Desanimada, Dilma já começa a fazer a mudança de volta para Porto Alegre

Aos poucos, Dilma vai levando de volta suas coisas

Catarina Alencastro
O Globo

Na semana passada, o afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República completou dois meses sem que ela tenha conseguido avançar em seu principal objetivo: obter mais votos de senadores contra o impeachment.

Aliados da petista continuam dizendo que é possível mudar o placar, que, hoje, apresenta uma boa margem a favor do impeachment. Mas, aos poucos, Dilma já está retirando seus objetos pessoais do Palácio da Alvorada — que terá que desocupar caso o impeachment se confirme — e levando-os para seu apartamento em Porto Alegre.

As viagens para a capital gaúcha são as únicas que Dilma ainda pode fazer em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), em geral um jatinho Legacy. Sempre que embarca para lá, a presidente afastada consegue levar duas malas com objetos pessoais. Ela carrega também a bicicleta com a qual se acostumou a fazer seus exercícios diários.

A petista decidiu manter o discurso de que é vítima de um golpe, mesmo sabendo que as chances de reverter o processo de impedimento no Senado são baixas.

REPETIÇÃO – A preocupação é repetir sempre essa tese para que ela um dia fique registrada nas páginas da História.

— Isso aqui vai ficar registrado como golpe. Dilma está sendo vítima de um projeto de retirada dos direitos trabalhistas. Tenho certeza de que ela será inocentada pela História — disse o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), ressaltando que ainda não considera a batalha contra o impeachment perdida.

Em Brasília, Dilma tem recebido senadores aliados e concedido entrevistas a emissoras de rádio. Sempre acorda cedo e mantém o hábito de pedalar antes de iniciar a rotina de trabalho. Interlocutores contam que ela está sóbria, consciente das dificuldades de virar o quadro político. Mas que não desistiu dos planos de voltar à Presidência.

A argumentação de quem conta com a possibilidade de reversão do quadro é que a denúncia sobre as “pedaladas fiscais”, uma das bases do impeachment, se fragilizou depois que a perícia do Senado e o Ministério Público Federal isentaram Dilma de ter atuado pessoalmente nas operações de crédito do Plano Safra. Para o Tribunal de Contas da União (TCU), a medida caracterizou a manobra financeira.

TRÊS DECRETOS – Os defensores de Dilma dizem também que ela, inicialmente, era acusada de ter assinado seis decretos de crédito suplementar que desrespeitavam a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Mas que, agora, apenas três continuam sustentando a denúncia de que a presidente afastada cometeu crime de responsabilidade.

Dilma, que não quis ir à comissão de impeachment fazer sua própria defesa, já declarou que irá ao plenário do Senado apresentar sua defesa para as denúncias antes do início da votação final do impeachment.

Além disso, o time de Dilma não descarta que, até o fim de agosto, quando o impeachment será julgado pelo plenário do Senado, um fato novo contra o governo Michel Temer apareça, ferindo mortalmente o presidente interino. – Alguns aliados de Dilma secretamente torcem por uma nova delação, como a do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é ligado ao núcleo político do governo Temer e sempre foi próximo do presidente interino.

DELAÇÃO DE CUNHA  – Outro ponto que tem animado os aliados da petista é o fato de Temer governar com uma enorme e heterogênea coalizão, o que o impede de atender a todos os aliados. Eles torcem pelo aumento das insatisfações.

— A situação de Dilma é difícil, mas não é impossível. A margem entre o sucesso e o insucesso é estreita. Os votos são muito voláteis. Nada é consolidado na política. Algum fato novo pode surgir e mudar o rumo das coisas. Além disso, o coeficiente de traição é algo difícil de se contabilizar — disse um auxiliar de Dilma.

Um parlamentar aliado da presidente afastada disse que tem ouvido muitas reclamações vindas da base de Temer, e que isso pode se reverter em votos pró-Dilma.

— O governo Temer tem problemas. A base é muito grande, isso gera disputas por cargos, brigas. Juntar esse tanto de lado é muito complicado — disse ele.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É tudo conversa fiada. Dois meses já se passaram e Lula e o PT não conseguiram reverter um só voto dos 55 senadores que votaram a favor do afastamento de Dilma, que não tem (e jamais teve) a menor influência no Congresso. (C.N.)

18 thoughts on “Desanimada, Dilma já começa a fazer a mudança de volta para Porto Alegre

  1. Bom dia
    Amigos esse texto, coitado, é um comentário de torcedor que vê seu clube ser rebaixado e se agarra a qualquer possibilidade por mais remota que seja de escapar do rebaixamento. Todos os argumentos usados indicam que se minha tia tivesse bigodes seria meu tio..o como disse o gênio Garrincha “já combinaram com os russos” os defensores do desgoverno petista sempre esquecem que os peemedebistas são profissionais…coitados ..que sofrimento que dó…

  2. Enquanto isso o São Renan, mais um dos sócios do senhor presidente….
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/07/1792672-agenda-positiva-de-renan-para-se-cacifar-contra-lava-jato-empaca.shtml
    Não mudaram nem as moscas, elas apenas pousaram em outro lugar do Monte Para O Futuro.
    O mais divertido é ver o Jaspion Reinaldete que diante do fracasso do dia 31, já está falando que o ato não é pró impeachment e sim contra a corrupção, como se ele estivesse pedindo a demissão do entorno do Temer.
    Dizem que ele já foi ao BNDES ver se descola uma graninha para montar um Delyvere de Yakissoba.
    Já com os enormes 7%, os bolsonetes , Operação Beco Sem Saída ficaram nervosos…

  3. Como o Skaf dependente Temer, vai atrás dessa horda de sonegadores, que em 2015 sonegaram mais de R$ 420 bilhões ???


    1 Contas públicas


    Dívida de diretor da Fiesp com o governo federal é de R$ 6,9 bilhões

    Empresário Laodse de Abreu Duarte e irmãos respondem pelo maior passivo entre as pessoas físicas no País
    ( OESP ).

  4. Tudo como dantes no Monte Para o Futuro…

    A polêmica venda da Liquigás
    Por: da Redação 17/07/2016 às 8:32
    Avaliada em 1,5 bilhão de reais, a venda da Liquigás está gerando polêmica. Sete empresas estão no páreo. Mas, de acordo com os concorrentes, uma delas leva vantagem sobre as demais: a Ultragaz.
    Motivo? O diretor financeiro da Petrobras Ivan de Souza Monteiro, que conduz o processo de privatização, foi membro do conselho do grupo Ultra até fevereiro.

    • SR. VIRGILIO, O BRASIL TEM JEITO????, A ÚLTIMA LINHA É CASO PARA A LAVA JATO, OU NÃO, AS NOSSAS LEIS E TRIBUNAIS SUPERIORES, QUE PROTEGEM OS LADRÕES DO COFRE PÚBLICO, MAS, QUE MANDA OS 3PS, PARA A CADEIA, EM 1ª INSTÂNCIA, POR NÃO TER GRANA ROUBADA PARA PAGAR A LIBERDADE ATRAVÉS DAS PETIÇÕES!!?

      • Sr. Théo.
        Amigo o acordão já foi feito , a assinatura final foi a eleição do Rodrigo Maia. Se ainda nem começaram apurar a premiada do Odebrecht, como podem falar que a Lava Jato termina em dezembro ?
        Ontem a Associação dos Delegados de Polícia da PF entraram em estado de greve para o dia 1.º, mas os pleitos não são apenas salariais, eles exigiram e o governo cedeu, o envio de mais 10 delegados para Curitiba.
        Anteriormente o Ministro da Justiça, para fazer de conta que está a favor da Lava Jato, enviou 10 agentes, porém agentes por melhores que sejam não são autoridades, são agentes da autoridade, portanto não podem abrir novas investigações nem inquéritos.
        Tenho 63 anos, por isso falo muito com jovens, pois da minha geração já não espero nada.

  5. E enquanto isso, a nossa gloriosa FIESP, que em sua luta contra a corrupção está iluminada de verde dólar e amarelo ouro, tem como diretor um cidadão que deve , como pessoa física, R$ 6,9 bilhões ao fisco. Se somarmos os seus dois irmãos o total sonegado é de R$ 20,1 bilhões .
    É melhor o Jaspion montar um Delivery de Yakissoba !
    Isso sem contar com o comprador de Wikipédia….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *