Detentor de estranho poder de nomear, Cunha chega a desafiar o Supremo

Charge do Nani (nanihumor.com)

Pedro do Coutto

Reportagem de Martha Beck e Eduardo Barreto, O Globo, edição de sexta-feira, revela que, depois de indicar André Moura para líder  do governo na Câmara, e emplacar Felipe Cascaes e Erick Vidigal em duas subchefias da Casa Civil do governo Michel Temer, agora Eduardo Cunha chegou a desafiar o Supremo Tribunal Federal, ao anunciar que retornaria à Câmara Federal na segunda-feira, dia 23. Afastado definitivamente da presidência da Casa, e suspenso por tempo indeterminado do mandato pela unanimidade da Corte Suprema, o parlamentar tenta se impor no palco político.

Ele fez o anúncio, não por coincidência logo após o depoimento ao Conselho de Ética, no final da tarde de quinta-feira. No Conselho de Ética ele responde, como sabem todos, ao processo pela cassação de seu mandato. Incrível seu comportamento gelificado diante da evidência das acusações. Ele se afirma mero beneficiário casual dos resultados financeiros positivos gerados pela atuação de um trust internacional, mas já foi desmentido pela Suíça: são contas, em nome dele.

E AS INDICAÇÕES?

É estranho o poder de Cunha, mais estranhas ainda as vitórias nas indicações que faz. Pois, apesar de tudo, são aceitas pelo presidente Michel Temer.

Eduardo Cunha sente-se seguro e firme. Caso contrário não teria afirmado sua disposição de recuperar seu gabinete de deputado na Câmara. Afinal, o Supremo suspendeu-o de exercer qualquer atuação no Congresso Nacional. Tanto assim que, ao comparecer ao Conselho de Ética, o fez na condição de acusado, tendo a companhia de advogados encarregados de defendê-lo. Depois, recuou e disse que só reassume os advogados se a sua defesa autorizar.

RECORRER AO SUPREMO

A decisão de afastar Cunha foi unânime e irrecorrível, porque, no caso, recorrer a quem? O recurso somente pode ser dirigido ao plenário, mas já existe unanimidade do próprio tribunal que o afastou e suspendeu sua presença na Câmara.

Mais complicado traduzir a razão do estranho poder de fazer indicações para quadros do governo aceitos velozmente pelo Palácio do Planalto. Claro que Eduardo Cunha tornou-se peça fundamental para a tramitação do impedimento da presidente Dilma Rousseff. Mas tudo tem um limite. O limite de Eduardo Cunha foi ultrapassado por ele mesmo e avalizado pelo presidente da República.

Nem se diga que o mandato de Michel Temer é provisório. Todos estão sabendo muito bem e sentindo que a substituição será definitiva.

DILMA ESTÁ FORA

Se o julgamento pelo Senado foi aceito por 55 votos, ainda com a caneta na mão de Dilma Rousseff, evidentemente este número, pelo menos, vai se manter na decisão final e definitiva de um processo que começou e ganhou corpo em face da gigantesca rede de corrupção que submergiu a economia brasileira e abalou o próprio país.

Quanto a Cunha, ele é forte candidato a uma condenação pelo foro privilegiado ao qual ainda tem direito. Mas permanece atuando com amplo desembaraço. Suas indicações pessoais para cargos de confiança são absorvidas pelo sistema de poder. Qual a razão? Se ele é o homem que sabe demais, nem por isso poderá revelar os conteúdos de que dispõe.

Portanto, nos bastidores dos quais atuou como um dos atores, ele terá que guardar sigilo. Sabe muito, mas não pode falar nada. Esta é que é a verdade.

6 thoughts on “Detentor de estranho poder de nomear, Cunha chega a desafiar o Supremo

  1. A força do Cunha, vem da “síndrome do rabo preso”, que sofrem muitos dos políticos que ficaram e se equilibram para não cair.
    O Cunha só foi destituído por interferência do judiciário. Fosse pela vontade dos políticos, estaria até hoje presidindo a câmara.
    Se fizer delação premiada, fecha o congresso e adjacências.

  2. “Meu Malvado Favorito” está na hora de acertar as contas com a DONA JUSTA. Vá em frente, pague pelos seus crimes e aguarde esperançoso que criminosos com maior pedigree do que o seu irão logo a seguir, lhe fazer companhia na PAPUDA ou quem sabe na Penitenciária de São José dos Pinhais, atendendo ao chamamento da República de Curitiba.

    “Meu Malvado Favorito”, sei que és um criminoso e portanto não vou te defender (isto é papel de esquerdistas/comunistas), mas vou te agradecer pelos excelentes serviços prestados ao país durante seu mandato à frente e na Presidência da Câmara Federal.

    “Meu Malvado Favorito”, creia que ao trabalhar com afinco para tirar essa petralhada do poder, fizeste muito mais pelo país do que muita gente que ainda se gaba de ser um FICHA LIMPA.

    Vá em frente. Aguarde. Em breve terás companhia. Mas não te esqueças: és um criminoso e quem clama por justiça jamais irá te defender … a menos que sejam comunistas/esquerdistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *