Dilma Rousseff naufragou no mar revolto da corrupção generalizada

Resultado de imagem para dilma naufragando charges

Fotomontagem reproduzida do blog do MBL

Pedro do Coutto

O título, acredito, sintetiza a verdade histórica que encerra o capítulo final do processo que se iniciou na era Lula e se encerra com aprovação, hoje, do impeachment de Dilma Rousseff pelo voto do Senado. Reportagem de Cristiane Jungblut e Eduardo Bresciani, edição desta terça-feira de O Globo, antecipa praticamente o desfecho de logo mais. De todos os temas em debate, destaca-se o clima que levou às manifestações de rua contra a existência de uma corrupção que se generalizou e se transformou num encadeamento sistemático.

Não fosse a corrupção, que Dilma Rousseff não conseguiu conter e dissolver, os argumentos jurídicos não teriam surtido efeito, como aconteceu. Não adianta Dilma Rousseff culpar Eduardo Cunha. Ele foi, de fato, um dos grandes personagens da corrupção, mas não participou sozinho dela.

Não foram os decretos que levaram aos empréstimos do governo com o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES, que a levaram à queda. Foi, isso sim, para aproveitar o título famoso de William Shirer, a ascensão (maciça) de bandos de ladrões principalmente às fontes da Petrobras.

CONSEQUÊNCIAS – A inflação e o desemprego tornaram-se consequência, não causa. A desarticulação entre receita e despesa também contribuiu, através das desonerações fiscais. Mas o que levou multidões às ruas e praças do país foi a revolta contra o assalto generalizado ao patrimônio público, o conluio entre grandes estatais, as empreiteiras e os ladrões e intermediários.

O governo do PT-PMDB-PP, vale frisar, explodiu com a Operação Lava-Jato e com a atuação exemplar do Ministério Público e do juiz Sérgio Moro. Eles, os acusadores e julgadores, inventaram os fatos concretos? Não. Somente destacaram sua existência.

FATOS CONCRETOS – Negar o fator predominante da corrupção é negar a verdade. É brigar com os fatos, conflito que termina sempre com vitória dos fatos. Hoje, à noite, como se espera, virar-se-á mais uma página da história moderna do Brasil. Pois a história não é só passado, mas também o presente. Ela se escreve e registra no dia a dia, a cada momento que passa.

A conspiração política para o afastamento de Dilma Rousseff ocorreu, negar este aspecto é obscurecer todo o encadeamento de um processo crítico que hoje se encerra. No Senado. Porque, como revela O Estado de São Paulo também na edição de hoje, a ex-presidente vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

Ao STF, em 1955, recorreram também Carlos Luz e Café Filho, presidentes impedidos por votação extraordinária do Congresso. O primeiro ocupava internamente a presidência da República. Café Filho era o presidente efetivo desde a morte de Vargas, em 54, de quem fora o vice. Não obtiveram êxito.

QUATRO IMPEACHMENTS – Aliás, aproveito o fato para esclarecer, ao contrário do que alguns articulistas publicaram, inclusive na revista Veja que está nas bancas, que os dois impedimentos ocorridos na República foram os de Fernando Collor e Dilma Rousseff. Esqueceram os episódios de Carlos Luz, a 11 de novembro, e o de Café Filho, no dia 21. Assumiu a presidência Nereu Ramos, que presidia o Senado. Mas esta é outra questão.

Com a clara votação de hoje, passa-se a uma outra fase da história. Nesta entra em cena o julgamento político, pelo povo, do presidente Michel Temer.

29 thoughts on “Dilma Rousseff naufragou no mar revolto da corrupção generalizada

  1. Interessante o discurso de Dilma, é igual aquele time de futebol, se ganhar jogamos bem, se perder fomos roubados. É sabido que a militância da esquerda não consegue aceitar os princípios do contraditório.

  2. Vou ajudar na árdua tarefa da ficha corrida:

    Senador Lindinho Berg “Farinha”

    – Acusado de montar esquema de captação de propina na Prefeitura de Nova Iguaçu entre 2005 e 2010;
    – Acusado de montar fraude em licitação de gás de cozinha para preparar MERENDA ESCOLAR;
    – Investigado por transações suspeitas entre prefeitura e o Instituto de APOSENTADORIA dos Servidores Municipais (Previni) em valores que chegam a R$ 300 milhões;
    – Acusado de achacar BNDES para financiamento de hotel de R$ 10 milhões em Natal pertencente a seu irmão;
    – Nomeou PAULO ROBERTO COSTA arrecadador de recursos de empreiteiras para financiar campanha de 2014;
    – Recebeu R$ 2 milhões de dinheiro do Petrolão na campanha de 2010 intermediado por Alberto Youssef;
    – Aparece em documento apreendido na Lava Jato sob alcunha de “Lindinho” e a quantia de R$ 200 mil;
    – Responde a 15 inquéritos e uma ação penal no STF (recordista no Senado). Acusado de crimes de responsabilidade, contra o sistema financeiro, quadrilha e corrupção.
    Segue lista abaixo:
    Ação penal 679 – Recusa, retardamento ou omissão de dados técnicos indispensáveis à propositura de Ação Civil Pública
    (Data de autuação: 12/04/2012)
    Inquérito 3079 – Crimes da Lei de Licitações
    (Data de autuação: 08/02/2011)

    Inquérito 3121 – Crimes contra a ordem tributária
    (Data de autuação: 17/03/2011)
    Inquérito 3124 – Crimes da Lei de Licitações
    (Data de autuação: 18/03/2011)
    Inquérito 3135 – Crimes de responsabilidade/crimes da Lei de Licitações/emprego irregular de verbas ou rendas públicas
    (Data de autuação: 24/03/2011)
    Inquérito 3163 – Improbidade administrativa
    (Data de autuação: 18/04/2011)
    Inquérito 3223 – Crimes da Lei de licitações
    (Data de autuação: 08/06/2011)
    Inquérito 3334 – Crimes de responsabilidade/crimes da Lei de Licitações
    (Data de autuação: 21/10/2011)
    Inquérito 3371 – Crimes da Lei de Licitações
    (Data de autuação: 22/11/2011)
    Inquérito 3375 – Crimes da Lei de licitações
    (Data de autuação: 01/12/2011)
    Inquérito 3497 – Crimes da Lei de licitações
    (Data de autuação: 04/06/2012)
    Inquérito 3511 – Peculato/Crimes da Lei de Licitações
    (Data de autuação: 04/07/2012)
    Inquérito 3595 – Crimes contra o sistema financeiro nacional/emprego irregular de verbas ou rendas públicas/quadrilha ou bando
    (Data de autuação: 25/01/2013)
    Inquérito 3607 – Crimes contra as finanças públicas crimes da Lei de Licitações
    (Data de autuação: 13/02/2013)
    Inquérito 3616 – Crimes da Lei de Licitações/corrupção passiva
    (Data de autuação: 13/02/2013)
    Inquérito 3618 – Corrupção passiva /competência
    (Data de autuação: 15/02/2013)
    Fontes:
    http://revistaepoca.globo.com/…/acusacoes-de-desvio-de-dinh…
    http://www.cartacapital.com.br/…/senadores-do-pt-receberam-…
    http://congressoemfoco.uol.com.br/…/presidente-da-cae-e-ca…/
    http://epoca.globo.com/…/o-que-bpaulo-roberto-costab-e-balb…’

  3. Eu quero é saber das premiadas do Pedro Corrêa e do Machado, que já estão homologadas e sumiram…
    A vergonhosa operação abafa do temer está a todo o vapor, há mais de 110 dias não temos uma operação séria da PF…

  4. E coloca-se mais essas almas santas para tomarem conta do galinheiro…

    STF desarquiva ações contra ministros de FHC por improbidade
    Entre os investigados estão Pedro Malan, José Serra, Pedro Parente e outros.
    Quase oito anos depois de ter determinado o arquivamento de duas ações de reparação de danos por improbidade administrativa contra ex-ministros do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), o STF (Supremo Tribunal Federal) admitiu um recurso apresentado pelo Ministério Público Federal e reabriu as ações.
    Entres os alvos estão os ex-ministros Pedro Malan (Fazenda), José Serra (Planejamento) –hoje senador (PSDB-SP)–, Pedro Parente (Casa Civil), além de ex-presidentes e diretores do Banco Central. A informação foi antecipada pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.
    As ações questionavam assistência financeira no valor de R$ 2,9 bilhões pelo Banco Central ao Banco Econômico S. A., em dezembro de 1994, assim como outros atos decorrentes da criação, pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer).
    O caso chegou ao STF em 2002, mas uma decisão do ministro Gilmar Mendes, em 2008, determinou o arquivamento das ações ajuizadas pelo Ministério Público na Justiça de Brasília. O Ministério Público recorreu da decisão de Gilmar Mendes.
    No último dia 15, a primeira turma do STF decidiu acolher o recurso da Procuradoria-Geral da República contra o entendimento de Gilmar.
    Os ministros seguiram o voto da ministra Rosa Weber, relatora do caso. O ministro Luiz Fux não participou do julgamento. O caso está em segredo de justiça.

    http://laurochammacorreia.jusbrasil.com.br/noticias/317100812/stf-desarquiva-acoes-contra-ministros-de-fhc-por-improbidade

    • Ridículo um jornalista como Pedro do Coutto, afirmar q a corrupção começou no governo Lula.

      São cérebros amestrados como estes q ajudam a alienar cada vez mais a população.

      Valdenito de Souza

      • Valdenito, a corrupção começa quando Cabral chegou ao Brasil e, foi sempre endêmica, atingindo o grau de pandemia durante os governos petistas. Não diria que o Pedro do Coutto tem cacife para alienar alguém tal qual o Foro de São Paulo.

      • Prezado Sr. VALDENITO DE SOUZA,

        A meu ver, o grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, em parte alguma do seu Artigo, diz que a Corrupção Política começou no Governo LULA, mas que: “O Governo DILMA ROUSSEFF naufragou no mar revolto da Corrupção generalizada”
        Na prática, a Presidenta DILMA não está sendo impeachada porque criou Moeda/Crédito SEM AUTORIZAÇÃO DO CONGRESSO, ( Pedaladas Fiscais), mas porque a Operação LAVA JATO foi a espoleta que acionou o detonador das grandes Manifestações Populares que explodiram politicamente o Governo DILMA, que hoje não tem mais nem 28 Votos num Senado de 81, para escapar da Condenação.

        • Se não está sendo impichada pelas chamadas “pedaladas”, isto é, fraude contábil que resultou na pior recessão da história, então ela deveria sofrer novo processo.

          Nada foi tão danoso ao povo do Brasil, nos últimos anos, do que isso. Nem mesmo a corrupção na Petrobrás.

      • A corrupção sempre existiu e existirá pois é inerente à natureza humana. A inovação do Lula foi ter feito da corrupção ferramenta de poder. Sarney era o maior ladrão politico do pais, segundo Lula antes; depois virou um homem que merece o maior respeito. Fernando Collor virou aliado. Jader barbalho, que todos vimos conduzido algemado, Maluf!!! e muitos outros, porque? porque “este governo rouba e deixa roubar” ( em homenagem ao presidiário José Dirceu)

  5. Enquanto isso a horda de sonegadores deitam e rolam livremente , Já devem mais de R$ 2,3 trilhões ao fisco e em 2015 sonegaram mais de R$ 420 bilhões, mas ninguém vê, como não viram que os ‘ irmãos Fiesp ‘ deviam como pessoas físicas mais de R$ 20 bilhões…

  6. Quantos cargos de confiança e tranqueiras inúteis ele fechou de fato ? por que ele não acaba com o famigerado sistema S, que leva mais de R$ 30 bilhões/ano e é uma enorme fonte de corrupção ?

  7. Pena que Brizola não esteja vivo. Ele conhecia muito bem o lula, que chamava de sapo barbudo, e tbém Dilma, que veio do PDT. Consigo imaginar os termos que usaria ao se referir aos dois depois de saber do Petrolão. Desta eles escaparam.

  8. Vice de Janot renuncia

    terça-feira, 30 de agosto de 2016 – 17:40 hs. Deixe um comentário.

    O Antagonista

    Ela Wiecko acaba de deixar o cargo de vice-procuradora-geral da República. Sua situação ficou insustentável depois de revelar que Michel Temer está sendo delatado na Lava Jato.

    Wiecko fez tal afirmação à Veja, após ser questionada sobre a participação num protesto contra o impeachment de Dilma Rousseff.

    Em nota à imprensa, a PGR confirmou que “Ela Wiecko pediu dispensa das funções do cargo de vice-procurador-geral da República”. Rodrigo Janot já assinou a portaria de exoneração da procuradora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *