Delfim Neto recebia propinas da Odebrecht quando era deputado federal

Delfim Netto é um exemplo de impunidade através dos tempos

Deu em O Tempo
(Agência Estado)

Em depoimento ao delegado da Polícia Federal Rodrigo Luís Sanfurgo de Carvalho, da Lava Jato, o ex-ministro Antonio Delfim Netto afirmou que recebeu R$ 240 mil em espécie da Odebrecht em outubro de 2014 por “motivos pessoais, por pura conveniência”, devido a um serviço de consultoria que ele teria prestado à empreiteira. Delfim, 88 anos, foi o todo poderoso ministro da Fazenda do regime militar, nos anos 1970. Ele ficou famoso como o ministro do “milagre econômico”. Seu depoimento à Polícia Federal ocorreu na segunda-feira (dia 15).

Ele declarou que “presta serviços” para a empreiteira há 20 anos, mas que esta consultoria específica, pela qual ganhou R$ 240 mil, foi feita sem contrato. Afirmou que não recebeu outros valores da empreiteira “em circunstâncias similares”.

O ex-ministro alegou, ainda, que “não tinha ideia” que o valor foi pago pelo setor da Odebrecht responsável pelo caixa 2 da empreiteira, conforme revelou a investigação da Lava Jato.

SEM CONTRATO – “Que em diversas oportunidades presta consultoria (à Odebrecht) sem qualquer contrato, o que não exclui a natureza da consultoria prestada; que, conforme afirmado, presta serviços para a Odebrecht há mais de 20 anos; que, por vezes, presta consultoria por telefone ou pessoalmente; que, no caso em questão, não possui um contrato firmado, mas assegura que prestou tal consultoria e recebeu por ela o valor de R$ 240. 000,00”, afirmou o ex-ministro.

O valor repassado a Delfim consta de uma das planilhas do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht. Operações Estruturadas é o nome oficial do “departamento da propina” da empreiteira, revelado pela Operação Xepa, desdobramento da Lava Jato.

No documento, aparece que a entrega foi feita no dia 22 de outubro de 2014 no escritório de advocacia na capital paulista onde trabalha um sobrinho de Delfim chamado Luiz Appolonio Neto. Appolonio chegou a ser conduzido coercitivamente na Operação Xepa – 26ª fase da Lava Jato que tinha como alvo o setor responsável pelos recursos ilícitos da empreiteira – ocasião em que disse não se recordar de ter recebido o pagamento.

A PEDIDO DE DELFIM – Posteriormente, sua defesa encaminhou ofício à PF em Curitiba – base da Lava Jato – informando que “referidos valores não lhe pertencem, apenas foram recebidos no endereço acima mencionado a pedido do economista Antonio Delfim Netto, o qual por motivos particulares e em razão de sua avançada idade, não quis receber em seu escritório”.

Ainda segundo a defesa de Apollonio, todo o valor foi repassado ao ex-ministro, que recebeu a quantia “em virtude de consultoria prestada”.

À Polícia Federal, Delfim Netto disse que seu sobrinho presta “consultoria jurídica” para ele. O ex-ministro não detalhou qual foi o serviço de consultoria para a Odebrecht que justificou os R$ 240 mil. Ele afirmou que o dinheiro já foi gasto e declarado em seu Imposto de Renda.

RETIFICAÇÃO – “Que o valor em questão foi gasto; que não sabe precisar exatamente a destinação; que referido valor foi posteriormente declarado aos órgãos competentes; que seus contadores providenciaram a retificação da declaração de imposto de renda para inserir referido valor; que declarou citado montante como serviço prestado”, disse o ex-ministro.

Delfim disse ainda que produz relatórios mensais para a empreiteira e que iria encaminhar o contrato de consultoria que mantém com a empresa. E a empreiteira informou que não vai se manifestar sobre o caso.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Não há a menor novidade. Delfim sempre foi corrupto, desde jovem, quando roubou um livro raro da biblioteca da USP. No governo da ditadura, notabilizou-se como embaixador na França e foi denunciado pelo adido militar, coronel Raymundo Saraiva Martins. Não aconteceu nada a Delfim, mas o oficial teve interrompida sua carreira, não conseguiu promoção a general. No governo Figueiredo, Delfim trabalhava no Palácio do Planalto, e os militares instalaram um grampo no escritório dele. Sabiam que não era possível confiar nele. Nesse depoimento à PF, Delfim revela que há 20 anos presta serviços à Odebrecht. Isso significa que recebia propinas da empreiteira durante o período em que foi deputado federal, e a Constituição proíbe que parlamentar tenha outra fonte de rendimento. Delfim é um delinquente contumaz, uma inteligência voltada para o crime. (C.N.)

44 thoughts on “Delfim Neto recebia propinas da Odebrecht quando era deputado federal

  1. Enquanto filhas de uns são nomeadas Desembargadoras, as mulheres de outros se deliciam em falcatruas…kkkkkkkkkkkhttp://blogdobg.com.br/ministerio-publico-vai-justica-contra-mulher-ministro-dias-toffoli/

  2. R$ 240.000,00 kkkkkk e pixuleco para o Sr. Delfim, fico imaginando o que esse cidadao deve ter nos banco da suica dentre outros que se for repatriado daria para o rombo da PTrobras.

  3. Newton. depois da denúncia do coronel Saraiva, que Delfim na França cobrava 10% sobre todos os negócios que passavam por suas mãos. Ficou conhecido com “Senhor 10%” Até um livro foi escrito sobre esse caso. Delfim foi mandado para França creio como embaixador. Se eu estiver errado, por favor corrija-me.

  4. Gente esse apreço ao dinheiro deve ser uma doença. Acredito que a corrupção seja como um vício, o indivíduo nunca sacia a sua vontade. Quanto mais rouba, mais quer roubar! Deus do céu, quanta gente doente dependente de corrupção. Vão morrer e não vão levar nada com eles. Apenas as maldades para prestarem contas ao Cosmo.

  5. Sr. Newton veja este artigo da TI em 2009.
    Nela cita o famoso “japonesinho” Shigeaki Ueki , um Gênio da Economia que ficou bilionário da noite para o dia, deve ter sido Mestre da filha do Zé Vampiro da Móoca.
    O japonês do Petròleo era muito amigo do delfin netto,
    Será que o japonês “brigou” com delfin a ponto deste pegar merrequinhas de Empreiteiras.??

    http://www.tribunadainternet.com.br/a-petrobras-enriqueceu-de-geisel-a-ueki-reno-e-galvao-e-centenas-de-malandros/

  6. 240 mil reaus?
    Muito pouco, nesse valor Dona Henriquetta nem sai dos Mergulhos Matinais em sua banheira toda personalizada em Diamantes roubados das Selvas Congo Belgas Africanas..
    Só numa levada, o cerveró deu mais de US$ 100 milhões de dólares, extraídos da Petrobrás, hoje algo em torno de 3 bilhões de reais, (corrigidos).
    Fora os bilhões roubados pelo seu filhinho Pachequinho henrique cardoso, The Shadow,
    Dinheiro esse também roubado dos cofres públicos pelo cerveró e investidos no Panamá Papers pelo filho da Rainha da Corrupção..
    Delfim já foi melhor na mão grande, virou um ladrão de galinhas……………
    Que decadência.

  7. Esse então já caiu no esquecimento….

    Anos 1980.

    Caso Coroa Brastel

    O caso Coroa Brastel é um dos maiores escândalos de corrupção que ocorreu durante aditadura militar. O caso foi denunciado ao STF (Supremo Tribunal Federal) em 1985, abrindoinvestigações contra o ministro do planejamento Delfim Neto, o ministro da fazendo EmaneGalvêas e o dono da empresa Brastel (eletrodomésticos), Assis Paim Cunha.Assis Paim Cunha obteve grande sucesso em sua carreira de empresário, sendo consideradoum dos homens mais ricos do país. A Brastel possuía como braço financeiro a holding Coroa, e oGrupo Coroa Brastel era um dos mais bem sucedidos do Brasil, com grande influência no Rio deJaneiro.Em 1981, o empresário afirmou que foi praticamente obrigado por uma imposição dogoverno a comprar uma corretora, que estava a beira da falência, para que sua empresa ficasse livrede limitações impostas ao financiamento de compras a prazo, tornando o volume de vendas Brastelo maior do país.A situação da corretora era péssima, fazendo-se necessário um empréstimo da CaixaEconômica Federal. Originalmente o dinheiro seria usado para a expansão da empresa Brastel,porém, serviu para o pagamento de dívidas que a corretora tinha com o Banco do Brasil e oBanespa. Para conseguir o empréstimo, a holding Coroa precisou emitir letras de câmbio sem lastro,e seus juros estavam relativamente muito acima do que se praticava no mercado. A situaçãocomeçou a ficar insustentável.Em junho de 1983, o Banco Central interveio na holding e percebeu-se que os quase 34 milinvestidores haviam sido lesados, e judicialmente acertou-se que a Coroa pagaria cerca de Cr$43.442.670,00 aos investidores. Porém, com a falência do Grupo Coroa Brastel, não foi possívelefetuar todo pagamento, acarretando na falência de demais empresas ligadas ao grupo.Os ministros Delfim Neto e Emane Galvêas foram acusados de desviar dinheiro da CaixaEconômica Federal ao permitirem o empréstimo irregular ao empresário, mas os dois ministrossaíram ilesos do processo, pois a acusação contra Galvêas foi rejeitada e a de Delfim não chegounem a ser examinada.Em 1998, o Assis Paim foi condenado por gestão fraudulenta de instituição financeira, comuma pena de 8 anos e 3 meses de prisão, porém cumpriu o regime semiaberto em prisão domiciliar.O empresário sempre se considerou inocente, e culpava sua falência a compra da corretora pelaimposição do governo. Assim Paim faleceu em outubro de 2008.

    http://www.cepcorrupcao.com.br/1980/Anos-1980-8-CASO-COROA-BRASTEL1.pdf

  8. O Prof. ex-Ministro DELFIM NETTO, pela sua grande obra no Governo, como Dep. Fed. na Câmara, como Constituinte de 1988, pelos seus constantes Escritos/Palestras na Imprensa, etc, a meu ver, sempre prestou um grande serviço a Economia do Brasil. Como fazia bem aquela COMPETÊNCIA e OTIMISMO que ele sempre transmitiu.
    Sempre foi um defensor da Empresa Nacional com Matriz no Brasil, aquela que cria Tecnologia Nacional e capitaliza aqui dentro 100%.
    Fomentou trocas de Produtos Manufaturados Brasileiro por petróleo/matérias-primas com o Exterior, a produção de Café Solúvel no Paraná para exportação, enfrentando a poderosa Nestlé, etc, incentivou ao máximo a produção de Agregação de Valores aos nossos Produtos, a produção de grãos no Centro-Oeste – NE, etc.

    De tudo o que escreve na Imprensa, me é difícil discordar de muita coisa.
    É “um Santo”?, provavelmente como todos Nós, Não. Mas viver do seu Trabalho, dos seus Conhecimentos acumulados em uma longa vida de sucessos, vender Consultorias, Pareceres, montar Consórcios, etc, investir bem seu Capital, para mim são as coisas mais normais do mundo.

    Para mim, seu Custo/Benefício para a Economia do Brasil, em termos de crescimento Econômico/EMPREGOS, é tremendamente POSITIVO.

  9. O populismo barato baixou no Drácula…..kkkkk Linha de crédito para os beneficiários do Bolsa Família e programa Bebe Feliz ….kkklkk Datafolha urgente….klkkaass

  10. Porém o maior crime lesa pátria dessa triste figura foi a criação do INPS , acabando com o IAPI , IAPC , IAPETC , IAPB , etc , para criar um enorme caixa onde pudesse chafurdar melhor …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *