Demissão de Medina exibe o comprometimento do governo Temer com a corrupção

Resultado de imagem para medina osorio

Sem coragem para encarar Medina, Temer mandou Padilha demiti-lo

Carlos Newton

A demissão do ministro-chefe da Advocacia-Geral da União (AGU) foi um dos maiores erros estratégicos do governo de Michel Temer, que montou um Ministério altamente comprometido com os esquemas de corrupção, a pretexto de garantir maioria na base aliada. Logo no início, teve de demitir três ministros –Romero Jucá (Planejamento), Henrique Alves (Turismo) e Fabiano Silveira (Transparência, Fiscalização e Controle). Todos caíram por citações fortemente comprometedoras na Operação Lava Jato.

É impressionante constatar que 19 dos 22 nomes escolhidos inicialmente por Temer estão implicados em alguma acusação, processo judicial, investigação ou são citados na Lava Jato. Oito deles estão mencionados em delações premiadas, inquéritos ou na chamada “lista da Odebrecht” – Eliseu Padilha (Casa Civil), Geddel Vieira Lima (Governo), José Serra (Itamaraty), Mendonça Filho (Educação), Ricardo Barros (Saúde), Bruno Araújo (Cidades), Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário) e Raul Jungmann (Defesa), o único que parece ter sido citado equivocadamente.

MAIS ENVOLVIDOS – Incluindo o secretário de Privatizações e Concessões, Moreira Franco, que não tem status de ministro, esse número sobe para nove. Mas o total chega a 12 se forem considerados os ministros cujos pais são políticos e estão nas investigações da Lava Jato — Helder Barbalho (Integração Nacional), Fernando Bezerra Filho (Minas e Energia) e Sarney Filho (Meio Ambiente).

E mais cinco ministros estão sob outras investigações, respondem a processos ou são acusados de irregularidades –Maurício Quintella (Transportes), Blairo Maggi (Agricultura), Alexandre de Moraes (Justiça), Gilberto Kassab (Comunicações) e Leonardo Picciani (Esportes).

UM NOME LIMPO – No meio dessa verdadeira formação de quadrilha, o jurista Fábio Medina Osório, da AGU, despontava como um raríssimo profissional ficha limpa. Sua presença no Ministério, sem dúvida, era a única indicação de que Temer poderia estar apoiando a Lava Jato, mas essa possibilidade acaba de ser descartada.

Vejam um detalhe importante na cobertura jornalística dessa trama:  Na primeira reportagem que saiu sobre a demissão de Medina, nesta quinta-feira, às 20h53m, informava a Folha que “segundo relatos de integrantes de cúpula do governo, Padilha não concordaria com a tese de acesso da AGU aos inquéritos de políticos envolvidos na Lava Jato e também não gostou das ações da pasta contra as empreiteiras investigadas na operação”.

QUIS CUMPRIR A LEI – Portanto, Medina Osório contrariou o governo Temer ao mover ações contra as empreiteiras, para que devolvam ao erário os recursos desviados no esquema de corrupção, estimados pela AGU em R$ 12 bilhões.  Além disso, na opinião do governo, Osório teria errado também ao solicitar ao Supremo os dados sobre políticos envolvidos na corrupção, para igualmente lhes cobrar ressarcimento.

Em tradução simultânea, constata-se claramente que o governo Temer quer proteger as empreiteiras e políticos envolvidos na corrupção. Publicamos uma matéria a esse respeito aqui na Tribuna da Internet às 22h28m de quinta-feira, e o efeito foi fulminante. Às 23h14m, a Folha alterava o título anterior (Ministro da Casa Civil pede demissão de chefe da AGU”) amaciando paraMinistro da Casa Civil pede que chefe da AGU se demita”.

O mais interessante é que na parte que enfocava a justificativa da demissão, misteriosamente sumiu do texto a referência à cobrança de ressarcimento às empreiteiras corruptas, que desde sempre vinha sendo o maior motivo das críticas à atuação de Medina, cuja intenção era simplesmente fazer a AGU cumprir suas obrigações constitucionais, mas agora fica claro que o propósito do governo de Michel Temer é mesmo de proteger as empreiteiras e os políticos envolvidos na Lava Jato.

###
PS –
O assunto é da maior importância e logo iremos voltar a ele, com novas informações. (C.N.)       

29 thoughts on “Demissão de Medina exibe o comprometimento do governo Temer com a corrupção

    • Não, Alverga. O Newton nunca pensou tão pequeno. Era só faz- de- conta.
      Apenas este é o país do agora é, agora não é.

      Agora é proibido não ter estojo de primeiros socorros no carro; agora não é.

      Agora é obrigatório usar extintor de incêndio no carro; agora não é.

      Agora é proibido não acender a luz do veículo nas rodovias durante o dia; agora não é.

      Meu pai sempre se queixou das ajudantes domésticas porque elas apertavam demais as torneiras, mesmo as novinhas em folha, de forma a estropiar a carrapeta e, às vezes, a rosca também.

      Eram duas forças agindo em conjunto: a força do hábito que traziam de casa e a força manual.

      Assim, ou se trocava a carrapeta ou a torneira como um todo, ou o vazamento continuaria.

      O mesmo ocorre na política brasileira, onde o maior acordão de que já se teve notícia continua a ‘vazar’.

    • Alô Virgílio! A plaquinha tá cada vez mais firme:
      “SOB NOVA DIREÇÃO”….KKKKKK

      Era uma vez cinco amigos que faziam tudo junto, viajavam, faziam negócios…

      Plus ça change, plus c’est la même chose….KKKKKKK

  1. Parlamento em prol do povo, ou empalamento do povo brasileiro??

    Os árduos tempos chegaram, PMDB no poder com maioria, representado por Michel Lulia, com maioria no Congresso e as chaves de barrar a Lava Jato…

    Instintos mais perversos com relação a política.

    Ha tempos, quando cogitava-se derrubar Dilma e o PT, lembra a aflição que dava pensar no PMDB governando?

    Honestamente, mesmo em tempos de tão necessaria união para sair da crise, desconfio é do diabo a quatro…
    Esse governo Temer tá cheirando enxofre…

    Eis o Brasil, que vai deixando de ser .
    Tamos vendidos…

  2. Temer será a Dilma amanhã?
    Nunca um governo novo fez tanta bobagem. Pudera, tendo Eliseu a frente da coordenação. O sujeito tem de ser muito raso, incapaz e cego político para ter um Padilha como seu homem forte.
    Cuidado! Estamos chegando perto da conclusão do grupo pró-militares. Lembremo-nos quando queriam a saída dos dois – Dillma-Temer.
    E o povo, acéfalo em sua maioria, está a espera de avatares e salvadores para solucionar os problemas criados por seus erros. Se as urnas não foram fraudadas, evacuaram o que os eleitores nelas depositaram.
    Cuidado, Lulla pode voltar nos braços do povo burro!

  3. Nesta semana, estiveram reunidos na China o grupo formado pelos vinte países mais ricos do mundo. Tomamos conhecimento, através da imprensa, que os debates e as propostas apresentadas visaram alcançar melhores dias para comunidade internacional,poisos problemas são vários e significativos.A ganância de determinados países motiva uma desconfiança que prejudica o entendimento, de uma lado, e gera desigualdades e desequilíbrios político do outro, econômicos, sociais e culturais do outro. Nossa linha de raciocínio , surgem a exploração desordenadas dos recursos naturais não renováveis, a miséria crescente de milhões de pessoas , a corrida armamentista , a falta de solidariedade humana, a ausência de uma paz estável, dentre outros problemas.O radicalismo tem influenciado de forma negativa as alterações de comportamento e de organização social.Crises,desemprego, miséria violência decorrem de movimentos radicais que não buscam soluções. Segundo Shakespeare,”A política está acima está acima da consciência.A hipocrisia é a chaga maior dessa atividade. Os países precisam de caminhos pavimentados pela crença e pela largueza de propósitos , observando-se os verdadeiros interesses das populações.A coerência programática,baseado na justiça democrática e em princípios éticos e morais , é o remédio capaz de combater, atualmente, os conflitos e desencontros da sociedade mundial.Este será o roteiro do desenvolvimento equilibrado,com investimento produtivos e distribuição de renda,ou seja, a partição de todos na riqueza das nações ,o verdadeiro progresso da humanidade.

    • PF prende mãe do deputado Hugo Motta, ex-presidente da CPI da Petrobrás na Câmara

      Investigação apura desvios praticados em três municípios do sertão da Paraíba. Avó de Motta também é alvo e foi afastada do cargo

  4. A demissão de Medina Osório não sinaliza obrigatoriamente que Temer esteja comprometendo seu governo com a corrupção de governo(s) anterior(es).

    Façamos uma rápida pesquisa sobre o PMDB:
    1 – ou é PMDdoB, como está lá no fim, em http://pmdb.org.br/
    2 – http://pmdb.org.br/institucional/historia/ tem História do PMDB até 11 de junho de 2012; porém, só narra até “Um desses peemedebistas que apoiou Lula foi o senador José Sarney (AP), que acabou eleito, em 2003, presidente do Senado Federal. Na liderança da bancada da Câmara dos Deputados despontou Eunício Oliveira, um dos parlamentares cearenses mais votados em 2002. No Senado, o alagoano Renan Calheiros foi mantido no comando da bancada.”

    3 – Fico curioso … por qual motivo não é escrita a História do PMDB … o que aconteceu após a eleição de Lula em 2002?

  5. Há uma semana foi a Odebrecht.

    09/09/2016 16h02 – Atualizado em 09/09/2016 16h26

    STF desbloqueia R$ 2 bilhões da OAS

    Em recuperação judicial, construtora argumentou que teria ‘sérios prejuízos’.
    Valor havia sido bloqueado pelo TCU para ressarcir danos à Petrobras.

  6. Por estas e outras canalhices dos políticos pós-graduados em corrupção e assalto aos cofres da viúva é que, provavelmente, o Eduardo Cunha terá penalidade branda junto aos seus pares. Evidentemente, qualquer coisa mais ardente poderá levá-lo a entregar seus algozes. Final da história: tirou-se a camarilha petista mas ficou seus antigos aderentes – agora até mais livres. Meu Brasil varonil.

  7. 4 – Realmente, a História do PMDB após 2003 é triste; pois não se votava os vetos presidenciais – e, tanto Lula quanto Dona Dilma, governaram como se o Executivo é quem DISPÕE sobre todos os assuntos da União.
    5 – No entanto, a CF CIDADÃ de 1988, em continuidade à novidade da Constituição do Autoritarismo de 1967, diz que é o Legislativo que DISPÕE.
    6 – Tal dispositivo é resultado da Revolução iniciada pelas Baronias Inglesas, em que o Executivo deva estar sujeito ao Legislativo … não subordinado; porém, sujeito à aprovação do Povo por meio de seus representantes.
    7 – E o PMDB falhou até a ação de Eduardo Cunha, né???

  8. Parabéns Carlos Newton!
    Jornalismo investigativo, crítico e reflexivo!
    É isso que o momento exige!
    Independente de ser esquerda ou direita, que se faça justiça àqueles que prezam pela ética contra a corrupção!
    Ou Temer se posiciona a favor da democracia plena, ou… pague seu preço!
    Que isso se aplique aos representantes dos três poderes!!

  9. 8 – Concluindo … o governo Temer é o que começou noutro dia, né???
    Há alguma denúncia de corrupção no governo Temer???
    Depois que Temer foi nomeado Secretário de Segurança de SP após o episódio do Carandiru – houve uma como pacificação … … … sugiro darmos 100 dias a Temer … eu vou descansar nesses 100 dias … … … Que o Imaculado Coração de Maria e o Santíssimo Coração de Jesus abençoem Temer, Maia, Renam, Levandowsky, Carmen e todos nós!!!

  10. O Governo Temer comprova que a corrupção não é prerrogativa única do PT, ao continuar misturando assuntos de Governo e de Partido. Esse, no fundo, foi o erro que tirou o PT do Governo. A permanecer nessa linha, logo estaremos alinhados com o Fora Temer (mas sem vandalismo).

    • Conforme avisei, estou perdendo um tempo enorme para ficar de olho em excessos nos comentários. Quem confundir liberdade de expressãocom liberalidade ou libertinagem, vai quebrar a cara.

      CN

  11. Temer, mostre, que é a favor da Lava-Jato, e reconvide o Dr. Medina, e até se houver altruísmo e sinceridade em favor da Moral, lhe peça desculpas, e ainda mais, exonere quem lhe recomendou, e os demais indiciados por corrupção, lave a jato, está lama patriocinada, e tenha dignidade de reconhecer que errou, essa exoneração, aumentará o “Fora Temer”, agora pela voz, de 6 milhões, por ver a Esperança vilipendiada.

  12. Pingback: ROQUE SPONHOLZ | Blog do Giulio Sanmartini (1944/2013) ....................................Para bom entendedor, meia palavra basta!

  13. Isso não é verdade. O Medina queria acesso a todas as apurações da Lava-jato. Foi advertido sobre isso. Afinal ele é do poder executivo e, aí sim, poderia passar a impressão que o Planalto comandava as investigações que são do Ministério Público e da Polícia Federal. O Temer agiu certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *