cedo para comemoraes

Carlos Chagas

Com o retorno de Dilma Rousseff ao pas, importante ser verificar de que forma sua nova ascenso nas pesquisas ir refletir-se no comportamento do PT, do presidente Lula e da prpria candidata. Dois meses atrs, quando Dilma comeou a crescer, ingressando nos dois dgitos das preferncias populares, vastas doses de empfia e de soberba foram sorvidas no perigoso clice da imaginao. O PT ficou embriagado e passou a contestar as alianas com o PMDB, exigindo deixar a condio subalterna em muitos estados, como Maranho e Minas. O partido no precisaria mais do respaldo amplo e irrestrito de seu maior parceiro.

Nem o presidente Lula escapou, quando maliciosamente sugeriu que o PMDB apresentasse uma lista trplice de candidatos vice-presidncia, em vez da imposio do nome de Michel Temer, com o qual tem diferenas. Dilma manteve-se em silncio, mas obviamente atrelada s opinies de seu mestre.

O tempo passou e os ndices de Jos Serra voltaram a afogar a pretenso dos companheiros e a prpria m vontade do Lula diante do presidente da Cmara, que no passou recibo mas manteve o PMDB inflexvel na indicao nica, afinal tornada indiscutvel e acatada. Mas as crises estaduais permaneceram, levando o presidente a determinar direo nacional do PT que interviesse no Maranho. Em Minas tudo indicava acontecer a mesma coisa, se os petistas locais insistissem em contestar o casamento com Hlio Costa, do PMDB.

O problema que os ponteiros dos institutos de pesquisa deram outra volta e, de novo favorecem a candidata, agora at superando Jos Serra ou mostrando empate tcnico entre eles. Sofrero o PT, o Lula e Dilma novo surto de presuno eleitoral? A febre da arrogncia ir atingi-los outra vez? cedo para comemoraes.

Com todo o respeito, mas…

Seria bom botar os ps no cho, a ser verdadeira a informao da Folha de S. Paulo de ontem, sobre o presidente Lula estar trabalhando para tornar-se secretrio-geral das Naes Unidas ou presidente do Banco Mundial, assim que deixar o poder. Com todo o respeito, vale lembrar que o sapo despencou e quebrou a cara ao participar da festa no cu, para onde voou na viola do urubu, sem passagem de volta.

O Lula afirma-se como um dos maiores presidentes na Histria da Repblica. Mudou a face do pas, tornando-se desnecessrio referir, aqui, as realizaes, planos e projetos que deram certo. O problema est na diferena de funes, nenhuma delas superior s outras. A presidncia do Brasil no constitui trampolim para nada. Completa-se nela mesma. A secretaria-geral da ONU e a presidncia do Banco Mundial exigem de seus titulares atribuies nem maiores nem melhores do que o palcio do Planalto, apenas diferentes. mais ou menos como se pegssemos o maior craque de nosso selecionado de futebol, o Cac, por exemplo, e o escalssemos no selecionado de basquete.

Dispe o Lula de excepcionais condies para combater a misria e a pobreza e impulsionar o desenvolvimento, entre ns, mas como enfrentar a primeira crise entre Tonga-Bonga e Songa-Monga, l no Oceano ndico, s para no citar confrontos e conflitos muito superiores?

O fato de o nosso presidente ser monoglota no constituiria maior impedimento, para isso existem os intrpretes. Mas ajuda bastante olhar no olho de interlocutores variados e perscrutar as armadilhas escondidas em seus comentrios, quando compreendidos sem o auxlio de tradutores.

Em suma, essa histria de despachar o Lula para Washington ou Nova York s pode ser criao de um inimigo ou devaneio de um desmiolado auxiliar…

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.