Derrocada do PSDB e do PT desperta nova onda conservadora no país

Charge do Paixão, reprodução da Gazeta do Povo

Fernando Canzian
Folha

Resultado da luta pela sobrevivência antes do impeachment, o governo do PT sob Dilma Rousseff não só perdeu o poder e o bonde da economia como contribuiu para o avanço de uma nova onda de conservadorismo que caminha rápida e nem tão sorrateiramente no país. Essa onda, que vinha se formando há algum tempo, agora ganha força em vários projetos de emendas constitucionais e projetos de lei que se desdobraram e prosperam em um Congresso cada vez mais conservador.

Resultado de uma polarização de anos, crescente e infrutífera, o PT e as áreas mais progressistas do PSDB contribuíram juntos para isso.

COALIZÕES CONSERVADORAS –Em seus últimos governos, os dois partidos acabaram se entregando e compondo com setores arcaicos do sistema político para governar, dando impulso à vaga conservadora. O PSDB se apoiou no antigo PFL (hoje DEM). O PT, em uma miríade de pequenos partidos mais à direita e no PMDB, que acabou por lhe tirar o poder.

Com Dilma, o espaço concedido e capturado por deputados e partidos mais regressistas cresceu à medida que seu governo se sentia ameaçado e se rendia em busca de apoio.

Sobretudo até o fim de sua simbiose, em dezembro passado, com um Eduardo Cunha que se segurava na presidência da Câmara com o apoio do Planalto enquanto capitaneava vários dos projetos de lei e emendas à Constituição que agora avançam.

CORRUPÇÃO EM SÉRIE – Por fim, os escândalos de corrupção envolvendo o PT também acabaram por encorajar e estimular setores à direita a agir com mais ímpeto e celeridade.

O resultado é uma lista crescente de projetos considerados retrógrados tramitando no Congresso, manifestações ruidosas em apoio a gente como Jair Bolsonaro e fenômenos como a indicação (revertida depois) de um general da reserva defensor do golpe de 1964 à presidência da Funai de Temer.

Na lista de matérias que avançaram em comissões especiais e no plenário da Câmara, que muitos veem como uma ofensiva conservadora, constam:
– relaxamento para o porte e aquisição de armas de fogo;
– transferir do governo federal e da Funai para o Congresso a responsabilidade na demarcação de terras indígenas;
– restrição do atendimento a vítimas de estupro;
– flexibilização do conceito de trabalho escravo;
– projeto que determina que a família é formada exclusivamente por homens e mulheres, entre vários outros.

7 thoughts on “Derrocada do PSDB e do PT desperta nova onda conservadora no país

    • A Folha é chapa branquissima. Dias desses vi um debate entre duas pessoas que teoricamente eram de direita e de esquerda.
      O “mediador” era o Otavinho das gravações. Se tinha alguém de esquerda ali era ele. Até o professor da USP era muito mais comedido do que ele em defesa dos mais de 100 milhões de assassinatos da esquerda.
      O que vem da Falha do Foro de São Paulo não tem a menor importância.

  1. Essa comunistaiada, inclusive encastelada na mídia, principalmente na Folha, deverá ser lembrada como um bando de babaca que tentaram destruir o Brasil e, com seus manjados truques reacionários, ainda tentam enganar os milhões de incautos. Socialismo não existe nem no céu. Socialismo é escravizar o humanos e transformá-los em robôs. Jamais conseguirão. Aí, ficam chamando de conservador quem é contra a supressão da liberdade. Ora, todos vocês irão se ferrar.

  2. O que está ocorrendo é a feroz e forçada internacionalização da economia brasileira, com objetivo de manter as nossas empresas apenas como fornecedoras de matéria- prima. Os traidores, sabujos das nações estrangeiros, estão batendo palmas efusivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *