Desastrada e derrotada, Dona Dilma impede que o Mercosul defenda o presidente da Bolívia. A imagem de Obama, dilacerada pela perseguição a Snowden. A primeira eleição DIRETA do Egito durou um ano. A “ditadura provisória” quanto irá durar?

Helio Fernandes

Exatamente há 2 anos e 4 meses, o ditador Hosni Mubarak era deposto por um movimento popular que colocou a Praça Tahrir como um dos grandes endereços democráticos do mundo. Mas como a deposição, mesmo de um ditador, não vem com substituição garantida e autenticamente democrática, a Praça Tahrir continuou agitada e insatisfatória.

Há um ano, foi eleito Mohamed Morsi, tido e considerado como a continuação da Revolução. Mas não era, principalmente por causa da religião, que dominou seu governo, desagradou profundamente os que o elevaram e empossaram.

Ele ficou em situação desesperadora, apelou para o apoio dos americanos, que muito bem municiados por informações, responderam que “não ficaria nem contra nem a favor”.

Na segunda-feira, Morsi fez discurso duro e veemente: “Não renunciarei de jeito algum”. Renúncia é o que pediam seus antigos apoiadores. Na terça tentou “cativar” a oposição, propondo governo de coalizão, não recebeu nem resposta. Na quarta, renunciou, ficou pedindo que o Exército (que domina o país) “não pratique violência contra o povo”. E queria autorização para deixar o Egito livremente, sem precisar pedir asilo a outro país.

Na quinta-feira já estava preso, o Exército não atendeu seus pedidos, ou melhor, fez exatamente o contrário do que pedia.

OS MILITARES TOMAM O PODER,
FECHAM O CONGRESSO, MONTAM
GOVERNO INTERINO, TUDO É PROVISÓRIO

A democracia no Egito não durou mais do que um ano, é preciso ressaltar, registrar, ressalvar, relembrar: era a primeira eleição DIRETA de toda a História do Egito, contando desde os tempos dos faraós, 3 mil anos antes de Cristo.

Os militares, qualquer que seja o país, são IMPLACÁVEIS no poder, e ainda mais IMPLACÁVEIS para conquistá-lo. Foi o que aconteceu. Mas é preciso dizer: Mohamed Morsi, que foi carregado pelo povo da Praça Tahrir, que o elegeu e empossou entusiasmado e empolgado, no Poder era outro, inteiramente diferente. Começou prendendo e matando jornalistas, perseguiu cidadãos comuns, fez da violência a prática do dia-a-dia. A tirania era seu programa de governo.

Em um ano, fez tudo ao contrário do que se esperava, dividiu o povo da Praça Tahrir. Desde o início, foi perdendo todo o povo, facilitou a intervenção dos militares, sequiosos, que palavra, por derrubá-lo e assumir, com a cronologia que relacionei no início destas notas.

ASSUMEM, DISSOLVEM O
CONGRESSO, EMPOSSAM O
PRESIDENTE DO SUPREMO, ALIADO

O que no Brasil se chamou ou se chamaria a “solução Joaquim Barbosa” (aparentemente desejada pelo povo nas ruas, não estou endossando nada), no Egito é uma farsa completa. E com os generais no Poder, longe do povo, a Praça Tahrir está de luto, perplexa, assustada e aparentemente arrependida. Mas foi o próprio Morsi que provocou tudo isso.

Antes da derrubada, Obama deu a impressão de que poderia ter salvado a primeira eleição direta do Egito. Mas não quis arriscar, o Obama de depois da reeleição não é o mesmo de 2008, jogou fora todo o prestígio, decepção completa e total para o mundo, para ele, e finalmente, como é público e notório, para este repórter.

OBAMA PERSEGUE O CIDADÃO QUE
DENUNCIOU A GRAVAÇÃO EM MASSA,
RASGA A PRIMEIRA EMENDA

Esse é o Obama de hoje, de agora, do segundo mandato. Chamou Snowden de delator, de traidor, de tudo o que achava que podia. Snowden prestou um serviço à comunidade mundial. Delator e traidor é o próprio Obama. Deviam pedir o seu impeachment.

Snowden usou seu direito de contestar, de se expressar, de denunciar, usando a PRIMEIRA EMENDA, reverenciada e admirada pelo mundo inteiro. Além de sequestrar seu direito de falar, Obama fez tais ameaças que o jovem (29 anos) Snowden foi obrigado a sair dos EUA, o seu país, traído pelo próprio presidente, eleito e reeleito com uma pretensa e suposta esperança agora desmascarada.

O PRESIDENTE DOS EUA
IMPEDE 20 PAÍSES DE DAREM
ASILO A SNOWDEN

A perseguição de Obama a Snowden se transformou numa derrocada para a democracia do mundo. Mais do que isso, é a exibição do poderio dos EUA, sua arrogância e influência. Snowden tenta asilo em 20 países. Obama deixa bem claro que “essa concessão seria considerada uma afronta aos EUA”. E Snowden é mantido segregado, isolado e sequestrado no Aeroporto de Moscou.

Ninguém sabe como isso terminará. O cidadão Snowden não pode ficar a vida inteira num aeroporto, sequestrado por Obama pelo controle remoto.

O MÁXIMO EM DELÍRIO DE PODER: OBAMA
PRESSIONA PARA IMPEDIR AVIÃO DE MORALES
DE POUSAR, TENTA POSAR DE ESTADISTA

O presidente da Bolívia estava em Moscou para um encontro agendado com o presidente da Rússia. Obama sabia, claro, quem quebra a privacidade do mundo não ia ignorar esse fato. Como Morales é presidente de um dos países que podem dar asilo a Snowden, Obama “desconfiou” que ele sairia de Moscou no avião dele.

O presidente dos EUA começou intensa movimentação, para que o avião oficial do presidente da Bolívia não pudesse aterrissar em lugar algum. Se fosse na China, na própria Rússia ou outra potência não ocidental, Obama ficaria em silencio. Mas a Bolívia é pobre, pode tripudiar.

Os países do Mercosul já deveriam ter tomado a decisão COLETIVA de protestar, publicamente, em defesa do presidente de um país do Mercosul.

Por que não fazem esse protesto, digno e obrigatório? Porque, INDIVIDUALMENTE, o Brasil, perdão, Dona Dilma, “não quer desagradar os EUA”. A imagem dele, universal, desmanchada. A dela, pior ainda. D-E-R-R-O-T-A-D-Í-S-S-I-M-A internamente, agora é triturada também externamente.

O SILÊNCIO DOS PRESIDENCIÁVEIS
QUE NÃO ABANDONAVAM OS HOLOFOTES

Estão todos escondidos, ninguém diz nada. Como não têm a menor ideia do que está acontecendo ou irá acontecer, se refugiam dentro deles mesmos. Raramente falam com alguém pelo telefone, lembram o que está acontecendo nos EUA, onde o presidente Obama “gravou” conversas de milhões de pessoas lá mesmo ou no mundo inteiro.

Esses supostos candidatos nem sabem se seus partidos resistirão, continuarão existindo. Situação inexplicável para todos eles.

###
PS – Interrogada se seu “governo tem padrão Fifa”, a presidente respondeu imediatamente: “Não, meu governo é padrão Felipão”.

PS2 – Dona Dilma não acerta uma. Há anos, quando as ditaduras dominavam toda a América do Sul e Central, esse mesmo Felipão, agora endeusado por comentaristas vários e pela própria presidente da República, não escondia suas convicções.

PS3 – Sem que ninguém lhe perguntasse nada, Felipão afirmou publicamente: “Tenho a maior admiração pelo general Pinochet”. Esse general da “admiração” confessada por Felipão era “apenas” o ditador-perseguidor-torturador, que derrubara e assassinara o presidente eleito do Chile, Salvador Allende.

PS4 – Pinochet (como o também general torturador da Argentina, Rafael Videla) não escondia que gostava de “se divertir à noite, indo assistir torturas”.

PS5 – A única ligação de Pinochet com o esporte é que milhares e milhares de cidadãos foram torturados e mortos no belo Estádio Nacional.

PS6 – Esse estádio foi construído para a Copa do Mundo de 1962, realizada no Chile. A admiração de Felipão por Pinochet não vem da construção do estádio.

PS7 – Quem quiser assistir, AO VIVO (não é jogo de palavras e sim realidade), procure ver ou lembrar o grande filme de Costa-Gavras, “Desaparecidos”. Se passa quase todo no Estádio Nacional, belíssimo, mas na época, s-a-n-g-r-e-n-t-o.

PS8 – Felipão admirador do ditador torturador Pinochet e José Maria Marin, servidor da ditadura e do corrupto Maluf, participou das preliminares de assassinato de Herzog, O que fazer com eles?

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

25 thoughts on “Desastrada e derrotada, Dona Dilma impede que o Mercosul defenda o presidente da Bolívia. A imagem de Obama, dilacerada pela perseguição a Snowden. A primeira eleição DIRETA do Egito durou um ano. A “ditadura provisória” quanto irá durar?

  1. Caro Helio, a mascara de D. Dilma, está caindo, o Brasil pela importância na América Latina, deveria ser contundente em defesa de um Presidente eleito, a serviço de sua Pátria, o Sr. Morales.
    O EUA manda proibir o uso do espaço aéreo, Portugal e Espanha, já tiveram ditadura, considero à França, como à Pátria da Liberdade, deixou de ser, colocando sua Soberania, sob o “tacão do Sr. Obama”.
    Infelizmente, o ser humano,está,mais para animal irracional, pois, sua “racionalidade é auto-destrutiva”;
    hipocritamente fala de “Direitos humanos”.
    Lula e Dilma, transformaram o PT SONHO em PT PESADELO.

  2. Claramente faltou habilidade Política e Bom-Senso ao Presidente Morsi. Depois de uma Revolução que derrubou o Governo de Hosni Mubarak, herói da Guerra de 1973 e Vice-Presidente do Presidente Sadat, que recuperou a Honra do Egito na Guerra de 1973, antes várias vezes perdida pelo Presidente Nasser. O Presidente Mubarak foi eleito 6 vezes pelo Partido das Forças Armadas. O Egito é um País complexo. Mais ou menos 60% de Muçulmanos Sunitas, 20% Muçulmanos Xiitas, 15% Cristãos Coptas, antiquíssima Comunidade Cristã ainda do tempo dos Apóstolos, e 5% outras Minorias. Sua Economia possui como principal Indústria o Turismo. Junto com o Líbano é o País Árabe menos Fundamentalista, o que vale dizer Cosmopolita. O Presidente Mursi, ganhou a exatamente há 01 ano as Eleições Presidenciais pelo Partido da Irmandade Muçulmana ( da Comunidade Islâmica Sunita), com pequeníssima maioria num 2º Turno, +- 50,7%, contra o Partido das Forças Armadas.
    Dentro de uma situação complexa destas, em vez de somar, incluir, aglutinar, o Poder lhe subiu a cabeça e começou a Governar como se tivesse ganho com +- 90% dos Votos. A Indústria do Turismo caiu quase a Zero. Ameaçou cortar as vendas de gás do Egito para o seu poderosíssimo vizinho Israel, abrogar Tratados, etc, o que não ajudou nem um pouco. Enfim fez quase tudo errado, ficando isolado, tendo sido abandonado até pelo Partido Salafista (Fundamentalistas Islâmicos principalmente da Comunidade Xiita). Claramente a Irmandade Muçulmana falhou Politicamente. Em Política, quem fica isolado e em minoria, e quer dominar Forças Políticas maiores, cai. Agora teremos novamente Eleições Presidenciais e acho que a Irmandade Muçulmana dessa vez não ganha. Abrs.

  3. eu acho que o 0bama não está de todo errado. Essa mania de dar guarita a um fora de lei, só pode ser de uma República de banana. Nós aqui temo um caso sui generis – o cidadão de nacionalidade italiana – condenado em seu país e que o governo brasileiro insiste em não entregar. Enquanto isto o país do snr. Morales mantém encarcerados uma porção de corinthinianos – dá para explicar? 0 caso Snowden é assunto de um país chamado Estados Unidos – e the finí.

  4. Água e óleo? O homem não é a farda ou a batina. É, antes, um homem.
    .
    (Os homens fazem a sua história por si mesmos, porém até o presente não o fizeram conforme uma vontade coletiva, conforme um plano de conjunto e nem sequer dentro do marco de uma sociedade determinada, de contornos precisos – Engels)
    .
    Daqui de longe, deste amanhecer nordestino frio e sombrio; depois de quase 40 anos, dos também quase 70 de católico pragmático (!?), convivendo com militares.

    .
    Democracia, sim. É oportuno e útil discutir sobre os mistérios desta palavra tão em moda, quase um Bombril, de mil e uma utilidades, especialmente se vinculada à força, à política, à moeda, à religião e ao poder concentrado na instituição jurídica Estado.

    Democracia seja qual for o modo de convivência pensado é um ideal de convivência de deplorável ingenuidade por assentado na mentira de um governo da maioria que a história não acusa e sugere como improvável; de uma igualdade em um universo que se caracteriza pela desigualdade. Nenhuma relação prospera com a mentira.
    Quem discordar do “farinha pouca meu pirão primeiro” está sendo desonesto ou religioso. O homem não decide pensando na barriga ou no “deus” do vizinho.
    .

    Tudo é próprio da democracia a depender de qual democracia. Portanto, tudo se resumirá na originária ânsia de um ideal impossível. Ponto de equilíbrio entre liberdade e igualdade. Não da veste ou face ocasional do homem que não necessariamente precisa ser um filósofo, um militar ou um religioso antes de ser homem, e homem político que, se é ele e suas circunstâncias, portanto, suas circunstâncias também são ele, inseparáveis.
    .
    Política precisa ser entendida como dominação, como conduta que pretende empalmar o poder sublimando o fim. O meio é a violência.

    O que será o Poder, então, que não algo de duas faces, com alma e corpo. Foucault é preciso, poder: “Não é uma instituição e nem uma estrutura, não é uma certa potência de que alguns sejam dotados: é o nome dado a uma situação estratégica complexa numa sociedade determinada”. Essa situação estratégica necessita ser trazida para a realidade. Reside na manipulação da trilogia força, moeda e Direito.
    Já a mudança social depende por necessidade do homem enquanto ente social, que interage em permanente cooperação e conflito que se solve numa contínua assimilação ou acomodação.

    Pouca filosofia afasta de Deus, muita traz de volta é o que, espantado, copio do dito anarquista Proudhon.

    Tudo para o homem precisa fazer sentido. Se não fizer, ele faz fazer. Nisto o código da vida. Qual o sentido dela, da vida e da morte? Não será esta intrigante interrogação que acompanha o homem desde seus primórdios que o levou aos deuses, ao Deus dos cristãos, dos islâmicos e à ciência?
    Atentemos para este trecho de Max Weber citando Tolstói: “Todas as suas meditações cristalizaram-se crescentemente em torno do seguinte tema: a morte é ou não um acontecimento que encerra sentido? Sua resposta é a de que, para um homem civilizado, não existe tal sentido. Obviamente não pode existir porque a vida individual do civilizado navega no “progresso” e no infinito e, consoante seu sentido imanente, essa vida não deveria ter fim. Por certo, há sempre possibilidade de novo progresso para aquele que vive no progresso”

    Mas, qual progresso? O da política, portanto, o da mentira do progresso que caminha vertiginosamente pelo progresso da mentira. De certo modo, fé também é uma mentira, pois, nada prova, salvo a intensidade daquilo em que se crê. Uma mentira, ninguém desconhece, pode se fazer uma “verdade”, pessoal.

    A vida não é o que se crê que ela seja. Ela é o que é, o que o homem é, o que as instituições enquanto produtos humanos o são; que somente o são, enquanto acompanharem o homem em seu devenir que, se nasce sempre no individual, somente frutifica no coletivo.

    A força e a religião são produtos humanos e participam, cada vez mais, quer se queira ou não, quer se goste ou não, da vida.

    Religião também é poder. Pior trazido de um mundo desconhecido.

    Tentar alijar ou imaginar provável a elisão da força ou da religião do cotidiano da política cada vez mais se prova que é próprio da natureza humana o levar para o mítico o apavorante amanhã desconhecido.

    A humanidade vai ter que aprender (e está aprendendo) a lidar com a verdade das coisas e não com as coisas que discursa como verdade.
    .
    Amem e amém.

  5. “A imagem elitista dos políticos udenistas (“bacharéis”) e o conservadorismo moralista fascinava a classe média…” Depois dos militares, os bacharéis, de toga.

  6. O fato de Dilma, a nossa “santa salvadora” vermelha -por isso ela orgulhosamente se veste dessa cor- não defender o malandro sa Bolívia pode ser um sintoma de que ela esteja se curando da doença religiosa marxista-leninista.
    Por mais que as religiões e ideologias convençam suas vítimas de que existem os mundos perfeitos, a realidade sempre dá a última palavra e, se o doente não estiver muito afetado, a esperança de cura tem viabilidade.
    E a realidade taí mostrando o fracasso que a arrogância dessa gente aprontou para nós. Só o prejuízo que o seu cumpanheiro Lula nos deu, entregando duas refinarias do povo brasileiro ao índio da Bolívia , perdoando dívidas deste país e outras malandragens mais, custaram bilhões de dólares de prejuízo para o nosso povo. Agora com o gás de xisto custando 1/5 do preço, o que fazer com o gás do bandido hermano?
    Uma das desgraças deste país é seu custo de produção com impostos absurdos e infraestrutura. Como vai concorrer com outros países ainda mais com esse gás caríssimo?
    O pior é que o setor produtivo, o agronegócio, sofre ataques dessa gente religiosa vermelha insistentemente , inclusive com o governo dando dinheiro ao MST para invadir áreas produtivas. O correto seria dar terras a quem quiser produzir e não incentivar esse crime. Mas vai falar isso para um religioso. Em religiões e ideologias o hediondo encontra justificativas para sua prática.

    E a refinaria de 300 milhões , que a Petrobrás comprou , pagando mais de 1 BIlhão de dólares?
    E o trem-bala, que nem canadá e EUA querem por ser caríssimo, que o Dilma com sua arrogância de sociopata, que acredita em seu mundo imaginário, disse que vai fazer e que custará mais de 50 bilhões de dólares? Com esse dinheiro daria para resolver problemas que este povo reclama em 3 capitais.

    Enfim, essa doença ideológica ou religiosa, o que é a mesma coisa, está dando seus frutos como se vê nas ruas. O povo se revoltando com tanta mentira e corrupção. Só propaganda. Como nos países comunistas do século passado e ainda em Cuba hoje.
    Boa vida mesmo só para os dirigentes vermelhos com seu estelionato salvador.

    Enquanto isso, países como Colômbia, Chile, Peru e México criaram a Aliança do Pacífico e já passou em poucos messes o mercosul, pois não embarcaram nessa onda religiosa vermelha.

  7. GOVERNO JOÃO GOULART

    Parlamentarismo
    – Chefe de Estado: Presidente

    – Chefe de Governo: Primeiro-ministro:
    — Tancredo Neves – set-1961/jul-1962
    — Francisco Brochado da Rocha
    ————————– jul-1962/set-1962
    – Hermes Lima —— set/1962-jan/1963

    Presidencialismo: jan-1963/mar-1964

    Chefe de Estado e Chefe de Governo:
    Presidente João Goulart

    Gabinete Tancredo Neves –
    AERONÁUTICA – Clívis Travassos;
    AGRICULTURA – Armando Monteiro Filho;
    CASA CIVIL – Hermes Lima;
    CASA MILITAR – Amaury Kruel;
    EDUCAÇÃO – Oliveira Brito;
    EXTERIOR – Santhiago Dantas;
    FAZENDA – Walter Moreira Salles;
    GUERRA – João Segadas Viana;
    IND E COMÉRCIO – Ulisses Guimarães;
    JUSTIÇA – Alfredo Nasser;
    MARINHA – Ângelo Nolasco;
    MINAS E ENERGIA – Gabriel Passos;
    SAÚDE – Estácio Souto Maior;
    TRABALHO – Franco Montoro;
    VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS – Virgílio Távora.

    Gabinete Francisco Brochado da Rocha
    (jul-set/1962)
    AERONÁUTICA – Reinaldo de Carvalho Filho;
    AGRICULTURA – Renato Costa Lima;
    CASA CIVIL – Hermes Lima;
    CASA MILITAR – Aurèlio de Lira Tavares;
    Amaury Kruel, Albino, Assis Brasil;
    EDUCAÇÃO E CULTURA – Roberto Tavares de Lira ;
    EXTERIOR – Afonso Arinos;
    FAZENDA – Walter Moreira Salles;
    GUERRA – Machado Lopes e Nelson de Melo;
    IND E COMÉRCIO – José Ermírio de Morais;
    JUSTIÇA – Cândido de Oliveira Neto;
    MARINHA – Pedro Paulo de Araújo Suzano;
    MINAS E ENERGIA – João Mangabeira;
    SAÚDE – Trabalho – Hermes Lima;
    VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS – Hélio de Almeida.

    Gabinete Hermes Lima – set/1962-jan/1963
    AERONÁUTICA – Reinaldo de Carvalho Filho;
    AGRICULTURA – Renato Costa Lima;
    CASA CIVIL –
    CASA MILITAR – Aurério de Lira Tavaes;
    EDUCAÇÃO E CULTURA – Darcy Ribeiro;
    EXTERIOR – Hermes Lima;
    FAZENDA – Miguel Calmon;
    GUERRA – Amauri Kruel;
    IND E COMÉRCIO – Otávio Dias Carneiro;
    JUSTIÇA – João Mangabeira;
    MARINHA – Pedro Paulo de Araújo Suzano;
    MINAS E ENERGIA – Eliezer Batista da Silva;
    SAÚDE – Elizeu Paglooli;
    TRABALHO – Hermes Lima;
    VIAÇÃO e O. PÚBLICAS – Hélio de Almeida;
    SEM PASTA – Celso Furtado.
    Presidencialismo: jan-1963/mar-1964

    Chefe de Estado e Chefe de Governo:
    Presidente João Goulart

    AERONÁUTICA – Reinaldo de Carvalho Filho e
    Anízio Botelho;
    AGRICULTURA – José Ermírio de Morais e
    Oswaldo Lima Filho;
    CASA CIVIL – Evandro Lins e Silva e
    Darcy Ribeiro;
    CASA MILITAR – Argemiro de Assis Brasil;
    EDUCAÇÃO – Teotônio Monteiro de Barros,
    Paulo de Tarso Santos e Júlio Tambaqui;
    EXTERIOR – João Augusto de Araújo Castro,
    Evandro Lins e Silva e Araújo Castro(bis);
    FAZENDA – Carvalho Pinto e Ney Galvão;
    GUERRA – Amauri Kruel e Jair Dantas Ribeiro;
    IND E COMÉRCIO – Antôni Balbino;
    JUSTIÇA – Abelardo Jurema;
    MARINHA – Paulo Bozísio e Sílvio Mota;
    MINAS E ENERGIA – Eliezer Batista da Silva e
    Oliveira Brito;
    SAÚDE – Paulo Pinheiro Chagas e Wilson Fadul;
    TRABALHO – Almino Afonso e Amaury Silva;
    VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS – Hélio de Almeida
    e Expedito Machado Pontes;
    *Min Extraordinário para Assuntos de Des.
    Econômico – CELSO FURTADO;
    *Min Extraordinário para a Reforma Administra-
    Tiva – AMARAL PEIXOTO.

  8. É impossível acabar com o BRASIL. Deixem de ser pessimistas. O MURO DAS LAMENTAÇÕES é lá em ISRAEL. Essa situação atual não perdurará para sempre. Ha um machismo desenfreadono Brasil que não tolera existri uma presidente Mulher. Quem nunca MENTIU e fez alguma coisa de útil pelo BRASIL que atire a primeira pedra. Esse filme sempre passa com qualquer PRESIDENTE DA REPÚBLICA desde quando depuseram o progressista IMPERADOR D. PEDRO II num golpe militar. O RESULTADO É ESTE. COLHAM o QUE PLANTARAM.

    • Desculpe, Jardim. O texto diz que foi o Marin da CBF que participou, fazendo discurso denunciando o “comunismo” na TV Cultura, onde Vladimir Herzog trabalhava. Poucos dias depois…

      Abs.

      Carlos Newton

  9. “Desastrada e derrotada, Dona Dilma impede que o Mercosul defenda o presidente da Bolívia.” ?????????????

    http://blog.planalto.gov.br/em-nota-governo-expressa-repudio-ao-constrangimento-imposto-ao-presidente-evo-morales/

    Em nota, governo expressa repúdio ao constrangimento imposto ao presidente Evo Morales

    A presidenta Dilma Rousseff emitiu nota, nesta quarta-feira (3), em que expressou repúdio e indignação ao constrangimento imposto ao presidente da Bolívia, Evo Morales. Alguns países europeus impediram o sobrevoo do avião presidencial boliviano por seu espaço aéreo.

    Segundo a nota, o constrangimento não atinge somente a Bolívia, mas a toda América Latina, comprometendo o diálogo entre os continentes e possíveis negociações entre eles. Dilma ainda afirma que encaminhará iniciativas em todas as instâncias multilaterais para que situações como essa nunca se repitam.

    Confira a íntegra

    O governo brasileiro expressa sua indignação e repúdio ao constrangimento imposto ao presidente Evo Morales por alguns países europeus, que impediram o sobrevoo do avião presidencial boliviano por seu espaço aéreo, depois de haver autorizado seu trânsito.

    O noticiado pretexto dessa atitude inaceitável – a suposta presença de Edward Snowden no avião do Presidente –, além de fantasiosa, é grave desrespeito ao Direito e às práticas internacionais e às normas civilizadas de convivência entre as nações. Acarretou, o que é mais grave, risco de vida para o dirigente boliviano e seus colaboradores.

    Causa surpresa e espanto que a postura de certos governos europeus tenha sido adotada ao mesmo momento em que alguns desses mesmos governos denunciavam a espionagem de seus funcionários por parte dos Estados Unidos, chegando a afirmar que essas ações comprometiam um futuro acordo comercial entre este país e a União Europeia.

    O constrangimento ao presidente Morales atinge não só à Bolívia, mas a toda América Latina. Compromete o diálogo entre os dois continentes e possíveis negociações entre eles. Exige pronta explicação e correspondentes escusas por parte dos países envolvidos nesta provocação.

    O governo brasileiro expressa sua mais ampla solidariedade ao presidente Evo Morales e encaminhará iniciativas em todas instâncias multilaterais, especialmente em nosso continente, para que situações como essa nunca mais se repitam.

    Dilma Rousseff
    Presidenta da República Federativa do Brasil

  10. O Mercosul com esses tiranetes hermanos e o fanatismo vermelho e incompetente do PT, só está dando prejuízos para nosso povo. Povo de um país grande que não deve se meter com esses hermanos, que qualquer bobinho sabe o que eles significam.

    O golpe no Egito se parece com o de 64, com Jango bobamente deixando o barco adernar no oceano vermelho da salvação. Seus discursos agravaram a situação, pois eles não tinham fundamento concreto para colocar em prática as tais reformas de base. Não tinha dinheiro e pio,r não tinha mais apoio nenhum do congresso. Foi para ruas tentar virar o jôgo e acabou derrubando a mesa. Os militares então fizeram o que fizeram. Sempre moralistas, adeptos do positivismo, demonstraram isso logo de cara caçando Lacerda da direita, Juscelino do centro e Brizola da esquerda. Deu no que deu e transformando o país vítima do pensamento único. Primeiro com eles e agora com o PT.

    Mursi também estava bagunçando a democracia egípcia e dirigindo o barco em direção ao oceano totalitário islâmico. Esse mesmo que está gerando os protestos na Turquia contra Erdogan.

  11. Falar em fanatismo, o bando vermelho chapa-branca que se passa por jornalistas da carta-capital e carta-maior, estão mais perdidos que cego em tiroteio. Tão fazendo igual ao governo que apoiam , tentando mudar de assunto para fugir da realidade que lhes tirou a máscara.

  12. Caro jornalista Hélio Fernandes, no PS8 – Felipão admirador do ditador torturador Pinochet e José Maria Marin, servidor da ditadura e do corrupto Maluf, participou das preliminares de assassinato de Herzog, O que fazer com eles?, seria bom esclarecer aos leitores que José Maria Marin, Ricardo Texeira, Josef Blater, Paulo Maluf, José Saney, entre tantos outros são amigos, são unha e carne, são tampa e balaio, são comparsas e companheiros de Luis Inácio Lula da Silva. Pergunto, o que fazer com ele?

  13. Não vai falar nada sobre a mãe de todas as corrupções, a sonegação de impostos praticada pela elite brasileira, tendo aa frente a REDE GLOBO?
    2011 – R$ 415 bilhões;
    2012 – R$ 425 bilhões;
    2013 (ate junho) – 204 bilhões;

  14. A dinastia LulANTA e a Santa Ignorância.
    .
    Segundo Saulo Ramos, recentemente falecido, advogado e Consultor Geral da República em Código da Vida:
    .
    “Claro que examino, com repulsa, a putrefação do governo Lula e a patriótica corrupção do Partido dos Trabalhadores, que fundou, afundando-se, a escola da imoralidade para fazer o bem público e que acabou na vida privada de seus agentes batendo uma lamentável espécie de recorde na história brasileira das grandes vergonhas. Ou da falta delas, inclusive de deixar os pobres cada vez mais pobres para industrializar esmolas em troca de votos. A descompostura, a desonra, a rapinagem e a iniquidade da corrupção explicada como singela esperteza eleitoral não contabilizada e por costumeira. Esperteza eleitoral vitoriosa para mais uma temporada de incontáveis desastres ”nunca antes neste país” ocorridos””
    .
    “O analfabeto ainda pode votar em Lula. Mas o filho do analfabeto está pensando em ser ladrão. Isso me dói. Lula é católico, diz ser. É devoto da Santa Ignorância”

  15. Não acredito nem na minha mente e não vai ser nas dos outros que vou acreditar.
    Portanto minha obsessão contra ditadores é eterna. Detesto a submissão.

    Basta uma conversinha mole, sentimental, uns afagos para um frágil se corromper e ficar de quatro.

  16. Hélio, nada aconteceria no Egito se os EEUU não estivessem por trás de tudo. A eleição foi uma farça. O candidato dos sonhos dos EEUU era e é El Baradei. Homem de confiança dos americanos na eleição e que não empolgou os egípcios. A irmandade muculmana ganhou a eleição e passou a apoiar com facilidades na fronteira de Gaza e com dinheiro o HAMAS. Sem força para derrubar Assad na Síria precisava de ajuda militar. Desconfiaram EEUU, Arábia Saudita, Catar e Israel, que se a irmandade muçulmana empolgasse o poder na Síria seria um fator de desestabilização, podendo se compor com o Hizibolá. Todos sabemos que o desiderato dos EEUU é enfraquecer o HAMAS, Hizebolá destruindo a Síria, para então autorizar Israel bombardear as usinas nucleares do Irã. Tem mais, o general que liderou o golpe é homem de relações estreitas com os EEUU. Quem mandará verdadeiramente no Egito dentro de pouco tempo é El Baradei (como preposto dos americanos). A equação tornou-se dificil para os EEUU com a posição da Russia e as armas químicas de Assad que não nega, dizendo que só as usará se houver uma intervenção estrangeira. Usará mesmo, não tenhamos dúvida sobre isso. O que Inglaterra, França e EEUU tem feito com os árabes é uma barbaridade inimaginável. Você lembra-se que Síria e Líbano eram a “República Sírio Libanesa” antes da segunda guerra. Seu representante aqui no Brasil(equvalente a um cônsul), era Jorge Iunes dono do restaurante Rio Nilo aqui no “Saara” centro do Rio de Janeiro. Lógico que você se lembra do Club Sírio Libanês na Tijuca. Conheci já idoso Jorge Iunes e seu filho Teófilo Jorge Iunes me levou algunas vêzes ao reustaurante me ensinando a saber o que era cafta,mercheuana,merchesiler, mogadara e outras coisas simples que ainda são servidas hoje no dia a dia de nossos botequins. Impor uma democracia goela a baixo do povo árabe e africano sem nenhum trabalho de convencimento resultará em uma volência sem fim. Acho que se o Irã desenvolver armas nucleares. “Haverá uma paz armada no Oriente Médio”.

  17. Em resposta e reciprocidade deveriam impedir o voo de aeronaves desses países vassalo-falidos no território dos países do Mercosul.
    Não perderíamos grande coisa. Talvez tivéssemos ganhos maiores.
    Contribuímos muito para sua manutenção, e até salvação, já que deixamos grande quantidade de sangue brasileiro, derramado no solo desses atrevidos inconsequentes, na defesa da dignidade humana, que eles não souberam respeitar.
    Está na hora de acordarmos para a realidade, que não corresponde a nada do que nos é imposto por esse bando de mistidicadores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *