Diálogo com Francisco Bendl sobre a situação difícil de Dilma Rousseff, caso Lula se candidate pelo PT

Francisco Bendl

Qual seria o partido da presidente Dilma? PSB ou PDT? Sim, porque se Lula for candidato, ela terá que sair do PT, e iria para onde?

O diabo é que estamos imaginando a mesma sequência política para o nosso País, a mesma prática do toma lá da cá, o tráfico de influência, o Parlamento legislando para si, não teremos mudança alguma neste quadro atual brasileiro, que podemos denominá-lo de “Holocausto da Dignidade”, onde todos os parlamentares se deixaram vencer pela corrupção, corporativismo, inércia, incompetência e incapacidade de trabalharem em prol do desenvolvimento do Brasil e de seu povo!

Dilma, Lula, Temer, Eduardo Campos, formam uma mistura homogênea que traz graves efeitos colaterais a quem saboreá-la quando servida para degustação. Lula, porque seu nome está ligado intimamente aos labirintos do poder, às suas entranhas, aos seus subterrâneos; Dilma pela sua inabilidade administrativa, que nos faz patinar, que não nos permite crescer, diante da sua maneira de enxergar Economia obtusamente, sem qualquer ambição.

Vença quem vencer e continuaremos a penar e sofrer nas mãos dos banqueiros, das influências exteriores, dos acordos com países sem qualquer influência internacional, uma gestão falsa de esquerdismo e socialismo para inglês ver, tão somente.

Enfim, estamos muito mal na projeção à presidência desta nação para o ano que vem. Tudo leva a crer em mais quatro anos à espera das revoluções na Educação, Saúde, Segurança, Infraestrutura e Saneamento Básico.

E, mais: só quero ver como serão administrados os ROMBOS no erário com as obras da Copa ao seu término!!! Penso que nos aguardam anos de penúria, lamentavelmente.

CRISE ECONÔMICA FAVORECE
A CANDIDATURA DE LULA

Carlos Newton

Você tem toda razão, Bendl. Há 20 anos os mais importantes setores do país estão abandonados. Conforme você destacou, o país precisa de maciços investimentos em Educação, Saúde, Segurança, Infraestrutura e Saneamento Básico.

Não sou dono da verdade, apenas analiso os fatos, só me interesso por fatos. A situação pode mudar, Dilma pode se reconciliar com Lula e seguirem juntos até que a morte os separe, mas no momento não é isso que está acontecendo. Os dois estão brigados.

Em termos econômicos, Dilma está mais perdida do que cego em tiroteio – escuta os tiros, mas não sabe para onde as balas vão. Essa situação beneficia Lula, que pode se apresentar ao PT como o salvador da pátria, e será ovacionado, porque a economia na gestão dele teve desempenho muito melhor. Isso é um fato.

Lula não perdoa Dilma por estar usando Rosemary Noronha para desgastá-lo. Dilma coloca o Planalto (Comissão de Ética e Controladoria) para perseguir Rose, que trabalhava no ramo da microcorrupção. Ao mesmo tempo, Dilma dá força total a Erenice Guerra, que atua livremente na macrocorrupção, enriquecendo com tráfico de influência para grandes grupos nacionais e multinacionais. Ninguém entende essa diversidade de procedimentos de Dilma, especialmente Lula, atingido diretamente na caça a Rosemary. Está furioso e se diz traído por Dilma. Isso é outro fato.

É uma briga que parece não ter volta. Lula está preparando o contra-ataque. Seu primeiro passo foi se fortalecer dentro do PT, refazendo a amizade com antigos companheiros dos quais acabou se distanciando. Lula é um mestre nisso e já começou as articulações, com grande êxito.

Essa briga tem prazo para terminar (ou para se acirrar), porque Dilma tem de deixar o PT e se filiar a outro partido um ano antes da eleição. Ou seja, no início de outubro, e faltam menos de cinco meses.

Se não houver uma desistência real e definitiva de Lula e ele se apresentar como candidato, Dilma pretende se filiar ao PDT, seu partido de origem. Por isso, o ex-marido Carlos Araújo já entregou sua ficha de filiação ao PDT gaúcho, que vai ser abonada pessoalmente pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi. Muita coisa está por acontecer. Mas o quadro atual é esse.

  AMANHÃ, vamos continuar analisando
o Plano B de Dilma, que pode incluir o PSB.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

27 thoughts on “Diálogo com Francisco Bendl sobre a situação difícil de Dilma Rousseff, caso Lula se candidate pelo PT

  1. Desejo que este texto seja uma POSTAGEM para comentário dos demais leitores e divulgação de ideias.

    Tricotomia do sequestro e da aniquilação da moralidade no Brasil.

    Há três fatores de condensação (ou pontos de acumulação) que sustentam a corrupção, a prevaricação e a impunidade.

    O primeiro deles corresponde ao mau caráter, tanto de corruptos quanto de corruptores, visto que ambos se consideram titulares do poder (que apenas em tese emana do povo, vislumbrado da mesma forma, enquanto plebe acéfala, desde as civilizações da antiguidade).

    O segundo grande fator corresponde à proteção recíproca, ao pacto de mediocridade que caracteriza a apropriação e a corrosão interna das instituições, com peixes grandes, peixadas, “costas quentes”, aquecidas por quem comanda e deve favores, funcionários fantasmas, propinas, pagar a polícia e a segurança para trabalhar arbitrariamente, apropriando-se do Estado, patrimonialismo, neocoronelismo, nepotismos, tráficos de influência, violações à isonomia,ilicitações, pedras no caminho do princípio da eficiência, ironizado enquanto deficiência decorrente não de culpa consciente, mas de dolo eventual.

    O terceiro elemento está relacionado a todos nós e se chama omissão. Medo, desapontamento, passividade, comodismo, desesperança. Nem mesmo os canais para as denúncias anônimas funcionam adequadamente diante da infecção omissiva. Todos assistem à “farra do boi”, aos maus tratos e à violação às leis e à moralidade, alguns até pagam para estar na platéia, mas poucos têm coragem suficiente para correr atrás, até mesmo dos seus próprios direitos quando continuamente violados.

    Felizmente, há espaços de resistência como esta tenaz, valorosa e determinada Tribuna da Imprensa, com os seus combatentes heróicos (clássicos guerreiros de uma vida inteira) como os incansáveis corações de comentaristas e jornalistas, com focos de exemplar honradez em Carlos Newton e Hélio Fernandes.

  2. Quero ver como o PT justificará a escolha por Lula tendo a oportunidade de reeleger a candidata deles de 2010. Se escolherem por Lula, é sinal de que admitem serem culpados de terem escolhido a candidata errada em 2010.

  3. O Sr. Francisco Bendl foi um dos primeiros a prever e analisar o Plano B da Presidenta Dilma, caso lhe viesse faltar apoio no PT para a re-Eleição de 2014. Previa a sua ida provavelmente para o PDT, seu antigo Partido de orígem. Previa também que há outras alternativas. A presidenta Dilma, PT-Base Aliada, e seu discretíssimo Vice Sr. Temer, tem feito um bom Governo, com Desemprego baixo (+- 6% da Força de Trabalho), e Inflação +- sob contole em 6%aa. Tem mantido alta Aprovação. Enquanto a coisa se manter nesse patamar, tudo bem, não pode é piorar. Nossas Contas Correntes Internacionais, Balança Comercial, Balanço de Pagamentos, etc, estão apontando para o Sul, isto é , para baixo, e apesar das boas Reservas, +- US$ 400 Bi, requerem cuidado. Se a Presidenta Dilma tiver que voltar ao PDT, e lançar uma Plataforma Política de defesa e incremento total da Indústria Nacional (Privada e Estatal), um Programa gradativo de CIEPS para as Crianças mais Pobres, e aceleração e aperfeiçoamento do excelente Programa “Minha casa minha Vida”, (Cada Família que sai de um barraco é uma Família ganha para o Brasil”), apesar da potência Política do Presid. Lula, a Presidenta Dilma tem chance de ganhar. A complementação do brilhante Sr. Carlos Newton é perfeita. Aguardemos. Abrs.

  4. Agradeço sensibilizado ao incansável Carlos Newton, a honra que me foi concedida em ter um comentário escrito por mim transformado em diálogo com tão importante personagem que nos coloca à disposição diariamente um Blog incomparável!
    Faz um ano e meio que tenho frequentado este espaço democrático, que trouxe à minha vida no seu ocaso um novo sentido, uma forma mais ampla de participar de discussões e debates a respeito das questões que envolvem o nosso Brasil.
    Conheci pessoas extraordinárias, inteligentes, lúcidas, que desejam o mesmo que eu: o desenvolvimento do povo e deste País.
    Portanto, ao me ver fazendo parte da manchete do dia pela Tribuna da Imprensa, sinto-me extremamente feliz e agradecido pela deferência, pela consideração, ainda mais ao lado de dois homens que têm sido expoentes da livre expressão, da liberdade de opiniões, da seriedade e respeito aos seus leitores e admiradores: Carlos Newton e Hélio Fernandes.
    Reconheço de público, também, a influência que notáveis comentaristas exercem sobre mim, cuja lista seria enorme, pois é a maioria dos que registram seus textos.
    Tento, humildemente, segui-los pelas mesmas trilhas conhecidas como sinceridade, honestidade de propósitos, independência, isenção partidária, e pensamentos voltados exclusivamente à Pátria, à grandiosa Nação Brasileira e seu povo que ainda não teve de seus presidentes o valor devidamente reconhecido pela sua tenacidade, resistência e paciência com tanto tempo à espera de uma Educação adequada, Saúde eficiente, Segurança confiável.
    Pois esta Tribuna nos possibilita ser o baluarte das palavras que alertam, que informam, que dissecam o âmago das intenções de nossos parlamentares e governantes com relação à vida nacional, sempre escritas com destemor, coragem, patriotismo, perseverança, determinação e, principalmente, à base de sentimento!
    Alegre, desejo a todos um excelente domingo.

  5. Os dois Dilma e Lula poderiam é ir para os Quintos do Inferno. Chega de elementos criminosos tentando implantar no Pais um pseudo socialismo que na verdade veste e mastiga a roupa comunista.

  6. Tá difícil aturar a obsessão do jornalista com a idéia (!?), baseada em fatos (quais?) tirados não se sabe de onde, de que Dilma e Lula agora se odeiam. O exercício de deliriologia tá sendo levado com maestria. E a fidelidade partidária, Dilma ia abrir mão do mandato para sair do PT? Seria bom que não abusassem de nossa inteligência de vez em quando. Acho que merecemos informação com um mínimo de base real, e não calcada na exclusiva vontade do articulista de criar factoides.

  7. Bendl, isso é uma quimera. Dilma é candidata a do PT em 2014.O “script” foi deixado por Golbery do Couto e Silva; não esquecendo que Golbery e Geisel engendraram a abertura “Lenta, Gradual e Segura”; estamos na última fase. Dilma foi escolhida para encerrar a abertura, concluindo a Comissão da Verdade. Em 2018 o PMDB terá candidato a presidente da república. Ninguém é obrigado a acreditar na “minha verdade”.

  8. A prática do “toma lá dá cá” e o “tráfico de influência” não são características do nosso País, mas vem de longe, como era na Nova Roma (Constantinopla).
    Constantino, filho ilegítimo da concubina de Constantius, Helena, era um homem sem convicções. Conheço e logo identifico esta característica pelo fato de eu próprio ser também um homem sem convicções, já que considero toda convicção uma prisão.
    Constantino era político do “toma lá dá cá”. Dizem que ele foi o primeiro imperador Cristão, mas sua conversão ao Cristianismo foi gradual e complicada. Ele continuou a oficialmente apoiar deuses tradicionais, a sustentar escritórios de estados pagãos, e a se representar nas moedas romanas tanto com símbolos pagãos, quanto com símbolos religiosos.
    Muito antes de Dona Dilma e de Lula, bem antes de o Brasil ser descoberto, Constantino já fazia a mesma coisa que o Aecinho e todos os politiquinhos fazem agora. Constantino tinha um discurso para agradar o grupo A, e outro muito diferente para agradar o grupo B. Ele só se batizou pouco antes de morrer em 337. Mas não por convicção, apenas para se precaver, caso de fato existisse “mundo espiritual”. Foi ironicamente endeusado pelo senado Romano, do mesmo modo (ou pior) com que Lula é definitivamente endeusado pelo senado dos trabalhadores brasileiros. Nem Lula, nem Dona Dilma vão brigar, como a burguesia e a pequena burguesia gostariam que acontecesse.
    Para o povo simples, mas já não tanto ignorante como a burguesia gostaria que fosse, “Deus é Fiel”. Jamais os trabalhadores serão explorados pelos fascistas.
    De acordo com Lactantius em sua obra “Sobre a Morte dos Perseguidores”, Cristo apareceu em visão para Constantino antes da batalha da Ponte Mulvian, ordenando-lhe a colocar o signo Chi-Rho nos escudos de seus soldados. Isso em nada recomenda a cultura e inteligência de Constantino, já que as divindades costuma aparecer para gente ignorante e analfabeta, como Maomé.
    O Chi-Rho é um símbolo originado da combinação de Chi (Grego “ch” [X] na forma de uma cruz) e a cabeça de um Rho (Grego “Y” [p] as primeiras duas letras em “Cristo”.
    Constantino ordenou que Daza parasse de perseguir os Cristãos. Afinal, como dizem, sem grande atenção, que “ninguém morreu e voltou para dizer se há, ou não mundo espiritual”, as pessoas cheias de culpa e medo resolvem acreditar que existe o tal mundo, que vai premiar, ou castigar. Só que, de acordo com a lenda Cristã, duas pessoas comuns morreram e ressucitaram, Lázaus e a filha de Jairo. Mas nenhuma das duas pessoas deu qualquer dica sobre a existência de mundo espiritual. Tudo indica que uma vez mortos, seremos a mesma coisa que éramos antes de nascer, ou seja, nada.
    Contradição, como diziam Marx e Engels, sempre existirá no seio do povo. Sem novidades. E não pertence ao nosso País.

  9. Bortolotto, meu caro,
    Na condição de um dos meus mestres neste Blog incomparável, agradeço pelos teus textos sempre irrepreensíveis, oportunos e esclarecedores.
    Concordo contigo que, a presidente Dilma, caso venha a enfrentar o ex-presidente Lula em 2014, tem, sim, chances de vencer, dependendo da plataforma que venha a defender e mostrar o que pretende implementar para o País.
    Confesso, no entanto, que não seriam, ambos, os candidatos de minha preferência, incluindo o Aécio Neves, um “bon vivant”, que demonstrou recentemente se deixar conduzir pelos inebriantes prazeres e sensações que a noite possibilita, e ignorando que não se deve dirigir veículos embriagado, afora a sua discutível capacidade administrativa.
    Assim, estamos entre a cruz e a espada, dificultando sobremaneira que tenhamos gente se candidatando à presidência do Brasil à altura da sua importância e necessidades.
    Em todo o caso, meu prezado colega, na eventualidade de a nominata não se alterar dos postulantes a tão relevante função, abro o meu voto à Dilma, que tem demonstrado uma certa independência com relação ao PT e desejo de se libertar de Lula em definitivo, haja vista as suas implicações em escândalos memoráveis protagonizados pela política adotada pelo ex-presidente.
    Não nos resta outra alternativa que não seja aguardarmos o desenrolar dos acontecimentos, que deverão entrar em ebulição rapidamente porque o tempo se esvai para uma descompatibilização da presidente e ingresso em outro partido ou a manutenção dela como representante do PT, excluindo Lula desta disputa, situação que particularmente não acredito que o ex-presidente se submeta porque imagino que tenha ele o pressentimento de uma notável oportunidade para se explicar ao País a respeito das acusações que lhe são imputadas e de se regenerar perante a opinião pública, que aumenta a sua desconfiança com referência ao seu comportamento tanto pessoal quanto na condição de presidente desta República Federativa anteriormente.
    Um abraço, Bortolotto.

  10. Excelente análise da sucessão presidencial, que já ganha às ruas e os palanques, da lavra do comentarista Francisco Bendl e do renomado editor Carlos Newton, que diariamente vem cutucando a ferida dos bastidores do poder.

    Na política brasileira, a regra geral sempre é a criatura se voltar contra o criador. Leonel Brizola provou do veneno ao alimentar várias cobras políticas, que o traíram inapelavelmente. Saturnino, Marcelo Alencar, Garotinho, César Maia, só para ficar nesses nomes coroados, abandonaram o PDT e deixaram o líder a ver navios. Brizola dizia que costeavam o alambrado a procura de um buraco na cerca a procura de nova legenda na esperança de alçarem voos próprios. Com LULA seria diferente?

    No entanto, o líder metalúrgico não tinha outra saída, qualquer nome que o ex-presidente escolhesse, o trairia no momento oportuno, pois é da natureza humana seguir seus caminhos individuais. Os acordos políticos são quebrados sem o menor pudor. Vejam o caso do ex-presidente Itamar Franco, que escolheu FHC para sucedê-lo e por este foi abandonado literalmente durante todo o longo período de oito anos de governo. LULA também não poderá reclamar da vida, pois abandonou seus companheiros de fundação do PT, aqueles com viés ideológico mais a esquerda da legenda e até expulsou quadros petistas importantes para o país.

    A primeira vista, a lógica indica que o Plano B da presidenta seria o PDT, contudo peço vênia para aos prezados Bendl e Carlos Newton, no sentido de crer que o PMDB de Michel Temer será a bola da vez, caso se confirme a candidatura de LULA. Por que o PMDB? Porque é ainda o Partido mais estruturado do país, o que tem mais tempo de TV e a máquina azeitada em todos os Estados da Federação. A força do PMDB e a caneta presidencial da presidência tornaria a candidatura de DILMA imbatível no primeiro turno. É tudo que os caciques do PMDB querem para abraçar o país de ponta a ponta e se tornarem uma cópia do PRI mexicano como o Partido Único de consequências desastrosas para a DEMOCRACIA. Um partido que fica mais de 8 (oito) anos no poder se transforma num gigantesco dragão de 12 cabeças controlando o Judiciário e o Legislativo e pondo fim na harmonia e na independência dos Três Poderes.

  11. Brincando com fogo

    Custa-me acreditar na inconveniente suposição de Lula sair candidato concorrendo com Dilma Roussef, agora em 2014. Lula, homem muito inteligente, nacionalista e humano, jamais faria isso. Sabe como ninguém, que semelhate candidatura desmontaria o Brasil.
    Viabilizaria o retorno do grupo FHC/PSDB, com Aécio ou Serra, não importa. Viabilizaria o imediato retorno das devastadoreas privatizações, em grande escala de estratégicas e bilionarias empresas estatais, vistas no passado, com milhares de desempregados e falências por todo o Brasil. Sideral, criminoso retrocesso.

    Viríamos novamente, nossas indústrias falindo, fechando as portas, sendo sucateadas, como nos trágicos tempos FHC/PSDB. Voltaríamos a ver milhares de comerciantes de portas arriandas, falidos. Milhares de placas por todo os lados, “Vende”, “Aluga”. Outra vez, voltaríamos a escutar que a engenharia morreu. Outra vez, os jovens desesperados sem empregos e possibilidades alguma, dessa vez, nem mesmo poderiam sair do Brasil em massa, em busca de oportunidades lá fora, dado a devastadora crise mundial. Outra vez, a terrível inadimplência estaria de volta, tomando conta de todo o Brasil. Milhares de pais de famílas seriam postos na rua, sem condições alguma de sustento. Não podemos esquecer dessa tragédia.

    Com o retorno do grupo FHC/PSDB, por certo que as privatizações teriam início pela bilionária Petrobras, logo a seguir, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Furnas, Eletronorte, Chesf, Cemig, Eletrosul, e muitas outras, jogando milhares de empregados no olho da rua, em todo o Brasil. Só que dessa vez, numa dimensão de tragédia jamais imaginada, por conta da grande crise do sistema capitalista devastando o primeiro mundo desde 2008.

    Caso semelhante desgraça abata sobre nosso Brasil, por certo que iremos precisar de mais 40 ou 50 anos de muito trabalho, sacrifícios, lágrimas, terríveis sofrimentos e supremas humilhações, para poder retornar ao ponto que a economia brasileira já atingiu, graças aos governos Lula/PT e Dilma/PT. Não brinquem com fogo. Precisamos vestir o macacão Verde Amarelo. Acorda, Brasil.

  12. “Não sou dono da verdade, apenas analiso os fatos, só me interesso por fatos.”
    Sr, Carlos Newton, sem ter muita certeza, mas tendo um pouco dela, afirmo que só quem discorda por completo do conteúdo dos seus posts são os pro Cuba, Coreia do Norte, Hugo Chavez, ex- União Soviética, os que esqueceram que o Muro de Berlin já não mais existe etc.
    Uns discordam educadamente e outros com um pouco mais de agressividade. Mas assim funcionam as coisas dentro de uma ainda democracia.

  13. Prezado Welinton Naveira e Silva,
    Teus comentários e artigos abrilhantam este Blog incomparável.
    No entanto, ouso discordar respeitosamente quanto ao alerta que deixas sobre “brincar com fogo”.
    Acredito que elaborarmos raciocínios a respeito dos rumos da instável política brasileira é salutar, importante, haja vista que o Brasil tem sido conduzido deploravelmente neste particular.
    Tu enveredas pela Economia mas, eu e Newton, imaginamos a possibilidade de um rompimento entre os dois maiores expoentes petistas na atualidade, Dilma e Lula, diante da poderosa vontade do ex-presidente com relação ao Poder – antes seria Zé Dirceu, o natural substituto de Lula, que as forças divinas intercederam para que não sofrêssemos deste mal terrível que se abateria sobre o Brasil.
    Ontem, inclusive, em outro tema, abordei que seria muito bom para o Brasil se ambos se separassem, pois haveria uma depuração no PT e reviravolta nos partidos políticos.
    Assim, longe de se querer o retorno do desemprego, das privatizações não esclarecidas, do período FHC/PSDB, que tu te referiste, queremos o retorno da moral e da ética na política, que não podem estar vinculadas às melhorias na Economia, ou seja, a corrupção, os desmandos, os escândalos, seriam o ônus a pagar para que as nossas finanças públicas não afundassem.
    O que não queremos é a volta da política nefasta, exclusivamente partidária, do “salvador da pátria”, que, em contra partida, simplesmente condenou o povo brasileiro à miséria intelectual, considerando que somente o Bolsa-Família seria suficiente para o desenvolvimento da população, ignorando o Ensino Fundamental e Médio como catapultas para o progresso e inclusão desta gente no mercado de trabalho cada vez mais competitivo.
    Penso que tem sido o PT e seus dirigentes que brincam com fogo, Naveira, a começar pela insegurança que devasta o Brasil de norte a Sul, o tráfico de drogas cada vez mais sólido, as cracolãndias espalhadas pelas grandes cidades, o tráfico de influências que rege o parlamento brasileiro, as propinas a céu aberto, os embates entre o Judiciário e Legislativo, enfim, essas alianças entre os partidos com vistas à eternização no poder.
    Simplesmente é sobre este assunto que discutimos, Naveira, e não o retorno da era FHC como igualmente não queremos uma ditadura petista, sem qualquer chance de alteração na presidência da República.

  14. Não esqueçam que a eleição presidencial de 2014 tem um fator extra-político chamado copa-do-mundo. Ganhando, Dilma será imbatível. Perdendo, talvez nem o Lulla tenha cacife para tamanha desgraça.

  15. Caro Roberto Nascimento,
    A tua idéia sobre ser o PMDB o partido que a presidente Dilma escolheria na eventualidade de disputar com Lula a presidência em 2014, considero como viável, sim.
    Há esta chance por conta do que afirmaste sobre o PMDB e sua organização no território nacional, possibilitando que não haja município neste País que a candidatura de Dilma não chegasse para sua divulgação.
    No entanto, o PMDB se tornou um amontoado de políticos, perdeu a sua identidade como oposição, esqueceu as suas origens, perdeu-se nos labirintos do poder que adora, que o faz se ligar a qualquer partido à manutenção da sua participação no governos federal, estaduais e municipais.
    O PMDB rasgou o seu Estatuto há muito tempo para se tornar uma frente em si mesma, permanentemente à disposição das circunstãncias que o colocam à testa dos acontecimentos políticos brasileiros.
    Quem é o líder do PMDB?
    Não existe.
    Quem é o político desta agremiação que representa os ideiais de outrora?
    Não tem.
    Simon vive do passado, e perdeu a energia diante da sua idade avançada e tempo na política, que somente tem se deteriorado pela corrupção institucionalizada, certamente desencantando o velho senador, que se vê obrigado a dividir o partido com figuras altamente discutíveis com relação às suas condutas pessoais e políticas.
    Será que a presidente Dilma sairia do PT para o PMDB e ser mais uma apenas no quadro partidário ou, lá pelas tantas, o PDT, seria o partido que lhe proporcionaria a liderança hoje inexistente e a retomada de crescimento dos CIEPS?
    O jogo é muito interessante, e nos possibilita imaginarmos os lances mais extraordináruios possíveis.
    Um abraço, meu caro Roberto.

  16. E se Dilma for para o PDT, vai abrir mão do restante do mandato presidencial? Pois a lei diz que existe a fidelidade partidária, o mandato é do partido…qual história invent, ops, contar, para solucionar esse impasse? Alguém poderia ajudar?

  17. TSE

    Resolução nº 22.610, de 25 de outubro de 2007 – Brasília – DF

    O Tribunal Superior Eleitoral, no uso das atribuições que lhe confere o art. 23, XVIII, do Código Eleitoral, e na observância do que decidiu o Supremo Tribunal Federal nos Mandados de Segurança nº 26.602, 26.603 e 26.604, resolve disciplinar o processo de perda de cargo eletivo, bem como de justificação de desfiliação partidária, nos termos seguintes:

    Art. 1º O partido político interessado pode pedir, perante a Justiça Eleitoral, a decretação da perda de cargo eletivo em decorrência de desfiliação partidária sem justa causa.

  18. Um abraço para você também Bendl.

    Concordo com sua antítese acerca do PMDB, mas desde a candidatura de Ulisses Guimarães & Waldir Pires, sabotada/cristianizada pelos caciques do PMDB paulista, que o PMDB nunca mais disputou uma eleição presidencial, se contentando apenas em participar como segundo das bases aliadas de diferentes governos (Collor, FHC, LULA e Dilma). Ocorre que, essa prática está em vias de explodir, tanto que o Partido diminui a cada eleição e logo tornar-se-á um nanico a moda do DEM/FRENTE LIBERAL. Por esta razão, urge disputar para ganhar o poder efetivamente e Dilma seria a liderança que faltava. Tudo dependerá do caminho que o PT seguirá.

    Quanto a mudança de Partido, quem está no Poder consegue um bom motivo para mudar de legenda sem perder o mandato. Há sempre um jurista a disposição dos governos para emitir pareceres inquestionáveis.

    No tocante ao PMDB ter a genética da Frente, ou seja, um saco de gatos de várias cores partidárias e de pensamento ideológico, penso que trata-se de uma característica de nosso país. Veja o PT como exemplo, que abriga várias tendências na sigla: Temos os trabalhistas históricos, os Socialistas, os Lulistas, o grupo do Zé, os que acompanham Tarso, enfim, também é uma Frente. Os tucanos de voo curto e plumagem delirante estão divididos em grupos ideológicos a esquerda, no centro e à direita. Há os punhos de renda liderados por FHC, os chamados intelectuais da Sorbone, o grupo mineiro conservador capitaneado por Aécio Neves, o grupo Serrista e a ala nordestina, composta pelos caciques do Ceará e de Pernambuco.

    Vamos continuar no debate que está interessantíssimo e também porque só existe isso aqui na Tribuna da Imprensa.

  19. Roberto, meu prezado,
    Concordo com a miscelânea de tendências que o PT alberga, porém o partido está à frente das vaidades pessoais com exceção de Lula, logicamente.
    No PMDB se dá o contrário: os holofotes atraem sobremaneira os peemedebistas, que pouco ou nada exercem suas funções e mandatos sob as ordens do partido ou de alguém que os submeta à liderança da presidência ou diretoria.
    O PMDB tem um bando de independentes, que visa o poder, pertencendo à sigla por interesse e justamente pela liberdade que ela proporciona de atuação de seus membros, que seguem suas conveniências e interesses pessoais absolutamente.
    Observa o caso da Marta Suplicy, que esperava ser a candidata à prefeitura de São Paulo. O escolhido foi o Haddad, que Lula havia decidido, portanto, uma vez sendo determinado pelo chefe maior, o pessoal acata, por mais que as decisões os decepcionem.
    Mas não descarto esta tua idéia, não.
    A nossa política tem uma peculiaridade única: a de não ter característica alguma! Quando menos se espera, uma reviravolta ou a solução de continuidade ou, o pior, muda-se para deixar tudo como antes!
    Outro abraço, Roberto, o último deste domingo, antes que eu possa prejudicar o teu estado físico pela sucessão de amplexos!

  20. Caso Rose: Secretaria-Geral atuou para abafar
    Josias de Souza 04/05/2013 21:35

    Comunicar

    Rosemary Noronha, a Rose, tornou-se personagem de um novo mistério. Alvejada por uma sindicância da Casa Civil, a ex-supersecretária de Lula teve o inusitado auxílio da Secretaria-Geral da Presidência. A equipe da ministra Gleisi Hoffmann detectou “indícios de enriquecimento ilícito” de Rose. O time do ministro Gilberto Carvalho questionou a legalidade da apuração.

    No final do mês passado, ficou-se sabendo que a Casa Civil recomendara a “instauração de sindicância patrimonial em desfavor da ex-servidora.” Abriu-se contra Rose um processo administrativo na Controladoria-Geral da União. Agora, o repórter Robson Bonin informa que a Secretaria-Geral da Presidência tentou abafar o caso por meio de uma investigação paralela.

    Documentos apalpados pelo repórter revelam que a pasta chefiada por Gilbertinho, como é conhecido o ex-chefe de gabinete de Lula, abriu sua própria investigação a pretexto de “acompanhar e orientar” a sindicância da Casa Civil de Gleisi. Quer dizer: fez-se uma investigação da investigação.

    De saída, o time de Gilbertinho questionou por escrito a decisão de Dilma Rousseff de atribuir à Casa Civil a tarefa de esquadrinhar a rotina da ex-chefe do gabinete da Presidência em São Paulo. Alegou-se que Rose não estava subordinada à pasta de Gleisi. Portanto, a turma da ministra não teria competência para investigá-la. Caberia à Secretaria-Geral realizar a apuração. Dilma deu de ombros.

    Encerrado em janeiro, o trabalho da Casa Civil colecionou irregularidades que ocuparam 120 folhas. Enquanto tentavam notificar Rose para depor, os técnicos foram surpreendidos com um documento da Secretaria-Geral. Trazia as conclusões da contra-investigação. A peça bem poderia ter sido encomendada pela defesa da investigada.

    No texto, a equipe de Gilbertinho repisou a tecla segundo a qual a Casa Civil não teria competência para perscrutar Rose. Apontaram-se problemas na redação da portaria que inaugurou o processo. De quebra, recordou-se que Rose tinha direito ao contraditório. Por ordem de Dilma, o caso seguiu para a Controladoria-Geral da União.

    Aparentemente, foram infrutíferos, os esforços da Secretaria-Geral. Na prática, o trabalho ainda pode ser muito útil a Rose. Assinado por Torbi Abich Rech, chefe da Coreg (Coordenação-Geral de Correição), órgão subordinado a Gilbertinho, o documento pró-Rose anota no item de número 30:

    “Caso a ‘Comissão de Sindicância Investigativa’ instaurada pela Casa Civil entenda pela abertura de processo administrativo disciplinar em desfavor de servidores ou ex-servidores do Gabinete Pessoal da Presidência da República, que tal procedimento seja instaurado diretamente por aquele Gabinete Pessoal da Presidência da República, sob pena de nulidade absoluta do feito”. Os advogados de Rose devem estar esfregando as mãos.

    COMENTÁRIOS 110
    http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/05/04/caso-rose-a-secretaria-geral-fez-tentou-abafar/

  21. Parabéns Bendl,pelo ótimo assunto,nos proporcionou conhecer várias opiniões.
    abraço… ta batendo um bolão tche…

  22. OLA FRANCISCO BENDL,CONTINUO SUA FA.QUANTO AOS COMENTARIOS DO SENHOR PAULO SOLON …NADA DE NOVO ELE CONTINUA REPETINDO FATOS QUE ACONTECERAM HA MUITOOOOS ANOS…GENTE NOS POUPE DE TANTA VELHARIA…!!QUANTO AO SENHOR FRANCISCO BENDL SEMPRE TAO ATUAL….PARABENS COM ISTO ACABA ATRAINDO CADA VEZ MAIS O PUBLICO JOVEM…MUITO OBRIGADA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *