Dilma se enfurece com conteúdo de delação e chama Mônica Moura de “cínica”  

Imagem relacionada

Dilma diz que nunca teve intimidade com Mônica

Deu no Painel da Folha

A ex-presidente Dilma Rousseff assistiu aos vídeos dos depoimentos de Mônica Moura e, por diversos momentos, ficou enfurecida com a narrativa da mulher de João Santana. A aliados, xingou a delatora.

A pessoas próximas, a petista se disse indignada com o que chamou de “cinismo” de Mônica. Dilma sustentou que nunca teve intimidade com ela, e que sua relação de confiança sempre foi com João Santana.

Em nota oficial, a ex-presidente Dilma Rousseff chamou de “falsos”, “inverossímeis” e “patéticos” os relatos contidos nos depoimentos de delação premiada dos marqueteiros João Santana e Monica Moura, cujos vídeos foram liberados nesta sexta-feira pelo Supremo Tribunal Federal. Em nota oficial, Dilma nega ter cometido qualquer crime ou irregularidade e que não indicou ou recebeu pagamento ilícito em campanhas, nem conversou com os delatores sobre caixa dois. A petista acusou o casal de inventar fatos para obter os prêmios pela delação.

NOTA OFICIAL – A respeito das delações feitas por João Santana e Monica Moura, a Assessoria de Imprensa da ex-presidenta Dilma Rousseff esclarece:

1) Mais uma vez delatores presos, buscando conseguir sua liberdade e a redução de pena, constroem versões falsas e fantasiosas.

2) A presidenta eleita Dilma Rousseff nunca negociou doações eleitorais ou ordenou quaisquer pagamentos ilegais a prestadores de serviços em suas campanhas, ou fora delas. Suas determinações sempre foram claras para que a lei seja sempre rigorosamente respeitada. Todos aqueles que trabalharam, ou conviveram com ela, sabem disso.

3) São mentirosas e descabidas as narrativas dos delatores sobre supostos diálogos acerca dos pagamentos de serviços de marketing. Dilma Rousseff jamais conversou com João Santana ou Monica Moura a respeito de caixa dois ou pagamentos no exterior. Tampouco tratou com quaisquer doadores ou prestadores de serviços de suas campanhas sobre tal assunto.

4) É fantasiosa a versão de que a presidenta eleita informava delatores sobre o andamento da Lava Jato. Essa tese não tem a menor plausibilidade. Dilma Rousseff jamais recebeu de quem quer que seja dados sigilosos sobre investigações. Todas as informações prestadas pelo Ministério da Justiça ocorreram na forma da lei. Tal suspeita é infundada e leviana.

5) Causa ainda mais espanto a versão de que por meio de uma suposta “mensagem enigmática” (estranhamente copiada em um computador pessoal), conforme a fantasia dos delatores, a presidenta tivesse tentado “avisá-los” de uma possível prisão. Tal versão é patética. Naquela ocasião, já era notório, a partir de informações divulgadas pela imprensa, que isso poderia ocorrer a qualquer momento.

6) Mais inverossímil ainda é a afirmação de que Dilma Rousseff teria recomendado que os delatores ficassem no exterior, uma vez que todos sabem que mandados de prisão expedidos no Brasil podem rapidamente ser cumpridos em países estrangeiros.

7) É risível imaginar que a presidenta da República recebeu informações de forma privilegiada e ilegal ao longo da Lava Jato. Isso seria presumir que a Polícia Federal, o Ministério Público ou o próprio Judiciário, por serem os detentores e guardiões dessas informações, teriam descumprido seus deveres legais.

8) O governo Dilma Rousseff sempre foi acusado, por diferentes segmentos políticos, de deixar as investigações prosseguirem de forma autônoma, “descontroladas”, não buscando interferir ou obter previamente informações a respeito. E, espantosamente, as acusações agora vão em sentido contrário. É preciso lembrar as declarações do senador Romero Jucá, de que era preciso tirar a presidenta para “estancar a sangria”, “num amplo acordo com Supremo”, “com tudo”.

9) No TSE, foi possível comprovar, nas alegações finais entregues no início desta semana, que tanto João Santana quanto Monica Moura prestaram falso testemunho perante a Justiça. A defesa já pediu investigação e a suspensão dos efeitos da delação premiada, tendo em vista que ambos faltaram com a verdade. As provas estão contidas nos autos do processo no TSE.

10) Dilma Rousseff acredita que, ao final de mais uma etapa desse processo político, como já provado anteriormente em relação a outras mentiras em delações premiadas, a verdade virá à tona e será restabelecida na Justiça.

15 thoughts on “Dilma se enfurece com conteúdo de delação e chama Mônica Moura de “cínica”  

  1. Iolanda, Janete, Wanda, Estela ou Dilma? Só isto demonstra o tamanho de sua esquizofrênia.

    A PF vai esclarecer e mostrar todas as provas, tal como está fazendo com o seu criador.

    2017 será maravilhoso para vocês 2, verão o sol quadrado!

  2. Quem sabe de tua vida é o IP.
    Não perde por esperar.
    Essa eu pago pra ver.
    Sem nenhum espírito de vingança, mas uma pequena dose de sadismo, só pra dar o gosto.

  3. O Trump pediu lealdade ao chefe do FBI; este lhe prometeu somente sua honestidade. Isso é lá nos States. Aqui, temos de sobra esse tipo de gente indecente, incompetente, que rouba o dinheiro da gente. Aos corruptos, o inferno!

  4. Terrorista,ladra,assassina,mentirosa e safada.
    O casal eram dois gênios da comunicação e agora quando começam a narrar a safadeza dessa quadrilha,são mentirosos e levianos.Esse ex-ministro da justiça,é outro bandido e tem que ser preso,um grande calha assim como todo e qualquer petista.
    Mas,tem nada não o documento foi obtido,através de fé pública em cartório,é baton na cueca e,demora nada vai aparecer alguma filmagem com os malfeitos praticados e aí,não terão como negar.

  5. Se Dilma ficou enfurecida é porque há incontáveis verdades ditas pelo casal Santana.

    Afinal os petistas nunca se enfurecem com mentiras. O que lhes incomoda são sempre as verdades!

  6. Carrão, mordomia, segurança. E vai continuar gastando nosso dinheiro se não for presa. A mulher do Cabral é mais decente do que essa comunistinha mortadela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *