E o Planalto diz amém às igrejas evangélicas

João Gualberto Jr.

Igrejas evangélicas de diversas congregações promoveram um grande ato em Brasília, na quarta-feira passada. Os aproximadamente 50 mil fiéis, oficialmente, clamaram por liberdade religiosa. Cabe um parêntese: qual o impedimento tem um cristão de exercer sua fé no Brasil? Que dificuldade tem um pastor de fundar uma igreja? Se até do Imposto de Renda uma instituição religiosa é isenta, difícil entender a que falta de liberdade aquela multidão se referia.

A alegação formal, na verdade, escamoteia a reivindicação de se continuar tachando a homossexualidade e suas implicações sociais no país de “lixo moral” sem que isso passe a ser considerado crime. Trata-se, em suma, de uma distorção de argumentos: praticar discriminação e incitar o ódio sem ser incomodado pela Justiça, em termos polidos, é gozar de “liberdade religiosa”.

Pois foi essa tal autonomia de credo – um direito individual constitucional –, revestida e massificada em máquina política, que teria influenciado na exoneração do diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, também na semana passada. O infectologista Dirceu Bartolomeu Greco, ao deixar o posto, jogou no ar seus temores. Filho de dona Helena Greco, não veria sentido em se contentar calado.

A razão que levou à demissão do mineiro foi uma campanha preventiva do órgão que dirigia baseada em uma mensagem elaborada por profissionais do sexo. “Eu sou feliz sendo prostituta” foi divulgada nos perfis oficiais do ministério nas redes sociais e não agradou. Depois de pegar o boné, o médico alertou que há pressões religiosas nas políticas federais da saúde e que, por três momentos, o ministro Alexandre Padilha abortou (sem trocadilho) três campanhas de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis. Segundo Greco, as duas primeiras tratavam de relações homoafetivas e a derradeira era essa da prostituição.

Esse episódio remete à celeuma a respeito da cartilha elaborada pelo Ministério da Educação para coibir a homofobia nas escolas. O material, carinhosamente apelidado de kit gay, foi para a geladeira da Esplanada depois dos ataques de lideranças evangélicas e da aterrissagem do tema nos palanques de 2010 e 2012.

Os dois casos demonstram como o governo do PT tornou-se permeável à pressão da bancada da bíblia. Apontam, ainda, para o receio de que, em favor da preservação do projeto partidário – que engloba a coalizão com siglas notadamente associadas a igrejas –, Lula, Dilma, Mercadante, Padilha etc. prefiram preterir a informação, a educação e a eficiência de políticas sociais. Convém lembrar as circunstâncias que levaram o pastor Marco Feliciano à presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

O Brasil ainda é um Estado laico, outro preceito da Constituição. E a porosidade do Planalto ao desserviço educacional tende a fazer da sucessão presidencial do ano que vem uma das mais tacanhas, baixas e insólitas de nossa história. (transcrito do O Tempo)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

16 thoughts on “E o Planalto diz amém às igrejas evangélicas

  1. Qualquer governo que se preze deve dizer Amén às decisões e pedidos de seu povo.
    No caso das Igrejas Evangélicas terem se posicionado contra o famigerado kit gay não foram elas tão somente a criticar a forma como as escolas iriam divulgar o seu conteúdo, mas boa parte da sociedade brasileira, justamente por entender que, Educação Sexual, deve ser restrita aos pais e na intimidade dos lares dos alunos.
    Ótimo esta decisão, independentemente de haver a questão de os evangélicos serem alidos políticos do governo.
    Quanto ao cartaz que divulgava que uma prostituta era feliz na sua “profissão” e que foi retirado também por pressões religiosas, mais uma vez concordo com esta iniciativa e parabenizo o governo que atendeu ao apelo.
    Não é possível se acreditar que uma pessoa que está sendo humilhada pelas circunstâncias que a levaram a vender o seu corpo para sobreviver tenha a coragem de se proclamar “feliz”!
    Mentira, e da grossa.
    Mesmo as mulheres que são prostitutas porque escolheram esta maneira de viver e que teriam opções de conseguir funções outras em suas vidas, duvido que possam afirmar a sua felicidade plena ou, então, a dignidade humana passou a ser um mito, algo ilusório, pois essas mulheres estarão sempre sujeitas às vontades e desejos de homens que lhes pagam o valor combinado sem resquício algum de sentimento, consideração e respeito, isto é, de serem humilhadas, agredidas, obrigadas a sexo muitas vezes animalesco porque exigência de seus ocasionais “compradores”, afora o safado do cafetão que a agencia e explora seja onde ela exponha o seu corpo, nas ruas, boates, casas de encontro, seja onde ela estiver.
    Parabéns às iniciativas que retiram propagandas falsas, sem maiores análises da realidade que cerca os envolvidos e que os deixam à mercê de vontades alheias e riscos de suas saúdes, ainda mais com a AIDS cada dia se alastrando mais pela falta de cuidados que essas mulheres têm consigo mesmas, e quando não se vêm diante de “clientes” que não lhes compram os corpos porque não permitem que o sexo seja feito sem proteção ou porque lhes oferecem mais dinheiro sem a camisinha!
    Pergunto-me o que faz esta gente que se diz especialista nessas áreas e aceita a divulgação de mentiras, certamente mediante interesses políticos que devem ser rechaçados plenamente.

  2. A esquerda sempre detestou as igrejas evangélicas. O cidadão evangélico também tem direito de manifestação. Por isso, a presença marcante de mais de 50 mil CIDADÃOS BRASILEIROS que se levantaram contra a imposição da agenda gayzista e abortista só incomoda àquela parcela da intelectualidade que acredita que Estado Laico é igual a povo que “só reza em casa” ou que o laicismo tem a função de sempre criar leis que criminalizem a pregação religiosa (caso do escandalosamente inconstitucional PLC 122).
    Se os evangélicos não se manifestarem agora, vai ser quando? Quando a mordaça se lhes for imposta?

  3. Vou fazer 61 anos, o Brasil nunca foi Estado Laico. As repartições públicas estão cheias de símbolos religiosos, até as cédulas do Real… em Angola, na primeira fase do regime marxista do MPLA,acabaram com o Natal, uma festa religiosa do colonizador. E aqui? vão acabar com o Carnaval que está no calendário religioso desde a Idade Média européia? Du-vi-de-o-do.

  4. Impressionante os comentários dos evangélicos aqui postados – todos demonstram o quanto são HOMOFÓBICOS, RACISTAS, PRECONCEITUOSOS e partidários de uma visão mais adequada à Idade Média!!
    Vocês já tem o direito de terem a sua religião, só não venham querer IMPOR SUAS IDÉIAS À TODA A POPULAÇÃO BRASILEIRA!
    Educação sexual SIM PERTENCE ÀS ESCOLAS, onde se pode ensinar e prevenir a gravidez de jovenzinhas por pura ignorância!
    A campanha da prostituta pode não ter sido a mais feliz idéia mas tinha o propósito de ensinar e isso vocês são contra! Vocês são a favor da ignorancia, da submissão, do atraso! Vão morar no Irã, quem sabe vocês vão se encontar, ok? Deixem-nos em paz!

  5. O estado é laico, o povo não é. O povo em sua ampla maioria tem religião. O Brasil só é um país laico porque a religião católica proíbe que seus religiosos se candidatem à cargos políticos. Mas como as leis são feitas para o povo, e o povo é em sua ampla maioria religioso, não pode o estado fazer leis contrarias aos interesses do povo. Percebam que a proposta da lei anti homofobia foi arquivada, porque se ela tivesse sido aprovada a bíblia seria livro proibido no Brasil. Assim não vamos chegar a lugar nenhum.

  6. A esmagadora maioria do povo brasileiro é contra kit gay e é contra o incentivo à prostituição. Os esquerdopatas, que são minoria irrisória e estão em extinção, tentam, há quase cem anos, enfiar essas ideias goela abaixo da maioria. O governo tem que respeitar o povo brasileiro. Talvez nem seja opção desse tal PT, mas se não respeitar o povo, leva fumo nas eleições. Esse negócio de Estado laico é conversa fiada e consta na Constituição apenas para demonstrar uma certa imparcialidade. Mas, como bem disse Ronaldo Luiz, o povo brasileiro não é laico. Nós, cristãos, temos todo o direito de nos manifestar. Aliás, as nossas manifestações são pacíficas e ordeiras. É nosso direito e jamais abriremos mão dele. O governo tem mais é que nos respeitar mesmo.

  7. Num regime que se intitula democrático, a liberdade de expressão ipsis litteris deve ser de todas as crenças, gêneros, classes, orientações, etnias. O problema da esmagadora maioria do povo brasileiro é só olhar o alheio e não enxergar os próprios atos. Ao mesmo tempo em que os evangélicos querem se fazer valer de sua crença e valores próprios e que os grupos GLBT querem se fazer valer de seus direitos e valores próprios, ambos o fazem tentando prevalecer seus ideais acima dos demais – um traço flagrante de imaturidade ética. Os argumentos são os mais estapafúrdios de ambas as partes, desde o mal uso de adjetivos como “fascista” até os ditos cultos que falam mais do ‘satanás’ do que de ‘deus’.

    Em atos como as manifestações que vêm ocorrendo nestas semanas fica flagrante a real condição da sociedade atual: a população luta por algo que nem sabe exatamente o que, apenas pelo fato de “estarem lutando por alguma coisa”.

    Pelo que se vê, o sofrimento de muitos será longo nesta fase de (in)adaptação ao ‘letivo’ Admirável Mundo Novo.

  8. a ditadura cor-de-rosa tenta impor sua vontade.
    com atitudes extremamente CRISTOFOBICAS, HETEROFOBICAS.
    os grupos glbtsxyz mais parecem escritórios nacional-socialistas.
    sig heil!

  9. Enquanto religioso quero que as outras pessoas tenham o direito de me criticarem de falarem contra minha fé, meu Deus, minha igreja, agora esses criticos devem aprender a serem criticados também.
    Agora dona Beatriz pegou ar, acusou todo mundo de um monte de coisa (preconceituosos, racistas, homofóbicos etc) e a senhora não é preconceituosa com os religiosos? Sabe dona Betariz e demais defensores do lixo moral nós precisamos aprender a olhar pro proprio rabo.

  10. Sempre que este assunto vem à baila é a mesma coisa, começa o “duelo gayzistas vs hiomofóbicos”. Certamente um deslize provocado pela mente descontínua característica do ser humano. Não entendem que não se trata de cercear crenças ou orientações homoafetivas. Queremos apenas que o as decisões governamentais não sejam tomadas em razão de dogmas deligiosos. E não me venham com essa de “opinião da maioria”, pois isso nunca foi critério para se tomar boas decisões. A maioria do povo brasileito ainda é manipulada, sofre com dificuldades econômicas e analfabetos podem votar. Sinto muito, mas a maioria do povo brasiloeiro não tem a menor condição de decidir nada até que passe alguns anos com os aparelhos televisores desligados. Prova disso é como elegem sempre os mesmos canalhas de sempre há séculos. Então, entendam que não se trrata de querer ditar isso ou aaquilo, mas apenas de não permitir mais a interferência de crenças dentro do parlamento ou de qualquer setor público dos Três Poderes. Que se limitem aos templos e praças públicas, pois, assim como um parlamentar não deve usar de sua função para ditar os trâmites de uma liturgia; um religioso não deveria se valer de sua crença espiritual para legislar.

  11. enquanto cidadãos brasileiros,todos têm o direito a se manifestarem, como religiosos têm o direito de ir prá igreja, orar e louvar a quem quiserem….E só

  12. Êles são ”POVO DE DEUS”…nós, em sua opinião, somos do mundo, do diabo, etc. A evolução espiritual é inversamente proporcianal à humildade….E eu aqui perdendo meu tempo com egocêntricos Que se acham donos da verdade!

  13. Parabenizo o site, pela divulgação do evento e da precisão do números de participantes, mostra que a macha não foi pequena. Mas grande mídia nada noticiou, nem da macha a Brasilia, nem da macha para Jesus no Rio de Janeiro. Os cristãos observam hoje que há uma armação para fazerem Leis, que vão de encontro aos princípios bíblicos, isto é notório, o próprio Chefe da Casa Civil, senhor Gilberto Carvalho já manifestou sobre um embate com os evangélicos. È um povo que cresce e sabe o que quer e se manifesta de forma ordeira. O marco reguladora da mídia também quer atingir os evangélicos, qual o mal que os programas cristãos trazem a sociedade?, por combater tudo aquilo que desagrada a Deus, é uma ameaça para a sociedade? Existe uma frase de Aristóteles que definir perfeitamente a postura dos evangélicos:”não agimos corretamente porque temos virtudes ou excelência; Possuímos essas qualidades porque agimos corretamente.” Hoje é difícil chamar o povo para uma reflexão, para analisar a situação. Dr Samuel Chade e Don Braweley III no seu livro PREVENDO A TEMPESTADE: Como liderar em tempos de incertezas, na página 81, mostra a dificuldade que se tem para se refletir: ” Nossa nação esta ficando cada vez mais polarizada.As pessoas estão tomando partidos de causas opostas umas às outras. As áreas indefinidas logo ficam bem distinta.
    Ou você:
    * É a favor do casamento homossexual e, portanto, contra a família tradicional, ou você está contra ele e é considerado intolerantes.
    * Acredita que há muitos caminhos para Deus (inclusão) ou crê que Jesus é o único caminho (exclusão.
    * Está na esquerda liberal ou na direita conservadora.
    * Tem, ou você não tem (a classe média está encolhendo).
    Ou seja não existe o meio! sabe qual a razão de não existe o meio? É porque poucos estão refletido por muitos e definido as ações que visam a penas os seu benefícios.
    Qual o objetivos das atuais manifestação que se espalham pelas capitais do Brasil? principio as grande mídia afirmava que era apena contra o aumento de passagem, hoje existem capitais que não tiveram aumento mais aderiram ao movimento. Porto Alegre já havia feito um movimento contra o aumento de passagem, mais o movimento ficou restrito a capital do Rio Grande do Sul. Com certeza a grande maioria não sabe quais os objetivos ou bandeiras deste movimento que está diariamente na mídia, que informa sobre depredações de patrimônios públicos e privados e também da agressividade da segurança publica. Existem uma minoria que comanda este movimento que sabe perfeitamente a onde quer chegar. Para os cristão as referência, o caminho e a luz estão na bíblia. Pois ela é Lâmpadas para os nosso pé e luz para os nossos caminhos. Respeitando as autoridade e as Leis do país. Queremos continuar respeitando as Leis, por isso lutamos contra Projetos de Leis que vão contra os princípios bíblicos e que hoje estão respaldados pela Constituição do Brasil. Nosso objetivos estão as disposição de quem deseja conhecer. Jesus Cristo, o maior líder que a humanidade já teve, sem jornais, rádios, televisão, internet, redes sociais ou outros meio de comunicação, apenas com o seu testemunha sua mensagem permanecem no mundo por mais de dois mil anos. Que Deus abra o entendimento de cada um, para que possa fazer parte de um movimento, de um protesto que eles conheçam seus verdadeiros objetivos. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *