É preciso saber ouvir o país

Carlos Chagas

As  manifestações populares  continuam, as depredações também, assim como a truculência das polícias militares. O problema é que três semanas se passaram desde a eclosão dos protestos e nada indica que vão parar, apesar de menos espetaculosos. A presidente Dilma repete os méritos do governo em ouvir a voz das ruas e até convoca representantes de alguns organizações sociais.  O ex-presidente Lula, mesmo na África, quebrou o silêncio e aplaudiu as passeatas. Estão, a sucessora e o antecessor, afinados  ao ler a partitura, mas equivocados na sua execução.  Em vez de mobilizar todos os instrumentos de uma ampla filarmônica, limitam-se a um quarteto de Câmara.

Talvez imaginem que a crise passará sem maiores esforços,  efeitos ou conturbações, esquecidos de que a partir da revolta mais ou menos pacífica e algumas vezes violenta, nada  voltará a ser como era. Enganam-se. O caminho é sem volta. Ou o governo e seus penduricalhos aprendem a lição e,  de agora em diante, dividem com a população suas iniciativas, ou logo serão ultrapassados. Acabou a fase em que o poder público ameaçava e amedrontava, de um lado,  e premiava de outro, de acordo com seus desígnios. Participação precisa  ser a chave para o futuro.

Agora, de nada adiantará impor ao eleitorado um plebiscito desimportante, como tentaram antes uma inviável  Constituinte exclusiva. Torna-se necessário não apenas consultar, mas atender reclamos e exigências. Identificar neles o sentimento da maioria.

Tome-se o exemplo da Copa das Confederações, galhardamente conquistada pela seleção nacional. Sua realização  através de bilhões de reais  gastos em estádios luxuosos era o que a população desejava? Talvez  parte das elites e uma parcela da  classe  média tenham aplaudido a iniciativa, mas basta ver as imagens das partidas para se notar a  ausência do povão. Com o preço dos bilhetes na estratosfera, o cidadão de salário mínimo nem pensou em aproximar-se dos gramados, exceção dos manifestantes que os policiais barraram no entorno do Maracanã.  No velho estádio, inaugurado em 1950, havia um setor destinado aos menos favorecidos: a Geral, capaz de abrigar 50 mil torcedores que,  para pagar menos,  obrigavam-se a assistir as partidas em pé.  Onde seriam colocados após a milionária reforma? Só no fosso, se ele ainda existisse.

As tomadas feitas pela televisão, nas arquibancadas,    focalizavam apenas  lindas lourinhas. Um desavisado teria  a impressão de estarmos na Suécia.  Para prestar vassalagem à ditadura da Fifa, adiaram o início do jogo com a Espanha para as 19 horas de  domingo. Assim, o ditador conseguiu assistir a disputa pelo terceiro lugar, em Salvador, e a final, no Rio, deslocando-se num jatinho que certamente  não pagou de seu bolso. A voz das ruas não teria optado pelo tradicional início do futebol às 16 horas, dispensando  o quase  milagre da  ubiquidade para tão contestado personagem?

Quem se empenhou pela realização das duas copas no Brasil? Cartolas e políticos.  Foi dado ao povo o direito de escolha, isto é, se em vez de novos estádios não iria preferir hospitais e escolas? Ou então que se aproveitassem as arenas já existentes, de modo algum capazes de envergonhar os desportistas. Questão de prioridade, dirão alguns ingênuos e outro tanto de malandros empenhados em realizar obras públicas.

Em suma, o país tem que ser ouvido e  o governo tem que saber ouvi-lo. Além de acoplar-se às suas necessidades e desejos.

                                                               

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

14 thoughts on “É preciso saber ouvir o país

  1. Não se pode limita tudo isto a um plebicito, aqui contr a palavra a plebe não será inteiramente ouvida. Quais perguntas precisam ser respondidade, isto demanda dialago para saber.

  2. Manda quem é congressista e obedece quem é povo. Reforma, plebiscito ou referendo para quê? Constituinte já!
    .
    O que os políticos, seus comparsas “juristas” e muitos jornalistas sabem, mas não querem dizer é que nossa Constituição Federal é um contraditório repositório de boas e más intenções. Boas para os políticos, más para o povo. A máscara da face dos atuais congressistas com todos seus entornos, contornos, sombras, penumbras e nuances.
    .
    Todos estamos fartos de saber que a cada novo dia nossa Constituição Federal é alterada. Dormimos com uma Constituição e acordamos abraçados com outra. Sim, na obscura calada da noite e mais uma EMENDA CONSTITUCIONAL surge. Quase cem! Por último estão pretendendo transformar, pasmem: homem em mulher. Não sem razão que denomino nossa CF: JUDAS, PROSTITUTA, CIGANA e BOMBRIL. No mínimo a tal Constituição cidadã nasceu defeituosa e perde sentido; também, nasceu de pai incerto e não sabido.

    O que de fato mais espanta, contudo, é que todos os nossos congressistas gozam de plenos e absurdos poderes constituintes e fingem que não sabem. Por isto é que são tão arrogantes, presunçosos, cínicos e abusados.
    .
    Suficiente ler os arts. 59, I e 60 §§ 1º e 4º da CF:
    “Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de:
    I – emendas à Constituição;…
    Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:…
    § 1º – A Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio. (KKK! como dizem os internautas)
    § 4º – Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir:I – a forma federativa de Estado;II – o voto direto, secreto, universal e periódico;III – a separação dos Poderes;IV – os direitos e garantias individuais.“
    .
    Tirânicos e risíveis, ou, trágicos e cômicos!

  3. Sr. Chagas, parabéns, e aos comentaristas, Sr. Reis, nossa Constituição é uma “colcha de retalhos”, para estar em dia com ela, é preciso comprar diariamente. Os politiqueiros do congresso, fazem emendas para atender suas safadezas, e atendem as do executivo, a PEC 37, não nos deixa mentir; felizmente o “Zé e Maria Povinho” acordaram do pesadelo, que eles (nós) proteste(mos) pacificamente, se espelhando em Jesus, que com seu AMOR FRATERNO, mudou o “Tempo”, nos dando um Código de vida, seu EVANGELHO.
    O maus que depredam, deixando seu “CAIM” falar mais alto, tem que ser segregados na “cadeia”, que é lugar de “malfeitores”.
    O Governo está querendo que continue o Pão e Circo, com plebiscito, que custará milhões, e não atenderá aos protestos do POVO.
    Bilhões para o pão e circo, indo para o bolso de poucos(cabe aos Tribunais de Contas e aos Ministérios Públicos) investigar as receitas e despesas com sua Legalidade, pois, essas Entidades, tem o DEVER DE OFÍCIO: Fiscalizar, sem injunção dos politiqueiros no executivo e legislativo.
    Que junho de 2103, fique na História Pátria, como o mês de despertamento da CIDADANIA.
    Por um BRASIL DECENTE E JUSTO

  4. Senhores,

    Realmente o Brasil ainda não é um país sério.
    Na hora de mudar a constituição para beneficiar quem não presta, se faz “num pulo!”
    Agora, quanto a mudança prejudica os seus interesses, não pode. É causa pétrea!

    NO BRASIL ROUBAR DINEHIRO PÚBLICO É CAUSA PÉTREA.

    Abraços.

    PS:
    O assaltante Diego Rocha Freitas Campos, 20, JÁ CONDENADO POR ASSALTO e apontado pela polícia como suspeito de matar o menino boliviano Brayan Yanarico Capcha, 5 ANOS, havia sido beneficiado pela Justiça com a SAÍDA PELO DIAS DAS MÃES, já que as nossas ALIENADAS AUTORIDADES concluiram que O ASSALTANTE NÃO REPRESENTAVA AMEAÇA À SOCIEDADE. Afinal, até cascavel tem mãe.
    Saiu mas não retornou à prisão.
    Óbvio!

  5. De passagem pela sala, onde alguns viam algum jogo, minha esposa constatou o que mesmo que o articulista – “As tomadas feitas pela televisão, nas arquibancadas, focalizavam apenas lindas lourinhas. Um desavisado teria a impressão de estarmos na Suécia”.

    “Ué, cadê a negritude de nossa gente?!”

  6. “A presidente Dilma repete os méritos do governo em ouvir a voz das ruas e até convoca representantes de alguns organizações sociais. O ex-presidente Lula, mesmo na África, quebrou o silêncio e aplaudiu as passeatas. Estão, a sucessora e o antecessor, afinados ao ler a partitura, mas equivocados na sua execução”.

    A sociedade está nas ruas, protestando, reivindicando, cheirando gás, pimenta e mascando balas de borracha. O jornalista, de amplo prestígio, exímio na arte de unir palavras, parece que acordou mas está devendo engajar-se mais ferozmente na voz das ruas.

  7. Parabéns Sr. Jose Reis Barata,
    concordo plenamente, mês passado fui ver quanto faltava para me aposentar, estou com 51 pelos meus cálculos mais 3 anos fechava, mas descobri que os congressistas votaram uma PEC lá em 2005, que aumentaram em mais 5 anos o meu prazo, isso na calada da noite, sem maiores alardes.
    E dizem que o povo faz vandalismo quebrando vidraças do congresso??
    até mais,
    Juarez

  8. De Carli,
    amigo vitual e colega aposentado, também fui vítima desta traição “lulANTA”.
    Há época, incluiram, denominaram e quebraram o contrato celebrado quando do ingresso no serviço público que não previa idade para aposentadoria, mas tão-somente ‘tempo de contribuição’ com a covardia e chicana jurídica “EXPECTATIVA DE DIREITO”.
    No dos outros, no do povo é refresco.
    Sds.

  9. O pai do assaltante supracitado, já veio a público (embora escondendo o rosto) apontar a culpada pela morte do menino boliviano: a sua própria mãe. Sim, pelo relato do zeloso pai do meliante, seu filho estava ‘trabalhando’ metodicamente, executando o seu ofício, como sempre faz quando, inesperadamente, a mãe da criança, violentamente, com o filho nos braços (que gritava impertinentemente, deixando o jovem ‘trabalhador’ nervoso) avançou para cima dele, tentando tirar a sua ‘ferramenta’ de trabalho ( revólver) que, inesperadamente, pelo fato do ‘jovem trabalhador’ estar com o dedo no gatilho, pronto para defender-se de quem tentasse lhe dificultar a execução de sua cotidiana tarefa disparou, sozinho, a bem da verdade, e matou o menino ‘impertinente’, que gritava no colo da mãe; essa, a verdadeira “dinâmica dos fatos” – imagine que a polícia está sempre lhe dificultando o dia-a-dia, perseguindo-o sem causa,a ponto de tê-lo prendido, jovem trabalhador e, um juiz tê-lo mandado para a prisão. Anda bem que, em nosso País, temos sempre um deputado (sem o dedo) à postos para corrigir celeremente essas injustiças: assim, beneficiado pelo regime semi-aberto, pelo seu sagrado direito de sair para ‘beijar sua mãezinha’ no seu dia e, por um esclarecido e progressista juiz da vara de execuções penais, ele teve de volta o seu igualmente sagrado direito de ir (e não voltar mais para a cadeia, lugar infecto e superlotado, indigno de um jovem trabalhador tão competente no seu ofício como ele. Resumo: o que que esses bolivianos ‘fora-da-lei’ vem fazer aqui no brasil? trabalhar de sol a sol para tentar dar uma vida menos ruim para os seus filhos (ué, cadê o ‘indio cocalero’ que ‘nacionaliza’ refinarias brasileñas e não vê a situação dos seus hermanos? – “perguntar não ofende!”) e fazer girar a engrenagem social brasileira, o modelo aqui institucionalizado e defendido com unhas e dentes pelos seus poucos beneficiados : sem escola, sem hospital, sem direitos, sem futuro mas, CONSUMIDOR. O brasil está, já há algumas décadas formando, não cidadãos, sujeitos de direitos e obrigações mas, CONSUMIDORES e, ‘jovens trabalhadores’ protagonistas de histórias como essa recentemente passada em sp, é o produto típico do modelo político brasileiro: esta é já a terceira ‘geração perdida’ desse modelo e, o mais incrível é que está cheio de ongs e ‘ólogos’ e ‘istas sociais’ defendendo esse descalabro social, claro, eles são os diretamente beneficiados com essa situação: aqui no rj já apareceram os que, em nome de uma ‘discutível’ liberdade, já sairam em defesa dos drogadictos, dos traficantes, dos ‘jovens trabalhadores’ como o de sp, do funque e ‘otras cositas más’. O seu lema é toda liberdade para ‘eles’ e os cidadãos honestos, que carregam, inclusive, esses defensores do status quo nas costas, que fiquem presos dentro de suas casas bem gradeadas, e respeitem o seu ‘sagrado direito’ de liberdade!

  10. SE O GOVERNO NÃO ENTENDE O QUE A SOCIEDADE BRASILEIRA EXIGE, ANALISE E VEJA A BRAVURA DOS JOGADORES E O JOGO EM CONJUNTO QUE A SELEÇÃO MOSTROU EM CAMPO, A COLETIVIDADE E O ESFORÇO DE TODOS MOSTRAM AO GOVERNO COMO SE REPRESENTA UMA NAÇÃO.

  11. Tirando o seu comentário de transformar homem em mulher ( não vejo NADA de errado a troca de sexo, transexualidade não tem nada a ver com homossexualidade, era isso que o senhor quis dizer? E se foi, OI?), concordo plenamente que faz-se necessário a mudança da Constituição. Mas o povo teria que tomar o Congresso, antes. Eu queria saber como, uma vez que ´protestos pacíficos não levarão à nada. Se os movimentos sociais não atuarem de forma independente ou seja, por que não têm interesses junto ao governo ( o que deve ser o caso do MPL, que assim que se “afastou” desestabilizou as grandes manifestações nacionais), mobilizando a massa da população, a mais prejudicada, nada feito.

  12. Postado na página https://www.facebook.com/valmor.stedile Repito com uma advertência do jornalista Carlos Chagas o que procurei expressar em post anterior, afirmando que tergiversar sobre a crise pode render tiros nos pés das próprias cúpulas dirigentes: “De nada adiantará impor ao eleitorado um plebiscito desimportante, como tentaram antes uma inviável Constituinte exclusiva. Torna-se necessário não apenas consultar, mas atender reclamos e exigências. Identificar neles o sentimento da maioria”.

  13. Vi uma reportagem sua a respeito da paralisação dos caminhoneiros, no jornal do SBT , achei até engraçado vc dizendo que a presidenta Dilma tinha que colocar as forças armadas para acabar com a paralisação. qual seria sua ideia ? como os caminhoneiros deveriam reivindicar? se as vozes deles não são ouvidas por ninguém. Caminhoneiro ,meu caro , mal consegue passar um dia no mês com a família quanto mais reclamar seus direitos. Tenho uma ideia melhor , proibir jornalistas de merda falarem besteiras e quando quiserem falar a respeito de colocar as forças armadas para combater , que seja para combater a roubalheira e a falta de respeito que os políticos e os meios de comunicações vem fazendo com o povo. mas pra que ? o importante é que Neymar é nosso e ganhamos a copa , o povo tem o os governantes e as noticias manipuladas que eles merecem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *