Desaparece o direito de não ter não medo

Carlos Chagas

Maus agouros à parte, mas 2012 começa mal. Só por milagre o presidente Barack Obama deixará de sancionar projeto de lei aprovado no Senado no apagar das luzes de 2011, criando o Ato de Autorização de Defesa Nacional. Esse texto completa o Ato Patriótico do período de George W. Bush. Até agora, era permitido ao governo dos Estados Unidos prender sem julgamento, em bases secretas ou abertas, fora do território americano, cidadãos nacionais ou estrangeiros suspeitos de ligações com o terrorismo.

A partir da sanção de Obama, que só um milagre evitará, o presidente, auxiliado pelas Forças Armadas, também poderá prender sem julgamento ou acusações formais, em território americano e no mundo inteiro, por tempo indeterminado, cidadãos norte-americanos e também estrangeiros igualmente suspeitos de ligações com o terrorismo. Pela nova lei, o planeta inteiro transforma-se numa prisão gerida por Washington.

Foi o jornal Hora do Povo o único a divulgar a informação, que para começo de conversa anula a célebre declaração de direitos de Franklin Delano Roosevelt, entre os quais se destacava o direito de não ter medo. Todo mundo andará apavorado, nos Estados Unidos e fora deles. Sem acusação nem processo os “marines” poderão irromper porta a dentro de qualquer família, levar o seu chefe e deixá-lo apodrecer não só nas prisões secretas ou em Guantánamo, mas nas cadeias de qualquer quartel americano.

Claro que o combate ao terror deve ser implacável e permanente. Depois do 11 de setembro, não há como tolerar a ação desses animais que infestam todos os continentes. Convenhamos, porém, haver limite para tudo. Estamos a um passo de não haver diferença entre o regime vigente nos Estados Unidos e aqueles que vigoram na China, na Coréia do Norte, em Cuba, no Irã, na Arábia Saudita e em outros países.

O que espanta é que na dita pátria da liberdade, chuta-se a Constituição para debaixo do tapete e adotam-se práticas comuns às ditaduras, tanto faz se de esquerda ou de direita. Ninguém estará livre do braço desse novo Tio Sam, agora fardado e cheio de mísseis, tanques, canhões, submarinos nucleares, porta-aviões e aeronaves de todos os tipos.

É bem verdade que há anos os Estados Unidos fazem vista grossa aos princípios mais elementares da democracia, tendo invadido militarmente, apenas no final do século XX, o Iraque e o Afeganistão, para não falar de sua participação na revolta da Líbia. Deve cuidar-se a América Latina, agora com seu litoral patrulhado pela Quarta Frota da Marinha de Guerra americana. O que vem a ser suspeita de ligação com o terrorismo? O leiteiro que serve uma casa onde se escondem terroristas é ligado a eles.

***
VIGARISTAS ELETRÔNICOS

Se há um setor de serviços que necessitaria ser implodido é o gerido pela NET. Essa multinacional dá de ombros para suas próprias falhas, tripudiando sobre seus clientes que, afinal, são os que a sustentam. Quem teve a infelicidade de ter cortado seu sinal no período natalino deve esperar até os primeiros dias de janeiro para receber a visita de um técnico. Os pedidos de ajuda são atendidos por funcionários impessoais, depois de mil e um telefonemas para variados números esotéricos. A burocracia é tanta que quem atende, quando atende, encontra-se a milhares de quilômetros de distância de quem pede socorro.

A central de atendimentos encontra-se em Porto Alegre. Se um indigitado cidadão de Brasília espera a vinda de um técnico para restabelecer um cabo rompido, ou solucionar o defeito que o digitar de teclas não resolve, ouve da representante da NET que só dali a uma semana ou mais.

A mulher está na capital do Rio Grande do Sul, nada entende da geografia da capital federal ou do resto do país. Muito menos se dá conta de que quem reclama acaba de ser operado e não pode movimentar-se. Vale o mesmo para quem vive de trabalhar em computadores. A resposta é a mesma: impossível mobilizar o pessoal naquele dia e nos próximos.

Falta fiscalização nesse tipo de empresas aquinhoadas com as benesses e as patifarias da privatização, mas não há para quem reclamar. E se a conta deixa de ser paga no fim do mês, o corte é imediato. São coisas da modernidade.

***
CUIDADO QUE ELA VOLTA

Desde 26 de dezembro na Bahia, à beira-mar, a presidente Dilma poderá surpreender, retornando a Brasília antes da data prevista, dia 8 próximo. Quem ousou perturbar o sossego dela na Base Militar de Aratu ouviu que Sua Excelência não aguenta mais o ócio e que, se continuar chovendo, manda preparar o avião e volta logo. Para desespero dos ministros e auxiliares que também estão de férias…

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *