Dilma fez uma enrolação danada, conseguiu até se sair bem, mas vai ser cassada

Resultado de imagem para dilma depoe nos enado

Dilma só faltou dizer: ‘Amado mestre, captei sua mensagem’

Carlos Newton

O intenso treinamento a que Dilma Rousseff foi submetida nos últimos dias deu resultado melhor do que os alardeados cursos do Pronatec. Sem dúvida, a presidente afastada conseguiu até se sair bem no confronto com os senadores. Mas as regras do jogo lhe eram favoráveis, porque cada parlamentar tinha apenas cinco minutos, enquanto ela podia usar o tempo que quisesse, numa deferência toda especial de seu amigo pessoal Ricardo Lewandowski, que presidia a enfadonha sessão. Além disso, não havia réplica. Ou seja, Dilma podia falar o maior disparate, o senador tinha de engolir calado.

CHICLETE COM BANANA – Naquele linguajar característico, expondo seus notáveis conhecimentos de Economia, a doutoranda da Unicamp  misturou chiclete com banana e fez uma confusão dos diabos, ao repetir exaustivamente as respostas que ensaiara com os senadores do PT, com o advogado José Eduardo Cardozo e com os ex-ministros Ricardo Berzoini e Miguel Rossetto.

Ninguém aguentava mais, até o convidado petista Chico Buarque de Hollanda manifestou seu desagrado. Logo no primeiro intervalo, os debates mal tinham começado e o famoso compositor já dizia que a sessão era “uma chatic”e. Mas ele tinha de prestigiar a companheira Dilma, fazer o quê?

DUAS ACUSAÇÕES – As acusações referiam-se a crimes de responsabilidade. Apesar do treinamento intensivo, a presidente afastada se contradizia, porque ora alegava que não os havia cometido, ora ressalvava que as mesmas irregularidades tinham sido cometidas normalmente em governos anteriores e o TCU jamais reclamara.

Com uma clareza incompreensível, a depoente dizia que não houve pedaladas e depois admitia que existiram, porém ela não autorizara nada, não assinara nada, porque o Plano Safra era uma rotina do Banco do Brasil. Na defesa dessa tese falaciosa, Dilma se empolgava e esquecia de justificar as pedaladas da Caixa Econômica Federal e do BNDES, e os senadores, já tontos de tanta enrolação, nem lembravam de mencioná-las.

E a presidente seguia em frente, misturando pedaladas, operações de crédito e contingenciamento, mas falando com tal convicção que fazia lembrar o personagem Rolando Lero, da Escolinha do Professor Rolandowski.

AULA DE DIREITO – O que mais impressionou, porém, foram as repetidas aulas de Direito ministradas por Dilma, na tentativa de justificar os decretos ilegais que autorizaram despesas sem licença prévia do Congresso. Com firmeza acadêmica, ela repetia que a Constituição proíbe, mas a Lei de Responsabilidade Civil permite os decretos, como se fosse possível alguma legislação revogar dispositivo constitucional.

Essa curiosa e surpreendente argumentação jurídica – repetida exaustivamente pela presidente Dilma – exibia a criatividade dos profissionais que a treinaram nos últimos dias, com destaque para o advogado José Eduardo Cardozo, que estava o tempo todo a seu lado e não permitia que ela saísse do roteiro.

NA POSTERIDADE – Como se sabe, essas performances da presidente afastada estão sendo gravadas para a posteridade, nos quatro documentários em produção para denunciar o “golpe”. E para quem trabalha no ramo, é possível imaginar a dificuldade que as equipes terão ao editar essas cenas, porque a presidente Dilma Rousseff exibe muitos defeitos, está sendo afastada, mas merece um mínimo de consideração.

Em termos econômicos, jurídicos e contábeis, os argumentos que ela repetiu não têm a menor consistência. Com toda certeza, será um risco registrar para a posteridade essas teorias ensandecidas, porque isso só vai manchar ainda mais a biografia dela.

54 thoughts on “Dilma fez uma enrolação danada, conseguiu até se sair bem, mas vai ser cassada

  1. Um presidente não pode mentir para a nação e diante dos senadores, então como nenhum deles contestou a fala dela quando ela disse que lutou pela democracia e na verdade o que defendia era a implantação da ditatura do proletariado a la Cuba. Mentiras e mentiras, bla bla blas e respostas no mo repeat.

    Infelizmente não temos oposição e nenhum senador que a contestasse com a verdade !

    NST

  2. como bem observou Dr. Jorge Béja , e aí também os órgãos de imprensa, o discurso lido não foi escrito por ela. Mas o Dr. Jorge Béja observou muito bem que Dilma não tem a desenvoltura e a agilidade mental nem o vocabulário que ela usou até a metade de suas respostas aos senadores: ela estava com um ponto no ouvido, como usam os atores de cinema e teatro nos Estados Unidos (não é costume no Brasil) , onde um especialista bem preparado estava ditando no ouvido dela o que ela passava a dizer – às vezes não entendia o que o ponto lhe passou e se enrolava um pouco, mas a desenvoltura mostrou um vocabulário, conhecimento de Leis e respostas corretas que ela jamais apresentou em sua fala livre.

    Mas se alguém tiver paciência de ouvir o que ela falou após a primeira metade das respostas, notará a diferença : o ponto colocado no ouvido dela caiu , e aí ela recomeçou a ser a Dilma do Dilmês , um senador preguntava sobre banana e ela respondia sobre pera , enrolou-se na fala, tornou-se repetitiva , e para qualquer das perguntas feitas de aí em diante sua resposta foi a mesma, apesar de as perguntas dos senadores tenham sido sobre assuntos completamente diferentes um do outro.

    Dilma funcionou como o boneco de um ventríloquo até a metade de suas respostas, mas algo não deu certo e o ponto (que é menor de que um grão de feijão e se coloca dentro do ouvido) caiu – e aí a ex-presidente se enrolou toda.

  3. Caro Carlos Newton, uma coisa V. Sa há de convir: esta Tribuna parece ter errado quando da informação de que a madame estaria em vias de total colapso nersoso, sob remédios altamente controlados. Pois falar das 8 às 11 da noite sem perder sua “clareza”, ainda que desviando-se das perguntas, sem direito a réplica, não é fácil. O resto, claro, são cartas marcadas.

    • Você tem toda razão, Silvio Barros. Ficou claro que os remédios estão fazendo efeito, o tratamento é de última geração> Além disso, Dilma teve treinamento intensivo durante uma semana e o principal instrutor, José Eduardo Cardozo, estava ao lado dela, controlando a situação. Na resposta sobre a árvore com fungos, quando ela começou com o “dilmês”, Cardozo imediatamente a fez voltar ao script combinado.

      Por recomendação médica, Dilma não lê jornais nem revistas e não assiste a telejornais. É informada por textos que a equipe redige diariamente. Sequer assistiu aos três dias de debates sobre o impeachment. Quanto ao medicamento Olanzapina, tarja preta, contra esquizofrenia, a informação da revista IstoÉ foi confirmada pelas compras do serviço médico da Presidência.

      Abs.

      CN

      • C.N. como alguem ja’ disse ‘carater de tem ou nao ! E Dilma mostrou que o tem!

        Dilma mostrou-se preparada e se engrandeceu. E seu discurso ja’ entrou p a historia.

        Por outro also a sua escrita parece mais futrica que sincera analise, embora voce tenha seu fans.

          • Como diz o Newton, ‘a que ponto chegamos…’

            Como enxergaram essa coisa que dizem tão minúscula?

            Ela estava apenas cansada.

            Eu gostaria de gostar de certas pessoas do outro lado, mas é difícil.

            Não acredito em nada nem em ninguém.

  4. Carlos Newton, teu artigo está bem colocado.

    Assisti Dilma lendo o que ela não escreveu sozinha.

    E, simplesmente, fez o que ela sabe fazer: mentir, mentir, mentir.

    ´Por mais que minta – e o faz mais do que bula de remédio fajuto – jamais conseguirá esconder os resultados do “assalto ao Estado”, que são auto-explicativos: queda de 16% do PIB per capita entre 2013 e 2016, isto é, de R$ 30,5 mil para R$ 25,7 mil por ano; aumento do desemprego de 6,4% para 11,2%, com a demissão de 12 milhões de trabalhadores e a pior recessão da história (já chega a 6%).

    A Grande Recessão de 1929-1933 foi de 5,3%; a de 1980 a 1983, 6,3%; e a de 1989 a1992, 3,4%.”

    O culpado disso tudo é Lula, que – se aproveitando da ausência de escolaridade da população brasileira – colocou essa “gerentona” no poder, vendendo gato por lebre aos brasileiros.

  5. Concordo com o Silvio , ela aguentou e muito bem das 9 da manhã as 23 horas contrariando os diagnósticos de teclado.
    Além disso ela foi interrogada por várias” reservas morais , que fiz questão de deixar a ficha aqui conforme os ” almas santas iam falando.
    Tudo isso sem contar que o circo do Cunha , Jucá, etc caíram com as citações das conversas gravadas pelo Machado…. Gravações não de para desmentir
    O resultado não muda , mas derrubou a lona que cobria o picadeiro.

    • Ô MENTIROSO E CALUNIADOR

      Não fomos só eu e o Dr. Jorge Béja que notamos a diferença da fala de Dilma , consistente, no começo, e a desagregação do pensamento dela nas respostas aos senadores lá pela metade da sessão. A Revista VEJA também notou, e está na edição online de hoje:

      Após discurso firme, Dilma volta a ser Dilma
      Presidente afastada até começou bem, mas voltou a fazer uso do “dilmês” ao ser interrogada

      A presidente afastada Dilma Rousseff faz sua defesa na sessão de votação do julgamento final do processo de impeachment, no plenário do Senado – 29/08/2016 (Ueslei Marcelino/Reuters)

      Após um início auspicioso de sua participação na sessão desta segunda-feira do Senado Federal, em que leu quase sem tropeços um discurso firme contra sua condenação por crime de responsabilidade, a presidente afastada Dilma Rousseff voltou a fazer uso do “dilmês” na fase de interrogatório. A retórica confusa que sempre a caracterizou dá o tom das respostas aos senadores.

      Com frases emendadas umas nas outras e nem sempre respeitando a lógica, a presidente retomou o uso de metáforas e dos pleonasmos que consagraram o idioma próprio de Dilma.

      Ao rebater a fala do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que a acusou de não cumprir a Constituição por não seguir a Lei de Responsabilidade Fiscal, Dilma foi redundante ao dizer que a mentira “não tem base na realidade”. “Considero que essa sua acusação é improcedente. Acho que ela é aquela mentira que não tem base na realidade, ou seja, ela não expressa a verdade dos fatos”, disse ela.

      Em resposta à senadora Ana Amélia (PP-RS), Dilma comparou o processo de impeachment a uma árvore ao tentar explicar o que entendia como golpe parlamentar. “A diferença consiste que no golpe militar é como se você tivesse uma árvore, que você derruba o governo e o regime democrático. O que tem acontecido no golpe parlamentar é que você tira um presidente eleito por razões que estão fragilizadas pelo fato de que não tem crime de responsabilidade que as sustentem. É como se essa árvore não fosse derrubada, mas atacada por forte e intenso ataque de fungos, por exemplo”, disse a presidente.

      Ao contrário da semana passada, em que houve muita discussão e troca de farpas entre os senadores, o interrogatório de Dilma segue em clima cordial. Favoráveis ao impeachment, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) e Ana Amélia Lemos (PP-RS) fizeram questão de dizer que respeitam a biografia de Dilma e a sua posição como mulher, mãe e avó.

      A presidente, por sua vez, rebateu os argumentos da acusação com aparente irritação, mas agradeceu às manifestações de respeito.

      Em resposta ao senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da comissão do impeachment, Dilma fez uma espécie de “mea culpa” em nome do PT, dizendo que “lamenta” o fato de o partido ter votado contra a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Faço aqui essa confissão clara”, completou. Em seu discurso de 45 minutos na tribuna, a presidente também não fez nenhum aceno à legenda, à qual é filiada desde 2001 e que nos últimos meses se viu às voltas com constantes descontentamentos por falta de diálogo e pelas medidas impopulares do ajuste fiscal.

  6. Inclusive adorei quando uma senadora disse que a Dilma não tinha marido bonitinho , recatado e do lar , pois para tentarem dar um pouco de popularidade ao Temer até esse recurso JECA foi usado , como se politica fosse coluna social , dessas que desocupados mentais adoram , uma mistura da Revista Fon fon
    com Caras…

  7. Carlos Newton,o senhor foi muito generoso com a gerentona.Ela enrolou do começo ao fim, e, não dava as respostas dentro das perguntas formuladas pelos senadores.
    E, quem assistiu o debate, viu muito bem o advogado de defesa, a cada pergunta formulada, cochichar dicas para ela.O senador medeiros pediu questão de ordem,e acusou o procedimento irregular, mas como sempre,o “Levando” ignorou.E viu até um sorriso amarelo do Cardozão.

  8. Newton, pouco importa o julgamento que já deve estar decidido. Dilma deve ser impichada. Mas seus adversários-inimigos-algozes se sentem derrotados.Primeiro não a viram desabar em choro, o que esperavam sofregamente. Segundo, Dilma provou que estavam errados seus algozes, (principalmente da “Isto é”), ao dizer tomava montanhas de remédios para loucura, como espalharam aos quatro cantos. Se fosse dependente de remédios para esquizofrenia, não ficaria lúcida, respondendo perguntas por muito tempo. Você Newton tem um nome a zelar. Deve filtrar essas notícia que te mandam. Esses garotos da imprensa, são pagos para fazerem o papel de “pistoleiros da mídia”. Essa é a razão da “Isto é ” estar sendo processada. Não falo por ser contra ou a favor de ninguém. Falo porquê uma notícia honesta é melhor para todos.

    • Prezado Aquino, também tive essa impressão. Ao que parece, os remédios estão fazendo efeito, o tratamento é bem sucedido. A IstoÉ exagerou na matéria, escrita pela mulher de José Eduardo Cardozo, porque comparou Dilma à Dona Maria, a Louca. Este foi o grande erro da revista. Quanto aos medicamentos, tarja preta, contra esquizofrenia, a informação da revista foi confirmada pelas compras do serviço médico da Presidência.

      Abs.

      CN

  9. Gostei quando enfiaram na cara do PMDB as gravações do Machado, que sumiram dos jornais ‘isentos’…
    estamos há 110 dias sem nenhuma operação da PF devido a escandalosa operação abafa que o Temer e asseclas estão fazendo, fato que prova a razão do Machado.

  10. Vejam amigos, procurando analisar serenamente os fatos, creio que a Presidente afastada teve um desempenho satisfatório e convincente. Eu entendi as explicações que ela deu para os Decretos de crédito suplementar. Ela se referiu a um tipo de suplementação que é feita com fonte compensatória, na qual a dotação do crédito orçamentário sai de uma rubrica e é transferida para outra, sem que o total da despesa autorizada seja alterado, muito menos aumentado. Trata-se de um remanejamento sem modificação do total da despesa orçamentária. O que acontece é que a meta fiscal já está incorporada no Decreto de contingenciamento/limitação de empenho e pagamento previsto no art. 8º da LRF, a ser modificado em caso de frustração da arrecadação tributária, e o decreto de crédito suplementar não altera a meta fiscal, a qual consta do Anexo das Metas Fiscais do LDO e até algum tempo atrás não era de cumprimento compulsório, era apenas uma meta indicativa, uma sinalização do resultado fiscal para o mercado. A suplementação orçamentária com fonte compensatória tem amparo legal na Lei 4320/64, § 1º, III:
    “Art. 43. A abertura dos créditos suplementares e especiais depende da existência de recursos disponíveis para ocorrer a despesa e será precedida de exposição justificativa.
    (…)
    III – os resultantes de anulação parcial ou total de dotações orçamentárias ou de créditos adicionais, autorizados em Lei”;
    A autorização para abrir por Decreto créditos suplementares até um certo montante da dotação está estabelecida na Constituição Federal, art. 165, pgf. 8º, conforme transcrito abaixo (É a exceção ao chamado princípio da exclusividade):
    “§ 8º A lei orçamentária anual não conterá dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, não se incluindo na proibição a autorização para abertura de créditos suplementares e contratação de operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, nos termos da lei. ”
    Além disso, a autorização para o Presidente da República abrir créditos orçamentários por Decreto está contida na própria Lei Orçamentária de 2015 (LEI Nº 13.115, DE 20 DE ABRIL DE 2015 – Estima a receita e fixa a despesa da União para o exercício financeiro de 2015), a qual é aprovada pelo Congresso Nacional, daí não poder se falar em ausência de autorização legislativa.
    “Art. 4o Fica autorizada a abertura de créditos suplementares, restritos aos valores constantes desta Lei, excluídas as alterações decorrentes de créditos adicionais, desde que as alterações promovidas na programação orçamentária sejam compatíveis com a obtenção da meta de resultado primário estabelecida para o exercício de 2015 e sejam observados o disposto no parágrafo único do art. 8o da LRF e os limites e as condições estabelecidos neste artigo, vedado o cancelamento de valores incluídos ou acrescidos em decorrência da aprovação de emendas individuais, para o atendimento de despesas:
    I – em cada subtítulo, até o limite de 20% (vinte por cento) do respectivo valor, mediante a utilização de recursos provenientes de:
    a) anulação parcial de dotações, limitada a 20% (vinte por cento) do valor do subtítulo objeto da anulação;”
    Nisto consiste a suplementação por fonte compensatória e o remanejamento orçamentário, tudo previsto na legislação.
    Resta saber se o montante da dotação suplementada/remanejada obedeceu ao limite de 20% da dotação acima referido.
    Desta forma, a explicação dada pela Presidente para a questão dos Decretos de Crédito Suplementar foi apropriada e não vejo irregularidade.
    No que se refere à pedalada fiscal do plano safra, a explicação da Presidente foi no sentido de que, quando ela foi realizada, o entendimento do TCU na época era de que tal operação não era considerada operação de crédito pela Corte de Contas, e que este entendimento só foi estabelecido pelo Plenário do TCU depois que a chamada pedalada já havia sido feita e que, na época da sua efetivação, a opinião do TCU era de que não se tratava de operação de crédito. Na explanação da Presidente o entendimento posterior do TCU à realização da pedalada não pode retroagir para tornar a operação ilegal. Aliás, é princípio basilar do Direito Penal de que a Lei só pode retroagir para beneficiar o réu. Também constam da Carta Política os seguintes dispositivos, art. 5º, incisos XXXIX e XL, conforme abaixo transcrito:
    “XXXIX – não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal;
    XL – a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu; ”

  11. Prezado Alverga,

    Todos sabem que sou dotado de poucas luzes, que a minha mente é limitada, que pertenço à plebe ignara!

    Diferentemente de ti, um professor, de vasta cultura e conhecimentos vastos sobre vários assuntos.

    Dito isso, causa-me perplexidade a defesa de Dilma com relação “ao conjunto da obra”, ou seja, os malefícios que fez ao povo e País enquanto na Presidência da República!

    Não só a sua incompetência, mas os episódios de alta corrupção e desonestidade com referência à Petrobrás, Pasadena, a crise política, a carga tributária, os juros extorsivos, inflação, recessão econômica, desemprego, e os crimes de responsabilidade muito bem caracterizados por peritos, juristas, e pelo próprio TCU!

    Decididamente esta forma de governar deve ser impedida, pois não confirma a democracia, mas enaltece o roubo, a improbidade, os desmandos, os descalabros e, em consequência, o sofrimento do povo!

    Como defender a presidente afastada nessas circunstâncias?

    Como não colocar a população acima das questões políticas?

    Como não priorizar o desenvolvimento do Brasil para preservar um partido reconhecidamente desonesto, e cuja única intenção foi usar o poder em benefício próprio, para seu enriquecimento, e deixar a nação e povo em situações dramáticas?!

    Não entendo, Alverga, esta defesa intransigente com Dilma e o PT, após tantos crimes PROVADOS E COMPROVADOS, e o caos que nos encontramos no momento.

    Um abraço.
    Saúde e Paz!

    • Bom dia Bendl.
      Há a questão legal do julgamento, ele está restrito as acusações, se forem levar em consideração ‘ o conjunto da obra, ele pode se tornar nulo.

      • Virgílio,

        Por favor, não estou entrando na discussão sobre o processo de impeachment, mas trazendo para debate os malefícios de Dilma, que valem como razões substanciais para impedi-la de governar.

        Ou, por acaso, diante de seus desmandos e descalabros ela deveria continuar à testa do Brasil?

        Esta é a minha discussão, que não entendo a defesa da presidente afastada diante de suas irresponsabilidades, omissões, permissões para que o seu partido roubasse à vontade o povo e País!

        Querem mais crimes de responsabilidade que estes?!

        Um abraço.

  12. Prezado Bendl, não é nem uma defesa, é uma argumentação. É sempre mais interessante argumentar tentando defender causas consideradas impossíveis. O desafio intelectual é maior e você exercita a sua capacidade de argumentar e tirar água de pedra.

    Quanto à corrupção, o PT aderiu criminosamente a um esquema já vigente há muitos anos e que se estende a todos os partidos políticos no Brasil sem exceção. O que acho injusto é só Lula, Dilma e o PT serem punidos, e eu acho que devem sê-lo, e o resto do sistema partidário podre ficar impune. Ou existe algum político que não seja do PT que esteja preso, exceção feita ao Pedro Corrêa?

    Abraço, paz e bem para você também.

    • Você sabe que já falei muitas vezes mal do PT, mas legalmente esse julgamento é única e exclusivamente sobre as chamadas ” pedaladas fiscais’ e não sobre o conjunto da obra.
      O que mais me admira é que o Cabral, Pezão e asseclas, que foram muito além disso, chegando ao crime de apropriação indébita dos pagamentos dos empréstimos consignados feitos pelos aposentados, ainda estejam livres leves e soltos, como o Cachoeira e o Cavendish estão.
      Nunca acreditei em leis para um lado só.

      • PS.;
        Logo após as eleições vão declarar oficialmente a falência do Estado do rio, pois na prática a S&P já o fez ao rebaixar o grau de investimento de estado em 3 pontos de uma só vez, foi de B- para CCC- . Com essa nota o mercado já passou a considerar o papel do estado como ‘lixo’.

    • Alverga,

      Não tergiversas, por favor!

      Faz catorze anos que o PT está no poder, e partiu desta organização CRIMINOSA os roubos contra a Petrobrás, empréstimos consignados, fundos de pensão, erário, estatais, aparelhamento do Estado, pedaladas fiscais … e que nos deixaram nesta situação de penúria!!!

      Se os demais partidos roubam, e admito que sou crítico neste sentido, ELES NÃO ESTÃO NO GOVERNO, e as investigações estão descobrindo os envolvidos em ilicitudes que não pertencem somente ao PT, mas amenizar as culpas dos petistas através de erros de outras agremiações não entendo como justificar a defesa de Dilma através deste expediente, que deveriam ser comparadas às administrações mediante obras e medidas em benefício do povo, e não como prejuízo à população e país!

        • Prezada Eva Dias,

          Esclarece, por favor, o que queres dizer!

          Assim, como está, dás a entender que JUSTIFICAS OS ROUBOS DO PT CONTRA A ESTATAL, o que não acredito ou, então, queres dizer que, se antes a empresa foi roubada, nada impede que a sucessão de FHC continuasse às mesmas práticas delituosas, ou seja, OS PETISTAS TERIAM PERMISSÃO PARA SEGUIR ROUBANDO O NOSSO PATRIMÔNIO!!!

          Grato pela atenção, e de modo que eu não pense que és favorável á dilapidação daquilo que nos pertence, ou seja, a Petrobrás, que é minha, tua, e demais brasileiros, e não para que partidos e ladrões dela se utilizem para enriquecimento ilícito!

          Grato pela atenção.
          Saúde e Paz, Eva Dias.

          • Senhor:
            Há os problemas de conjuntura e há os de estrutura. O nosso é de estrutura: já se rouba desde os primórdios. Já se roubava a Petrobrás desde sua criação e – após um lapso revolucionário – voltou-se a roubar. NESTE EXATO MOMENTO ela está sendo roubada. Observe que nada falei sobre empréstimos consignados, fundos de pensão, erário, estatais, aparelhamento do Estado, pedaladas fiscais. Assim, fica claro que não estou justificando roubo de partido algum, apenas discordei das palavras “e partiu desta organização CRIMINOSA os roubos contra a Petrobrás”, quando sei que não é de agora nem de quatorze anos.
            Compreendido ?
            Saúde e Paz, Sir.

    • Seria a mesma coisa de uma pessoa ser presa por falsificação e depois descobrirem que ela praticou um homicídio… Não dá para ‘somar processos’.
      Então que suspendam esse e façam o da OAB que abrange mais fatos.

  13. Impeachment é liderado por políticos acusados de corrupção, diz NY Times
    A reportagem cita Paulo Maluf entre os membros da comissão acusados de corrupção

    15/04/2016 – 14h18 – Atualizada às 16h42 – POR ESTADÃO CONTEÚDO

    O mais importante jornal dos Estados Unidos, o “The New York Times” publica extensa reportagem na edição desta sexta-feira (15), em que destaca que o processo de impeachment contra a presidente da República, Dilma Rousseff, está sendo liderado por políticos que enfrentam uma série de acusações como corrupção, fraude eleitoral e até abusos de direitos humanos. “O que revela a hipocrisia entre os líderes brasileiros no debate nacional”, diz o texto que ressalta que a presidente não é acusada de roubar dinheiro público. “Uma raridade”, diz o jornal.
    Com o título “Dilma Rousseff alvo no Brasil de legisladores que enfrentam seus próprios escândalos”, a reportagem nota que, no processo de impeachment, a presidente brasileira “não enfrenta acusação de corrupção”. “Em vez disso, ela é acusada de usar dinheiro dos gigantescos bancos públicos para cobrir lacunas no Orçamento, danificando a credibilidade econômica do Brasil”.
    “A senhora Rousseff, então, é uma raridade entre as grandes figuras políticas: Ela não é acusada de roubar dinheiro para ela mesma”, diz a reportagem do Times.
    Cunha, Temer e Renan
    Em contraponto, a reportagem cita vários parlamentares favoráveis à saída de Dilma que enfrentam problemas nesse tema.
    O deputado Eduardo Cunha, por exemplo, é classificado como “o poderoso presidente da Câmara que lidera o esforço pelo impeachment e está em julgamento no Supremo Tribunal Federal sob a acusação de que embolsou US$ 40 milhões em propinas”. A reportagem também lembra de acusações de corrupção que envolvem outros personagens centrais no processo, como o vice-presidente Michel Temer e Renan Calheiros.
    Éder Mauro, Mansur e Maluf
    A reportagem também cita casos de parlamentares que não estão envolvidos diretamente no processo, mas que apoiam a saída de Dilma Rousseff. O NY Times dá como exemplo o deputado Éder Mauro (PSD-PA), que é investigado por tortura e extorsão, e o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que é acusado de manter 46 empregados em fazendas de soja em condições deploráveis e comparadas a uma escravidão moderna.O texto da reportagem, inclusive, começa com o ex-prefeito paulistano.
    “Paulo Maluf, um congressista brasileiro, está tão mal pelos próprios escândalos de corrupção que os seus próprios eleitores o descrevem com o slogan ‘Rouba, mas faz’. Mas, como uma série de outros membros do Congresso do Brasil atingidos por outros escândalos, o senhor Maluf diz estar tão farto de tanta corrupção no País que apoia a saída da presidente Dilma Rousseff.”
    http://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2016/04/epoca-negocios-impeachment-e-liderado-por-politicos-acusados-de-corrupcao-diz-ny-times.html

  14. Até onde chega o ridículo do nosso judiciário, qua as suas ‘ novas jurisprudências ! Como dizer que as responsabilidades são individuais , personalíssimas e intransferíveis, se a defesa inicial foi feita tanto pela Dilma como pelo Temer. A nossa ‘ Constituição’ virou biruta de aeroporto, que muda conforme os ventos políticos !
    País vergonhoso !
    Discussão sobre separação das contas de Dilma e Temer deve acabar no STF.

    Por: Severino Motta 30/08/2016 às 9:18
    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/judiciario/discussao-sobre-separacao-das-contas-de-dilma-e-temer-deve-acabar-no-stf/

  15. !!!CABUM!!!

    Deve ter sido uma profecia tupinambá para o Brasil se tornar o que se tornou em 2016…

    Hoje o melhor que pode acontecer é apagar tudo, soltar uma bomba H no plenario durante a votação,
    sacodir a poeira e recomecarmos do Zero, uma roda de conselheiros e um bastão para ter a palavra…

    PAÍSES DO PRIMEIRO MUNDO SE TORNARAM PRIMEIRO MUNDO DEVIDO A UMA ÚNICA ATITUDE: ALÍ SE TEM “PALAVRA”

    • Então devemos inocentar Lula e Dilma, Virgílio?!

      Ou queres dizer que a Petrobrás é para isso mesmo, ser roubada pelos governos de ocasião?!

      Ou, o que seria pior, se o governo de FHC foi responsável por roubos contra a estatal, certamente o PT poderia fazer o mesmo, ora!

  16. Newton, a mulher que aludes ser de Eduardo Cardozo é apenas uma jornalista que o conhece. Muitas “notícias” eram dadas a “Isto é” por um funcionário tido como sério. Possivelmente para usufruir vantagens. Não tenho bola de cristal. Leio muita coisa, mas também converso com pessoas que tem credibilidade e proximidade com os atores desse drama. Prefiro acreditar no Newton.

    • Aquino, trata-se de uma mulher muito bonita, diretora da IstoÉ em Brasília, que desfez o casamento para ficar com Cardozo, um caso muito comentado na capital.

      Abs.

      CN

  17. Prezada Eva Dias,

    Não respondeste a minha pergunta quanto à permissão para o PT roubar a Petrobrás porque ela vem sendo assaltada antes do advento da organização criminosa no poder!

    Respeitosamente, mas conjuntura ou estrutura não se aplicam a roubos, corrupção, desonestidade, falhas de caráter, conforme inúmeras demonstrações dadas pelo PT em 14 anos comandando este país.

    Volto a frisar:
    Se a estatal era alvo de falcatruas no passado, que se investigue e se prenda os responsáveis, mas não aceito que os roubos de agora, por Lula e Dilma, caracterizados como os maiores da história sejam amenizados pelos crimes do passado, abrindo uma possibilidade perigosa e grave de que o cinismo e a hipocrisia prevaleçam sobre a ética e moral!

    Lula e Dilma há muito deveriam estar na cadeia, e somente pelos crimes contra a estatal, sem eu ter necessidade de apontar os outros males praticados contra o povo, como por exemplo, o desemprego de DOZE MILHÕES DE CIDADÃOS!!!

    Saúde e Paz, Eva.

    • Senhor, definitivamente:
      Em que momento lhe foi dito que este ou aquele poderiam roubar a Petrobrás. É difícil de entender que eu quis dizer que esta quadrilha não foi a primeira a roubar ? Sabe a diferença de conjuntural para estrutural ? É que problema conjuntural é algo de momento ao passo que estrutural possui vício insanável, é preciso destruir e refazer. Quando afirmo que temos um problema estrutural, estou afirmando que temos uma sociedade apodrecida, fétida, larápia, biltre, torpe ! Rouba-se desde o início e continuam roubando até NESTE EXATO MOMENTO ! Lula e Dilma devem ser condenados à prisão perpétua e, ao final da pena, fuzilados, como diz Hélio Fernandes. Mas não me satisfaço com apenas eles. Quero que paguem eles, seus antecessores e seus sucessores. E que seja assim ainda que o Brasil se resuma a uma centena ou menos de habitantes. Não, Senhor Bendl, não tenho bandido ou malfeitor preferido, quero que todos paguem. Muito menos tenho os olhos fechados. para os crimes cometidos anteriormente. Roubo é roubo, não há roubo maior ou menor. Como também não se deve dizer que fulano “é mais honesto que” sicrano. Isso não faz sentido.
      Saúde e paz, Sir !

  18. Da Veja:

    Sergio Moro voltou a encontrar dificuldades para intimar Cláudia Cruz. Isso porque, até ontem, a residência informada ao juiz e onde ela poderia ser encontrada era a da Presidência da Câmara, não mais ocupada por Cunha, e não havia outro endereço disponível.
    Além disso, por causa das Olimpíadas, a Polícia Federal do Rio de Janeiro tem trabalhado em um regime de plantão, portanto já há uma dificuldade operacional. A Defesa, quando contatada por telefone, tergiversava.

    Mas Moro não vê o “chá de sumiço” da ré como uma tentativa de ocultação, só como uma tentativa de ganhar tempo.
    A estratégia parece ter dado certo. Finalmente, na noite de ontem, os advogados da ré informaram o endereço de Cláudia no Rio de Janeiro e em Brasília.

    Pode isso ? Quero ver todos na cadeia !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *