Dilma continua prestigiando ministros acusados de corrupção

Wagner alega que não fez nada de errado

Naira Trindade
Correio Braziliense

Ao assumir o comando do país, em 2011, a presidente Dilma Rousseff se transformou na gerentona do Brasil. Logo, aquela imagem de mulher forte, que viria a fazer boas mudanças, ganhou forma. Dilma seria a responsável por limpar o governo. E o fez. Em dois anos e quatro meses, bateu recorde trocando 21 ministros: oito no primeiro ano, oito, no segundo e cinco, nos primeiros meses do terceiro ano. Um terço dos integrantes do primeiro escalão da Esplanada caiu após denúncias de envolvimento em corrupção. Porém, algo mudou. Apesar das últimas denúncias envolvendo esses auxiliares, Dilma os mantém próximos e com cargos importantes no Executivo.

Diferentemente daquela mulher intolerante com ações duvidosas, a presidente passou a aceitar e a contar com o apoio próximo de aliados hoje sob suspeitas de terem praticado irregularidades.

Nas últimas semanas, dois dos três ministros mais próximos da presidente no Palácio do Planalto viraram alvos de denúncias: o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, e o ministro da Secretaria de Comunicação, Edinho Silva, que foi coordenador financeiro da campanha de reeleição da presidente.

WAGNER E EDINHO

Braço direito de Dilma, Jaques Wagner é acusado de negociar apoio financeiro com o ex-presidente da empreiteira OAS Léo Pinheiro — condenado no esquema de corrupção da Petrobras— quando era governador da Bahia, para garantir recursos para a campanha do PT à prefeitura de Salvador.

Noutra frente, apareceram denúncias de que Edinho Silva também mantinha relação política íntima com Pinheiro. Eles teriam trocado mensagens entre 2012 e 2014 para combinar doações para a campanha da presidente à reeleição.

Em defesa, Edinho repete que as relações com empreiteiros se deram “de forma transparente e dentro da legalidade” e ainda que foram “doações legais”.

Jaques também rebate alegando ter “absoluta serenidade quanto às ações” e diz que permanece à inteira disposição do MPF (Ministério Público Federal) e da Justiça para quaisquer esclarecimentos, segundo sua defesa nas redes sociais.

13 thoughts on “Dilma continua prestigiando ministros acusados de corrupção

  1. Uma pequena mostra de uma estrutura de caráter totalitária. Vejam o que o Malddad proibiu os taxistas de conversar com os passageiroas….

    O Item VI do curso está assim redigido:
    “Evitar polêmicas ou situações que provoquem estresse no passageiro em virtude de:
    a: paixões esportivas;
    b: convicções partidárias;
    c: fé e cultos religiosos;
    d: opções de comportamento pessoal;
    e: não tratar de problemas particulares nem da categoria.

    Entenderam? Haddad quer suspender para o motorista de táxi os direitos assegurados pelo Inciso IV do Artigo 5º da Constituição — “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato” — e o Parágrafo 2º do Artigo 220: “É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística”.

  2. Nunca vi na história deste país tantos ministros da dilmanta envolvidos em corrupção. O site O Antagonista, lista um total de 24 gatunos que estão envolvidos em tenebrosas transações:

    Ao citar o nome de Ideli Salvati, Nestor Cerveró ampliou a lista de ministros de Dilma Rousseff enrolados com a polícia.

    Já são 24. Mas deve estar faltando algum:

    1 – Antonio Palocci

    2 – Edinho Silva

    3 – Edison Lobão

    4 – Erenice Guerra

    5 – Fernando Pimentel

    6 – Silas Rondeau

    7 – Aloizio Mercadante

    8 – Gleisi Hoffmann

    9 – Paulo Bernardo

    10 – Mario Negromonte

    11 – Fernando Bezerra

    12 – Carlos Gabas

    13 – Gilberto Carvalho

    14 – Arthur Chioro

    15 – Guido Mantega

    16 – Celso Pansera

    17 – Henrique Alves

    18 – Izabella Teixeira

    19 – Mozart Sales

    20 – Mauro Borges

    21 – Afonso Florence

    22 – Alexandre Padilha

    23 – Paulo Sérgio Passos

    24 – Ideli Salvati

    Como podemos ver os petralhas são prestigiadíssimos.

  3. A herança maldita de FHC é esmola perto da do PT e seus goverlixos.
    Dillma só pode escolher gente da mesma “cepa”. Ora, quem poderia imaginar gente honesta trabalhando em governos corruptos? Inocentes!
    Quando o chefe é pilantra, escolherá sempre pessoas afinadas com as mesmas práticas. Os ministros de Dilla e Lulla, foram, são e serão, na maioria, “procurados da justiça”.
    E os chefes estão a caminho.

  4. Essa censura aos taxistas na maior cidade deste país é parte da trama para evita a troca de informações de boca à boca, típica das relações sociais cotidianas. A Orcrim do Planalto insiste em não querer admitir a verdade inquestionável que é a falência absoluta do governo federal. A farsanta não pode sequer aparecer na TV sem que panelas ecoem pelo Brasil como forma de protesto. Até quando a Globo vai jogar contra o Brasil? Entendo que precisam ser amplificadas nacionalmente as mídias independentes que ofereçam o contraditório aos ditames da fábrica de opiniões. Este blog tem potencial para decolar no youtube e afins. Que tal a TribunaTV, Newton? A internet atualmente possibilita isso com baixíssimo custo! Pense sobre e estou às ordens para contribuir.

  5. Dentro da ótica desse senhor, diante do que se passa nessa “Pátria educadora” ele não fez nada. São pessoas de moral torpe, desprovidos de ética,quase um sociopata. Lesar o contribuinte, desviar verbas da educação, saúde e segurança, sancionar uma pensão vitalicia, para ele como ex-governador, além do que amealhou nos seus dois mandatos é perfeitamente normal. Tanto que os colegas dele, violentares, pedófilos, ladrões, assaltantes, e toda sorte de marginais, também, como o senhor Jaques Wagner, acham que não fizeram nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *