Dilma desiste e Lula inicia seu terceiro mandato presidencial

Charge do Fernando Cabral, reprodução da internet

Marcelo de Moraes
Estadão

Pressionada pelos milhões de pessoas que ocuparam as ruas no último domingo e pelo teor explosivo das revelações feitas pelo senador Delcidio Amaral, a presidente Dilma Rousseff não resistiu. Sabendo que não teria mais força política para evitar sozinha o processo de impeachment, apelou para o padrinho. Nomeou Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil e, na prática, lhe entregou o comando do governo.

A estratégia é uma só: sem saber o que fazer para consertar a confusão econômica e política em que seu governo se meteu, Dilma apelou para a última cartada possível. Usa o resto de popularidade que Lula ainda possui para injetar algum sopro de vida na sua administração.

O problema é que o atual estágio da crise não garante que o movimento desesperado funcione. Para Lula, a manobra é reconfortante. Passa a ficar protegido de ser preso por ordem do juiz Sergio Moro, já que terá foro privilegiado por ser ministro. Ou seja, apenas o Supremo Tribunal Federal poderá investigá-lo. De quebra, ganha o que sempre quis, antes mesmo de Dilma se reeleger: passe livre para iniciar seu terceiro mandato presidencial. Dessa vez, sem o voto das urnas, mas com a liberdade de atuação de um bombeiro que tenta apagar um mega incêndio que já lambe toda a casa.

NÃO TINHA ALTERNATIVA

Não é que essa estratégia seja arriscada. Foi a que restou aos petistas, enfraquecidos no poder, como as ruas mostraram no domingo , e fragilizados pelo mar de escândalos que envolve o mundo político.

Lula tem a chance de fazer algum movimento mirabolante que tire o governo do cadafalso. Mas as investigações feitas a seu respeito lhe tiraram boa parte da força política que tinha. Lula precisará inventar novas mágicas para salvar um governo que está desmoronando em praça pública. Quanto a Dilma, o dia 16 de março será marcado como a data em que abdicou do mandato presidencial em favor de seu criador.

8 thoughts on “Dilma desiste e Lula inicia seu terceiro mandato presidencial

  1. ATENÇÃO! ATENÇÃO!VAI CAIR TODO MUNDO!

    Acabou de ser divulgada a sonora da gravação telefônica (grampo) autorizada da conversa de Dilma com Lula na qual ela diz que está mandando o termo de posse, para ele usar se necessário.
    O bicho vai pegar mais ainda!!!!!

    • Atenção! Moro acaba de retirar o sigilo sobre o processo Lava Jato!
      Todos poderão ter acesso às transcrições e gravações!
      Já estão divulgando conversas (pressões) de Lula!
      O “CALDO” está entornando minha gente, . . . !!!!!

      Tem muita gente tentando invadir o Palácio do Planalto ! ! ! MUITA GENTE ! ! !

  2. Senhores,

    Tudo hoje em dia é gravado e filmado!
    Os senhores acreditam que não exista gravação do lula atuando na sua rede de corrupção? É claro que existe! Ainda mais ele que estava sendo investigado! Mas deve está sob sigilo e deverá ser apresentada no momento em que os Novos Homens do Poder Judiciário acharem conveniente… e se a “autoridade superior” não for conivente!

    É só lembrar que os membros do CRIME ORGANIZADO de hoje nem procuram desmentir (e nem tem como!) as filmagens e gravações feitas pela Polícia Federal. Assumem que são bandidos mesmo! A pretensão é, tão somente, torná-las ilegais e anulá-las como provas nos processos.

  3. Cristóvam Buarque, para variar, fica no muro. Diz, em sessão do Senado, que ambos os lados têm razão. Acha grave a quebra do sigilo telefônico da presidenta por um juiz federal, ao mesmo tempo que lembra não poder ser afastado o teor da conversa,

    Ora, senador, se a gravação fosse ilegal, esquecer-se-ia tudo, porque provas ilegais não valem.

    O que ocorre é que não há ilegalidade maior que a presidenta de um país nomear um cara que é investigado e denunciado e, ainda por cima, comunicar-lhe que está mandando um papel, como se fosse um salvo conduto, para que ele não seja preso. Que país é esse. E Cristóvam: você nunca me enganou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *