Disputa interna que agita o Supremo é mais empolgante do que a Olimpíada

Charge do Ivan Cabral (ivancabral.com)

Carlos Newton

É um segredo de Polichinelo, que todo mundo sabe, mas ninguém comenta. O clima no Supremo Tribunal Federal entrou em crescente tensão, porque se aproxima o momento de o ministro Ricardo Lewandowski deixar a presidência e antes disso ele pretende pautar nos próximos dias o julgamento das ações que contestam a possibilidade de prisão para réus cujos processos ainda não tenham sido julgados em última instância, ou seja, no próprio STF.

Como terá de transmitir a presidência do tribunal à ministra Cármen Lúcia no dia 10 de setembro, Lewandowski  quer deixar concluído seu dever de casa, digamos assim, mas está encontrando forte resistência.

Com a adesão de Dias Toffoli, que em julho se viu obrigado a libertar seu amigo pessoal Paulo Bernardo e subitamente passou a apoiar a obrigatoriedade do “trânsito em julgado”, o placar agora é de 6 a 5 no Supremo. Ou seja, se apenas mais um ministro acompanhar Toffoli nessa metamorfose ambulante, muitos criminosos de alto nível serão automaticamente soltos, como o ex-senador Luiz Estevão, e a operação Lava Jato terá um encontro marcado com o fracasso.

CHAPA QUENTE – O clima no Supremo já havia esquentado na quarta-feira, quando os sites da grande mídia divulgaram a palestra do ministro Luís Roberto Barroso na CEUB, maior universidade particular de Brasília. No evento, ele simplesmente anunciou a falência operacional do STF.

Com total conhecimento de causa, o ministro enumerou, um a um, os gravíssimos problemas que entravam o funcionamento do tribunal, para então revelar que não há a menor condição de serem realizados os numerosos inquéritos que envolvem parlamentares e autoridades com foro privilegiado. E desabafou: “Não é possível que só eu esteja aflito com isso. Eu durmo pensando nisso, acordo pensando nisso”.

Foi um choque para os outros ministros, mas nenhum deles fez o menor comentário, nem mesmo os boquirrotos Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes, que estão em campos separados. Foi um silêncio assustador. E o clima não esfriou, muito pelo contrário.

FACHIN NO ATAQUE – Na quinta-feira, a temperatura aumentaria ainda mais, porque o ministro Edson Fachin desautorizou o presidente Lewandowski e mandou prender novamente o prefeito de José Vieira da Silva, de Marizópolis (PB), condenado por corrupção e fraude em licitações. Durante o recesso de julho, Lewandowski estava de plantão e concedeu um habeas corpus ao prefeito, alegando que a condenação ainda não transitara em julgado. Mas o relator Fachin não engoliu essa intromissão e colocou as coisas em seus devidos lugares, aumentando a tensão ambiente.

Nesta sexta-feira, não há sessão em plenário, mas os ministros estão excitadíssimos, trocando mensagens entre si. Ninguém sabe o que pode acontecer em meio a uma crise de tamanha gravidade, que atinge o Supremo como instituição.  É uma disputa interna que caminha para uma final mais emocionante do que os Jogos Olímpicos. Embora o assunto seja importantíssimo, a grande mídia finge que nada está acontecendo. E se não houvesse a internet, ninguém saberia de nada.

9 thoughts on “Disputa interna que agita o Supremo é mais empolgante do que a Olimpíada

  1. Caro Newton, assino embaixo, hoje, se a grande Mídia sonega informações, tem a INTERNET, para por a “BOCA NO TROMBONE”. O Presidente da Suprema, estupra e vilipendia a Srª JUSTIÇA,, dando razão ao Joaquim Barbosa, na sua justificativa de não ficar subordinado à Presidência de um AMORAL.
    Esse infeliz, se acha um semi-deus intocável, pode fazer as Merd…que quiser, esquecido que HÁ uma JUSTIÇA QUE JULGARÁ A TODOS NÓS, A “DIVINA” cujo Tribunal é a CONSCIÊNCIA, pelas nossas OBRAS, que nos colocará no inferno do RANGER DE DENTES OU NO CÉU DA LUZ DA PAZ, ALÉM TÚMULO, quem o acompanhar será conivente e solidário com esse “crime de lesa CIDADÃO”
    PERGUNTA:QUANDO O BRASIL VAI SER UMA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA, NA FILOSOFIA DE SÓCRATES: GOVERNO DO POVO
    PARA O POVO, estamos sobrevivendo em republiqueta DEMOCRADURA, COM TANTA CANALHICE EXPLICITA NOS 3 PODERES PODERES, LEMBRO UMA MENSAGEM DE JESUS, O CRISTO: O ESCÂNDALO É UMA NECESSIDADE, MAIS AI DAQUELE QUE O PROVOCAR, É O CASO DAS NOSSAS “ORTORIDADES”, O TÚMULO NOS ESPERA PARA A DEVIDA PRESTAÇÃO DE CONTAS, SÓ LEVAREMOS 3 COISAS: O BEM, O MAL E O BEM QUE DEIXAMOS DE FAZER, ATÉ O CORPO, FICA PARA O BANQUETE DOS VERMES.

  2. Théo, você acredita, mesmo, que a pessoa que tem valores duvidosos na convivência com a sociedade está preocupada com a justiça divina?
    Desconfio que temos que conviver com nossa cultura, nosso DNA, nossas origens.
    Apesar de tudo vale lutar, acreditando que o milagre está próximo e vai chegar antes de o mundo acabar.
    Mas que será muito difícil … será.

  3. Essa foi boa. Tensão entre juízes por revogação de liminar concedida pelo plantonista, aliás, baseado em suas convicções. Conta outra. No direito o conflito de ideias é mais acirrado. Trata-se de conflito de decisões. Eventos que não morrem no pensamento com as elucubrações. Pelo contrário, serão executados contra outras pessoas pela força física do estado.

  4. Pois é……É o Toffoli ainda “NOVO NA IDADE”, servindo ao país “COM HONRA E GLORIA, SE ESPELHANDO NO SIGNIFICADO DE NOSSA BANDEIRA VERDE E AMARELA”…….E tem inocente que acreditou…..kkkkkkkkk

    INOCEEEENTEEE, TADINHO…….kkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *