Dunga engana Joel Santana, sofre mas ganha da vuvuzela e de Mandela

Essa Copa das Confederações foi de surpresas do principio ao fim. Começou com três potencias “escaladas” para a final, quem não sabia? Brasil, Espanha e Italia, com grande vantagem para Brasil-Espanha.

Os outros todos eram coadjuvantes, só lembrados porque sem eles os outros não concorreriam ao Oscar.

A Espanha confirmou desde a estreia, 5 a 0 na Nova Zelandia. O Brasil ganhou do Egito no ultimo minuto, a Italia mostrou sua face insegura, perdendo para os egipcios, que ficaram, por pouco tempo, favoritos para a segunda vaga. Não foram.

Hoje a segunda semi, Brasil-Africa do Sul. “Comentaristas especialistas” passaram o dia garantindo, entre aspas: “Já houve muita surpresa, mas a Africa do Sul aprontar parao Brasil, é demais, não dá”.

Acontece que DEU em 45 minutos do primeiro tempo e em 42 do segundo, ninguém fez gol. O Brasil que devia fazer, foi fazer num milagre de “São Dunga”. Custou a botar em campo Daniel Alves que vem jogando bem e batendo faltas ainda melhor. Pois entrou faltando 5 minutos, houve a penalidade 2 minutos a seguir, ele chutou, a bola bateu na trave e entrou.

Nada a comentar, a lamentar ou a comemorar. O Brasil venceu. Pode ser dito que a Africa do Sul perdeu?

E domingo, colonizados ou colonizadores, penta campeões contra jamais campeões, pode haver surpresa?

Esperemos 72 horas, não é muito.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *