Defesa de Odebrecht tenta desmoralizar delação premiada

Bulhões comanda a jogada ensaiada de Marcelo Odebrecht

Mario Cesar Carvalho e Bela Megale
Folha

A defesa do empresário Marcelo Odebrecht protocolou nesta segunda (18) uma petição direcionada ao juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato, em que acusa a força-tarefa de manipular a transcrição do depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o empresário.

No documento, assinado por Nabor Bulhões, criminalista que conduz a defesa de Odebrecht, são apontadas divergências entre um dos vídeos gravados por Costa à força-tarefa da Lava Jato em 3 de setembro de 2014 no âmbito do seu acordo de delação e o termo de colaboração que contém a transcrição do depoimento.

Segundo a petição, no áudio os procuradores perguntam para o ex-diretor da Petrobras “mas e o Marcelo Odebrecht?”. Como resposta, ouvem: “Uai, eu conhecia ele, tive algum contato com ele, mas nunca tratamos de nenhum assunto desses diretamente com ele…”

Posteriormente, Costa explica que conheceu o executivo quando era vice-presidente do conselho da Braskem, braço petroquímico da Odebrecht que tem a Petrobras como uma das sócias e Marcelo como presidente. “Nem põe o nome dele aí porque com ele não, ele não participava disso…”, finaliza Costa no vídeo.

BANCANDO O INOCENTE…

A defesa destaca que o depoimento de Costa foi prestado em setembro de 2014, nove meses antes da 14ª fase da Lava Jato, deflagrada em junho de 2015 e que levou o herdeiro da Odebrecht para trás das grades. Os advogados alegam que se as declarações do ex-diretor isentando Marcelo do esquema de pagamento de propina da Petrobras estivessem no termo da declaração premiada do ex-diretor, “certamente as graves medidas constritivas não teriam sido adotadas contra ele”, referindo-se à prisão do empreiteiro.

A petição vai além e lança suspeita sobre a força-tarefa do Ministério Público Federal “de manipulação de todo material informativo colhido nas inquirições concernentes aos acordos de delação premiada que foram celebrados”.

Com base nas divergências do vídeo e da transcrição do depoimento, Bulhões solicita que sejam juntados aos autos todos os vídeos correspondentes aos termos usados para basear acusações, além de tempo para analisar o material.

OUTRO LADO

Um dos coordenadores da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, Carlos Fernando dos Santos Lima, disse que apenas comentaria o depoimento específico de Paulo Roberto Costa sobre Odebrecht após rever o vídeo e compará-lo com o que foi transcrito para ver se existe alguma “imprecisão”.

Ele rebateu, contudo, a alegação da defesa do empresário de que os procuradores tenham manipulado um trecho do depoimento do delator para prejudicar o réu.

“Ainda não conheço o trecho a que [o advogado] está se referindo, mas esta alegação de manipulação é uma manobra da defesa, não faz o menor sentido”, disse Lima.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Era uma jogada ensaiada, como no futebol. Primeiro, a entrevista do excêntrico Kakay à BBC em Paris, para ser repercutida por toda a grande mídia, inventando a “criminalização da riqueza”. Logo em seguida, também capitaneada por Kakay, a jogada do manifesto dos advogados e “juristas”, denunciando a “neoinquisição” das delações premiadas. Com isso, estaria armado o lance que seria complementado agora, com o chute final do advogado de Marcelo Odebrecht, alegando que a delação contra ele foi “forçada” pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. Assim, marcando o juiz Sergio Moro sob pressão, eles simulam que podem soltar o megaempresário, que acredita nesse tipo de conversa fiada de seus defensores. Mas não vai dar certo, porque as provas contra ele abundam. Em breve, Marcelo Odebrecht vai descobrir que esse tipo de defensor só quer ganhar dinheiro, e quanto mais tempo ele ficar na cadeia, melhor. Eles só jogam para a arquibancada. Quando o delfim dos Odebrecht descobrir isso, vai fazer uma delação premiada, destruir Lula e Dilma e enfim ganhar a liberdade com tornozeleira, que é hoje o sonho de consumo de nove em cada dez empreiteiros. (C.N.)

15 thoughts on “Defesa de Odebrecht tenta desmoralizar delação premiada

  1. Advogado é como técnico de futebol. Se o time é ruim ou o treinador incompetente, a culpa é do juiz.
    Jamais irão reconhecer que seus clientes sejam na verdade é criminosos. Como precisam de sucesso para
    sobreviver num meio tão concorrido, o único caminho é acusar justamente quem estar a aplicar a lei, que para
    eles, os causídicos é só um instrumento para ganhar dinheiro. São uns mercenários.

  2. “O primeiro e mais fundamental dever do advogado é ser o juiz inicial da causa que lhe levam para patrocinar. Incumbe-lhe, antes de tudo, examinar minuciosamente a hipótese para ver se ela é realmente defensável em face dos preceitos da justiça. Só depois de que eu me convenço de que a justiça está com a parte que me procura é que me ponho à sua disposição”.
    (…)…“A advocacia não se destina à defesa de quaisquer interesses. Não basta a amizade ou honorários de vulto para que um advogado se sinta justificado diante de sua consciência pelo patrocínio de uma causa. O advogado não é, assim, um técnico às ordens desta ou daquela pessoa que se dispõe a comparecer à Justiça. O advogado é, necessariamente, uma consciência escrupulosa ao serviço tão só dos interesses da justiça, incumbindo-lhe, por isto, aconselhar àquelas partes que o procuram a que não discutam aqueles casos nos quais não lhes assiste nenhuma razão”.

    ( Sobral Pinto ).

  3. Muito bem Virgílio. Parabéns pela lembrança
    : Doutor Sobral Pinto .” O ADVOGADO É, NECESSARIAMENTE, UMA CONSCIÊNCIA ESCRUPULOSA AO SERVIÇO TÃO SÓ DOS INTERESSES DA JUSTIÇA,INCUMBINDO-LHE, POR ISTO, ACONSELHAR ÀQUELAS PARTES QUE O PROCURARAM A QUE NÃO DISCUTAM AQUELES CASOS NOS QUAIS NÃO LHES ASSISTE NENHUMA RAZÃO”

  4. Se os delatores já falaram que, deputados, senadores e demais membros deste governo receberam propina, o que eles tentam desmoralizar aquilo que está vindo a tona, as investigações realizadas pela PF, MP e justiça, estão de acordo com a lei, não há nada de imoral, o roubo que fizeram em empresas públicas, como a principal delas a Petrobrás, isto sim é IMORAL.

  5. Mimimi pois o Dr. Moro retorna das férias amanhã. Ao visto demorou para cair a ficha…

    ” De Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, um dos signatários do manifesto dos advogados criminalistas contra supostos excessos da Lava-Jato, diante do apoio do presidente do PT, Rui Falcão, ao documento:

    — Quando li a nota dele, no café da manhã, fiz uma reflexão: “Será que estamos errando?”.

    ( Radar Veja )

  6. Apesar de todos os horrores de que o povo tem tomado conhecimento com relação ao governo e à corrupção generalizada, há uma sensação positiva que é a da perspectiva de que é possível o Brasil ser diferente, onde o cumprimento da lei prevaleça e onde não haja espaço para pronunciamentos de advogados, juízes, políticos e empresas que afrontem as instituições e pessoas que defendem os reais interesses do país.

  7. O bilionário Marcelo dorme de touca no xadrez curitibano. E um sono de Cinderela. Quando despertar, será tarde. Terá perdido a banda da delação premiada. E é isso que seus criminalistas desejam, pois é a situação mais lucrativa para eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *