Direção do PT paulista critica Eduardo Suplicy

Eduardo Suplicy: abandonado, endividado e criticado, mas fiel ao PT

Gilberto Nascimento
Brasil Econômico 

A direção do PT de São Paulo não quer polemizar com Eduardo Suplicy – derrotado na disputa pela reeleição ao Senado – e evitou responder oficialmente às reclamações de seus aliados sobre o fato de o partido não destinar recursos para a sua campanha. Reservadamente, um dirigente do PT disse que ninguém fará balanço da campanha agora, justificando que o momento “exige a união de forças para eleger Dilma”.

Somente após o dia 30 de outubro, eventuais problemas na campanha serão analisados, informou o dirigente. Petistas próximos a Suplicy disseram que não houve qualquer repasse de recursos ao candidato, que perdeu a disputa com o ex-governador José Serra (PSDB). O senador teve de buscar doações sozinho.

Ainda foi obrigado a dividir com o partido gastos da campanha ao governo. O custo total da campanha petista ao Senado foi R$ 3 milhões. E houve um déficit de R$ 560 mil. O PT ofereceu apenas um aparelho celular ao candidato. Para a direção petista, Suplicy errou ao não ter aceito a proposta de concorrer à Câmara dos Deputados e ajudar a puxar votos para a bancada petista.

RECLAMAÇÕES

Dirigentes reclamaram ainda de assessores do senador não serem filiados nem contribuírem com o PT. Afirmaram que Suplicy não é um petista orgânico, “não ajuda nem obedece ninguém e age por conta própria”. Há reclamações de que ele frequentemente coloca o partido em situações delicadas, como ao trazer ao Brasil a blogueira cubana Yoani Sanchez e ao defender que o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, fosse depor no caso Celso Daniel.

Dirigentes do PT também reclamam de Suplicy por não criticar o adversário José Serra e pedir para que o partido não atacasse a então presidenciável Marina Silva (PSB), alegando que ela pediria votos para ele. Na campanha, Marina apoiou Serra, lembram petistas.

SOBROU PARA DILMA E LULA

Nas avaliações sobre a derrota de Alexandre Padilha na disputa ao governo de São Paulo sobraram críticas também à presidenta Dilma e a Lula, por terem deixado escapar o apoio do PP para Skaf (PMDB). Lula e Dilma teriam liberado a ida dos pepistas, a fim de agradar o vice-presidente Michel Temer.

O cientista social Wagner Iglecias, professor da USP, diz que o conservadorismo se manifesta mais em São Paulo do que em outros lugares porque no Estado “há uma ideia meio generalizada de que as pessoas dependem pouco do Estado e das políticas sociais”. Segundo Iglecias, há avaliação também de que “o Poder Público mais atrapalha do que ajuda os indivíduos em suas iniciativas de empreender algo”.

 

9 thoughts on “Direção do PT paulista critica Eduardo Suplicy

  1. Conservadorismo? Quem disse que o PT é um partido de esquerda? Onde já se viu um partido de esquerda financiado pelo assalto ao Estado e por doleiros, empreiteiras e bancos?

    Ser “progressista” é votar na Organização Criminosa Petista?

    Vamos parar com isso, né, senhores acadêmicos!?

    Se hoje o que chamam de “esquerda” é um bando de corruptos, bandidos e criminosos, pelo menos respeitemos (ainda que não se concorde) com os valiosos militantes históricos da Esquerda Brasileira. Reduzida a pó pós-PT.

  2. Conservadores então são aqueles que não dependem do clientelismo barato do PT? A que chamam de “políticas sociais” que nem tocam no desenvolvimento do país, numa vergonhosa 79a. posição (IDH)?

    Quando, pelo menos, os acadêmicos, verificarão, com seus métodos científicos, que o PT é uma Organização Criminosa a serviço dos setores mais patrimonialistas e criminosos do lixo do lixo de nossas elites marginais?

  3. O PT só ataca Suplicy com argumentos nocivos à ética política. Simpatizo com o ex-senador, que vive no passado inorgânico do PT. Hoje o PT é muito orgânico, isto está em sua química de hidrocarbonetos derivados do petróleo.

  4. O ataque do PT contra Suplicy é uma completa falta de consideração a quem sempre apoiou e ajudou o PT crescer. Este é o padrão PT de reconhecimento.

    Reparem a diferença de postura do PMDB e como estão tratando Sarney ou Pedro Simon.

    Em futuro próximo os novos dirigentes do PT devem entregar um Bolsa Crematório para o Lula, Dilma, Genoino, Dirceu, Delúbio, Jaques Wagner, Gabrielli, Foster, Land Rover, todos mensaleiros, Dólares na Cueca, etc. como reconhecimento do Partido mais Corrupto da História deste país.

  5. Mereceu …
    Um “desligado”, criado no meio de bandidos, pagou para ver…
    Acabou chutado do bar do PT sem maiores delongas..
    Como figura, me lembra o último gatilho do Oeste… mais um que vai para o ostracismo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *