Dona Dilma sempre foi contra as licitações. Criadas pela covardia de FHC, que pretendia entregar toda a Petrobrás, revoltaram a futura presidente. Inesperadamente se apaixonou pelas licitações, é a grande defensora. Só que se recusa a chamar de “privatização”, mas não passa disso, tremendos prejuízos para o Brasil.

Hélio Fernandes

Os mais diversos governos aparentam ou exibem um grande meio de confraternizar com a palavra “privatização”. Nem tudo que é “privatizado” é necessariamente ruinoso, prejudicial e perdulário, mas normalmente tem sido. E de tal maneira que os presidentes (o regime é presidencialista, eles podem tudo) mascaram os escondem os fatos, com palavras diferentes.

E não é apenas o receio de usar a palavra “privatização”, mas também a certeza de que desde o início ela já vem maculada e contaminada pelos vícios de criação. FHC, que começou essa onda de entrega do nosso patrimônio, chamou de “desestatização”, criou uma comissão com esse nome, jamais falou em “privatização”.

Todos os membros dessa Comissão enriqueceram fartamente, denunciei a todos (sem livrar o responsável maior, FHC), durante o próprio governo do PSDB. Como repito agora com o governo de Lula Dilma e do PT.

A VERGONHOSA ENTREGA
DO NOSSO PATRIMÔNIO

Para contrapor com a palavra governamental, desestatização, criei outra, verdadeira e justificada diariamente: DOAÇÃO. Era disso que se tratava. O governo FHC doava nosso rico patrimônio, e recebia o que eu identifiquei como “moeda podre”.

O que significavam essas “moedas podres”? O seguinte: o pagamento era efetuado em ações de empresas faliadas ou desativadas ou títulos do governo, não circulou nenhum dinheiro. Então, vejamos: todos esses papéis (como os TDAs, Títulos da Dívida Agrária) não tinham valor algum no mercado, mas tinham um hipotético valor de face.

Alguns deles foram lançados pelo valor inscrito de 5 reais. Mas, no mercado, “valiam”, digamos, 10 centavos. É lógico que o comprador entregava o papel pelo valor de face (inaceitável) e o vendedor aceitava os 10 centavos. O que

fazer se não havia valor (?) menor?. (Mais inacreditável ainda).

FHC TENTA PRIVATIZAR
ATÉ A PETROBRAS

Depois de DOAR tudo, avaliando o patrimônio brasileiro por 50 vezes menor, calculem: de 10 centavos para 5 reais, exatamente essa desvalorização. Quase todas as empresas foram submetidas a essa aritmética criminosa. (A Vale foi

doada toda em ações da Rede Ferroviária, falida e desativada há muito tempo, e que entrou no cálculo já citado. (Existe alguma coisa que se compare a essa operação do Tio Patinhas ao contrário?)

Existia um objetivo global, que era “globalizar” tudo, por qualquer preço. E a meta principal, DOAR a Petrobras, usando lugar comum, “as jóias da coroa”. As multinacionais vibravam com a oportunidade de ganhar a maior empresa

do  Brasil. Mas entrou em campo a covardia inata de FHC, e teve que achar um outro caminho. Criou então as LICITAÇÕES, bifurcação igualmente vergonhosa.

Essas licitações seriam periódicas, os campos de petróleo e gás da Petrobrás, mesmo os mais importantes, seriam entregues a “quem desse mais”. Empurravam pela garganta do cidadão-contribuinte-eleitor (a expressão que criei também na época) a certeza de que dinheiro desvalorizado na mão, valia mais do que as importantíssimas reservas de petróleo e gás.

DONA DILMA ENTRA EM CENA
REVOLTADA COM AS LICITAÇÕES

Só a brava, na época, AEPET (Associação dos Engenheiros da Petrobrás) e este repórter combatiam as loucuras de FHC. Mas ganhamos (o Brasil ganhou) um aliado inicial e aparentemente importante e poderoso: a Ministra Dona Dilma, ainda vagamente presidenciável. Lula já fora reeleito, precisava de um “poste”, ele surgia, só que no feminino.

Já estávamos na sexta LICITAÇÃO. Dona Dilma, cada vez mais revoltada, queria explodir todas as pontes. Foi contida pela cúpula (lúcida e combatente) da AEPET, que argumentou: “Agora, perderíamos tudo, essa LICITAÇÃO não é tão importante. Depois, combateremos com mais chances”. Compreensivelmente, Dona Dilma aceitou, a AEPET dominava o assunto melhor do que ela.

DEPOIS, A GRANDE SURPRESA: DONA DILMA
PASSOU A APAIXONADA PELAS LICITAÇÕES

4 meses depois, o Procurador-Geral do Paraná (autorizado pelo governador Requião), entrava no Supremo contra essas licitações, impetrando uma ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade). Na certa, depois de consultar o presidente Lula, mas de qualquer maneira, altamente surpreendente, Dona Dilma aparece combatendo essa ADIN e DEFENDENDO as LICITAÇÕES. Espantoso.

Telefona para Nelson Jobim, presidente do Supremo, convidando-o para ir ao Ministério, e diz: Essa ADIN não pode ser aprovada, tem que ser derrubada”. Até Jobim se surpreendeu, mas concordou. Voltou ao Supremo, Eros Grau (que atendia Jobim com um simples sinal) pediu vista.

Passaram meses, Jobim coordenava, Dona Dilma cobrava, Grau vistoriava. Um dia, Jobim libera Eros Grau, este devolve o processo que vai logo para a pauta. Votada, a ADIN é derrubada por 7 a 4. O tribunal não era tão Supremo ou intocável. Dona Dilma descobriu o “caminho das pedras”, gostou do acostamento e da pavimentação, passou a transitar por ele, com a maior satisfação e intensidade.

DONA DILMA: TANTA LICITAÇÃO,
POR UMA CAUSA VISIVELMENTE INGLÓRIA

Ninguém é obrigado a defender rigidamente as mesmas idéias. É possível EVOLUIR, no caso, mas trata-se, sem qualquer dúvida, do processo de INVOLUIR. E com obstinação, sempre contra o interesse e, sem coincidência alguma, prejudicando a Petrobras e o interesse nacional.

Temos vários assuntos e questões que representam a violenta mudança de posição de Dona Dilma. Está aí o grande escândalo da MP dos Portos, que domina a atenção do país. Esse provavelmente acabará no Supremo, tantas as irregularidades, ilegalidades e inconstitucionalidades. Nada terminou nessa vergonheira, na qual o PT um dia votava

de uma forma, a favor, na noite seguinte, contrariava tudo, votava contra aquilo que defendera horas ou minutos antes.

PS – Dona Dilma continuou com a mesma “filosofia” de que mais vale dinheiro na conta do que petróleo e gás debaixo da terra.

PS2 – Assim, aceitou 2 bilhões e 800 milhões (uma miséria) entregando fortunas inalienáveis, que podem valer (e valem mesmo) dezenas de vezes mais. Dona Dilma joga fora uma reeleição quase certa, a pretexto de quê?

PS3 – Ninguém (nem mesmo ou principalmente Lula) agora pelo desgaste de Dona Dilma. Do jeito que vão as coisas, ela não será derrotada. Para ser derrotada, tem que concorrer.

“NÃO CHORES POR
MIM, ARGENTINA”

A frase famosa não será repetida de maneira alguma, na morte do general Videla. Foi dos mais cruéis ditadores, criador de tipos novos de violência. Como sequestro de bebês e a morte com o torturado jogado ao mar. Com uma característica especial. As vítimas eram jogadas de aviões ainda vivas, para que ficassem debaixo d’água para sempre. Se fossem jogadas mortas, não os corpos não ficariam submersos, seriam encontrados.

PS – Das ditaduras sul-americanas, foi a mais curta, mas também a mais terrível, sórdida, desumana. E também idiota, pois com a chamada Guerra das Malvinas, ela mesma cometeu suicídio.

PS2 – E se metia em tudo. A Argentina ganhou a Copa do Mundo porque “eliminou” o Brasil fora do campo. Naquela época (hoje acabou), havia classificação por saldo de gols. Precisava vencer o Peru com vantagem de quatro gols, os generais conseguiram.

PS3 – Eu estava lá, conversei com muitos resistentes, e o título de campeão do mundo foi repudiado por muitos argentinos.

Ps4 – Videla morreu na prisão, como devia acontecer com todos os ditadores. Parabéns à Argentina e à sua Justiça. Videla ficou um tempo em prisão domiciliar, depois foi para a prisão de verdade.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

28 thoughts on “Dona Dilma sempre foi contra as licitações. Criadas pela covardia de FHC, que pretendia entregar toda a Petrobrás, revoltaram a futura presidente. Inesperadamente se apaixonou pelas licitações, é a grande defensora. Só que se recusa a chamar de “privatização”, mas não passa disso, tremendos prejuízos para o Brasil.

  1. A propósito de doações de patrimônios públicos, a tristemente famosa “calcinha frouxa” da PUC-Rio foi ontem de manhã entrevistada por uma emissora de rádio de grande audiência e disse que guarda de lembrança a manchete da TRIBUNA DA IMPRENSA com o título FOI DEMITIDA A CARRASCO DAS “PRIVATIZAÇÕES”. Melhorou muito de padrão de vida após a função de carrasco.

  2. Penso que muitas das atividades o Estado, realmente, não deve atuar diretamente, como na questão de transportes, captação e distribuição de água, energia por hidrelétricas já existentes onde melhor que sejam concedidos. Outras, como nos setores de energia eólica e térmicas, telefonia, melhor que apenas detenham poder de regulação do setor.
    Com melhor dinâmica na produção, desempenho e desenvolvimento das empresas, o Estado obterá recursos através dos impostos.
    Um detalhe é importante. Hoje o BNDES financia a maior parte dos recursos para estes setores, com juros pequenos e prazos grandes. É preciso repensar a atuação do BNDES, que atualmente tem favorecido alguns setores da sociedade que não geram divisas para o país, quando tais empresas estão nas mãos de grupos estrangeiros. Portanto, é uma falha.

  3. È impressionante a falta de repercussao na imprensa e entre os cidadaos a entrega do bRASIL aos estrangeiros, na internet a divulgaçao é minima, apenas em sites nacionalistas ja conhecidos mas que nao atingem a grande massa.
    queria saber pq um posso (bloco) de petroleo é “leiloado” por 50 milhoes, se uma petroleira pode extrair isso em uma hora? e ira extrair pelo menos por 30 anos ou sei la por qtos mais prorrogar. queria saber onde a conta vai fechar para o brasil, será que esse tipo de “parceria” ou “concessao” é o melhor para a naçao? me parece obvio que nao.
    a unica esperança é a proxima geraçao consertar as asneiras que as anteriores fizeram. mas pelo menos para os proximos 50 anos analizando o contexto atual e prognostico para o futuro tudo indica que continuaremos sendo o quintal de certas naçoes onde tudo que resta para o pais sao migalhas para se manter o status vigente, afinal o escravo tem que continuar trabalhando para enviar tudo que produz para os seus senhores e tudo isso por um “prato de comida”

  4. O FHC fez o governo mais corrupto, porque principalmente vendido, e poucos atentaram para os 80 em 8 anos de atraso, que foi tal governo, mesmo nesta Tribuna, não haver este tom critico radical deste jornalista, aos corruptos que desde da compra da releição fizeram da politica um “grande negócio” esses corruptores são capazes de tudo mas muitos não querem vê, dizer que os politicos são corrupto é denunciar apenas uma ponto da corrrupção, que se esconde como um iceberg. PARABÉNS por defender o BRASIL e nós trabalhadores dos politicos e empresário que vem dilapidando o nosso patrimonio nacional.

  5. E se de repente acontece: Dilma (PTMDB-agregados), Aécio (PSDEMB-agregados), Serra (MD-PPS-PMN), Marina (Rede), e Leão (PSOL-PNBC-ME) ?

    Pelo menos na Internet, em todo o Brasil, por mais que a midia sacana e continuista da mesmice tente evitar esse confronto de ideias versus dinheiro e fisiologismo eleitoral, os mais antenados, conectados e atentos já perceberam que é essa a briga que já está no ar.

    A situação de Campos, Serra, Aécio e Marina, enquanto oposição, é muito complicada com vistas a 2014 porque eles, por mais que tentem forçar a barra e negar isso sem conseguir provar o contrário, correm na mesma raia do velho continuismo da mesmice em que corre a situação com mais sucesso que eles. E o tempo que é implacável, e senhor da razão, desta feita, nos colocou diante de uma grande e histórica bifurcação, que nos impõe apenas duas vias a seguir: o continuismo da mesmice (oposição e situação), ou a Mega-Solução (HMM-PNBC-ME), como nos propõe o HoMeM do Mapa da Mina do bem comum do povo brasileiro, raia essa na qual existe lugar para qualquer um dos grandalhões porém apenas na condição de Vice. E daí restam a Campos, Aécio, Serra e Marina apenas duas opções: continuismo da mesmice (oposição e situação), ou adesão à Mega-Solução. E vocês decidem. E o tempo urge.

    O modello de república político-partidária-eleitoral é uma aberração. Urge evoluirmos. Apostar na bagunça, na confusão e no retrocesso (à paisana ou fardado) e vitaminar as alcatéias (inclusive a dos lobos travestidos em peles de cordeiros) é continuar condenando as ovelhas à morte. Urge colocarmos, democraticamente, na pauta dos Debates e Soluções o modello de república político-partidária-eleitoral com efeito bumerangue, com prazo de validade vencido há muito tempo, como propõe o HMM-PNBC-ME, antes que a desgraça e maldição do retrocesso, inimigo capital da evolução do Brasil, aliado às implacáveis Leis de Murphi e de Gerson, nos condene por mais algumas décadas à involução e ao atraso. Xô retrocesso. Xô satanasada. Evoluir é preciso.

    Não é mais possível continuarmos apostando no modello “caixa dois”, “governabilidade mensaleira”, “dá ou desce”, “quanto pior melhor”, “mata-mata eleitoral”, “tomaladacá”, “quem indicou”. ” manda quem pode obedece quem tem juizo”, “para os amigos tudo para os adversários o rigor da lei”, “dinheiro e esquemas quem mais tem mais leva vantagens”, “quem não é a favor é contra”, etc. e tal, como sempre nos impuseram no pós-império e continuam nos impondo a situação, a oposição e o golpismo, via continuismo da mesmice. Nenhum país do mundo consegue evoluir enquanto refém de um modello tão praguejado. Basta.

  6. O total Monopólio Estatal do Petróleo Brasileiro, prospecção, produção, refino, transporte, distribuição, etc, exercido por uma única Empresa Estatal, a Petrobras SA, existente até o Governo Geisel, não foi suficiente para a auto-suficiência em petróleo, muito menos para exportar. Começaram então os Contratos de Risco de exploração de petróleo. Com o fraco Governo FHC, se implantou a ANP, se leiloaram Blocos em Contratos de Concessão, e se vendeu Ações Preferenciais da Petrobras (as que não tem direito a Voto) no mercado internacional, capitalizando a Petrobras SA. O bom Governo Lula/José Alencar, agora continuado pela Presidenta Dilma/Temer capitalizaram ainda mais a Petrobras, basearam seu plano de expansão da Petrobras no Pré-Sal, onde a Petrobras instalará nos próximos 10 anos, 20 Mega-plataformas de 200.000 barris/dia com toda a infra-estrutura, à base de 2 Mega-Plataformas/ano, a começar de 2013. Lula/José Alencar decretaram que no Pré-Sal, onde inegavelmente está o grosso do petróleo Brasileiro, os Contratos seriam “de Participação”, ou seja a produção seria +- 40% da União, e +- 60% da Petrobras, diferente dos Contratos de Concessão, onde todo o petróleo pertence a Companhia Concessionária, e que a Petrobras em todo o Pré-Sal teria no mínimo participação de 40% no Consórcio Explorador. Os melhores Blocos, como o das 20 Mega-Plataformas seriam 100% da Petrobrás. Além disso, Presid. Lula/José Alencar decretaram que todas as Plataformas/Navios Sondas/ Auxiliares, etc, deveriam ser fabricados no Brasil e com um mínimo de 65% de Nacionalização, mesmo tendo um custo inicial mais caro do que comprado pronto do Oriente, para desenvolver a Indústria Nacional, e de fato a Industria do Petróleo que era de +- 3% do PIB(Produto Interno Bruto) em 2002, hoje atinge 13% do PIB, e com viés de alta. Mesmo assim, a Petrobrás não tem Capital para explorar tudo no Brasil, só o seu Plano de Investimentos até 2020 exige quase US$ 300 Bi, como ainda explorar também esses Blocos que foram leiloados agora, apesar de que nos melhores a Petrobras ainda participa com 30%, 20%, etc, mas uma coisa é certa, não pode fazer tudo sozinha. Gostemos ou não do Presid. Lula/José Alencar, foram corajosos ao fazer o que fizeram, porque as pressões foram enormes. A presidenta Dilma/Temer lhe segue os passos. Para ser perfeito, deveríamos exigir das Empresas Petrolíferas que participaram do Leilão de Blocos, que formassem Joint-Ventures com Empresas Brasileiras, mas não sei se assim, houveriam candidatos. A meu ver, o importante é que a exploração de petróleo, como de todo o resto, seja feito por Empresas de maioria Capital Nacional, Estatal ou Privado. Abrs.

  7. Caro Hélio Fernandes, essa ADIN do Roberto Requião para derrubar a lei 9478,foi no governo Lula, naturalmente Dona Dilma se empenhou para mante-la com autorização e conivência do Lula.
    A ditadura fez muito mal ao país, mas não tiveram coragem de entregar o nosso patrimônio,
    (ponto para a ditadura) como vem fazendo os governos civis.
    A Petrobrás começou do zero, sem ajuda tecnológica e financeira estrangeira, ao contrário,
    tudo fizeram com ajuda dos vendilhões da pátria para inviabilizá-la. No início, a gasolina
    refinada pela Petrobrás, fedia, tinha cheiro de fezes, mas veio melhorando e a empresa crescendo. A empresa tornou-se a mais importante do país. Depois de todos esforços e gastos, para descobrir áreas onde existe petróleo, os governos do PSDB e PT, resolvem entregar às
    multinacionais esse patrimônio.
    Ninguém fica rico com dinheiro emprestado, senão com seu próprio esforço e trabalho, assim
    como, nenhum país cresce e se desenvolve dominado por multinacionais.

  8. “Mas ganhamos (o Brasil ganhou) um aliado inicial e aparentemente importante e poderoso: a Ministra Dona Dilma, ainda vagamente presidenciável.”
    Referência a Dilma, que um dia talvez pensasse no Brasil

    “DEPOIS, A GRANDE SURPRESA: DONA DILMA PASSOU A APAIXONADA PELAS LICITAÇÕES
    4 meses depois, o Procurador-Geral do Paraná (autorizado pelo governador Requião), entrava no Supremo contra essas licitações, impetrando uma ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade). Na certa, depois de consultar o presidente Lula, mas de qualquer maneira, altamente surpreendente, Dona Dilma aparece combatendo essa ADIN e DEFENDENDO as LICITAÇÕES. Espantoso”.
    Referência a Dilma, que em outro dia talvez já não mais pensasse só Brasil

    Senhores, lendo este primoroso texto do jornalista Hélio Fernandes ao qual cita a repentina mudança da nossa presidenta num passado não muito distante a respeito das licitações, lembrei-me de um longo texto que escrevi em 2006 defendendo o “nosso” Lula.
    Claro, minha defesa, de um simples João não vale um vintém, mas o Lula era o meu Messias e eu tinha que dar minha contribuição à sua reeleição. E como eu contribuiria? Transformei este meu texto em e-mail e enviei para umas 300 pessoas. Só não sei se consegui convencer algum eleitor do Alckmin mudar de ideia e votar no Lula.

  9. Só sabem blefar
    Lula x Os Valentões

    Acho que ainda está para nascer no Brasil um estadista de verdade.
    Aquele tipo de presidente dotado de coragem e que sabe impor respeito a seu povo e também às nações amigas ou inimigas.

    Heloisa Helena foi a um debate na sede do Jornal o Estado de São Paulo.
    Ao ser questionada sobre a influência do Hugo Chavez na América do Sul ela respondeu: “Se eu for presidente, nem Bush e nem Hugo Chavez manda no meu governo”

    Meu comentário a respeito das palavras da Senadora:
    “Meu povo, não se deixe enganar por políticos que andam por aí soltando palavras ásperas e demagógicas.
    Tenha muito cuidado, pois antes são verdadeiros Hércules. Quando ganham as eleições em vez de fazer os 12 trabalhos só fazem UM ou NENHUM. A mim não enganam.
    A bem da verdade TODOS OBEDECEM A MESMA CARTILHA
    A cartilha imposta pelo FMI, Reagan, Bill Clinton, Bush, Capital estrangeiro, Banqueiros brasileiros, Rede Globo e que foi lida e obedecida por Sarney, Collor, Itamar Franco e FHC será a mesma para Heloisa Helena.

    Já disseram que a Heloísa Helena é “uma mulher de fibra, de perfil contestador/revolucionário, corajosa, conhecedora dos meandros da política, batalhadora incansável em prol de uma melhor distribuição de renda e condições dignas para o povo brasileiro.”
    Minha Resposta: Este discurso eu já ouvi antes. Mudei o lado do disco e tornei a ouvi-lo igualzinho.

    E li num Orkut: “Se quisermos mudar o país através do voto, chega de PT, PSDB, PMDB, PFL e afins.”
    Minha Resposta: Este outro discurso também já ouvi antes. Nem vou mais mudar o lado do disco, pois os discursos são os mesmos, só mudam as pessoas.”

  10. Faço este comentário a respeito da senadora que quer ser presidente:
    “Dona Heloísa Helena, a senhora quer enganar a quem? Já sei, a senhora está conseguindo enganar a uma meia dúzia de gatos pingados não é?
    Pergunto: A senhora vai se dirigir à Bush com o dedo em riste?
    A senhora tem um exército poderoso para desafiar e até confrontar o Império?
    Tem uma bomba Atômica?
    Tem aliados poderosos? Quem são eles? Seria Fidel Castro, Mahmoud Ahmadinejad do Irã ou Kim Jong-il da Coréia do Norte?
    Se a senhora tentar ignorar e criticar a política de Bush pode criar um impasse diplomático com os EUA, daí é ruim para nós povão. Como a senhora é a presidente vai continuar nas mordomias, comendo e dormindo bem, não sofrerá nenhuma privação tipo a que o povão sofre ao ser retaliado por um país poderoso ou pela ONU. Aí a senhora vai ficar o dia todo ao telefone ligando para FHC para pedir conselho e apoio do PSDB, pois seu ministro das relações exteriores nem vai ter cara de ir até a ONU falar alguma coisa. E mesmo que vá ninguém vai ouvi-lo.
    Eu diria a senhora que a valentia do Hugo Chavez só faz prejudicar o povo venezuelano.
    Bem verdade que o Fidel governa um país nanico, mas teve a coragem de confrontar os EUA. Só que sofreu um embargo econômico que dura até hoje.
    Como a senhora vai conseguir construir 7 milhões de moradias? Talvez a senhora queira contratar uma fábrica de brinquedos e encomendar 7 milhões de casinhas de brinquedo…
    Saiba que se a senhora for presidente do Brasil não terá maioria no congresso nacional. Aí a senhora vai ter que ceder aos partidos dando-lhe algo em troca de apoio e claro, a senhora vai ter que criar um balcão de negócios, coisa que a todo o momento a senhora critica.
    A senhora tem jogo de cintura para governar este país de corruptos? Não, não tem!
    Ou a senhora pensa que sabe governar uma nação ou sabe que não tem condições, mas insiste mesmo sabendo que vai ser uma marionete da Globo, dos banqueiros, de Tasso Jereissati, de Aécio Neves, de FHC, Sarney, Arthur Virgílio, Michael Temer e de outros políticos que só sabem se dá bem nos negócios da política e afundar o Brasil.
    JUÍZO DONA HELOISA HELENA!!!”

  11. Ao lerem o que escrevi acima alguém vai pensar: Esse cara é um colonizado pelos americanos, é um puxa saco de Bush, é um escravo do imperialismo, é um pobre coitado sem esperança etc.
    Não é nada disto, estou mostrando o que é real. INFELIZMENTE NESTE PAÍS AS COISAS FUNCIONAM ASSIM.

    Em 1º de maio de 2006, Dia Internacional do Trabalho, o presidente da Bolívia, Evo Morales, assinou um decreto que nacionalizou a exploração dos hidrocarbonetos, recursos dos subsolo boliviano, como o petróleo e gás.
    O anúncio da promulgação do decreto foi feito em uma refinaria da Petrobras que acabara se ser ocupada por homens das forças armadas bolivianas, assim como todas as outras instalações de empresas internacionais que exploram petróleo e gás ali.
    O decreto determina que o governo boliviano passa, a partir de agora, a dominar a exploração de gás e petróleo no país, determinando, por exemplo, o quanto deverá ser produzido em cada unidade e realizando a comercialização dessa produção, por intermédio da estatal de petróleo YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos).
    As empresas do setor, em sua grande maioria estrangeiras, passam ao controle do Estado boliviano, também na figura da YPFB, que terá 50% mais uma das ações destas companhias.
    As empresas estrangeiras terão 180 dias para negociar as adaptações à nova legislação. Terminado esse prazo, aquelas que não se enquadrarem têm de deixar o país.
    Além disso, o imposto sobre a exploração de gás, que era de 50%, passa a 82%.

  12. Acima você acabou de ler sobre o episódio envolvendo Brasil x Bolívia.
    E aqui está o meu comentário a respeito:
    Sobre o problema com a Bolívia alguns políticos da oposição, os “valentões”, criticaram o Lula achando que o mesmo deveria ter dado uma resposta dura ao Evo Morales.
    O Gerado Alckmin chegou a falar que o Lula foi um covarde e se não me falha a memória também falou que nosso presidente tem medo do Evo Morales.
    Houve até alguns exaltados que achavam que o Brasil deveria invadir a Bolívia.
    Eu diria que se o FHC, o valentão Arthur Virgílio, Alckmin, Tasso Jereissati, Jutahy Júnior ou qualquer outro que fosse presidente brasileiro agiria igual ou pior que o Lula. Eles estão jogando para a plateia.
    Para fazer oposição ao Lula ficam jorrando valentia.
    O FHC quando presidente se tremia de medo do ACM. Li que algumas decisões que ele tomava, antes telefonava para o senador baiano.
    Certa vez o Pedro Simon falou que a santíssima trindade do governo FHC era ACM, Luís Eduardo e o PFL.
    Na primeira campanha presidencial do FHC seu PSDB fez alianças com outros partidos.
    Quando foi fechada a dobradinha FHC (PSDB)/ACM (PFL), logo após a dona Ruth (esposa do FHC) falou que não simpatizava com o PFL do ACM e que preferia o FFL do Gustavo Krause. Acho que o FHC deve ter dado um bom carão na Dona Ruth por ter ofendido o todo poderoso ACM.
    Já ao Alckmin que está recebendo o apoio do PFL do ACM eu lhe diria que se ele fosse o presidente teria que governar ao modelo carlista ou então tomava muitos cascudos.
    E agora eu pergunto: Que moral tem estes senhores para chamar o Lula de covarde?”

    Continue lendo e perceba que os oposicionistas de Lula ao criticá-lo no episódio com o Evo Morales é só blefe.
    Estes valentões no poder ou fora do poder a nível tupiniquim devem obediência ao Dr. Roberto Marinho e ACM.
    A nível internacional tiram o chapéu e baixam a cabeça para os poderosos do capital norte americano.

    SE OS HOMENS PÚBLICOS BRASILEIROS SÃO SUBMISSOS AOS DONOS DO CAPITAL NACIONAL IMAGINEM SUA SUBMISSÃO AO CAPITAL DOS DONOS DO MUNDO AÍ INCLUINDO AS GRANDES MULTINACIONAIS, FMI, EUA, BANCO MUNDIAL, BANQUEIROS ESTRANGEIROS, BUSH ETC.

  13. Leiam este exemplo e vejam quem realmente mandou na nossa economia no governo do FHC.
    “Um americano lançou um livro com o título: A MELHOR DEMOCRACIA QUE O DINHEIRO PODE COMPRAR. “Greg Palast, o maior jornalista investigativo do mundo, vira pelo avesso as tramóias e conspirações que levam ao saque globalizado-com ênfase nas privatizações brasileiras. (Tudo está a venda, principalmente governos. Bastam definir o preço e impor as condições por meio da força, da grana e da fraude).
    “Quando era menino, o secretário do Tesouro dos EUA, Robert Rubin, sonhava em ser presidente do Brasil. Em 1999 seu sonho se realizou. É claro que, como tem endereço em Washington e nacionalidade americana, Rubin conquistou o controle do país da única maneira que podia – através de um golpe brilhante.”
    Neste livro é dedicado um capítulo ao Brasil. Conta as falcatruas feito por FHC e Cia para ser reeleito e chama o mesmo de presidente nominal (governa só no nome). Mostra também como o Brasil foi governado de fora para dentro.
    Diz o livro: “O processo de “reformas” impostos por credores externos não se limita à tomada de bens de estatais. O Brazilian Council da Grã-Bretanha promoveu uma reunião em Londres, em novembro de 1998, sobre os serviços públicos do Brasil.
    O Plano Mestre do Banco Mundial propõe cinco aperfeiçoamentos para esse país que tem o menor compromisso com a educação e outros serviços públicos do hemisfério.
    Diz o documento: Reduzir salário e benefícios,
    Cortar pensões,
    Aumentar as horas de trabalho,
    Reduzir a estabilidade no emprego e o emprego.”
    “Mas a recompensa, a linha de crédito de 42 bilhões de dólares, não vai, em última instância, pingar sobre as pessoas pobres nos barracos? Não, diz Ildo Sauer…..”

    A respeito do texto acima eu diria que: FHC fez de conta que governou o Brasil. Agora imagine o Alckmin, prometendo mundos e fundos para o povo. Se o intelectual foi um subalterno na mão dos gringos imaginem este outro pedessista!

  14. Como candidatos a presidente do Brasil nas eleições de 2004 além do Lula tinha como candidatos o FHC, Paulo Maluf, Quércia etc.
    Estes três últimos personagens bem antes das eleições visitaram o Roberto Marinho. Claro, queriam o apoio do todo poderoso das comunicações.
    Provavelmente ao receber os três políticos o Dr. Roberto não prometeu naquele momento apoiar nenhum deles.
    Dias depois o Roberto Marinho telefonou para o Quércia e provavelmente para o Maluf e falou que ia apoiar o Plano Real. Sabemos que o Plano Real foi criado no governo do presidente Itamar e FHC era seu ministro da Fazenda.
    Também o Fernando Henrique era tido como honesto, intelectual e claro, estava em alta devido o Plano Real que diziam ter melhorado a vida do brasileiro.
    Quanto a Maluf e Quércia eram dois políticos já desgastados e pesavam sobre eles denúncias de corrupção.
    Pois bem, assim são nossos políticos, para chegarem a presidência fazem todo o jogo sujo, caluniam uns aos outros e antes tinham que receber a benção do Dr. Roberto Marinho que era o homem mais poderoso do Brasil.
    Nos dias de hoje não existe mais o Roberto Marinho, mas sua TV Globo continua influente, não como nos tempos do Imperador da mídia.
    Como não tem mais o Roberto Marinho o Alckmin procura apoio do decadente ACM e seu PFL.
    Minha intenção ao citar a valentia da Heloisa Helena, do Geraldo Alckmin, FHC etc. é para lhes mostrar que no Brasil o político só é retado enquanto não chega ao poder. Lá chegando só faz o que lhe impõem.

  15. E AQUI FAREI UM COMENTÁRIO PESSOAL A RESPEITO DE EX-PRESIDENTES BRASILEIROS:

    São uns medrosos que não souberam desenvolver nossa nação e educar o povo. Governam para as elites.
    Vejam que tipo de governantes nós temos: Presidentes fracos e submissos.

    TEM GENTE QUE IMAGINA QUE O TANCREDO NEVES FARIA UM GRANDE GOVERNO. SERÁ?
    Acho que ele seria apenas mais um…
    Muitos achavam que o Tancredo seria a salvação. O mesmo morreu antes de assumir a presidência e virou mártir.
    Teve até uma editora de livros que ao publicar biografias de grandes líderes da humanidade incluiu o Tancredo Neves.
    Quando o Itamar assumiu a presidência um repórter da TV Bandeirantes perguntou ao jogador Sócrates se a partir daí ele acreditava no Brasil. O mesmo respondeu: – Nem daqui a 100 anos.
    Por concordar com o jogador sempre uso sua opinião como exemplo nos meus bate papos nos barzinhos.
    Acho que se o Tancredo assumisse a presidência o país não estaria melhor e se estivesse era coisa em torno de 2 a 3% melhor do que aí está.
    Quando o Figueiredo morreu a revista Veja publicou alguns depoimentos do mesmo e num deles ele fala que o Tancredo não era bem aquilo que falavam a respeito do mesmo. (o ex: presidente estaria com a razão?).
    Acho que as belas frases do Tancredo jamais se tornariam realidade. Sobre o pagamento da dívida externa ele disse uma frase que ficou conhecida na época. Não lembro a frase completa, mas nela diz coisas tipo “Não pagaremos uma dívida com o suor do povo… “. Outra das suas frases foi: “Enquanto existir no mundo alguém sem trabalho, pão, teto e letra toda prosperidade será falsa”. Tudo lindo de se dizer, eu queria ver se colocar na prática estas belas palavras.
    Também nunca engoli a história do Tancredo como cordeiro governar cercado por raposas de todos os lados e fazer um governo que viesse a satisfazer os anseios do povo.
    Não precisa falar que o mesmo só ganhou as eleições no Colégio Eleitoral porque se coligou com o PFL filho da ARENA que era o partido do governo dos militares. E veja quem era seu vice: José Sarney que veio da ARENA e sempre apoiou os militares. Com a morte do Tancredo Neves o dono do Maranhão assumiu a presidência.
    Li em algum jornal ou revista alguma coisa referente ao Tancredo onde o mesmo falou que preferia brigar com o ministro do exército que com o Dr. Roberto. Isso é lá homem pra governar uma nação?!!!
    Imaginem o Bush falando que prefere brigar com o Pentágono que com Ted Turner, Bill Gates ou com o dono do grupo AOL Time Warner (se comenta a influencia da indústria bélica e outras grandes corporações na Casa Branca, mas seu presidente mostrar seu medo tão explicitamente é demais, humilhante!).
    Um presidente de uma nação antes de tudo tem que: Ter coragem, ter pulso forte, saber se impor diante de subordinados…
    Todo presidente brasileiro teme o poder da Globo. Principalmente os presidentes civis.
    O presidente Figueiredo que era militar ao dar uma concessão de TV ao Sílvio Santos se indispôs com o todo poderoso Roberto Marinho.
    Após Tancredo ganhar as eleições foi almoçar com o Roberto Marinho, também participou deste almoço o ACM que logo depois foi anunciado como Ministro das Comunicações. Dá pra imaginar quem indicou o ACM como ministro? Como sabemos, o ACM era amicíssimo do Dr. Roberto.

    Vocês sabiam que o Roberto Marinho indicou pessoalmente um ministro de estado?
    Pois é, foi no governo do Ribamar.
    O RIBAMAR como presidente telefonou para o homem forte do Brasil, o Dr. Roberto Marinho, lhe pedindo ajuda na escolha de um ministro.
    Vejam como foi: Sarney por telefone diz – Por favor, me ajude a escolher um ministro da Fazenda.
    De imediato o Roberto Marinho foi a Brasília e a pedido do Ribamar o mesmo sabatinou o Maílson da Nóbrega e deu o aval.
    Então Zé Ribamar pede um último favor ao Roberto Marinho: – Agora dê a notícia no Jornal Nacional.
    Que vergonha, que submissão, um presidente sem autoridade, coisa de republiqueta.
    FHC foi um presidente que governou por um bom tempo temendo a ACM e ao seu filho Luís Eduardo e segundo a revista Carta Capital este presidente sociólogo chegou a ligar para os Marinhos para lhes relatar o andamento das leis sobre telecomunicações que seriam criadas no seu governo.
    Quer dizer, antes de aprovar as leis o presidente consultava seus padrinhos. É o medo do poder da Globo.
    Alguns ex-presidentes e mais GETÚLIO VARGAS E JUSCELINO KUBITSCHEK eu nem tive o trabalho de pesquisar, pois sei que os mesmos nunca fizeram nada de grandioso para a nação e seu povo.
    Getúlio Vargas, pai dos pobres (dizem) fez leis trabalhistas que já tinham em outros países, então ele não inventou as leis, fundou a CSN e a Petrobrás.
    Juscelino Kubitschek traz montadoras para o país….

  16. Tudo que você leu acima foi sobre o comportamento e como agem nossos políticos e governantes.
    Muita valentia, corrupção, promessa, demagogia, acusações mútuas e submissão à TV Globo.

    ELES TÊM GOVERNANTES MELHORES QUE NÓS!

    O que você vai ler a partir daqui é uma mostra de como agem os governantes do primeiro mundo.
    Serve de exemplo para nossos presidentes medrosos, submissos e omissos.
    Acho que entre um estadista brasileiro (aqui tem isso?) e um estadista estrangeiro existe uma grande diferença.
    Limitarei a falar um pouquinho de 3 ex-presidentes americanos e um ex-chanceler alemão.
    Não citarei Charles de’gaulle e Winston Churchill por falta de espaço.
    Vejam como um presidente americano sabe se impor diante de um general importante e poderoso:
    Lembram quando escrevi: “Um presidente de uma nação antes de tudo tem que: Ter coragem, ter pulso forte, saber se impor diante de subordinados…”
    Agora leiam, tomem como exemplo e contem para seus filhos e netos a história de um ex-presidente americano que soube se impor perante um general do exército americano que por ser poderoso e herói de guerra achava que estava acima do poder do morador da Casa Branca. Deu-se mal, pois o grande homem que presidia os EUA não o temeu…

    “Estamos em plena Guerra da Coréia.
    As relações entre o presidente Harry Truman, dos Estados Unidos, e o general MacArthur, comandante supremo das forças da ONU no Extremo Oriente, estão longe de ser cordiais.
    MacArthur porta-se como um rei, quer seguir a sua política, ignora o “homenzinho” da Casa Branca.
    Um encontro é então combinado entre os dois, para acertar as divergências.
    MacArthur recusa-se a vir até Washington;
    Truman julga impossível ir até Tóquio.
    Estabelece-se um lugar mais ou menos a meio caminho, na ilha de Guam. Ali os dois poderão conversar, sem “perda de face” para nenhum deles.
    O avião de MacArthur chega primeiro, mas não pousa imediatamente. Fica rodando sobre o campo. O general não quer estar em terra, à espera do presidente. Prefere que o contrário aconteça.
    O avião de Truman aparece, percebe a situação, ordena ao de MacArthur que desça. No campo, o general vai para a sala de estar do aeroporto. Não fica na pista juntamente com as demais autoridades, aguardando o aparelho presidencial que acaba de aterrissar. Mas Truman não sai. Manda dizer que só descerá do avião quando MacArthur estiver de pé, na fila embaixo da escada, para cumprimentá-lo.
    No dia seguinte é o encontro. MacArthur chega quarenta minutos atrasado. Agora entra na sala, e os dois homens estão cara a cara: o herói da guerra do Pacífico contra os japoneses, depois comandante das forças de ocupação do Japão, no presente liderando as tropas que, sob a bandeira da ONU, lutam pela independência da Coréia do Sul. Orgulhoso, com enorme prestígio popular e político nos Estados Unidos, coberto de condecorações, habituado a comandar.
    Em frente dele, o presidente americano, “ex-proprietário de uma loja de artigos para homens, no Missouri, ex-senador, ex-vice-presidente chegado à Casa Branca por morte do grande Franklin Roosevelt”.
    Truman é o primeiro a falar. Ele diz simplesmente: – General, pouco me importa o que o senhor pensa do indivíduo Harry S. Truman. Mas foi a última vez que o senhor fez o presidente dos Estados Unidos, seu comandante-chefe, esperar. Fui bem claro?
    MacArthur não teve alternativa senão perfilar-se e murmurar: – Sim, senhor.
    Não muito depois, Truman o demitiria sumariamente do seu comando, apesar de todas as medalhas e de toda a pose do general, apesar da exploração política que os oposicionistas republicanos fizeram em torno do caso.
    A importância do episódio está em dramatizar um dos traços dominantes – talvez o traço dominante – da personalidade de Harry S. Trumano: a coragem.
    A decisão de enfrentar a arrogância de MacArthur, aceitando os riscos políticos nela implícitos, é apenas uma amostra, e não das mais expressivas, do que era capaz o “homenzinho do Missouri”.”

  17. Ao lerem o texto acima vocês perceberam como um presidente civil americano sabe se impor diante de um general do exército.

    FRANKLIN DELANO ROOSEVELT – Subiu ao poder com os EUA em crise.
    Em 1929 houve a quebra da Bolsa de valores de Nova York.
    Fazendas e fábricas, sem condições de sobreviver face ao restrito mercado consumidor, vão à falência, ampliando para milhões o número de desempregados. O número de falências no sistema bancário norte americano chega à impressionante cifra de 5 mil bancos.
    A crise se torna mundial porque as filiais de bancos e indústrias americanas quebram em diversos pontos do globo.
    O ROOSEVELT no poder cria o New Deal (novo acordo), termo aplicado ao programa do presidente norte-americano Franklin D. Roosevelt, pelo qual ele procura recuperar a economia dos Estados Unidos e acabar com a Grande Depressão. Houve intervenção do Estado na economia para diminuir os focos de tensão social, por meio de grandes investimentos públicos: construção de estradas, usinas, escolas etc. O objetivo é melhorar a distribuição de renda, a fim de aumentar a capacidade de absorção do mercado interno.
    O New Deal foi o conjunto de medidas novas adotadas para combater a Crise. O Estado passou a investir na construção de grandes obras públicas, tornando-se o principal agente do reativamento econômico.
    O new deal, a maior revolução política jamais experimentada no capitalismo.
    Resumindo o que tirei da biografia deste grande presidente: Pegou um país arrasado e indo para a falência o mesmo recuperou sua economia.
    Aqui no Brasil o presidente sobe ao poder com o país já quase falido e termina de falir vendendo empresas estatais e bancos ao capital estrangeiro.

    KENNEDY – Foi o presidente dos direitos civis, colocou o negro na sala de aula junto com os brancos, criou o programa Aliança para o progresso…
    Kennedy foi o presidente responsável pelo programa espacial Apolo, em 1961 ele comprometeu o EUA a fazer pousar uma nave tripulada na superfície da lua, como bem disse ele: “antes do fim desta década”.

    KONRAD ADENAUER – Este foi o homem que reconstruiu a Alemanha pós-guerra Em 1949, Konrad Adenauer foi eleito como primeiro Chanceler da República Federal da Alemanha. Quando ele deixou esse cargo, em 1963, havia realizado uma obra histórica: a reconstrução da Alemanha após a Segunda Guerra Mundial, a consolidação da democracia e a inserção de seu país na comunidade dos países livres.
    Diferente dos nossos presidentes o presidente deles deixa a vaidade e ambição de lado e governa pensando no bem comum de todos, da nação e do povo.

    Pelo que entendi, nesta historinha que vocês vão ler o presidente Kennedy mostra que os Estados Unidos da América é mais importante que o seu presidente.
    O Presidente John Kennedy quando fazia uma viagem assim que chegava no lugar, ele tinha a mania de antes de descer do avião ficar se penteando, ajeitando as suas vestes, se embelezando por um bom tempo em frente ao espelho. E autoridades, imprensa, o povo todo lá aguardando, aguardando.
    Um dia, alguém de sua confiança, meio como quem não quer nada criou coragem, respirou fundo e perguntou:
    – Desculpa senhor presidente, mas por quê que o senhor se preocupa tanto com a sua imagem?
    E o presidente nem se virou, continuou com os olhos no espelho e calmamente respondeu:
    – Porque quem estará descendo desse avião não sou eu. É os Estados Unidos da América.

  18. Antes das eleições presidenciais algumas celebridades tupiniquins que nunca fizeram nada pelo povo brasileiro andaram criticando e até pedindo para o povo não votar em Lula.
    Temos que ter cuidado com opiniões destas estrelas do show business tupiniquim, pois todas são submissas ao poder do capital que lhes pagam seus ótimos salários.
    Eles não podem contrariar, por exemplo, a opinião da TV Globo.
    Sabemos que a cada eleição presidencial a Globo tem o seu candidato.
    Suponha que o Caetano (que anda no Fantástico, no show da Xuxa, tem suas músicas em temas de novelas, de séries e minisséries da TV Globo) além de não votar também fazer campanha contra o candidato da poderosa Globo e a mesma não gostar!
    E aí? E se a Globo boicotar o Caetano? Onde o mesmo vai cantar sua insuportável “O Leãozinho” e ter seu ibope e cachê em alta?!!!
    Suponha que o candidato da direita, como sempre, seja o candidato da Globo e uma Regina Duarte, um Lima Duarte e Marcos Palmeira façam campanha contra o mesmo e a Globo não goste. Aí eles vão para a geladeira. Podem até ser remunerados (aconteceu com o Chico Anísio, mas por outros motivos), mas não aparecem na telinha.
    Suponha que a TV Globo não goste que a Daniela Mercury faça campanha para o Lula, onde a mesma divulgará seu horrível axé? Lembrem que a Globo boicotou o Tim Maia e o mesmo sofreu até a morte este boicote. Então muito cuidado ao ler opiniões destes “defensores” do povo. Daniela Mercury (Leia abaixo o Zeca Baleiro dizendo que se a mesma pede bênção ao ACM tem o direito de criticar o Lula…) está defendendo seus próprios interesses, tenha certeza disto.

    Daniela Mercury faz declaração anti-Lula
    Depois de um show em Portugal, Daniela Mercury declarou suas preferências políticas e pediu que o povo não votasse em Lula, nas próximas eleições.
    Em entrevista ao jornal Correio da Manhã a cantora contou estar muito chocada com os escândalos de corrupção que envolvem o atual governo.
    Daniela Mercury ainda deixou claro que pedirá repetidas vezes durante seus shows que o povo não vote no atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
    Zeca Baleiro critica postura anti-Lula de Daniela Mercury
    Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, o cantor Zeca Baleiro interrompeu um show em São Paulo, para criticar a postura anti-Lula de Daniela Mercury.
    – “Soube que minha colega Daniela Mercury tem pedido ao público de seus shows para não votar em Lula na próxima eleição. Não tenho dúvida que esse governo merece muitas críticas e ressalvas. Mas eu me pergunto se alguém que pede bênção ao ACM tem o direito de criticar o Lula,” disse o cantor.
    Questionada, a cantora negou, por meio da assessoria de impressa, ter falado de Lula em seus shows. Mas, em entrevista ao jornal “Correio da Manhã”, de Portugal, ela se disse desapontada com o governo e anunciou que não votará no PT.

  19. “Eu tinha nojo de viver numa republiqueta terceiromundista. O Brasil sempre foi um país de cagões, Deixamos de ser Estados Unidos do Brasil para ser Re-publiqueta Federativa do Brasil por imposição dos Estados Unidos da América do Norte. Vi o nosso presidente, humilhado, representante máximo de todo o povo brasileiro, que há muito posava de machão, que prendia, torturava, batia e arrebentava, fazer uma das mais patéticas declarações e confessar: — Não posso mexer na lei de remessa de lucros, senão a CIA me derruba no dia seguinte. — Eu ficava espantado e tinha vergonha de viver num país com gente assim.”

    Este pequeno texto está no livro “Afundação Roberto Marinho”, de Roméro C. Machado.
    Não citou quem era o presidente general, mas acho que foi o Figueiredo.
    É só raciocinar, até um general do exército brasileiro tinha medo de contrariar os EUA. Imaginem os civis…

  20. Concordo com a frase postada acima:”Quando leio “o bom governo Lula” perco o interesse no que vem depois. Haja inocência!”
    TÔ FORA!

  21. Morreu com um bicho largado jogado num canto da cela, solitário ,abandonado por todos,um monstro que não deixa saudades, nenhuma lagrima ,nenhumto de remorso, muitas comemorações com certeza,Argentina , chile e outros países julgaram e condenaram esses monstros infelizmente no brasil a impunidade faz com que torturadores assassinos ainda posem de heróis , até se justifica com o momento que vivemos na atual politica, tantos que dizem ter participado da luta pela democratização do país hoje não passam de ladrões , gananciosos e verdadeiros pilantras. fhc e quadrilha entregaram todo patrimônio brasileiro nas mãos de multinacionais com o dinheiro dso bnds do povo brasileiro e comtinuam livres, criaram agencias cabides de emprego justamente para que essas empresas não fsem ficalizadas, veio lula , veio dilma e a sujeira continua a mesma , eleitos com o voto do povo , simplesmente se aliaram ao q de mais podre há na politica brasileira, renan, Sarney, mallufas, cabrals e vai por ai a lista é longa de tantos que fazem mal ao país e ainda recebem a blindagem de dona dilma do milionário lula, muita sujeira, o povo brasileiro merecia algo melhor. Mas o brasil hj é uma panela de pressão preste a explodir, eles sabem bem disso, não existe melhores pespectivas de melhoras ai que mora o perigo. {texto sem revisão perdoem os erros}

  22. Pelo jeito que vão as coisas, realmente a presidente Dilma está linda(?), leve (?) e ligeira na dianteira da reeleição, não tem para ninguém.
    Porém, parece que o a única concorrente é a História. Nessa matéria ela será derrotada, assim como já está sendo seu antecessor.

  23. Prezado Jornalista Hélio Fernandes:
    Claro, elucidativo e magistral seu arrazoado sobre os governos privatistas.

    Os governos têm uma característica semelhante no modo de enganar o povo. Produzem palavras eufemisticamente com medo da reação popular. Não são capazes de dizer o que realmente querem fazer. Portanto, como todos querem privatizar/doar os ativos brasileiros, no entanto, não querem assumir o ônus da medida, anunciam sinônimos, tais como: desestatização, modernização, reforma estrutural, reengenharia e outras bobagens que irão inventar ao longo do tempo.

    O resultado prático das privatizações, iniciadas velozmente no governo Collor pelas siderúrgicas estatais é um processo de industrialização do Brasil. Os países europeus e os Estados Unidos agradecem penhoradamente pela eliminação de um concorrente no cenário do comércio mundial. E não é com medidas pontuais como a redução das tarifas portuárias e diminuição do tempo do armazenamento das cargas no Porto, que a nação voltará a ser competitiva na área industrial. Esquecem do custo do frete e do preço das mercadorias e além do mais, talvez o mais importante, que é o investimento em educação e tecnologia relegado a segundo plano, que realmente atrasa o país e nos torna presa fácil no cenário competitivo mundial.

    A entrega das empresas estatais aos empreendedores estrangeiros, nos faz retroagir a 1950, quando ainda engatinhávamos rumo a incipiente industrialização com a construção da Companhia Siderúrgica Nacional. A nação perdeu o controle tecnológico da Siderurgia, das Telecomunicações, das Ferrovias e em vias de perder dos Portos, do setor petrolífero e dos Aeroportos. Uma nação que almeja proeminência no contexto mundial, não pode de maneira alguma ficar refém de empresas alienígenas, apenas focadas no lucro e na remessa de recursos nacionais para matrizes no exterior. O exemplo dos Estados Unidos, nosso retrato na parede, a maior nação do mundo, a mais poderosa e rica não está sendo seguido. As maiores empresas, dos setores petrolíferos, de telecomunicações, ferroviários, dos portos e aeroportos estão nas mãos do Estado. Por que nós brasileiros temos que entregar tudo?

    Essa é a pergunta surrealista, que poucos têm a coragem de responder, salvo nosso mestre Hélio Fernandes.

  24. Pingback: JORNALISTA HELIO FERNANDES E O LEILÃO DA ANP. | petroleiroanistiado

  25. A escandalosa irracionalidade da democracia capitalista

    Diz a ciência, que o cérebro humano não consegue operar com mais de 10% de sua capacidade nominal. Em determinada situações, notadamente, tratando-se de debates envolvendo muitas pessoas em questões políticas, o percentual médio da inteligência coletiva fica bem abaixo dos 10%, confirmada na ultra tumultuada aprovação da PM dos Portos, em desmoralizado e vergonhoso espetáculo, inclusive, com deboches e chiliques, apesar da seriedade do tema. Essa vergonhosa maratona de última hora, para aprovar a urgente, crítica e inadiável modernização de nossos portos e logísticas, é mais uma prova indiscutível da ineficiência e burra democracia capitalista, aqui e em todo o “mundo livre”.

    Não fosse tamanha burrice e ineficiência, a modernização de nossos portos já teria sido realizada, há muitos anos atrás. Por conta da grande incompetência desse sistema, o Brasil continua tendo imensos prejuízos. Faz parte da fantástica ineficiência da democracia capitalista, grande espaço para traidores atuarem contra o próprio país, no caso, contra o Brasil, priorizando interesses de grupos, de máfias, inclusive, atuando a serviços de interesses externos. Por isso mesmo, a inadiável modernização de nossos portos ainda não foi realizada, dentre tantos outros importantes projetos para o Brasil, como boa saúde e educação, pública.

    Trata-se de um sistema permanentemente direcionado para o enriquecimentos e privilégios de suas elites, interna e externa, pouco a ver com a própria nação e seu povo. Tamanha loucura, fica também evidenciada em incontáveis situações, dentre elas, nas privatizações de riquíssimas e estratégicas empresas estatais, leiloadas a preços de bananas, gigantescas remessas de lucros, escandalosos benefícios para empresas estrangeiras, modelos de altos juros, bilionários socorros aos incompetentes banqueiros e empresários, e inúmeras outras traições.

    Apesar dessa escandalosa verdade, a democracia capitalista é apresentada às despolitizadas massas, como o melhor dos sistemas para a nação e para seu povo. Grande mentira. Por essas e por outras, que a poderosa China, não fazendo uso de semelhante ineficiente burro sistema, prossegue aceleradamente, avançando em todas as áreas da produção mundial, tornando sua própria economia, cada dia mais robusta, apesar da devastadora crise mundial do capitalismo, devastando o primeiro mundo, desde 2008.

Deixe um comentário para Eugenio L. da Costa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *