Déficit público assusta? E os gastos públicos?

Luiz Tito
O Tempo

O ex-presidente Tancredo Neves dizia que Minas é o Estado síntese da nacionalidade. Aqui, segundo ele, se retemperam o ímpeto progressista e avassalador do Sul do Brasil e as angústias, o abandono e o sofrimento do Norte e do Nordeste brasileiros. Infelizmente, essa é uma desarmonia histórica, que não muda, porque há muitos que ganham com ela, os que ganham com a seca e com a enchente. No Brasil, paradoxalmente e de forma imoral, ganha-se muito com a miséria. Minas reproduz essa realidade, e as nossas regiões Norte, do Mucuri e do Jequitinhonha trazem com elas as marcas dos bolsões mais miseráveis do país.

Pouco ou nada produz diferenças no seu perfil, especialmente porque nos acostumamos com medidas pontuais, bolsas, favores, pequenos benefícios, e não lutamos por políticas mais abrangentes e estruturantes. Apenas como registro, as bolsas federais que são administradas eleitoralmente pelas prefeituras de todo país, tipo Bolsa Família, se um dia forem fiscalizadas com seriedade e isenção, hão de mandar para a cadeia muita gente. Mas isso é assunto para uma outra coluna.

Voltando à questão dos gastos públicos e sua histórica falta de compromisso com a qualidade dos mesmos, e que motiva o quadro geral de dificuldades do nosso momento econômico: no Norte de Minas, para termos como exemplo, há prefeituras que sustentam os orçamentos de suas Câmaras Municipais com verbas que, se cotejadas com outros investimentos, são, no mínimo, uma desfaçatez.

VEREADORES CAROS…

Uma cidade com 20 mil habitantes, com um orçamento projetado para o atual exercício em R$ 49 milhões, destina a sua Câmara R$ 1,6 milhão por ano. Essa verba remunera nove vereadores que se reúnem às sextas-feiras à noite, pelo que percebem R$ 6.000 por mês. Só com subsídios dos seus edis (que chique), gastam-se R$ 702 mil por ano. A diferença, de R$ 900 mil por ano, serve para pagar a luz, a água, os gastos com locomoção, com gasolina, com viagens, cursos, congressos de vereadores e, claro, a remuneração de assessores.

Esses dados, tomados como exemplo, se referem à cidade de Manga, um município com um dos menores IDHs do país. Montes Claros, com 395 mil habitantes e com um orçamento de R$ 1,032 bilhão, destina à Câmara Municipal R$ 16 milhões por ano, onde estão 21 vereadores que recebem R$ 16 mil por mês. A diferença, de R$ 11 milhões, vai pagar as despesas da instituição, os vereadores e, também, remunerar assessores.

Janaúba, com 67 mil habitantes e um orçamento fiscal de R$ 198 milhões, destina a sua Câmara Municipal R$ 3,9 milhões por ano, com o que remunera o trabalho de 15 vereadores. Januária tem 65 mil habitantes e gasta com o Legislativo Municipal R$ 3,7 milhões por ano, representando um investimento do município de R$ 260 mil/ano no trabalho de cada um dos seus 15 vereadores.

FAÇAMOS AS CONTAS

Que nós, cidadãos, façamos todo dia essa conta sobre o que custam a Câmara Municipal de nossa cidade, a Assembleia Legislativa do nosso Estado, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal. Busquemos esses números relativos a tudo o que é pago com o nosso dinheiro, com o dinheiro público, nesse Brasil que tem 5.570 municípios. Saiba porque o Brasil tem um déficit fiscal de R$ 32 bilhões. E como zerá-lo, além da corrupção que vemos ampliar-se todos os dias, e que é nosso dever de cidadão denunciar e combater.

8 thoughts on “Déficit público assusta? E os gastos públicos?

  1. NÃO ADIANTA NADA
    Isso mesmo, de nada adianta porque comunista somente escuta a voz do fuzil e ladrão o tilintar das chaves da cadeia.
    Temos ouvido falsos democratas, mais interessados em permanecerem nos mandatos de presidente, de governador, senador, deputado, ministro, juízes e nos cabides onde faturam alto sem ter que trabalhar e com honrarias e benesses dizerem que: –
    – o povo é que tem que promover as mudanças necessárias;
    – que intervenção militar somente acontecerá se o povo pedir;
    – que os militares não vão interferir mais porque aprenderam a lição;
    – que a solução é política;
    – que a solução só pode sair das urnas;
    – que os cargos eletivos foram legitimamente
    conquistados democraticamente nas eleições;
    – que estamos em plena democracia e por isso é golpe votar impeachment da presidente; e,
    – outras chapinhas todas cunhadas na forja da safadeza, da xyzwhijp, da ladroagem e do falso patriotismo democrático.
    O povo não tem meios para promover nenhuma mudança. Somente um povo altamente politizado e que independesse totalmente das “caricias” do governo é que teria alguma chance de promover mudanças via eleições e, absolutamente, estamos muito longe disso.
    A máfia vermelha apossou-se de todos os meios possíveis e imagináveis e, descaradamente, faz uso dessas prerrogativas 24 horas por dia. Com a mente intoxicada pelas mentiras democráticas dificilmente, longe das armas, haverá alguma mudança, mesmo porque se essa corja que aí está fosse afastada outra no mesmo “modus vivendi e operandi” assumiria e continuaria com o flagelo.
    Não adianta sair de preto ou de verde amarelo enchendo as ruas e avenidas carregando faixas e cartazes nos domingos, da mesma forma de nada adianta discurso inflamados produzidos por artistas, por políticos, por ex presidentes, por juristas e que tais.
    O status somente mudará com uma revolução armada mas o povo não tem armas; o povo não tem o sentimento patriótico oriundo do berço, o que o povo conhece são a enxurrada de mentiras produzidas cuidadosamente pelos marqueteiros vermelhos regiamente pagos com nosso dinheiro durante mais de duas décadas.
    O povo está dopado pela demagogia da falsa democracia vermelha, incutida cuidadosamente e paulatinamente transformando o cidadão brasileiro em um simples repetidor de “chapinhas” vazias de democracia mas recheadas de mentiras, mentiras essas que somente fazem empedrar nas veias de nossa juventude um falso conhecimento do que seja uma democracia de fato e de direito pois não tiveram oportunidade de conhecer as verdades que levaram os militares em 1.964 a enxotar a máfia vermelha que se organizavam para dominar, como agora fazem, não só o país mas também suas consciências.
    Não, o povo não vai mudar nada porque o povo não dispõe dos meios necessários para tanto e quem poderia, eventualmente, socorrer o povo neste calvário seriam as Forças Armadas mas estas estão rezando pela cartilha do embusteiro Wagner e prestando continência para a comunista mais conhecida como Pinóquia.

    Por tudo isso e por nada disso é que a IMC-Intervenção Militar Constitucional, com imediato impeachment como medida de emergência, é a única solução a curto prazo.

    DIGA NÃO AO SOCIALISMO/PETISTA-COMUNISTA INCRUSTADO NO GOVERNO, NAS FORÇAS ARMADAS E A SEUS APOIADORES.
    LEIAM TAMBÉM
    O Feitiço Contra O Feiticeiro
    O Podre Nosso de Cada Dia e O Pão Nosso de Cada Dia
    O País do Escracho
    Uma Pá De Cal
    É Isso Ai

    http://www.militar.com.br/blog-de-kasca-20686
    http://www.etapernetagmail.blogspot.com
    http://www.saidacomhonra.wordpress.com

  2. O governo, políticos e a mídia só falam em aumentar impostos.

    Não falam em demitir parte dos apadrinhados dos políticos não concursados (cargos de confiança ou de desconfiança com produtividade Zero), em todos os níveis, federal, estadual e municipal. O total de apadrinhados deve ser mais de meio milhão.

    O desvio é tanto que até um gato recebia Bolsa Família. Duvida? Leia: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,gato-recebe-por-sete-meses-beneficio-do-bolsa-familia,312279

    Não falam em reduzir despesas com propaganda federal, estadual, municipal e de estatais.

    Também não falam em cortar auxilio moradia, educação, etc. dos senadores, deputados, promotores, desembargadores, juízes e outros.

    Não comentam em reduzir numero de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores.

    E ai vai.

    Só pensam em ferrar quem sustenta este país.

  3. O desespero de estarem proximos da jaula esta fazendo com que os petistas apelem para todo o tipo de provocacao para se vitimizarem..
    Onde estao as ‘rigorosas investigacoes ‘ sobre os ‘atentados ao Instituto Brahma ?
    E as das ‘ invasoes ‘ da sede e da sala do Cardozo ?
    O Stalin fazia isso para se promover e colocar a culpa nos judeus e no Trotski , que estava praticamente incomunicavel no exilio. Com isso o Stalin conseguia desculpas para continuar com o genocidio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *