Dizer que foi montado esquema para perpetuar o PT no poder é ridículo

Celso Rocha de Barros
Folha

Tudo indica que Lula recebeu favores das empreiteiras, e as autoridades estão cumprindo seu dever quando investigam a natureza desses favores. Mas a história mais ampla sobre política brasileira que foi contada na quarta-feira é muito ruim. Ela parece ser a base para a acusação de que Lula era o “comandante supremo” da “propinocracia”. Isso não vale.

Na visão do procurador Deltan Dallagnol, o PT montou um sistema de distribuição de cargos e propinas que garantiu uma “governabilidade corrompida”, visando a “perpetuação criminosa” do PT no poder. No centro do esquema estaria Lula: sem ele, nenhum dos envolvidos teria sido nomeado para seus cargos. A roubalheira teve como fonte propinas cobradas do cartel das empreiteiras.

Se Lula estivesse no centro do esquema, como argumentou o procurador, poderíamos supor que sua presença nessa rede fosse fundamental para manutenção. Talvez isso seja eventualmente demonstrado, mas os dados disponíveis não o sugerem.

COISA ANTIGA – Tanto o cartel das empreiteiras quanto os aliados que venderam seu apoio ao PT já estavam no ramo antes de 2003. O cartel financiou a campanha de todos os partidos esses anos todos. Só o PT lhes ofereceu favores em troca? Os fisiológicos apoiaram FHC por oito anos, deslocaram-se em massa para o PT até recentemente e agora passaram todos para o lado de Temer. Foi só durante a era petista que essa necessidade de proximidade com a máquina pública foi motivada por interesses escusos?

É inteiramente legítimo responsabilizar o PT por ter participado disso, mas dizer que o sistema foi montado para perpetuar o PT no poder é ridículo. O sistema já estava ali e, aliás, nunca perpetuou ninguém no poder, justamente porque se adapta facilmente a mudanças de presidente.

Mas o principal problema da explicação do procurador não é a injustiça cometida contra o Partido dos Trabalhadores, que já tem culpas suficientes sem essa. O problema é quem ganha com a historinha sobre a propinocracia petista.

ÓRGÃOS FISCALIZADORES – A alternância no poder representada pela eleição de Lula em 2002 fortaleceu os órgãos fiscalizadores. Nem tanto porque o governo do PT, de fato, tomou algumas boas medidas nesse sentido. Muito mais porque alternância, em si, favorece a autonomia dos fiscalizadores.

Os petistas jogaram o jogo enquanto o jogo dava um salto de qualidade e se tornava mais transparente. Eventualmente, foram pegos. Seus adversários só começaram a governar sob as novas regras, sob a luz mais forte, recentemente. Estão brilhando?

Vender essa história de melhoria sistêmica como uma história de degradação petista é, do ponto de vista da Procuradoria, chutar contra o próprio gol. Se as denúncias sumirem após a queda do PT, os novos governantes poderão dizer que isso é normal, pois a “grande organização criminosa” já terá sido derrotada.

BRASIL NOVO? – A Lava Jato é um esboço de um Brasil novo. O tipo de conversa que ouvimos na última quarta-feira pode torná-la só um instrumento na disputa política do Brasil antigo.

Seria uma pena. Esse é o pior momento possível para a esquerda e a Lava Jato brigarem. Quando a direita tentar matar a operação, ainda vai poder embrulhar o pacote como bipartidário, mesmo que, como é provável, só um dos lados consiga salvar seus mandatos

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGEu ia até fazer um comentário, mas é tão absurda a tese do autor (analista do Banco Central que se identifica como sociólogo) que preferi homenageá-lo com uma charge enviada pelo advogado João Amaury Belem, alusiva ao tema. (C.N.)

14 thoughts on “Dizer que foi montado esquema para perpetuar o PT no poder é ridículo

  1. Dizem quer para CORNO, todo castigo é pouco. Sendo assim o PT sofrerá a danação no inferno político até seus últimos dias.
    A diferença entre os outros ladrões e os ladrões petistas; é que os os outros nunca fizeram pregação moral como fazia o PT.
    O PT era aquele que não roubaria, nem deixaria quem quer que fosse. rouba.. Era tudo enganação, os milhões de otários, caíram no conto do bilhete premiado. O camelô passou a sua mercadoria falsificada.
    Pelo menos aprendemos a lição, não venham mais com lorota de governo para os pobres, que não cairemos noutra..

  2. Fui vendedor de uma grande empresa e quando a venda era de valor alto, se houvesse propina era para o comprador e não para a empresa que ele trabalhava.
    Fui dono de uma micro empresa de construção civil durante 17 anos. As obras que fiz para Camargo Correa, Carioca e Fundação Getúlio Vargas etc, havia concorrência, era jogo duro: a melhor proposta com o melhor preço.
    Mas, em obras particulares, como condomínios de prédios e conjuntos habitacionais, se houvesse propina era para o síndico e não para o condomínio.
    É verdade que sempre houve propina em governos anteriores, mas eram pontuais, quem levava a propina geralmente era o funcionário encarregado da seleção e quem indicava qual empresa faria a obra.
    Com o PT no governo institucionalizou-se a corrupção. Em todas as estatais e órgãos públicos, a propina era carreada para o PT, partidos aliados e os corruptos que exigiam a propina. Não há parâmetro de roubalheira o que fizeram com a Petrobrás, Eletrobrás etc.
    O resultado do governo petista, da corrupção institucionalizada está aí, uma crise sem precedente na nossa história.

    .

    .

  3. Perguntinha que não cala :

    Se o Lula, sem o Bessias que foi dentro do envelope, for nomeado Secretário de Abastecimento de Produtos Etílicos do Governo da Bahia, o que ocorre ???

  4. O artigo é um absurdo tão grande que nem dá gosto de se responder. Nem de ler.
    Pra começo de conversa, todo partido busca se perpetuar no poder, e principalmente os que se enriquecem no exercício no poder.
    Faz um bocado de tempo que considero a Folha ilegível, de tanta coisa ridícula que eles publicam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *