Delegado alega que sua rede social foi invadida para difamar Marielle Franco

Resultado de imagem para delegado ofende marielle

Delegado afirma que não postou esta mensagem

Deu no Diário de Pernambuco

A Secretaria de Defesa Social (SDS) divulgou nota no final da manhã deste domingo (18), comunicando o afastamento do delegado Jorge Ferreira do plantão da Delegacia da Mulher. A decisão foi tomada por conta de declarações postadas pelo policial em uma rede social sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol/RJ), morta a tiros no dia 14 deste mês. Há apenas um mês, ele dava plantões na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, sem exercer cargos de chefia ou coordenação na unidade.

De acordo com a nota, o conteúdo da postagem foi encaminhado à Corregedoria Geral da SDS, que iniciou uma investigação preliminar, na qual o servidor terá direito à ampla defesa e ao contraditório. “Até a conclusão do procedimento administrativo, o servidor ficará à disposição do setor de recursos humanos da PCPE”, diz o texto.

Ainda de acordo com a nota, o teor das afirmações é incompatível com o posicionamento do Governo, da Secretaria de Defesa Social e da Polícia Civil, “que prezam e focam todos os seus esforços na preservação da vida, proteção dos cidadãos, tolerância e paz social”. O texto é assinado pelo Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e Polícia Civil de Pernambuco.

DELEGADO SE DEFENDE – Também foi por meio das redes sociais que o delegado Jorge Ferreira resolveu se defender sobre o assunto. Em um vídeo com cerca de dez minutos, o delegado disse não ter sido o autor da postagem. “Fui informado por um amigo sobre a publicação. Quando eu sair da rede social eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia. Tinha inclusive um no Crato, mas eu nunca estive lá. Eu sai imediatamente de todos mas não sei como postaram isso”, enfatizou.

Ainda no vídeo, o delegado disse defender que antes das acusações sejam realizadas as investigações. “Eu tenho posturas políticas muito claras, todo mundo sabe. Eu sou a favor da lei, da ordem, do trabalho bem executado. O que eu venho postando e replicado é para fomentar a discussão porque defendo a ideia de que antes de se acusar se apure. Mal aconteceu o homicídio e já se começou a acusar a Policia Militar. Eu defendo que não, que seria interessante antes ver todas as possibilidades”, diz.

DIZ A ASSOCIAÇÃO – Já a Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (ADEPPE) divulgou uma nota afirmando que o post não é de autoria do referido Delegado. “Jorge Ferreira é um profissional responsável e extremamente dedicado à missão a que foi incumbido, na defesa dos direitos da mulher. Aqueles que o conhecem minimamente sabem que Jorge possui um temperamento completamente incompatível com o conteúdo chulo e grosseiro do texto publicado”, diz o texto.

A pré-candidata ao governo de Pernambuco pelo Psol, Dani Portela, por sua vez, divulgou nota de repúdio exigindo apuração imediata sobre supostas postagens de delegado Jorge Ferreira. “Não bastasse o assassinato de Marielle Franco, uma mulher negra e militante, algumas pessoas começaram a replicar nas redes sociais conteúdo falso, as famosas fake news, com o objetivo de assassinar, dessa vez, a reputação de Marielle. Exigimos, diante da gravidade e da repercussão, a devida investigação da postagem e, caso se confirme autoria do delegado na produção do conteúdo, que ele seja punido dentro dos rigores da lei”.

19 thoughts on “Delegado alega que sua rede social foi invadida para difamar Marielle Franco

  1. A quem interessa ???

    O delegado Gutemberg Souza Filho, titular da delegacia de Ubá (MG), descartou a participação do proprietário do veículo suspeito encontrado no município, nesse domingo (18), no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

    O carro, da marca Renault, modelo Logan, é semelhante a um dos veículos usados na emboscada e foi localizado graças a uma denúncia anônima.

    O proprietário foi interrogado pela polícia e, segundo o delegado, não há elementos que o liguem, em princípio, à morte de Marielle e Anderson. “Ele negou. Não temos elementos para comprovar a participação dele”, disse Gutemberg.

    Segundo o delegado, o carro foi periciado, mas não houve indícios de sua utilização no crime. Mesmo assim, o veículo, que tem placa do Rio de Janeiro, continuará apreendido, para aprofundar a investigação.

    Imagens de câmeras de segurança mostram que, além de um automóvel Renault Logan, outro, da marca GM, modelo Cobalt, também participou da perseguição que terminou na morte de Marielle e Anderson, no bairro do Estácio, na noite do dia 14.

  2. “caso se confirme autoria do delegado na produção do conteúdo, que ele seja punido dentro dos rigores da lei”.

    Pois é: Rigores E DIREITOS conferidos pela lei e pela Constituição Federal, não é Dani Portela? Tais como: Dignidade, respeito, proteção pelos direitos humanos, o contraditório e a ampla defesa..
    E ainda os que o próprio PSOL defende, como a ressocialização dos culpados, independente de prisão (afinal a prisão não reeduca nada). Vamos ver se o PSOL vai querer aplicar a sua teoria na prática, quando os meliantes forem apanhados…

  3. E ai ministro Raul ?

    Apontado pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, como o responsável por um roubo de munição calibre 9mm na sede da Polícia Federal no Rio, o escrivão aposentado Cláudio de Souza Coelho negou envolvimento no crime e afirmou ontem que pretende ir à Justiça pedir reparação por danos morais.

    Ele já estava aposentado. …

  4. Será que vai ter advogados voluntários do PSOL para receber denúncias pelo e-mail de fake news aos montes contra Bolsonaro? Afinal existe o princípio da igualdade. ..

    • Não vi nenhuma comoção promovida pela Globo? Por que será? Que requisitos “básicos” precisam ter essas também vítimas da violência, psra sensibilizar a Globo e promover uma comoção nacional?

  5. Após a forte reação às medonhas calúnias proferidas, em sua página pessoal de Facebook, contra Marielle Franco, a desembargadora Marília de Castro Neves Vieira, do Rio de Janeiro, fechou sua página para visualização apenas para sua rede de amigos.

    (Apesar disso) a desembargadora continua proferindo barbaridades contra Marielle e seus correligionários, babando ódio contra a esquerda, caluniando, difamando, espalhando fake news e fazendo propaganda político-partidária de Jair Bolsonaro (o que é vedado por lei).

    Recebemos ligações, também, de pessoas que tem a infelicidade de ter casos julgados pela desembargadora, e que sofrem na pele a atuação de uma magistrada cruel e reacionária, que usa seu cargo para perseguir desafetos, inclusive por motivos políticos.

    É tudo muito óbvio: uma reacionária destrambelhada, que odeia o povo, odeia a esquerda, odeia o Larte (!), odeia até mesmo, pasmem, o Código do Consumidor, que considera uma “lei socialista”, porque prejudica empresários…

    Lembremos que ela é fanática por Sergio Moro e Jair Bolsonaro. Por justiça, admito que, embora isso não diga nada sobre Sergio Moro, é muito emblemático sobre a personalidade da desembargadora e de quem pensa como ela.

    https://goo.gl/SPLUPZ

    • O senhor estará correto em chamá-la de fanática caso os fatos relatados sejam comprovadamente autênticos.
      Mas…e o senhor que é FANÁTICO pelo Lula, Dilma e suas legiões de ladrões apesar de todas as provas que os incriminam ou que desqualificam seus atos administrativos?
      Esta tua declaração de fanatismo alheio sói faz reforçar que o teu fanatismo é imensurável.

  6. A “simples” morte de uma pessoa, que poderia ser apenas mais um número nas estatísticas macabras desse gigante demente, faz vir à tona uma série de erros que foram jogados para debaixo do tapete: o furto/desvio de munição ocorrida em 2006 mas só agora que é sabido pelo povo, o suposto funcionário da PR apontado como autor dos desvio e que segundo o grande ministro da Defesa havia sido exonerado e punido, mas que se encontra aposentado, o que demonstra que a senhora fofoqueira do bairro tem mais informações que o ministro Jungmann.
    Nesse lamaçal podemos constar uma coisa, o Brasil não perdeu o controle para o crime, entregou-o, passou o controle para o crime, uma vez que os próprios parlamentares pertencem ao verdadeiro Crime Organizado, a polícia de todo o país está contaminada, enquanto que o povo continua na sua zona de conforto, despolitizado, amorfo.
    Outra coisa grave nesse homicídio, de uma hora para outra as mensagens de ódio contra essa vereadora, que a maioria sequer conhecia, esse delegado, que deveria ser exonerado pelo bem público, pois não cabe a ele julgar ninguém, espalha pelas redes sociais vitupérios contra uma pessoa que ele não conhecia, e agora vem com a desculpa amarela de que “teve seu perfil no face Book rakeado”, não engana nem criancinha.
    Onde estava esse povo com seus dedos em riste apontando para os erros da defunta? Por que se calaram quando o presidente Temer rasgou a CLT e impôs o retorno ao colonialismo nas relações trabalhista? Cadê os exaltados que se calaram e mantem sua latrinas fechadas para o caso das mudanças na Previdência social, porque não fazem o mesmo para mostrar que a propaganda que o governo faz para a implantação já dessas mudanças é do interesse de grandes grupos financeiros?
    Na verdade o que vemos no Rio de Janeiro e em todo Brasil, são lacunas, propositadamente deixadas pelo Estado, esse Estado que é o verdadeiro assassino, não importando quem puxou o gatilho da pistola que matou Mariele, o Estado assassina todos os dias nos corredores dos hospitais públicos, largados à própria “sorte”, mutila nas obras hiper faturadas, nos lesa na extrema burocracia, nos furta na tributação extorsiva.
    Esse é o Brasil que estamos aperfeiçoando para o futuro!

  7. A tensão aumenta …

    Dono do bar Bip Bip, tradicional reduto boêmio em Copacabana, na Zona Sul do Rio, o comerciante Alfredinho foi detido e levado para uma delegacia após uma confusão envolvendo frequentadores de seu estabelecimento e um policial rodoviário federal que estava de folga. O tumulto aconteceu durante a roda de samba promovida no local nas noites de domingo. Após prestar depoimento como testemunha, o empresário, de 74 anos, foi liberado, por volta das 3h desta segunda-feira.

    Segundo relatos de pessoas que estavam no bar, a confusão começou quando foi realizado um minuto de silêncio em tributo a Marielle Franco, vereadora do PSOL executada na noite da última quarta-feira. De acordo com esses relatos, publicados em redes sociais, o policial federal questionou a homenagem, interromprendo o ato, o que gerou a discussão.

  8. Ricardo Noblat. ..

    Jungmann enquadra diretor da Polícia Federal
    Afinal, qual a origem das balas que mataram Marielle?

    Foi do delegado Rogério Galoro, novo diretor da Polícia Federal, que o ministro Raul Jungmann, da Segurança Pública, recebeu a informação de que as balas que mataram a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) foram roubadas de um lote de balas na empresa dos Correios, na Paraíba.

    A direção dos Correios desmentiu a informação. Jungmann a manteve. Mas em seguida chamou Galoro às falas. Cobrou que ele apure tudo com rigor e rapidez. Ficou furioso por ter sido desmentido.

    Jungmann sabe que a seção carioca da Polícia Federal é tão infiltrada por bandidos como são a Polícia Militar e a Guarda Civil.

  9. Bom, para que depois eu não seja desmentido, repito o que escrevi dias atrás:
    NÃO SEI SE OS ASSASSINOS SERÃO IDENTIFICADOS E APRESENTADOS AO PAÍS!

    Caso houver envolvimento de “graúdos”, bye bye.

    Pois nesse entrevero de munição roubada, de desmentidos, e de não aparecer ainda nenhum suspeito, a minha tese segue inquestionável.

  10. O delegado alega que é simples invadir o Facebook.

    É para Hackers com PHD.

    Pergunta Básica:

    A quem interessaria tarefa tão complicada, para envolver um delegado tão irrelevante?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *