Dilma delira e acha que não cometeu erro algum. E la nave va…

Dilma vive num mundo à parte, como um parque de diversões

Carlos Newton

Ao que parece, a presidente Dilma Rousseff inspira cuidados e necessita de cuidados médicos urgentes, que incluem terapia e psicanálise. O país está derretendo, mas ela não percebe. Pelo contrário, acha que tem feito tudo certo, sua política econômica está correta e só é necessário fazer pequenos acertos que tudo se normalizará. Isto é o que dona Dilma pensa, podem acreditar.

Até pouco tempo, o Brasil era a sexta maior economia, suplantando a Inglaterra, mas agora está descendo a ladeira numa velocidade impressionante, por causa da queda do valor do real, em regime de estagflação (recessão com inflação alta, simultaneamente).

Se conseguirmos terminar o ano como 10ª economia do mundo, devemos agradecer aos céus, porque a perspectiva é que possamos cair até para a 14ª posição. Mas Dilma não percebe nada, parece viver num outro mundo, a Terra do Nunca Jamais, como Alice no país das maravilhas.

RECEITA PATÉTICA

Sua receita para reequilibrar a economia é patética. Começa punindo os servidores federais, que não têm culpa se ela e Lula contrataram 240 mil novos funcionários públicos federais. Quer deixá-los sem aumento em janeiro, o que é inconstitucional.

Ao mesmo tempo vai elevar as alíquotas de vários impostos, realimentando a inflação, mas o prato principal é recriar a CPMF. Como os governadores também estão à míngua, oferece um percentual a eles, para que pressionem as bancadas estaduais a aprovar o tributo, vejam que maneira perversa de administrar o país.

CORTAR OS CUSTOS

O que se esperava dela é que cortasse custos, diminuísse o número de ministérios, reduzisse os cargos comissionados, extinguisse os cartões corporativos, suspendesse os repasses às ONGs, fizesse um enxugamento da máquina administrativa. Mas isso ela não aceita, porque teme desaparelhar o governo e enfraquecer o PT.

A grande meta de Dilma e do PT é manter o status quo, embora esteja claro que o país precisa mesmo é de mudanças. Temos de encontrar líderes que realmente entendam os problemas nacionais e defendam o interesse público; que não tenham como objetivo maior a perpetuação no poder; que respeitem a alternância da democracia; que sejam nacionalistas e se preocupem com nosso povo; que não tenham compromisso com o sistema financeiro; e que sejam pessoas simples e humanas, capazes de se emocionar. Infelizmente, este tipo de liderança está em falta.

POLÍTICOS DO BEM

Há exceções, é claro. Tenho admiração e confio em poucos políticos. Cito os senadores Antonio Reguffe (PDT-DF) e Cristovam Buarque (PDT-DF), os deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP), Nilmário Miranda (PT-MG), Rubens Bueno (PPS-PR), Roberto Freire (PPS-SP), Ivan Valente (PSOL-SP) e Chico Alencar (PSOL-RJ), e se esqueci alguém, por favor me lembrem o nome.

Estes são pessoas de bem, a meu ver, mas nenhum deles corre o risco de chegar à Presidência da República. A única esperança, portanto, é a candidatura do juiz Sérgio Moro, que não pode desprezar a oportunidade de ajudar o país ainda mais. É um sonho, mas um sonho viável. O resto é paisagem, como dizia Érico Veríssimo.

19 thoughts on “Dilma delira e acha que não cometeu erro algum. E la nave va…

  1. A atuação online do presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP), lhe rendeu o reconhecimento como o deputado federal “mais ativo” na rede. A informação é do site “Monitor Digital”.

    A reportagem repercute o estudo “O Poder Digital no Brasil”, realizado pela empresa Bites Consultoria, que retrata o comportamento de membros dos Três Poderes da República na rede mundial de computadores, o alcance destas instituições e a relação com os eleitores.

    De acordo com o texto, a pesquisa realizada entre janeiro e março deste ano monitorou perfis pessoais e institucionais de parlamentares, membros do Executivo e do Judiciário, que produziram um total de 60.325 tweets, uma média de 670 por dia. Recordista em seguidores na rede social (1,5 milhão), o deputado federal Roberto Freire lidera entre os demais parlamentares e membros do Judiciário.

  2. Quem é Gilberto Kassab para defender o governo, um sujeito que chamou trabalhador de vagabundo, hoje parece que é austero, caiu no partido de Celso Pita e agora é dono de um partido nanico que apóia o governo, será que pensam que o povo é bobo, vai se catar.

  3. Embora minha opinião seja de que a Dilma nunca, em tempo algum, foi capaz de governar, por despreparo político e pura incompetência, não podemos deixar de ver que grande parte da culpa por ela não reduzir o número de ministérios e cargos, e de ter contratado mais de duzentos mil novos funcionários, é do Congresso, em sua insaciável voracidade por ministérios e cargos. O “toma lá dá cá” em que se transformou o ato de governar não poderia ter chegado a esse ponto sem que o Congresso fosse conivente, e, mais do que isso, a grande força propulsora para o inchaço da máquina burocrática. Os dois lados estiveram sempre muito mais preocupados com a manutenção de suas próprias estruturas de poder do que com o trabalho que foram eleitos para fazer. E a aprovação, pelo Congresso, da triplicação das verbas do fundo partidário tira dele qualquer autoridade moral para falar em cortes e ajustes.

  4. O Parlamentarismo no Brasil

    No parlamentarismo, todo o poder se concentra no Parlamento, que é, de fato, o único poder. Se o governo executivo discordar do Parlamento, a maioria dos deputados dissolve este governo. A Justiça não se deve opor ao Parlamento, inclusive porque, em um parlamentarismo puro, a Constituição não é rígida: se uma lei for considerada inconstitucional, o Parlamento simplesmente altera a Constituição. No Reino Unido, o exemplo mais puro de parlamentarismo, não há sequer uma constituição escrita.

    Em um regime parlamentarista, distingue-se o chefe de estado do chefe do governo. O chefe de estado apenas simboliza a nação, mas não tem poderes administrativos. Pode ser um monarca ou presidente escolhido pelo Parlamento ou eleito diretamente pelo povo. A Rainha da Inglaterra, por exemplo, reina, mas não governa: ela é chefe de estado apenas. O chefe do governo é quem governa e administra. Ele é sempre escolhido pelo Parlamento, que pode destituí-lo.

    Após as eleições, o partido político ou a coligação que teve a maioria dos votos escolhe um Primeiro Ministro e os que vão ocupar os diferentes ministérios. Levam esses nomes ao Chefe de Estado, que os submete ao Parlamento.

    Se os nomes forem aprovados pela maioria, esse ministério (Gabinete) será empossado e governará até que haja novas eleições (quatro ou cinco anos depois), ou até que perca a confiança da maioria parlamentar.

    No parlamentarismo, o Poder Executivo é um mero delegado da maioria parlamentar. Em um regime parlamentarista puro, só parlamentares podem ser ministros, e eles comparecem normalmente às sessões do Parlamento, dando contas de sua atuação e sendo interpelados por seus pares.

    As funções parlamentares são exercidas em sua plenitude por uma casa legislativa que se pode chamar, por exemplo, de Câmara dos Deputados, Parlamento, Câmara dos Comuns (Reino Unido) ou Assembleia Nacional (França). Este poder não pode ser dividido com outra casa legislativa que não tenha as características populares do Parlamento. No Reino Unido, por exemplo, existe a Câmara dos Lordes, mas suas funções são praticamente decorativas, na elaboração das leis. Os lordes não destituem gabinetes.

    VANTAGENS DO PARLAMENTARISMO

    1) Rápida resolução de crises políticas

    2) Facilidade e agilidade na aprovação de leis

    3) O Executivo e o Legislativo são mais próximos, já que o Executivo depende do apoio do Legislativo e é formado por membros do próprio Legislativo

    • Ednei, Ednei,

      O Parlamentarismo parece bom quando o Executivo não presta, não é mesmo?
      Mas dê uma olhadinha com calma, na prática, sem teorias, no tipo de gente que se traveste de deputado e senador, no Brasil. Pense bem, Ednei, essa gente com o poder total…pense bem, Ednei…
      A quem recorreríamos para mudar o Parlamento?

      A rigor, nenhum regime presta, se a população não estiver plenamente educada e desenvolvida, e não mera carimbadora de votos. Primeiro, uma revolução _ não é reforma_ completa, na EDUCAÇÃO; depois, o resto.
      Abs,

      Cazé.

      • Prezado Carlos Cazé,

        Estou de acordo que os eleitores brasileiros, sua maioria, coloca no Parlamento bandidos em profusão. Tanto no Parlamentarismo quanto no presidencialismo, vamos ter que aguentar bandidos na Câmara e no Senado. Mas os eleitores também votam em bandidos para Presidente da República: Collor, Lula, Dilma.

        Uma das vantagens do Parlamentarismo é que se ele já estivesse adotado, Dilma já estaria em sua casa no Rio Grande de Sul a muito tempo. Mesmo que o parlamento seja predominantemente de bandidos, estes têm certo medo da revolta popular, e votariam a queda de gabinete de Dilma, convocando-se novas eleições. Novas eleições, aliás, podem ajudar aos leitores a errar menos.

        Tanto no Presidencialismo podemos ter um bandido na Presidência da República, como no Parlamentarismo termos um bandido como primeiro-ministro. Mas isso tem a ver com a educação política de nosso povo, e não com o sistema de governo. Veja que o Parlamentarismo é muito mais adequado que o Presidencialismo. Se um bandido primeiro-ministro vier à baila, como agora estão Renan e Eduardo Cunha, isto provocaria queda de confiança, e eles seriam destituídos do cargo. O Parlamentarismo não resiste a escândalos. Já o Presidencialismo é isso aí que estamos vendo – torna-se indefensável !

        • Prezado Carlos Cazé,

          Você ainda defende o Presidencialismo, que poderia nos manter mais distantes de um Congresso recheado de bandidos. Mas veja como pode-se errar mesmo no Presidencialismo, lembrando que onde há fumaça, há fogo. Você defende enfaticamente Ciro Gomes na Presidência da República, mas veja aqui esta matéria de O GLOBO:

          Cid e Ciro Gomes são acusados de desviar R$ 300 milhões, diz revista

          POR ISABELA MARTIN / / /
          20/09/2010 0:00 / ATUALIZADO 23/05/2012 19:32

          FORTALEZA. A caminho da reeleição em primeiro turno, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), é citado em denúncia da revista “Veja” sobre um esquema que, entre 2003 e 2009, teria desviado R$ 300 milhões de prefeituras cearenses. A denúncia envolveria ainda o irmão do governador, o deputado federal Ciro Gomes, do mesmo partido, durante período em que foi ministro da Integração Nacional (2003 a 2006). Parte do dinheiro teria ido para um “caixa dois” e ajudado a financiar as campanhas de Cid, ao governo do estado, e de Ciro, para deputado federal, em 2006.

          Segundo a revista, as provas estão em documentos apreendidos pela Polícia Federal e na memória de um computador do empresário Raimundo Morais Filho. Em 79 mil arquivos, Morais Filho, cujo paradeiro é desconhecido, descreveria a atuação da quadrilha.

          Na primeira fase, o dinheiro desviado teria saído do Ministério da Integração, na gestão de Ciro Gomes. As prefeituras que participavam dos esquema fariam licitações dirigidas, beneficiando sempre uma das 17 empresas de Morais Filho. O empresário ficava com 4% do valor do contrato e repassava o restante para Zezinho Albuquerque, através da assessora parlamentar Maria Lúcia Martins, presa pela PF em junho passado.

          Os recursos eram repassados às prefeituras, que executavam obras com qualidade inferior à prevista. A sobra do dinheiro teria ajudado na eleição de Cid e Ciro, em 2006. De 2007 a 2009, segundo a “Veja”, o dinheiro repassado ao “caixa dois” teria saído dos cofres do governo do estado.

          Em nota, Cid Gomes se disse “indignado” e rebateu as acusações. Afirmou que jamais teve relacionamento com Morais Filho e que vai acionar a Polícia Federal, para saber se existe inquérito no qual seu nome seja citado. O deputado Ciro Gomes negou as acusações e disse que processará os responsáveis.

          Nota do Ednei: Apesar da promessa acima, Ciro Gomes nunca processou a revista “Veja” – Por que será ?

          • Prezado Ednei:

            De certa forma, até rejuvenesço quando alguém, enfaticamente, defende suas convicções; acho, sinceramente, muito bacana! As suas, por exemplo, mesmo não tendo qualquer poder de atração, para mim, têm o mérito de iluminar o esforço do autor_ muito, muito bacana, mesmo!
            De qualquer forma, se você der uma lidinha com um pouquinho mais de atenção, verá, simplesmente, que não defendo sistema algum. Isso é só capa, porque o espírito_ ah, o espírito_ esse é de porco, nos políticos brasileiros. Como disse o Joaquim Barbosa, há alguns dias: ” político brasileiro só quer dinheiro, dinheiro, dinheiro”. No meio dessas nuvens carregadas, tentamos achar um, não é verdade? Se o que eu achei, não lhe serve, Ednei_tudo bem, você não é um democrata? Apenas acho, sinceramente, que o acusador que você apresentou…bem…digamos…não é uma fonte muito confiável, segundo a própria ficha corrida, não é mesmo? Inclusive, vem de um ” fora ” estratosférico, no caso Romário. Mas tudo bem: repasso, tranquilamente, suas dúvidas ao próprio acusado: atenção, Ciro, seria muito interessante se você, que se pretende candidato, venha responder_ tanto ao Ednei, que lhe deplora, quanto a mim, que quero honrá-lo com meu voto_ essas acusações levantadas pela tal revista, em tal ano. Por favor, Ciro, não nos deixe sem resposta, até porque não sou eu o candidato, é você!
            Neste caso, Ednei, é o que posso fazer, ok?
            Mas voltando ao tema central, o Parlamentarismo: nos anos 60, empós uma breve experiência, dele fugimos, a plenos pulmões. Nos anos 90, o rechaçamos categoricamente, pelo plebiscito. Não estou brigando com você, não, prezado Ednei: apenas acho,humildemente, que seria um horror profundo para o Brasil, porque, provavelmente, teríamos um parlamento por mês_ ou a cada quinze dias_ conforme atestam os inúmeros e escabrosos escândalos parlamentares que temos visto, sequencialmente, não é verdade? Agora há pouco, em 2013, o povão fez o que fez em Brasília e, no entanto…houve algum medo por parte dessa gente?
            Mas Ednei, salvo engano, li, num desses seus comentários, que você é psiquiatra_ é isso mesmo? Puxa, como isso enriquece nossa Tribuna, que já tem, de quebra, um extraordinário jurista. Mas fico pensando: como seria interessante se você, psiquiatricamente, delineasse_ para nós, leigos_, algumas dessas figuras da política, principalmente desse congresso, que, caso nos tornemos parlamentaristas, terá o poder total!
            Por exemplo: uma pessoa presa, com dólares na cueca, e continuar como se nada tivesse acontecido…como poderíamos, na medicina, catalogar isso?
            Acho , prezado Ednei, que nosso país_ e nossos políticos_ muito antes de merecerem um sistema e uma forma de governo, deveriam passar, todos, por um diagnóstico_ ou por uma junta_ psiquiátrica…
            Você não acha?

            Abraço fraterno,

            Carlos Cazé.

            PS: Só pra deixar claro: a meu ver, o Brasil NÃO precisa sequer de parlamentares, quanto mais de parlamentarismo…

  5. Prezado Newton, o Chico Alencar linha auxiliar petista gosta de jogar para a platéia, mas não teve vergonha ao recomendar aos seus seguidores o “voto crítico”em Dillma. Será que ele também não sabia de nada? De certo que ao meu ver é somente mais um da linha de petistas envergonhados, tal como Marina Silva, que bradam moralidade mas no frigir dos ovos defendem a continuidade dos petralhas parasitando o erário no comando deste pobre país rico.

    • segunda-feira, 22 de novembro de 2010
      POLÍCIA FEDERAL PRENDE EMPRESÁRIO ACUSADO DE ENVOLVIMENTO EM ESQUEMA DE CORRUPÇÃO COM O GOVERNADOR DO CEARÁ
      O empresário Raimundo Morais Filho, o “Moraizinho” (foto acima), foi preso nesta segunda-feira (22/11), pela Polícia Federal, em Fortaleza – CE. Ele é acusado de comandar esquema de fraude em licitações com prefeituras cearenses. Uma edição da revista Veja, no mês de setembro último, denunciou um esquema de corrupção descoberto pela Polícia Federal em 2009, desdobramento das Operações “Gárgula”, “Província” e “Goliath”. A publicação fez ligações entre Moraizinho, o governador Cid Gomes (PSB), o deputado federal Ciro Gomes (PSB) e o deputado estadual Zezinho Albuquerque (PSB).

      A revista Veja também publicou na matéria o fato de que o empresário relacionava o esquema a formação de caixa dois já para a campanha do então candidato Cid Gomes em 2006.

      O Deputado Zezinho Albuquerque, ligado politicamente e amigo pessoal dos “Ferreira Gomes”, ocupa atualmente a 1ª Secretária da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa do Ceará. No último dia 23 de junho de 2010, ele teve o seu Gabinete naquela Assembleia objeto de cumprimento de Mandado de Busca e Apreensão pela Polícia Federal, quando na oportunidade a sua Chefe de Gabinete, Maria Lúcia Ramos Martins, foi presa por envolvimento no super esquema milionário. Zezinho Albuquerque está pleiteando ser o futuro presidente da Assembleia Legislativa, haja vista que o atual Presidente, Deputado Domingos Filho, foi eleito vice-governador de Cid Gomes para a legislatura 2011-2014.

      Naquele dia 23 de junho, também foi preso outro servidor da Assembleia Legislativa do Ceará, Jânio Falcão do Carmo. Já na cidade de Trairi – CE, foi preso o empresário Mirgon de Oliveira Oiteral.

      Processo corre em segredo de Justiça

      A Polícia Federal no Ceará confirmou a informação, pela assessora de comunicação, Fábia Rocha, que o empresário está preso por ordem judicial. Nenhum detalhe a mais sobre a prisão foi passado pela PF. O processo corre em segredo de justiça.

      Desdobramento do Processo pode chegar ao STJ e STF

      Reportangens, dentre elas a publicada pela revista Veja em 23 de setembro do corrente ano, em seu portal online, dá conta de que todo o esquema criminoso de cerca de 300 milhões de reais terá desdrobramento. Ressalta que o atual Processo leva o número 2009.81.00.014040 e tramita na 10ª Vara da Justiça Federal do Ceará, podendo entretanto, ter desdobramento perante o Supremo Tribunal Federal – STF (já que Ciro Gomes é Deputado Federal) e Superior Tribunal de Justiça – STJ (fôro competente para julgar Cid Gomes).

      Na amplitude da Justiça Estadual do Ceará

      O Ministério Público Estadual começou a atuar e já pediu, através da Procuradoria de Crimes Contra a Administração Pública (PROCAP) e dos Promotores de Justiça da Comarca de Nova Russas, através de ação civil pública de improbidade administrativa resultante da “Operação Província”, o afastamento do prefeito de Nova Russas, Marcos Alberto Martins Torres.

      A organização criminosa constituiu as empresas Pratika Incorporações Ltda., Daruma Construções e Empreendimentos Ltda., Êxito Construções e Empreendimentos Ltda., Construtora Leandro dos Santos, e Master Assessoria e Engenharia Ltda., que servem de fachada para a atuação da empresa Falcon Construtora e Serviços Ltda., de propriedade de Raimundo Morais Filho.

      De acordo com o MP, a constituição de tais empresas tinha como objetivo fraudar licitações para assegurar o desvio de recursos públicos. Ainda segundo o MP, em algumas oportunidades Raimundo Morais Filho usava nome e dados de pessoas humildes para constituir as empresas pagando, para tanto, algo em torno de R$ 150,00 por mês.

      O grupo agiu em mais de cinquenta municípios do Ceará, perpetrando crimes de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, que renderam para os envolvidos, nos anos de 2008 e 2009, quantia superior a R$ 30.000.000,00.

      (Fonte: Com informações de SGNotícias, Jangadeiro online, O Povo, Ceará é Notícia, Extra online, CNews e Veja)

  6. Excelente artigo de Carlos Newton.

    Acabei me lembrando destas 2 estrofes do rock nacional “Que país é esse?”, gravado décadas atrás pelo grupo Legião Urbana:

    – “Terceiro mundo, se for”
    – “Piada no exterior”.

  7. x
    x
    x
    x
    O governo petista expandiu o funcionalismo público em mais de 280 mil cargos – de 912.192 servidores em 2002 a União se viu com 1.195.822 servidores em 2014.

    Comparativo do quantitativo de Servidores ativos da União por Poder. (2002//2014)

    Poder da União………………….2002…………2014…………Variação…..Variação Percentual
    ——————————————————————————————————————————-
    Executivo Adm. Direta………….200.191……….244.882………..44.691…….22,32%
    Executivo Autarquias……………192.142……….287.792…………95.650…….49,78%
    Executivo Fundações……………..93.408…………91.421………….-1.987……..-2,12%
    Executivo BACEN…………………….4.675…………..4.082…………….-593……-12,68%
    Executivo Empresas Públicas…27.379…………39.177………….11.798…….43,09%
    Executivo Soc. Econ. Mista………7.008…………16.516……………9.508….135,67%
    Executivo (militares)……………279.313……….359.218………….79.905……28,61%
    Ministério Público da União……5.859………….17.374…………11.515….196,54%
    Legislativo………………..………….20.501…………24.902……………4.401…..21,47%
    Judiciário……………………………..81.716……….110.458…………28.742……35,17%
    ———————————————————————————————————————————
    Total…………………….…………….912.192……1.195.822………283.630……31,09%
    ———————————————————————————————————————————-
    Fundo Const. do DF……………..116.433………….93.946…….-22.487…..-19,31%
    ———————————————————————————————————————————–
    Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *