Desgastado e apreensivo com a prisão de Queiroz, o presidente se diz “perseguido”pelo Judiciário

Charge de Diogo Oliveira (Arquivo do Google)

Naira Trindade
O Globo

Irritado e abatido após a prisão do ex-assessor Fabrício Queiroz, o presidente Jair Bolsonaro buscou ao longo desta quinta-feira, dia 18, uma estratégia para afastar do Palácio do Planalto o desgaste com o ocorrido. Em reunião pela manhã com o ministro da Justiça, André Mendonça; da Secretaria Geral, Jorge Oliveira, e da Advocacia Geral da União, José Levi, Bolsonaro considerou haver uma perseguição do Judiciário.

Na avaliação do presidente, há uma tentativa de criar um clima de instabilidade no governo. No Palácio do Planalto, o clima é de apreensão com o depoimento que Queiroz deve prestar nos próximos dias. Aos aliados, Bolsonaro reclamou ser a terceira ação da semana contra seus apoiadores. Na segunda-feira, a Polícia Federal prendeu a extremista Sara Giromini, que adotou o pseudônimo Sara Winter. A prisão temporária foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.

QUEBRA DE SIGILOS – Na terça-feira, Alexandre de Moraes determinou a quebra de sigilos bancários de 11 parlamentares bolsonaristas no inquérito que investiga financiamento de manifestações antidemocráticas no país. Nesta quinta, Queiroz é preso após pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro. Ministros próximos ao presidente admitem a dificuldade do governo em se desvincular da prisão de Queiroz, detido em uma das casas do advogado de Flávio Bolsonaro, Frederick Wassef.

Fred, como é conhecido, participou da posse do ministro Fabio Faria no Palácio no Planalto na quarta-feira. Ele aparece ao menos 13 vezes em agendas do presidente e sempre alegou ter acesso fácil a Bolsonaro. Integrantes do governo já aconselharam o presidente a substituí-lo. Na busca por advogados com perfil mais discreto, Bolsonaro recebeu o criminalista Eduardo Carnelós no gabinete do Palácio do Planalto em 22 de janeiro.

PÁ DE CAL – Avesso a entrevistas, Carnelós foi advogado de Michel Temer na segunda denúncia que recebe da Procuradoria Geral da República quando era presidente, em 2017. O encontro constou da agenda oficial do presidente. Como mostrou a colunista Bela Megale, a prisão de Queiroz joga mais uma pá de cal na tentativa de pacificar a relação entre o governo e o Judiciário.

Segundo auxiliares do presidente, Bolsonaro já fez as sinalizações necessárias de paz ao Judiciário, como a demissão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, “mas o Supremo não cessou fogo”. Os filhos do presidente relataram a pessoas próximas que enxergam uma conspiração. Eles avaliam que integrantes do Judiciário trabalham para criar um clima para tirar o presidente do cargo.

Reservadamente, interlocutores do presidente criticaram o uso da Lei de Segurança Nacional para justificar a abertura de inquérito policial que apura os ataques de fogos de artifício contra a sede do Supremo. Um aliado do governo argumenta não ter havido a mesma preocupação quando o Movimento de Libertação dos Sem Terras (MLTS) invadiu e depredou o Congresso ou quando manifestantes quebram vidraças e atearam fogo no Ministério da Educação.

20 thoughts on “Desgastado e apreensivo com a prisão de Queiroz, o presidente se diz “perseguido”pelo Judiciário

  1. Que saudades do PT. Não tinha Gabinete do Ódio. Não tinha um Adriano. Não tinha um Queiroz. Não tinha toda a família na política e envolvida com crimes. Não era ligada à Milícia. Não tinha ministros incompetentes. E lembro que todos foram investigados ao extremo.

    • Bah, Ronaldo!

      Depois dessa informação caí para trás, para os lados e para a frente!!!!

      Gozação não vale, meu!

      José Dirceu
      Alfredo Nascimento
      Paulo Bernardo
      Aloísio Mercadante
      Antônio Palocci
      Edinho Silva
      Edison Lobão
      Eunice Guerra
      Jaques Wagner
      Mário Negromonte
      Orlando Silva
      Fernando Pimentel
      Guido Mantega
      Ideli Salvatti
      Anderson Adauto

      Ronaldo, por acaso, esses ladrões que citei acima, POR CASUALIDADE ex-ministros PETISTAS não seriam santos do PT, né mesmo??!!

      “Investigados ao extremo”, só se foi na bilheteria de estádios de futebol, pois alguns, se não estão presos, encontram-se envolvidos em cabeludos e enormes processos de corrupção!

      Não te aproveita!!!

      Te cuida, meu!
      Saúde e paz.

    • Ronaldo, você termina seu texto assim:
      “E lembro que todos foram investigados ao extremo”.

      Eu tenho uma pequena curiosidade e faço uma comparação entre o Flávio Bolsonaro e o filho do Lula, o Lulinha,
      O caso envolveu muito dinheiro, na casa dos milhões, negócios com a OI, e outros que não tive a paciência de investigar.

      Já deu em alguma coisa?
      É só por curiosidade, é só pra saber se petista tem moral pra falar mal dos outros.

  2. “Queiroz era monitorado por advogado de Bolsonaro, indicam mensagens apreendidas.

    Ministério Público diz que ex-assessor de Flávio tinha restrição de movimentação.” (Folha – 19/06/2020)

    Para os juristas de plantão, isso poderia ser caracterizado como cárcere privado?

    Qual o medo do seu Jair, já que ele diz que “não tem nada a temer?”.

    A máscara caiu, seu Jair.

    Se ele faz isso, imaginem o que ele já fez nesses 27 anos como deputado?

    Não vale dizer que como deputado, nesses 27 anos, ele não fez nada. Isso nós j´sabemos.

  3. Todo governo acredita que “pau que dá em Chico, não deve dar em Francisco”. O presidente Bolsonaro conseguiu, grande parte de seus votos, utilizando como um dos pilares de campanha o combate a corrupção. Consequentemente deveria aplaudir todas as diligências da PF e Justiça para elucidar o tema Queiróz. Como o presidente e sua família transpiram revolta contra as estruturas de Estado responsáveis por essas investigações – consideradas como perseguição política – nada melhor que encarar com tranquilidade essas diligências policiais e que a luz da verdade provará que tudo não passa de uma conspiração da esquerda e se confirme a ilibada postura pública de todos os nomes envolvidos.

    • Che,

      Mas que obsessão pelo coitado do Chico!!!
      Envolvido em máximas populares que somente querem vê-lo abaixo de porretadas.

      PROTESTO!

      Abração, Rocha.
      Te cuida, meu!

  4. Este CRÁPULA deveria ser deposto imediatamente!!
    É inaceitável que ainda seja o mandatário do nosso aviltado país.
    Não merecemos mais isto, é castigo demais!
    O brasil está parado, inerte aos acontecimentos do dia a dia. Todos os brasileiros estão sendo atingidos por esta insana família.
    Já pensaram o custo disso para o país?
    Já está mais do que provado que o presidente é um mentiroso contumaz!!
    Me digam, quantos países no mundo tem um presidente deste naipe?
    Este porra louca nos largou a própria sorte. A única preocupação é a vida dele e dos filhos.
    #FORABOLSONARO

    Atenciosamente.

  5. Francisco Bendl boa tarde.
    Quando vi o teu comentário fui acometido de profunda tristeza/raiva pois lembrei do ” A esperança venceu o medo”.
    Estes Malditos da lista ao pensarem só em si e não no povo brasileiro; deixou-nos nesta situação.
    Depois veio o “tosco” com o discurso do “Conhecereis a Verdade e ela o Libertará.”
    Se não tivesse feito o “pacto com os demônios”
    e tivesse assumido que o filho tinha que “pagar” pelas “rachadinhas/desvio do $ público” poderia ter seguido o caminho do Saneamento do Trato com a Coisa Publica; agora: “Inês é Morta” e teremos que passar mais bom tempo para mudar a trágica situação de Moralidade que nós vivemos.

  6. E o pior, é que eles se blindaram com a mudança do COAF, prisão só quando Deus nos livre, Juiz de Garantias, abuso de autoridade e o corrupto hediondo, só tem que se preocupar com o seguinte: Desviar/roubar o suficiente para pagar boa banca de advogados.
    Simples assim e Deus nos Abençoe.

  7. Bernardo Mello Franco: Prisão de Queiroz ameaça futuro de Bolsonaro

    Publicado em19 de junho de 2020

    A prisão de Fabrício Queiroz complica a vida de Jair Bolsonaro e lança mais incertezas sobre o futuro do governo. O presidente já estava acuado pelo cerco a seus radicais de estimação. Agora passa a ser assombrado pelo espectro de um velho amigo na cadeia.

    Queiroz era o faz-tudo da família presidencial no Rio. Oficialmente, atuava como motorista e segurança. Segundo o Ministério Público, também coordenava um esquema de funcionários fantasmas e ajudava a pagar as contas do clã.

    Os investigadores afirmam que o ex-PM comandava uma quadrilha no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro, hoje senador. Ele recolhia parte dos salários de assessores e redistribuía o dinheiro em espécie. Nas horas vagas, fazia negócios em áreas dominadas pela milícia.

    Queiroz não cumpria tarefas apenas para o primeiro-filho. Um relatório do Coaf revelou que ele depositou R$ 24 mil na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro. O presidente alegou que a quantia corresponderia a um empréstimo. Nunca apresentou recibo para sustentar essa versão.

    No pedido de prisão preventiva, os promotores dizem que o laranja também pagou a escola das filhas de Flávio, netas de Jair. Tudo em dinheiro vivo, como convém a quem precisa ocultar a origem dos recursos.

    Nos últimos tempos, quem andou escondido foi o próprio Queiroz. O presidente e o primeiro-filho juravam não ter pistas do seu paradeiro. Ontem ele foi descoberto numa chácara do advogado do clã, que bate ponto no Planalto e no Alvorada.

    As investigações sugerem que o ex-PM era uma reencarnação miliciana de Paulo César Farias. PC foi tesoureiro da campanha de Fernando Collor. Quando o chefe chegou ao poder, passou a pagar despesas da família. A descoberta de seus cheques fantasmas abriu caminho para o impeachment.

    Na época de PC, ainda não existia a lei das delações premiadas. Agora os investigadores podem usá-la para convencer Queiroz a contar o que sabe. Por via das dúvidas, ele foi conduzido ao xadrez com um colete à prova de balas. (O Globo – 19/06/2020)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *