Delação da Odebrecht começa a ser feita apenas pelos executivos

Marcelo só fará delação na segunda etapa

Mario Cesar Carvalho
Folha

A Odebrecht avançou na decisão de que executivos do grupo vão negociar um acordo de delação premiada e acertou com o advogado Theo Dias, filho do ex-ministro da Justiça José Carlos Dias, para cuidar das tratativas iniciais com a força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba. Não está certo, no entanto, se Dias será o advogado dos executivos se as negociações avançarem. O advogado já cuidou de um acordo na Operação Lava Jato: o do lobista Milton Pascowitch, acusado de repassar propina da Engevix para políticos como o ex-ministro José Dirceu. Em nota à Folha, a Odebrecht “nega a contratação do escritório para os fins descritos na matéria”. Procurado, Dias não foi localizado pela reportagem.

O ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, não faz parte do grupo por enquanto, segundo a Folha apurou com profissionais que atuam no caso. Entre os executivos que tentarão fechar um acordo com os procuradores e a Polícia Federal estão Márcio Faria e Rogério Araújo, ambos condenados nesta terça-feira (8) a dez anos de prisão pelo juiz federal Sergio Moro por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e por integrar uma organização criminosa.

DEPENDE DA FORÇA-TAREFA

A palavra final sobre o acordo é da força-tarefa da Lava Jato e depende do tipo de informação que os executivos vão fornecer sobre as irregularidades que a empresa praticou. Para os executivos, o acordo pode livrá-los da prisão, o que poderia ocorrer ainda este ano caso a sentença desta terça seja confirmada pelo Tribunal Regional Federal de Porto Alegre.

A Folha revelou nesta terça que a secretária Maria Lúcia Tavares, da Odebrecht, passou a negociar um acordo de delação. Ela é apontada pela força-tarefa da Lava Jato como responsável por guardar a contabilidade dos “acarajés”, codinome que a polícia atribui à propina.

A avaliação de executivos e advogados da Odebrecht é que o grupo corre o risco de encolher, e até quebrar, se não fizer acordos de delação para os seus executivos e de leniência para o grupo.

O acordo de leniência, uma espécie de delação premiada para empresas, visa evitar que a Odebrecht seja declarada inidônea pela Controladoria-Geral da União e, com isso, proibido de celebrar contratos com o governo.

RISCO DE FALÊNCIA

O risco de o grupo quebrar decorre de um efeito no crédito para empresas que têm executivos condenados por corrupção. Os bancos interrompem os empréstimos por causa do risco de a empresa perder contratos.

Há ainda o temor de que a Odebrecht seja processada nos EUA e tenha de pagar milhões de dólares em multas. Um dos pagamentos ao marqueteiro João Santana, com recursos desviados da Petrobras, segundo os procuradores, foi feito no Citibank de Nova York.

2 thoughts on “Delação da Odebrecht começa a ser feita apenas pelos executivos

  1. Em O GLOBO….sobre a reunião de Lula com os senadores de Banânia…..
    —————————————————————————————————————————-
    (….)

    Segundo o senador Helio José (PMB-DF), que saiu por volta das 11h40m do encontro, o ex- presidente não demonstrou vontade de assumir um cargo no governo. O encontro já dura mais de três horas.

    Lula, na primeira hora de reunião, fez um relato sobre o uso do sítio em Atibaia e o tríplex no Guarujá, alvos de investigação. Segundo ele, não há nada de errado. Ele também fez referência às mais de 200 caixas de presentes que recebeu quando era presidente, dizendo que contêm desde relógios a bebidas. Contou que distribuiu em vários lugares para guardá-las porque são “TRAMBOLHOS” que não cabem em sua casa e não tem onde armazenar.

    O ex-presidente reclamou ainda que, quando tudo estava bem politicamente, não se questionava nada.

    — Agora, tudo tem que ser explicado !
    ————————————————————————————————————————-
    E a gente não sabe se ri ou se chora. Melhor aguardar que a PF finalize o inventário e a lista dos TRAMBOLHOS.

  2. Talvez eu seja 1%, mas é o que penso.

    Sinceramente, do fundo de minha consciência tenho medo de cruzar nas ruas com estupradores, torturadores, sequestradores, assassinos e sei que posso cruzar tranquilamente, com empresário Marcelo Odebrecht, Zé Dirceu, Marcos Valério, Maluf e outros envolvidos em Lava-Jato e Mensalão Sei que o pessoal do Lava jato e Mensalão não me causará nenhum medo como os primeiros citados. Claro que a corrupção desvia dinheiro para hospitais, merendas escolar, mas podem ser restaurado, havendo vontade das autoridades governamentais. . Um meio de combater a corrupção é diminuir número de ministérios – menos cargos = menos corrupção. Cadeia não acaba com corrupção. Cadeia é pra crimes hediondos: Homicidio qualificado, extorsão qualificado pela morte, estupro, assalto com reféns, assassinatos., genocídio.
    A verdade é que a gente vive com medo dentro de casa, medo de sair na rua. Não temos segurança
    Pessoal de Mensalão e Lava-Jato deveria ser punido, sem cadeia, com prestação de serviços públicos e à comunidade, confisco dos bens, devolução do dinheiro, proibição de se elegerem até para síndico do prédio, incluindo seus filhos.
    Politico e empresário pobre é pior do que político e empresário pre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *