“Devolvam-nos o Brasil!!!”, roga o poeta aos dois candidatos à Presidência

Resultado de imagem para Josias Moreira de Alcantara poetaPaulo Peres
Site Poemas & Canções
O professor, radialista, palestrante, escritor e poeta curitibano Josias Moreira de Alcantara, no poema “Devolva-nos o Brasil”, faz um pedido aos candidatos eleitos neste domingo.
DEVOLVAM-NOS O BRASIL!!!
Josias Moreira de Alcantara

Já vivemos em um tenso rodeio
Tantas idas e vindas sem parar…
Que às vezes não dá para calcular
A trama que envolve o eixo do enleio!
Conseguimos enxergar muitas filas
Com olhares bem aquém das tranquilas…
Pessoas que só lutam pela paz…
De outro lado a efervescência política
Faz a nação definhar paralítica
E o povo não sabe mais o que faz!
É um cenário de imagens e incertezas
E apunhala na alma, ordem e o progresso,
Decorrente de um grande retrocesso
Das mil barganhas vistas com tristezas.
É assim que versamos os nossos dias
Vendo sangrar nas próprias poesias…
Com sangue manchado de corrupção!
É necessário sim da liberdade
Que seja instituída pela verdade,
E devolva ao povo, o Brasil!!!

5 thoughts on ““Devolvam-nos o Brasil!!!”, roga o poeta aos dois candidatos à Presidência

  1. Dicró (1946-2012) cantor e compositor

    O Político
    Dicró

    Dei cimento, dei tijolo
    Dei areia e vergalhão
    Subi morro, fui em favela
    Carreguei nenê chorão
    Dei cachaça, tira-gosto
    E dinheiro de montão
    E mesmo assim perdi a eleição
    Traidor, traidor
    Se tem coisa que não presta é um tal do eleitor
    Prometi a minha nega que ia ser a primeira dama
    Porém quando eu perdi, ela perdeu ate a cama
    E achei o meu retrato no banheiro da central
    Vou da um coro no meu cabo eleitoral
    Traidor, traidor
    Se tem coisa que não presta é um tal do eleitor
    Hoje eu tenho meus motivos, para estar injuriado
    Porque eu só tive um voto e mesmo assim foi anulado
    Só tem gente canalha, como tem gente ruim
    Nem a minha mãe votou em mim
    Ô mamãe eu me admiro a senhora
    Se meus inimigos não votarem em mim tudo bem
    Mas a senhora que depende de mim, não votar é sacanagem
    Eu hein…
    Os eleitores que não te conhecem, não votaram
    Eu que te conheço vou votar? Ah! To fora…

  2. Vem eleição, mais eleições e nada muda. A Constituição de 88 diz que todo pode ermana do povo,, mas os politicos continuam fazendo o que querem. Nem nos consultam quando têm que tomar uma decisão.Para devolver o Brasil aos brasileiros a primeira coisa a fazer é dar-lhes poder – já que “todo poder emana do povo”

  3. É Ladrão Que Não Acaba Mais
    Bezerra da Silva

    Quando Cabral aqui chegou
    E semeou sua semente
    Naturalmente começou
    A lapidação do ambiente…

    Roubaram o ouro
    Roubaram o pau
    Prá ficar legal
    Ainda tiraram o couro
    Do povo
    Desta terra original…

    E só deixaram
    A má semente
    Presente de Grego
    Que logo se proliferou
    E originou a nossa gente…

    É ladrão que não acaba mais
    Tem ladrão que não acaba mais
    Você vê ladrão
    Quando olha prá frente
    Você vê ladrão
    Quando olha prá trás…(2x)

    Hiiiiiii!
    A terra boa
    Mas o povo
    Continua escravizado
    Os direitos são os mesmos
    Desde os séculos passados
    O Marajá
    Ele só anda engravatado
    Não trabalha, não faz nada
    Mas tá sempre
    Endinheirado…

    E se entrar no supermercado
    Você é roubado!
    E se andar despreocupado
    Você é roubado!
    E se pegar o bonde errado
    Você é roubado!
    E também se votar prá deputado
    Você é roubado!
    Certo!

    Tem sempre 171 armando fria
    Tem ladrão lá no congresso
    Na quitanda e padaria
    Ladrão que rouba de noite
    Ladrão que rouba de dia
    Dentro da delegacia
    Ninguém entendia
    A maior confusão
    O doutor delegado
    Grampeou todo mundo
    Porque o ladrão
    Roubou outro ladrão

    É ladrão que não acaba mais
    Tem ladrão que não acaba mais
    Você vê ladrão
    Quando olha prá frente
    Você vê ladrão
    Quando olha prá trás…(2x)

    Quando Cabral aqui chegou
    E semeou sua semente
    Naturalmente começou
    A lapidação do ambiente…

    Roubaram o ouro
    Roubaram o pau
    Prá ficar legal
    Ainda tiraram o couro
    Do povo
    Desta terra original…

    E só deixaram
    A má semente
    Presente de Grego
    Que logo se proliferou
    E originou a nossa gente…

    É ladrão que não acaba mais
    Tem ladrão que não acaba mais
    Você vê ladrão
    Quando olha prá frente
    Você vê ladrão
    Quando olha prá trás…(4x)

  4. O Virus da Corrupção
    Bezerra da Silva

    REFRÃO
    Ele vai subir novamente lá no morro
    Apertando mão em mão, pedindo voto de novo.
    A rapaziada já sabe que é o ladrão do dinheiro do povo!
    Toda favela já sabe que é o ladrão do dinheiro do povo!

    Quando ele está em campanha
    Diz que vai resolver toda situação.
    Depois de tá eleito adianta o seu lado
    E dá uma banana para o meu povão
    Perde a credibilidade, a moral e o pudor
    Tira o pão da boca das crianças
    Do aposentado e do trabalhador!

    Ele vai subir novamente lá no morro
    Apertando mão em mão, pedindo voto de novo.
    A rapaziada já sabe que é o ladrão do dinheiro do povo!
    Toda favela já sabe que é o ladrão do dinheiro do povo!

    Na eleição passada,
    Através do morro ele se elegeu.
    Nada fez pelo pobre favelado
    E num boeing de luxo desapareceu.
    Foi comemorar a vitória em sua mansão
    No distrito federal.
    Eu só fui saber que ele estava vivo
    Pq saiu como corrupto no jornal.

    De norte a sul,
    De leste a oeste meu irmão.
    Como tem político contaminado
    Com o vírus da corrupção! (2x)

    Ele vai subir novamente lá no morro
    Apertando mão em mão, pedindo voto de novo.
    A rapaziada já sabe que é o ladrão do dinheiro do povo!
    Toda favela já sabe que é o ladrão do dinheiro do povo!

  5. Canção do Exército (Emocionante)
    Exército Brasileiro

    Nós somos da Pátria a guarda
    Fiéis soldados
    Por ela amados
    Nas cores de nossa farda
    Rebrilha a glória
    Fulge a vitória

    Em nosso valor se encerra
    Toda a esperança
    Que um povo alcança
    Quando altiva for a Terra
    Rebrilha a glória
    Fulge a vitória
    A paz queremos com fervor
    A guerra só nos causa dor
    Porém, se a Pátria amada
    For um dia ultrajada
    Lutaremos sem temor

    Como é sublime
    Saber amar
    Com a alma adorar
    A terra onde se nasce!
    Amor febril
    Pelo Brasil
    No coração
    Nosso que passe

    E quando a nação querida
    Frente ao inimigo
    Correr perigo
    Se dermos por ela a vida
    Rebrilha a glória
    Fulge a vitória
    Assim ao Brasil faremos
    Oferta igual
    De amor filial
    E a ti, Pátria, salvaremos!
    Rebrilha a glória
    Fulge a vitória

    A paz queremos com fervor
    A guerra só nos causa dor
    Porém, se a Pátria amada
    For um dia ultrajada
    Lutaremos sem temor

    Vamos esperançar que um dos dois candidatos nos devolverá o Brasil aos brasileiros. Nós merecemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *