É melhor relaxar em Paris, como o Chico Buarque, porque ninguém é de ferro…

Imagem relacionada

Charge do Henrique (Tribuna da Imprensa)

Roberto Nascimento

Chico Burque contou até vinte e deu uma página virada para o país, nesta fase de folhetim conservador, e foi para Paris. Ele pode, e eu também queria dar uma pausa na cidade luz, mas lá tem os coletes amarelos e Marie Le Pen, as catedrais estão pegando fogo, assim como o presidente francês.

Pensei em Roma ou Florença, porém desisti ao saber que um discípulo conservador de Berlusconi faz das suas por lá, como aqui em Pindorama.

MEIA VOLTA – Então, vislumbrando as catedrais dos tempos otomanos e a eterna Istambul, me veio à mente a Turquia. Logo dei meia volta volver, ao saber da truculência do Erdogan, os atentados em Ancara e a prisão em massa dos opositores do presidente.

Meus olhos brilharam, com a possibilidade de voar para o Egito e conhecer outras múmias e as pirâmides, já que as múmias do Museu Nacional queimaram no incêndio, entretanto, enfiei a cabeça nas areias da Barra, quando lembrei do general Sisi, que deu um golpe de Estado no muçulmano Mursi, eleito pelo Partido da Irmandade Mulçumana, que acabou de falecer na prisão. Desisti também, com medo de apodrecer nas prisões do Cairo ou afogado no leito do rio Nilo.

NEM PENSAR… – Uma visita as colinas de Golan, que eram da Síria e há décadas estão sob o domínio de Israel, nem pensar, não é? Um tour pela estrada para Damasco e a cidade histórica de Palmira seria um passaporte para o inferno de Dante, sem chance.

Acordei do sonho e desejei felicidades para o poeta da pós-bossa nova, nessa nova ida para a cidade dos jacobinos e da Revolução Francesa, para escrever seu novo livro e quem sabe, depois voltar para a terrinha, que aqui precisamos muito dele.

Pensando bem, o quente do Borogodó é aqui mesmo, com as balas pedidas, arrastões, prédios desabando, enchentes, incêndios, fuzis e drones matando. Para quem gosta de emoções fortes, o Brasil é um prato cheio, nem precisa dos perigos ao redor do mundo, que não são poucos.

17 thoughts on “É melhor relaxar em Paris, como o Chico Buarque, porque ninguém é de ferro…

  1. Ótimo texto, só tem um porém:

    …”depois voltar para a terrinha, que aqui precisamos muito dele”.

    Quem precisa muito dele é o pt!
    Aliás, o “poeta” apátrida, já está tirando o time de campo.
    A fonte secou, então, um abraço pra quem fica… rsrs
    O veríssimo é o fhc, já devem estar aguardando por ele pra aproveitar as iguarias do velho mundo. rsrs
    Como é bom ser comunista!! rs
    Simples assim.
    Atenciosamente.

  2. Cada um tem a sua Pasárgada que merece.Do Chico é em Paris, eu sonho com a minha em Braga, Portugal. “Mas quem sabe um dia, por amor ou poesia, ainda chegarei por lá”.

  3. Jacarepaguá poderia ser uma cidade, é o ideal para quem gosta de adrenalina, com destaque para o Bairro da Praça Seca, cercada de comunidades dominadas pelas milícias.
    Alguns dias atrás, na casa onde morava o jogador Nilton Santos, em frente a Praça Seca,, já alguns anos funcionando o Banco do Brasil, foi assaltada na madrugada de um sábado e teve seus caixas eletrônicos explodidos. O engraçado é que não vi uma notícia na televisão sobre o assalto, se houve em algum canal, foi muito discreto.

  4. Esqueedista é assim mesmo.
    Cacareja do lado do povo e em Paris põe seu ovo.Cambada de lulistas, sugadores do povo brasileiro.
    Ganham subsídios aqui para tomar vinho na Europa. Enchem a cara e pensam que são brasileiros.
    Tem gentenque acha lindo, não é Roberto?
    Fique com ele, e não atrapalhem a lava jato.
    Tchauzinho petistas!

  5. O fato CONCRETO é que comunista adora dinheiro e luxo. Chiquinho não é exceção.

    Pra Cuba mesmo ele não vai: a ilha cárcere, que ele tem como um exemplo para o Brasil. Isso não é fofoca, isso veio de sua própria pessoa.

    ” O Homem é o ato”

    Mas como estamos no Brasil, em que a regra geral são as aparências, a fama, ……

  6. Sugiro ao articulista Roberto Nascimento, e eu o acompanharei, irmos embora para Pasárgada, como bem versejou Manuel Bandeira:

    Vou-me embora pra Pasárgada
    Lá sou amigo do rei
    Lá tenho a mulher que eu quero
    Na cama que escolherei
    Vou-me embora pra Pasárgada

    Vou-me embora pra Pasárgada
    Aqui eu não sou feliz
    Lá a existência é uma aventura
    De tal modo inconsequente
    Que Joana a Louca de Espanha
    Rainha e falsa demente
    Vem a ser contraparente
    Da nora que nunca tive

    E como farei ginástica
    Andarei de bicicleta
    Montarei em burro brabo
    Subirei no pau-de-sebo
    Tomarei banhos de mar!
    E quando estiver cansado
    Deito na beira do rio
    Mando chamar a mãe – d’água.
    Pra me contar as histórias
    Que no tempo de eu menino
    Rosa vinha me contar
    Vou-me embora pra Pasárgada

    Em Pasárgada tem tudo
    É outra civilização
    Tem um processo seguro
    De impedir a concepção
    Tem telefone automático
    Tem alcaloide à vontade
    Tem prostitutas bonitas
    Para a gente namorar

    E quando eu estiver mais triste
    Mas triste de não ter jeito
    Quando de noite me der
    Vontade de me matar
    – Lá sou amigo do rei –
    Terei a mulher que eu quero
    Na cama que escolherei
    Vou-me embora pra Pasárgada.

  7. O articulista navegou por tantos lugares, países, e insatisfeito voltou para o tiroteio. Não abordou – não se sabe se por esquecimento ou conveniência – o transbordo para Cuba, ah! belíssima e sofisticada, amada pelos brasileiros do naipe de um lulla, dirceu e chico, ou venezuela (também precisa e muito da presença do chico).

    Impensável é ir para as terras do tio sam – colonialista e explorador – por que lá não há nada pra fazer.

    Enfim, a sugestão do Ednei, Passárgada. Mas é uma miragem… tsc, tsc, tsc.

  8. Se um dia eu me encontrasse com Chico Buarque diria pra ele:

    – Chico, você canta com uma voz de quem está fazendo força para evacuar.

    Pronto, cometi um ato sacrílego contra um santo!

  9. Outro dia acompanhei uma discussão entre seguidores de Fagner que é Bolsonarista e Chico que todos conhecemos sua ideologia – que deve ser respeitada. Sei que até Jesus Cristo teve seguidores e perseguidores. A gente sabe que preferiram Barrabás à Jesus.
    Achei ridículo! Falta de respeito! Ignorância de ambos. Não discutiram sobre suas poesias, composições, mas sobre suas preferências politicas e quem é Bolsonarista é mais radical. As pessoas brigam por causa de politicos e politica e eles mesmos saem juntos, tapinhas na costas, cafezinho.
    Magalhães ´Pinto dizia que “politica é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou.”

  10. Os ‘drones’ Aedes já derrubaram 600.000 brasileiros em 2019.
    E com calor de 30 graus no inicio do inverno, nem pensam em trégua.

    Fora o frio, nao tem greve, aumento da gasolina, paralisação dos caminhoneiros, não têm nada que os façam parar, a não ser a caneta.de um tal presidente, talkey?

    Passando o frio, devem abater uns 2 milhões de brasileiros na proxima temporada de chuvas.
    E como não fazem o zum-zum-zum deles nas redes sociais, o presidente talkey nem toma conhecimento da existência deles…

    Ademã que lá vem a picada….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *