Desviar dinheiro de crédito consignado é um crime verdadeiramente execrável

Charge do Léo (leovillanova.net)

Willy Sandoval

Como já disse e volto a repetir, num futuro que talvez não esteja muito distante veremos as famílias do Lularápio, do Jacó Bittar e do tal Jonas Suassuna brigando na justiça pela propriedade do sítio e da cobertura do Guarujá. Provavelmente, os Jacozinhos e os Suassuninhas vão falar “mas vocês não viviam dizendo que o sítio e a cobertura não eram do Lula?”.

Algo parecido aconteceu com a pedreira que o Ademar de Barros “desapropriou” de um alemão na 2ª Guerra, deixou aos cuidados do Vicente Matheus, como testa de ferro, e depois, quando quis a pedreira de volta, ouviu do esperto corintiano: “Prova que é sua…”

Algo parecido também aconteceu com a viúva do Sérgio Motta, o ministro gordo falecido em 1998. Os tucanos foram para cima da viúva, mas a esperta acabou ficando com boa parte de paradisíacas propriedades em áreas nobres do litoral paulista. Tudo que a alta tucanagem não quis foi criar polêmica sobre o assunto. Com certeza, agora a história não será muito diferente!

CRÉDITO CONSIGNADO – Tenho muito mais medo desses supostos defensores dos direitos sociais do que dos assumidamente liberais. Como exemplo, estamos assistindo a história dos empréstimos consignados para aposentados e funcionários públicos. Primeiro, um arrocho nos salários e nas aposentadorias; depois, crédito farto para os pobres aposentados e barnabés se enforcarem cada vez mais e terem as prestações descontadas de seus parcos ganhos .

E tudo isso para ajudar a manter um projeto criminoso de poder, de um governo supostamente dos trabalhadores.

Concluindo, chega desse papo furado dos esquerdopatas alegarem que lutam pelos direitos sociais. Eles só pensam no projeto (criminoso) de poder e em se locupletarem. O pouco que se descobriu até agora mostra o marido da “Narizinho” ter enriquecido mais de R$ 7 milhões só com os pixulecos das maracutaias do consignado. O total do enriquecimento dos dois vai ser muito difícil de avaliar.

11 thoughts on “Desviar dinheiro de crédito consignado é um crime verdadeiramente execrável

  1. Se este Brasil não fosse a tragédia que é ,poderia-se até dar boas rizadas das coisas que acontecem por aqui.
    O Renan Calheiros e seus senadores amestrados, agora passaram a não reconhecer a Polícia Federal, como uma instituição do estado brasileiro.
    Para senadores e seus “dependentes” só vale a tal Polícia Legislativa”, uma excentricidade que é uma verdadeira jabuticaba, polícia particular dos senadores.
    Acham os “lordes” da câmara alta brasileira, que não estão ao alcance da plebeia Polícia Federal,
    que é um genérico policial. Para eles tem que ser polícia de marca e que esteja sob seus controles.
    O escárnio chegou ao limite máximo.
    Outra coisa que marca nossos ladrões, é a insistente argumentação de inocência, mesmo com provas muito mais que robustas, “parrudas”,
    mas na maior cara de pau, negam.
    Isso vale não só para ladrão de terno e gravata, mas também para bandido de bermuda e sandália de dedo, com fuzil nas mãos. É um festival de falta de vergonha.
    Agora os de terno e gravata, passaram a adotar a tática do “dodói”, ao serem presos, logo ficam doente e ao invés de cadeia, o destino é o hospital, com planos de saúde pago pelo contribuinte a custear a estadia hospitalar, um acinte.
    Se o próprio lula tiver um mandado de prisão contra si, no outro dia estará no sírio libanês, é a lei das probabilidades mais que prováveis. este é o Brasil.

    • Como operador jurídico, vejo que esta fórmula de negar o óbvio se alastra. Diversos “adevogados” inventam ou escondem fatos. Abandonaram a discussão jurídica e partiram para o lodoso campo de vãs alegações de fundo processual, sem qualquer amparo. Falam para mostrar serviço. Afinal várias dessas causas são impossíveis, resta procrastinar. Em parte, facilitam o trabalho daqueles que têm como meta a plena realização da justiça.

  2. Trabalhei com idosos por cinco anos e no momento estou acompanhando meu pai, 99 anos, que quebrou a perna, no hospital. Quando o Lula anunciou o crédito consignado para os idosos eu logo vi a tragédia que ocorreria. Eles são frágeis e indefesos, a mercê de seus cuidadores, que se inescrupulosos os exploram e ameaçam. Assim, geralmente fizeram esses empréstimos não para si mas para aqueles outros, mas eles é que ficaram com o desconto e consequentemente os proventos diminuídos. Uma tremenda injustiça.

  3. Escrevi dezenas de vezes sobre esta modalidade de empréstimo, o consignado.

    Uma atraente isca para apanhar necessitados e aumentar sobremaneira os lucros bancários – único país do mundo que oferece ao sistema financeiro o negócio sem risco, o Brasil! -, percebeu-se desde o início o comprometimento de Lula com os bancos, entregando de bandeja os parcos vencimentos dos aposentados e servidores públicos estaduais para serem explorados à exaustão, através de taxas de juros menores que aquelas aplicadas no mercado, aparentemente.

    Entretanto, como um partido e administração que jamais obedeceram as leis e a Constituição, o desconto em folha que beneficia o dono do dinheiro porque tem a garantia do recebimento, agride frontalmente a Carta Magna, que reza em seu artigo VII e Inciso X que, o SALÁRIO É IMPENHORÁVEL E TORNA-SE CRIME SUA RETENSÃO DOLOSA!

    E dai? O PT, por acaso, seguiu alguma norma? Lula e Dilma obedeceram a Constituição?

    Agora, explorar o povo, violentá-lo, usá-lo, o casal de mafiosos foi inigualável, incomparável!

    E, muito pior, tem sido o procedimento desta Justiça brasileira, que beira o ridículo, à presunção, à prepotência, que não tem dado ganho de causa aquele que, se sentindo lesado em seus direitos, pede na Justiça que o desconto em Folha seja cancelado, e que o banco ou a financeira cobre de outra forma o seu crédito!

    Ou seja, cria-se uma procedimento ilegal, o necessitado entende que será “beneficiado” por juros menores neste dinheiro solicitado, e quando quer decidir o que fazer com o SEU DINHEIRO, COM O SEU SALÁRIO, vê-se impedido desta prerrogativa CONSTITUCIONAL!

    Alegam os magistrados que, ao assinar o desconto em Folha, o tomador do empréstimo abriu mão desta lei(!?), ou seja, uma decisão presidencial que foi a causa desta ofensa à Constituição não foi anulada no início, permitindo o empréstimo desta forma para depois punir o explorado, o assaltado, o aposentado ou o coitado que precisou de dinheiro!

    Por outro lado, se os juros são menores que os do mercado, prova o exagero, a agiotagem praticada contra o povo através do cheque especial e cartão de crédito, que não encontram justificativas para custar mais de 12% ao mês nos bancos e quase 20%, respectivamente!

    A verdade é que somos mesmo explorados acintosamente e com a complacência do Executivo, Legislativo e, principal e inacreditavelmente, pelo Judiciário!

    O abandono que se encontra o povo brasileiro quanto à proteção que as leis lhe dariam é pantomima, falso, pois o tal crédito consignado seria o exemplo clássico para ser contestado e, no entanto, um abuso contra a Constituição se torna lei de uma hora para outra!

    O correto seria simplesmente admitir o crédito consignado, de modo a se ter mesmo um juro menor, porém alertando o sistema financeiro que, o cliente, no momento que postulasse esta modalidade na Justiça seria admitida a sua reivindicação para desconto das parcelas fora da Folha de Pagamento. Ou mediante débito em conta ou nota promissória ou boleto bancário – claro que a dívida não seria cancelada, mas anulada a forma deste pagamento, do desconto em Folha -, em face do que reza a Carta Magna.

    Mas algum dos nosso poderes se preocupa com o povo, com o Brasil?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *