É natural que Onyx seja ‘tradutor’ de Bolsonaro junto ao Congresso, diz porta-voz

Resultado de imagem para maia e onyx

Onyx ganhou a incumbência de acalmar Maia. Será que vai conseguir?

Julia Lindner e Anne Warth
Estadão

O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira, dia 25, que o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, é o “tradutor” do presidente Jair Bolsonaro junto aos dirigentes do Legislativo. Ele afirmou que essa é uma questão “natural” e até “esperançada” na atuação do ministro, que almoçou nesta segunda-feira com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para tentar “pacificar” a relação com o Congresso, por orientação de Bolsonaro.

A iniciativa faz parte do esforço do governo para viabilizar a aprovação da Reforma da Previdência, definido em reunião no Palácio do Planalto entre Bolsonaro e ministros, pela manhã.

REMAR JUNTOS – Segundo o porta-voz, Onyx foi um dos principais interlocutores a defender para Bolsonaro a ideia de que é necessário “somar esforços” e “remar juntos” pela aprovação da proposta. Como mostrou o Estadão/Broadcast, além do almoço, Onyx marcou um segundo encontro com Maia e Alcolumbre no final da tarde desta segunda-feira para tratar da articulação.

Rêgo Barros destacou, ainda, que o presidente Bolsonaro tem disposição de fazer essa interlocução com o Congresso, “convencer e até aceitar ser convencido” sobre determinadas questões. A ideia, segundo o porta-voz, é garantir a aprovação da proposta o “más pronto posible” (o mais cedo possível, em tradução livre do espanhol para o português).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro deveria ter ligado para Rodrigo Maia e falado diretamente com ele. Esse negócio de mandar enviado (ou “tradutor”, no caso de Onyx) nunca dá certo em política. O fato concreto é que Bolsonaro fica relutando em enquadrar os filhos, livrar-se de Olavo de Carvalho e dar início a seu governo. Em tradução simultânea, significa que vai ficar patinando sem sair do lugar. Talvez algum dia ele acorde para a realidade. Talvez, não. (C.N.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *