de saúde para vítimas de violência doméstica.

    Renovação

    O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, falou da abertura do partido à nova realidade de fazer política, principalmente com a ampliação do uso das redes sociais.

    “O Cidadania entendeu que era necessária uma nova formação política para esse novo mundo, por conta desse novo processo de relação social, de trabalho, e humanas em geral. Isso já demonstra que os partidos eram datados e precisavam sofrer transformações e entender essa nova juventude que vinha para participar da política por outras formas de agir”, destacou.

    Na avaliação de Freire, o Cidadania tem ganhado mais espaço com essa abertura aos movimentos de renovação. “Não apenas de capilaridade, mas com características de ser formado fundamentalmente por jovens. A renovação da política está encontrando no Cidadania um interlocutor”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *