Documentos revelam como a Inglaterra investigou “comunismo” de Chaplin

Charles Nisz

Pressionado pelos EUA, o MI5, serviço secreto britânico, espionou Charlie Chaplin após o ator e diretor ter sua entrada nos EUA negada por suposta ligação com o comunismo. O ator foi proibido de voltar aos EUA em 1953, após morar no país por 30 anos.

Os documentos, agora publicados na Internet, não encontraram nenhum indício de atividades comunistas de Chaplin. Nem o MI5 nem o FBI (serviço secreto dos EUA) conseguiram determinar o local de nascimento nem o verdadeiro nome de Chaplin.

Um dos documentos tem muitos recortes de jornal e investiga se Chaplin foi citado pelo Pravda, o maior jornal soviético. Chaplin dizia ter nascido em Londres, mas uma fonte não-revelada dizia que o ator havia nascido na França. Outros especulavam que ele havia nascido na Rússia ou no Leste Europeu.

O segundo arquivo de documentos sobre o ator pedia que ele fosse investigado porque ele seria um espião do governo soviético. O arquivo especulava que o real nome do ator era Israel Thorstein. A investigação britânica nunca achou provas para essas duas teses.

(Transcrito do Yahoo Brasil)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *