Divergências no PDT são incontornáveis. Brizola Neto é ministro, mas quem manda no partido é Lupi.

Carlos Newton

Reportagem de Flávia Foreque e Kelly Matos, na Folha, mostra que o novo ministro do Trabalho, Brizola Neto (PDT), confirmou que ainda existem divergências internas no seu partido após ser escolhido pela presidente Dilma Rousseff para comandar a pasta.

Como se sabe, integrantes do partido ligados ao ex-ministro Carlos Lupi eram contrários a indicação de Brizola Neto, que teve o apoio das centrais sindicais e do deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP).

“Existem pequenas diferenças nesse processo todo, que ainda precisam ser equacionadas. Mas a verdade é que o partido está convencido do seu papel e do seu posicionamento no campo político nacional”, admitiu Brizola Neto. O novo ministro afirmou ainda que o PDT tem um compromisso com a história do trabalhismo brasileiro e com o governo de Dilma.

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, também reconheceu a divisão no partido em relação ao nome de Brizola Neto, mas reforçou que ele conta com o apoio das centrais sindicais.

“O nome do Brizola Neto foi muito aceito pelo movimento sindical, portanto ele vai ser o ministro que vai comandar o trabalho com tranquilidade porque tem apoio dos trabalhadores”, afirmou.

###
LUPI ACHA “NATURAL”

O ex-ministro Carlos Lupi, que deixou a pasta em dezembro do ano passado após denúncias de irregularidades, também falou sobre as divergências internas no PDT em relação à escolha da presidente.

“Quando tem disputa pela indicação, é natural que aqueles que não foram escolhidos tenham dificuldade de aceitação”, afirmou. Segundo Lupi, os “momentos de incompreensão estão sendo superados”.

Na verdade, Lupi saiu derrotado e desorientado, porque não queria Brizola Neto e indicou pessoalmente à presidente Dilma os nomes do deputado Vieira Cunha e do secretário-geral do PDT, Manoel Dias. Mas ele não lhe deu a menor atenção.

Brizola Neto já afirmou várias vezes que pretende unificar o PDT, mas não vai conseguir. É missão considerada impossível. Carlos Lupi comanda o partido com mão de ferro, em âmbito nacional. Ninguém consegue derrotar o grupo dele. Brizola Neto pode ser ministro e até representar o PDT no governo. Mas quem manda no partido é mesmo Lupi. E ponto final.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *