Deputada neonazista alemã, neta de ministro de Hitler, ficou entusiasmada ao trocar ideias com Bolsonaro

Bolsonaro recebeu parlamentar alemã neonazista no Palácio do Planalto

Bolsonaro recebeu no Planalto a neonazista e seu marido

Ingrid Soares
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou com a deputada Beatrix von Storch, vice-presidente do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), investigada pelo serviço de Inteligência alemão por propagar ideias neonazistas, xenofóbicas e extremistas. A parlamentar publicou uma foto do encontro nas redes sociais nesta segunda-feira (26/7), ao lado também do marido, Sven von Storch.

Na legenda, escreveu que “em um momento em que a esquerda está promovendo sua ideologia por meio de suas redes e organizações internacionais em nível global, nós, conservadores, devemos nos unir”. A foto foi tirada na semana passada, durante sua passagem pelo país. Até o momento, o chefe do Executivo não publicou a imagem em suas redes sociais.

AMISTOSA RECEPÇÃO – “Um encontro impressionante no Brasil: gostaria de agradecer ao presidente brasileiro a amistosa recepção. Estou impressionada com sua clara compreensão dos problemas da Europa e dos desafios políticos de nosso tempo. Em um momento em que a esquerda está promovendo sua ideologia por meio de suas redes e organizações internacionais em nível global, nós, conservadores, devemos nos unir mais e defender nossos valores conservadores em nível internacional. Além dos EUA e da Rússia, o Brasil é um parceiro estratégico global para nós, com quem queremos construir o futuro juntos”.

No último dia 22, a deputada Bia Kicis (PSL-DF), aliada do chefe do Executivo, se encontrou com Beatrix von Storch. O Museu do Holocausto lamentou o encontro, e afirmou que Beatrix é neta do ministro das Finanças de Adolf Hitler, Lutz Graf Schwer. Segundo o Museu, a Alternativa para a Alemanha é um partido político alemão de extrema-direita, fundado em 2013, com tendências racistas, sexistas, islamofóbicas, antissemitas, xenófobas e forte discurso anti-imigração.

ELOGIO À DEPUTADA – Após polêmica pelo encontro, Kicis enviou uma carta ao presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib) elogiando e defendendo a deputada alemã. “Como eu, é uma defensora dos valores judaico-cristãos, da família e da luta pela soberania de sua Pátria”, afirmou.

No último dia 22, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também conversou com a parlamentar alemã. Pelas redes sociais, afirmou que os conservadores são “unidos por ideais de defesa da família, proteção das fronteiras e cultura nacional”.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, também recebeu a visita da deputada da ultradireita alemã.

28 thoughts on “Deputada neonazista alemã, neta de ministro de Hitler, ficou entusiasmada ao trocar ideias com Bolsonaro

  1. Bolsonaro parece gostar de sempre escolher o pior caminho para a diplomacia brasileira.
    Como pode um presidente tirar uma foto com os braços nos ombros de pessoas com idéias e ideais completamente diferentes dos praticados por brasileiros?

      • Bacelar tem razão.

        O que não pode acontecer é que os sucessores de nazistas queiram continuar divulgando as ideias nazistas!

        Nada contra a questão familiar.
        Mas, precisamos ser contra qualquer possibilidade de novos ovos serem chocados, e eclodirem com as velhas e perniciosas condutas do passado.

  2. Bolsonaro imagina, na sua cabeça oca ou como se fosse de camarão – o mais correto -, que o povo e país devem lhe seguir.

    Ele não nos deve explicações, justificativas, explanações … nada, Trata-se do presidente desta republiqueta, então ele tem o “direito” de agir como quiser e de se relacionar com quem desejar.

    Depois que Bolsonaro se agarrou com o Centrão numa relação sexual promíscua, pornográfica, pública, banhada através de golden shower emitidos pelos parlamentares igualmente indecentes, alegando que a sua atitude seria para salvar “o seu governo”, vê-lo sorridente e engalfinhado com um casal partidário do conservadorismo, neonazismo, xenofobia, preconceitos os mais diversos e exóticos, o atual presidente do Brasil deveria estar sendo exposto em um zoológico:

    Eis o elo perdido, que tanto procuramos!!!

    A facilidade e a falta de vergonha que Bolsonaro rompe o civilizado com o arbítrio, o correto com o erro crasso, a normalidade com a excrescência, coloca-nos numa posição perante o mundo de uma nação atordoada, confusa, perturbada, sem rumo, completamente perdida.

    O mais grotesco neste comportamento doentio do ex-militar e ex-deputado federal, diz respeito à aquiescência das FFAA com este tipo de insanidade e falta de escrúpulos indiscutíveis!

    Abraçado, sorridente, como se fosse íntimo dos neonazistas, sexo desbragado e sem camisinha com o Centrão, a Messalina do congresso nacional, falta para Bolsonaro responder ao impeachment o quê??!!

    Faltam às FFAA para evitar danos e prejuízos maiores com Bolsonaro no poder o quê??!!

    Sinceramente, caso tivéssemos de procurar duas situações altamente comprometedoras de Bolsonaro, aquelas irrefutáveis, inexplicáveis e indesculpáveis, ei-las:
    a intimidade com o centrão, e como convidados para o bacanal ou a orgia palaciana, os nazistas, duvido que seriam essas duas situações porque demasiadamente inacreditáveis!!!

    Mas, este é Bolsonaro, a coisa!

    • Isso tudo é uma mentira deslavada. E tem cabeça de camarão que faz comentário em cima de uma mentira.
      Na Alemanha, é crime qualquer tipo de suposta sinalização de ligação ao neonazismo.
      O que existe lá, como aqui, são os esquerdopatas fazendo essas acusações infundadas e mentirosas.
      Ela é de direita é quer um estado menor igual ao Bolsonaro; Hitler como todo esquerdista quis um estado totalitário tomando conta de tudo.

      • O idiota e imbecil J.Rubens não se contém.
        Ansioso por dar o seu palpite furado, como sempre, e também querendo demonstrar a sua ignorância e estupidez em termos históricos, ataca mais uma vez, querendo ferir a verdade com suas conclusões insanas e esdrúxulas.

        Sem qualquer pudor para escrever as suas asneiras corriqueiras, a aproximação de políticos alemães com Bolsonaro, que se identificam com o nazismo e suas ideias preconceituosas e racistas, para os bolsonaristas são parlamentares de “direita”.

        Para justificarem o alegre e jovial encontro do presidente com o casal conservador, xenófobo, extremista e divulgador das ideias nazistas, repentinamente Hitler ficou sendo de “esquerda”.

        Mais ou menos como fez Wyllys com Bolsonaro, ao cuspir-lhe no rosto – atitude criminosa e imperdoável, que deveria ser o deputado expulso do parlamento -, o fiel escudeiro J.Rubens dá uma cusparada na História, e vincula o nazismo à esquerda, esperando por aplausos pela sua energúmena conclusão!

        Burro de quatro costados, sequer sabe que, uma das razões do surgimento do nacional Socialismo nazista, teve como meta COMBATER O COMUNISMO!!!

        A menos que, para o asno J.Rubens, o comunismo seria de direita, mesmo assim, qualificar o nazismo como de esquerda seria o mesmo que eu afirmar que Bolsonaro é um agente-espião russo no Brasil!

        Mas vai lamber sabão, idiota e imbecil, estúpido e ignorante!

        • Falseou a verdade de novo. O partido dos trabalhadores esquerdista nazista era aliado dos comunistas soviéticos. Somente em 1941 Hitler rompeu com seu irmão siamês (que é o comunismo) Stalin.

          E você mudou de assunto de novo. O assunto é essa mentira que você comentou. É mentira que essa senhora deputada seja neonazista.

          • Certamente o errado sou eu, em dar trela a um estupido, ignorante, idiota e imbecil!

            Mas, preciso responder porque para alguns desinformados poderá acontecer que te deem razão, então será uma catástrofe.

            Repito:
            a tua burrice espanta.
            Podemos ser ignorantes:
            eu o sou em vários assuntos e situações;
            mas, permitir que a ignorância domine até mesmo a minha preguiça de eu não querer pesquisar o que afirmo, então a ignorância se mostra em toda a sua humilhante condição, para quem se nega querer saber a verdade!

            Jamais, em tempo algum, o nazismo foi irmão siamês do comunismo (que comparação mais infeliz)!

            Presta atenção, jumento:

            Em 23 de agosto de 1939 a União Soviética e a Alemanha assinam, em Moscou, um pacto de não-agressão, válido por 10 anos.

            A despeito das aparências de amizade, no entanto, estava bastante claro para quem acompanhava o jogo político da época que ambos os chefes de Estado – Josef Stalin e Adolf Hitler – estavam jogando conforme suas necessidades políticas e estratégicas, com pouca disposição para cumprir o acordo até o fim do período.

            Um protocolo secreto definido por este acordo repartia as zonas de influência na Europa do leste. Hitler obtinha a temporária neutralidade da União Soviética, abrindo espaço para declarar guerra e invadir a Polônia nove dias depois, em 1º de setembro.

            Stalin pode, por outro lado, avançar sobre a Finlândia, anexar os países bálticos e invadir a Romênia.

            O pacto, no entanto, teria vida relativamente curta: em menos de dois anos, em 22 de junho de 1941, Hitler lançaria um ataque contra o território da União Soviética.

            Após a invasão alemã da Tchecoslováquia, em março de 1939, a Grã-Bretanha viu-se diante de uma necessidade urgente: definir se deveria intervir militarmente para conter a expansão germânica posta em andamento por Hitler.

            O primeiro-ministro Neville Chamberlain, inicialmente indiferente à ocupação dos Sudetos, área de expressão alemã da Tchecoslováquia, percebeu que a Polônia estava sob ameaça. As alianças da época tornavam lógico que a Grã Bretanha se veria obrigada a socorrer a Polônia, na eventualidade de uma invasão alemã. Mas Chamberlain queria um aliado.

            Só a União Soviética reunião as condições militares e geográficas para conter um avanço alemão sobre a Polônia. No entanto, as relações de Stalin com o governo britânico estavam bastante frias, depois que sua tentativa de criar uma aliança com França e Grã-Bretanha contra os nazistas fora rejeitada pelos países ocidentais.

            Além do mais, os líderes poloneses no exílio em Londres eram quase todos ultraconservadores e não queriam uma frente com a União Soviética.

            Hitler acreditava que a Grã Bretanha jamais iria atacá-lo sozinha, de modo que decidiu conter seu temor e ódio ao comunismo e tentar granjear a amizade, ainda que momentânea, do chefe soviético.

            A desconfiança era mútua, porém, Hitler tinha pressa. Seus planos de invadir a Polônia já estavam decididos de maneira que deveria agir rapidamente antes que o Ocidente pudesse acordar um front unificado.

            Concordando basicamente em fatiar partes da Europa Oriental – deixando cada lado livre para agir – o ministro do Exterior de Hitler, Joachim von Ribbentrop, voou para Moscou e assinou o Pacto de Não-Agressão com o ministro do Exterior da União Soviética, Viatsheslav Molotov (razão pela qual o pacto é historicamente conhecido como Pacto Molotov-Ribbentrop).

            Defensores do bolchevismo em todo o mundo tiveram sua visão romântica do “internacionalismo socialista” abalada.
            Estavam ultrajados e não admitiam que Stalin pudesse estabelecer qualquer tipo de ligação com o ditador nazifascista.
            Exatamente três anos depois da assinatura do pacto, em agosto de 1942, “nas primeiras horas da manhã”, como relatou mais tarde Winston Churchill, Stalin deu ao primeiro-ministro britânico, então numa missão em Moscou, algumas das razões para sua decisão: “Tivemos a impressão que os governos inglês e francês não estavam resolvidos a ir à guerra se a Polônia fosse atacada, mas que esperavam que o alinhamento diplomático da Inglaterra, França e Rússia deteria Hitler. Estávamos certos de que tal não aconteceria.”

            Vai dormir, asno!

          • O correto mesmo; era em vez de você escrever Bendl lá em cima; era escrever: Copiado da Wikipédia.

            Vou te contar uma Historia de família.
            Meu avô, que eu e ele passamos toda nossa vida juntos, me disse que certa vez, após receber um documento de Adolf Hitler, se envolve em “uma tarefa”, em que ele tirou a vida de 100 pessoas em apenas 15 minutos.

          • hehehehehehehehehe

            Mas é o que falta prá ti, jumento, consultar a Wikipédia, e evitar a postagem de idiotices como tens feito.

            Qual é o problema?
            Não sabes pesquisar?
            Não sabes manusear?
            Não consegues entender as informações lá contidas?

            Bom, só mesmo quem é muito burro tem raiva de dicionários enciclopédias, Wikipédia, como se fossem agressões à cultura e conhecimentos!

            Pesquiso sempre que quero respostas rápidas, a Wikipédia.
            Mas não abro mão dos meus livros, quando tenho mais tempo para uma resposta mais ampla, porém sempre com o compromisso com a verdade, ainda mais em casos que envolvem fatos históricos.

            E quem matou mais de cem pessoas em 15 minutos?!
            Não creio que tenha sido o senhor teu avô que, por sinal, ainda está em tempo de tu desejares felicidades ao dia dos Avós, que se comemora hoje.

            Também não creio que tenha sido Hitler, pois este mandava matar, evitando se expor desnecessariamente.

            Enfim, se isso te causou surpresa, os americanos mataram em SEGUNDOS mais de cem mil pessoas numa cidade, quando lançaram a bomba atômica em Hiroshima!

            E repetiram o feito, três dias depois, em Nagasáki, matando outro tanto de inocentes com mais um artefato ato
            atômico.

            Lê a Wikipédia sobre essas duas cidades do Japão.
            Faz alguma coisa de útil, pelo menos uma vez na tua vida.

        • O partido SOCIALISTA foi formado por sindicalistas trabalhistas, defendia o estado grande que controlava tudo; fechou um contrato com seu irmão siamês Stalin para dividir a Polonia. E você chegou a conclusão que isso é de direita.

          • Che, tu és muito burro, e assim queres debater História.

            Não dá.
            Te informa, antes de postares as tuas costumeiras asneiras.

      • Cesar – Fortaleza, meu amigo nordestino,

        A História nos traz inúmeros enigmas, que jamais foram assimilados pelo homem ou descobertos nas mensagens que traziam consigo.

        Por infinitamente menos;
        por alegações pífias;
        por uma vontade irreprimível de derrubar do poder uma suposta ameaça comunista, então Jango foi deposto, Bolsonaro já deveria ter tido o mesmo destino porque seus crimes são imperdoáveis!!

        Da mesma forma, se Collor foi deposto;
        se encontraram razões para impedi-lo de seguir adiante por causa de um carro simples;
        se entenderam que a corrupção tomara conta da administração “delle”, Bolsonaro deveria ter tido a mesma punição porque amasiar-se com o Centrão foi o fiel retrato da corrupção vencedora!

        Igualmente, se Dilma sofreu o impeachment, acusada de pedaladas fiscais;
        de, na sua administração apenas tivemos “pibinhos”;
        Bolsonaro já deveria ter sido defenestrado do poder pelo orçamento “secreto”, pelas vítimas da pandemia, pelo desprezo com o povo, pela pobreza, miséria, desemprego e fome, que aumentaram na sua gestão!

        Abraço, Celso.
        Saúde e paz.

  3. Outra questão que atesta mesmo a ignorância imensurável de Bolsonaro:

    Dias atrás, debatemos na TI sobre a tendência política do Nacional Socialismo alemão, criado por Hitler.
    Bolsonaro declarou que era de esquerda o nazismo.
    Mudou tão rapidamente de conceito sobre o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, agora?

    Repentinamente o nazismo não é mais de esquerda, mas conservador e de direita??

    Bolsonaro, o coisa.

  4. Não tem o significado de exaltação ao cristianismo, ao budismo, ao islamismo, ao espiritismo e todos os demais credos. Muito menos à democracia. Mas não é novidade nem surpreendente..

  5. Esse encontro com uma neonasista é mais uma prova de que temos um presidente que não gira bem da cabeça, que seus cálculos políticos são desconectados com a realidade. Vejam que a comunidade judaica do Brasil já reagiu contra ele, o que era de se esperar.

  6. Souza – POA/RS, meu conterrâneo,

    Bolsonaro não foi só injusto e cruel para as pessoas que precisam deste medicamento, mas também foi um desgraçado criminoso!!!

    Os parlamentares podem estar com flatulência de tanto se empanturrarem com as refinadas refeições QUE PAGAMOS (peido trancado, como se diz no jargão popular), e vão para Boston consultar especialistas, igualmente POR NOSSA CONTA!!!!

    Mas, para o povo, as verbas para a saúde não existem!!!

    Jamais tivemos na história quem se assemelhasse a Bolsonaro neste seu desprezo pelo povo!
    Não é por nada que se derreteu nos braços do casal alemão nazista, pois a identidade entre os três era absoluta!!!!

    Abração.
    Saúde e paz.

Deixe um comentário para J.Rubens. Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *