Dilma, Bolsa e o aparelho excretor

José Roberto de Toledo
Estadão
A Bovespa derreteu nesta segunda-feira por dois motivos: 1) a expectativa da “bala de prata” contra Dilma Rousseff (PT) que fez o mercado subir na sexta mostrou-se um traque; 2) a desvalorização da esperança de agentes do mercado na candidatura de Marina Silva (PSB), após o Datafolha de sexta-feira mostrá-la quatro pontos atrás da petista na simulação de segundo turno.
Isso não quer dizer que a Bolsa não possa voltar a subir se as pesquisas desta terça-feira, do Ibope e do Datafolha, mostrarem uma diferença menor a separar Dilma de Marina no segundo turno. O mercado é antes de tudo bipolar. Alterna humores com a velocidade e regularidade de um pisca-pisca.

A “bala de prata” seria uma denúncia bombástica, uma gravação incriminadora, uma prova irrefutável que ligasse a corrupção na Petrobras à presidente. O que saiu era tão frágil que virou uma antinotícia – a percepção de que a tal “bala de prata” é tão real quanto o lobisomem. Logo, metade da queda da segunda-feira foi para compensar a alta infundada da sexta-feira.

A outra metade da baixa desta segunda foi provocada por um choque de realidade com as contradições e fragilidades da candidatura de Marina. Percebeu-se que ela não ganhará esta eleição na base da inércia. Não existe um eleitorado que votará nela não importa o que faça ou deixe de fazer. Ao contrário, o eleitor precisa ser conquistado, e, para isso, é preciso fazer uma campanha consistente e convincente. Não tem sido o caso.

INCERTEZA

A incerteza já era grande desde o começo da semana passada, o que fez diminuir o volume de negócios voluntários – descontadas as negociações de ajustes obrigatórios e trocas de chumbo entre fundos diferentes de mesmos gestores. Com baixa liquidez, aumenta a volatilidade. Quaisquer vendas de maior volume têm influência grande sobre o mercado e viram quedas expressivas.

A ciclotimia do mercado não encontra refresco nem na hipótese de Aécio Neves (PSDB) vir a capturar eleitores que estão abandonando a canoa de Marina e, eventualmente, vir a tomar dela o segundo lugar e ir para o turno final contra Dilma. Nesse cenário, investidores e petistas concordam: seria uma reedição da eleição de 2010, e provavelmente com o mesmo desfecho.

Como em toda reação ciclotímica, há que se descontar os exageros. Esta eleição já mostrou mais de uma vez que muito pode mudar até que os votos sejam confirmados na urna eletrônica. O próprio pessimismo do mercado – que aposta deliberadamente contra Dilma – pode acabar ajudando-o a se tornar mais otimista.

PESSIMISMO

Se o pessimismo continuar a desvalorizar o real frente ao dólar e isso vier a aumentar a inflação antes do segundo turno, a previsão negativa pode se autorrealizar, afetar o bolso dos eleitores e acabar atrapalhando as chances de Dilma. Ou não.

A presidente recobrou o favoritismo, não cometeu nenhum erro fundamental nas últimas semanas e ainda conta com a sorte. O “aparelho excretor” de Levy Fidélix (PRTB) foi tudo o que sobrou nas redes sociais do debate dos presidenciáveis no domingo à noite. Sua repercussão foi tão avassaladora que ninguém se lembra de eventuais gafes da petista. Quando não perde, o favorito ganha. Sem querer, a homofobia nanica ajudou Dilma.

11 thoughts on “Dilma, Bolsa e o aparelho excretor

  1. A mídia nos informa sobre possível greve de bancários para os próximos dias.
    Graças ao avanço tecnológico, e commerce, robotização, etc e tal… Nunca mais na economia mundial serão gerados tantos empregos para seres humanos como nos seculos XIX e XX, e neste seculo XXI cada vez mais seremos substituidos por robôs no mercado de trabalho… No setor bancário então, postos de trabalho serão dizimados. quem viver verá

  2. A candidatura Marina é uma farsa ( ou uma tragédia, visto ser a repetição d filme antigo em cartaz nos anos 60, sim, me refiro ao jânio). Marina, que troca de partido como quem muda de roupa, mudando de legenda conforme a conveniencia, na melhor das hipóteses é uma inocente útil, servindo de fachada aos interesses dos terceiros q a apoiam (opostos aos interesses do povão brasuca). Na pior das hipóteses, ela é a mentora intelectual de tudo q envolve sua bizarra candidatura.

  3. Há um desprezo quanto à performance do Aécio na reta final. Ninguém admite que ele possa chegar ao segundo turno. Caso isso aconteça, a mídia e institutos de pesquisa buscarão uma saudável justificativa. Pois bem, o eleitor do Aécio é silencioso. Não revela voto. No entanto, o eleitor de Minas está empurrando o Aécio para o segundo turno. Vocês não perceberam. Há um sentimento geral aqui em MG que isto possa acontecer.

  4. A m idia hoje diz q Marina defende as ditas “energias limpas”, diminuindo assim royalties de petroleo do RJ. Toda a população do Brasil sabe q sem receita de royalties, o Estado do RJ quebra, comprometendo a precaria estrutura d serviços d saude, educação e segurança publica e assim tb, o turismo fonte crucial de $ carioca. como o RJ é colegio eleitoral d 8,5% dos brasileiros, me parece q para Marina vencer 2º turno, precisará possuir diferença superior a 8,5% pois abriu mão do eleitor carioca.

  5. O Brazil é isto:

    Dezoito pessoas com mais de 60 anos apresentaram problemas no olho após um mutirão para catarata no Hospital Municipal de Barueri, na Grande São Paulo, ocorrido no dia 6 de agosto. A informação foi confirmada pela própria prefeitura da cidade, que analisa se eles poderão ficar cegos. E olha que foram operados só vinte pacientes!

    -Querem fazer com a saúde das pessoas como quem faz mutirão para laje no final de semana, com os amigos e parentes. Só faltaram churrasco e cerveja!

  6. Dilma representa tudo de ruim que assolar o país, mas pelo jeito, quanto mais podridão surgi do seu governo, mais ela cresce, pesquisas são feitas pra isso. OXALÁ, nós proteja de mais quatro anos com esses assaltantes dos cofres públicos .Oremos !

  7. Sei não…
    Parece que por baixo dos panos, a mídia está dando muito valor as questionáveis pesquisas de intenção de voto, com os institutos se esforçando para agradar a gregos e troianos, desde que bem pagos…
    Daí, a “gangorra” entre Dilma e Marina… com Aécio sempre na terceira posição…
    Estranho, mas faz parte do jogo jogado…é a “máquina” contra todos… e haja grana …
    Mas, porém contudo, todavia, a minha modesta opinião, coincide com a do leitor Marcelo, de que o candidato Aécio Neves é o poderoso, subestimado, que poderá surpreender…

    • Senhor Rodrigo, saudações.
      Fui, vi e estou convencido de que a ideia até poderá funcionar na vida real como uma espécie de fiscalização para os resultados da urna. Até acredito que outros que foram até o site e viram o vídeo, tentem fotografar o boletim da urna pouco antes do horário de fechar a seção.
      Entretanto, fiquei decepcionado com o pouco caso dos partidos, que não mandaram fiscais ao STE quando das verificações de urnas, escolhidas aleatoriamente para o teste.
      Meu comentário: é sinistra a urna e mais sinistros ainda são os que as impingem ao cidadão como sendo inexpugnável.
      Lorota… Ainda que pegos na mentira, vão tentar desmoralizar os possíveis denunciantes…
      Abs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *