Deputados federais gastam o dinheiro do contribuinte em despesas pessoais

Charge do Dum (dumilustrador.blogspot.com)

Angélica Diniz
O Tempo

De farinha “seca-barriga” a chocolates “língua de gato”. Esses são apenas alguns dos itens consumidos por deputados federais eleitos por Minas e que são pagos com o dinheiro do contribuinte. As despesas também incluem refeições sofisticadas, centenas delas nos fins de semana e nos feriados, em restaurantes não só nas cidades que são bases eleitorais dos parlamentares, mas também no litoral e na Serra Gaúcha. Há ainda contas que indicam o pagamento de passagens e refeições para terceiros, inclusive no mesmo dia e horário, em Estados diferentes.

Com salário de R$ 33,7 mil, suficiente para cobrir despesas pessoais, vários deputados optam pelo uso da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap). De janeiro a julho deste ano, os deputados federais mineiros pediram R$ 11,7 milhões de ressarcimento da cota. Esse benefício extramensal de R$ 36 mil, criado para apoiar ações dos parlamentares, tem sido usado para financiar despesas questionáveis, se não do ponto de vista legal, pelo menos do ponto de vista ético.

Um exemplo vem do deputado Aelton Freitas (PR), que usou a verba para pagar sua primeira refeição do ano, em Camboriú (SC), uma das mais concorridas praias do Sul do país. No almoço pós-réveillon, ele gastou R$ 145,40 em salmão, petit gâteau e outros itens. A assessoria do parlamentar afirmou que o pedido de reembolso está regulamentado pelo Ato da Mesa nº 43/2009. “Aelton Freitas é parlamentar em tempo integral, e isso lhe confere o ressarcimento com alimentação”, explicou a assessora, ao ser questionada se o deputado estava a serviço.

EXERCÍCIO DO MANDATO – Segundo a Câmara Federal, o Ato 43/2009 prevê entre gastos passíveis de reembolso passagens, fretamento de aeronaves, táxi, estacionamento, hospedagem, consultorias, divulgação de atividade e alimentação. “Desde que sejam vinculados ao exercício do mandato”, diz nota enviada a O Tempo.

A norma, no entanto, tem brechas para permitir certas despesas. Os gastos, segundo a Câmara, podem ser efetuados, independentemente do dia da semana, em qualquer parte do país. “Os itens que podem ser incluídos nas despesas com alimentação não são especificados, mas o normativo estabelece que não será objeto de ressarcimento o gasto com certos gêneros alimentícios, couvert artístico, bebidas alcoólicas e embalagens (quentinhas)”, informa o texto.

Dentro dessa lógica, o consumo de parte dos deputados, que acumula notas de bares e restaurantes nos fins de semana, está dentro dos preceitos da Casa. Levantamento feito pela reportagem, porém, encontrou gastos inusitados, como a compra de chocolates “língua de gato” e “nhá benta” por R$ 60,50, pelo deputado Carlos Melles (DEM). Após ser questionado, o gabinete admitiu o erro e estornou o valor.

“SECA BARRIGA” – Eduardo Barbosa, do PSDB, incluiu na mesma nota de sua refeição uma porção de farinha “seca-barriga”, produto voltado para perda de peso. O parlamentar alegou fazer uso de produtos similares por recomendação médica, já que possui problemas de saúde. Quem parece ter iniciado uma dieta é Dimas Fabiano (PP), que gastou uma média de R$ 1.000 por mês em refeições congeladas light. Sem ver problemas, a assessoria disse que o pepista opta por almoçar no próprio gabinete.

A Câmara dos Deputados informou que cabe ao deputado responsabilizar-se pela compatibilidade do gasto com a legislação, fato que atesta expressamente mediante declaração escrita.

O uso da verba indenizatória para compra de passagens e hospedagem é restrita apenas a deputados federais e seus assessores. No entanto, em pelo menos duas ocasiões neste ano a namorada do tucano Caio Narcio, Ana Lucília Reis, apareceu em notas de bilhetes aéreos e diárias de hotel como acompanhante do parlamentar. A assessoria de Caio Narcio atribuiu os casos a um erro da própria equipe do gabinete e prometeu devolver os valores.

NA SERRA GAÚCHA – Já Stefano Aguiar (PSD)passou um fim de semana de maio nas cidades de Gramado e Canela, na Serra Gaúcha, onde gastou em restaurantes valores de refeições para duas pessoas. A reportagem não conseguiu falar com o deputado.

Além de frequentar os mais conceituados restaurantes de Belo Horizonte, Fábio Ramalho (PMDB) pediu reembolso de R$ 1.605 da passagem entre Porto Seguro (BA) e Recife (PE), no dia 8 de janeiro. Até o fechamento desta edição, Ramalho não se posicionou sobre o motivo da viagem no recesso parlamentar.
Ademir Camilo (PTN) costuma gastar com várias refeições aos sábados e domingos e apresentou no mesmo dia, 2 de abril, em horários próximos, duas notas referentes a refeições, só que uma delas em São Luiz (MA) e outra na capital mineira. Ele não retornou o contato.

O deputado Renzo Braz (PP) apresentou notas de alimentação em Guarapari e Marataízes, litoral do Espírito Santo. Do mesmo partido, Pastor Franklin Lima fez refeições em Bertioga, cidade praiana no interior de São Paulo, e nos municípios baianos de Catolândia e Barreiras, onde também se hospedou em janeiro deste ano. Em ambos os casos, apesar das diversas tentativas de contato com os deputados federais, a reportagem não conseguiu retorno dos pepistas mineiros.

ATÉ MANOBRISTA – Na lista de itens incluídos pelos deputados nos pedidos de reembolso estão serviço de manobrista, couvert artístico, consumo no bar da piscina de um hotel e até bebida alcoólica. Essa última foi consumida pelo assessor do deputado Subtenente Luiz Gonzaga Ribeiro (PDT) durante estadia no Rio de Janeiro.

Margarida Salomão (PT), junto a três assessores, apresentou nota de consumo no valor de R$ 230 no “bar da piscina”, segundo o comprovante do hotel em que se hospedou também na capital fluminense. O motivo da viagem, de acordo com a assessoria da deputada, foi a participação da equipe em atividade de capacitação e formação política.

Em uma das muitas despesas do Delegado Edson Moreira (PR) pelas pizzarias da capital, houve  gasto até com serviço de manobrista. Também adepto das pizzas, o correligionário Bilac Pinto disse que se encontrava em trânsito para BH, após realizar viagens em municípios de sua base. Adepto da comida japonesa, Leonardo Quintão (PMDB) também disse que atende sua base nos fins de semana. Por fim, deputados como Saraiva Felipe (PMDB) e Dâmina Pereira (PSL) gastam valores altos com refeições, sendo que as notas não trazem o detalhamento dos itens consumidos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG A péssima conduta dos deputados mineiros é praxe na Câmara, mostrando o baixo nível da classe política, como um todo. É desanimador. (C.N.)

7 thoughts on “Deputados federais gastam o dinheiro do contribuinte em despesas pessoais

  1. Tenho raiva quando abordo essa questão dos gastos dos parlamentares, escárnio ao trabalhador brasileiro, deboche ao povo, cuspidas nos proventos do cidadão!

    A lamentar que somos os culpados, os únicos responsáveis por essas excrescências, aberrações, exceções, nós, o povo!

    Na razão direta que não nos impomos como os verdadeiros CHEFES, os vagabundos fazem o que querem conosco, simplesmente.

    E aumentam seus salários nababescos e ILEGAIS de acordo com suas vontades, pois possuem o poder de legislar em causa própria, portanto, se os elegemos e não determinamos que parem com essas imorais indenizações, os parlamentares continuarão a aumentá-las cada vez mais!

    Agora, se me permitirem, os deputados mineiros não são os que mais gastam, pois TODOS, INDISTINTAMENTE, são perdulários, desonestos com erário, corruptos nas suas despesas, desonestos com as notas que apresentam, que não suportariam meia hora de uma auditoria isenta e imparcial!

    A gaúcha Maria do Rosário, PT/RS, conforme suas despesas de combustível apresentadas nas suas despesas mensais, durante o ano de 2015, mesmo destinando um tempo para almoçar, jantar, tomar banho, namorar, se maquiar, trocar de roupa, ir ao cabeleireiro, oculista, dentista, médico, visitar familiares e amigos, voar de Porto Alegre para Brasília semanalmente, frequentar as sessões da Câmara Federal, ir ao banheiro para se aliviar de líquidos e sólidos, fazer as suas compras pessoais, ir ao cinema, volta e meia estar em um shopping, comprar um livro, um vestido, uma blusa, caminhar do estacionamento ao seu local de trabalho ou residência, escrever no seu computador, responder aos e-mails, passar um fim de semana com a família, ir a algum aniversário, festa, reunião com seus cúmplices petistas …
    MESMO ASSIM, COM ESSES TEMPOS DESTINADOS A ESSAS TAREFAS, A DEPUTADA TERIA DE RODAR POR DIA MAIS DE SEISCENTOS QUILÔMETROS COM OS CARROS QUE ALUGA – sempre dois – para gastar os litros de gasolina que cobra!!!

    Na verdade, o cerne da safadeza se encontra nos combustíveis gastos e alugueis de veículos!

    Mesmo que um jantar custe mais de R$ 1.500,00 (nota já apresentada neste blog incomparável, de um parlamentar gastando o dinheiro do povo deste jeito), o roubo maior se concentra na gasolina e aluguel de carros, AFORA AS MILHAS QUE GANHAM PELAS VIAGENS AÉREAS FEITAS E QUE FICAM PARA ELES, NO LUGAR DE ABATEREM NAS PASSAGENS FUTURAS!!!

    Se em qualquer canto do mundo o salário é para a pessoa viver, por que os parlamentares brasileiros os suplementam dessa forma?!

    PORQUE PERMITIMOS, E NÃO DAMOS UM BASTA A ESTA PATIFARIA, ESTA CANALHICE, ESSES ROUBOS QUE DENOMINAM DE “despesas à manutenção da atividade parlamentar”.

    Em outras palavras:
    DINHEIRO ROUBADO DO POVO IDIOTA, IMBECILIZADO, TROUXA, QUE É O POVO BRASILEIRO!!!

  2. Caro Bendl,
    Você tem toda a razão. Infelizmente é o sistema, não tem como acabar com isso a curto prazo, só a força pode-se colocar os três poderes em seus devidos lugares, caso contrário vamos amargar conviver muitos e muitos anos com o corporativismo e as safadezas dos personagens que compõe os poderes da república.
    Abrs.

    • Meu caro Jacob,

      Grato pelo apoio a respeito dos problemas que são os nossos parlamentares, que nos roubam os tostões e devemos chamá-los de “excelência”.

      Pode até ser, mas excelência em falcatruas, assaltos, desvios de verbas, alianças espúrias, acordos imorais, irresponsabilidade, corrupção e desonestidade!

      Um abraço, forte e caloroso.
      Saúde e Paz!

  3. Com o meu voto, ninguém mais se elege. Ha muito tempo só voto em candidato caricato e completamente desconhecido, que não tenha o
    perigo de ser eleito.
    Enquanto não for implantado o voto distrital, voto facultativo e candidatura independente, não participo mais da eleição de mais ninguém.
    Hoje vivemos sob a ditadura dos políticos, a falta de vergonha é total, portanto estou fora disso ai.

    • Nenno G,

      Não adianta tu deixares de votar, pois grande parte do povo elege esses criminosos!

      O correto seria que todos nós deixássemos de votar, conforme palavras do meu amigo Cazé, que defende categoricamente a ausência do eleitor em dia de votações, e que passei a dar a mão à palmatória!

      O diabo será a repetição do que aconteceu com a eleição da Dilma, que nos arrasou econômica e socialmente, quando mais de TRINTA MILHÕES DE BRASILEIROS NÃO VOTARAM, e deu no que deu!

      Claro, não que Aécio fosse a solução, mas os tucanos não teriam coragem de assaltar a Petrobrás como fez o PT, e a compra da refinaria, em Pasadena, mediante ordens da presidente afastada, muito menos roubariam tanto os fundos de pensão e os empréstimos consignados.

      Roubariam, também, mas em valores menores, quantias que estamos acostumados serem absorvidas pela política corrupta e desonesta que é praticada no Brasil, até o dia que o MPF se desse conta e denunciasse à Justiça os crimes do PSDB!

      Aliás, tivesse tomado providências, o MPF, quando houve acusações que deputados haviam sido comprados para votar a favor da emenda da reeleição, à época de FHC, e não teríamos os pesadelos em dobro com Lula e Dilma.

      Portanto, esta é a minha dúvida, que se situa entre ter cão e não ter cão, ou seja, voto ou não voto?!

      Por enquanto, deixarei de ir à capital do meu RS para votar na eleições municipais, pois vou justificar o voto. Quanto à presidencial e demais cargos, aguardarei os candidatos e a situação da política ano que vem.

      Um abraço, Nenno.
      Saúde e Paz!

  4. esse édson Moreira se elegeu as custas do caso bruno,se quiserem gastar tirem do próprio bolso.aliás eu acho o salários dos parlamentares brasileiros muito alto,esses parasitas nunca fizeram nada pelo povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *