“É um equívoco ala do PSDB se aproximar de Bolsonaro”, diz José Gregori

Resultado de imagem para jose gregori

José Gregori funciona como um porta-voz de FHC

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

Sem alavancar nas pesquisas, o candidato Geraldo Alckmin se afasta do segundo turno. Diante dessa realidade, o PSDB pode brigar internamente para apoiar PSL ou PT, em um cenário onde Bolsonaro e Haddad disputam o Planalto. Ministro da Justiça e titular da Secretaria Nacional de Direitos Humanos no governo Fernando Henrique Cardoso, o jurista José Gregori, um dos fundadores do PSDB, disse ao jornal Estado de S. Paulo que considera um equívoco a aproximação de alas do partido com Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL.

Uma ala do PSDB defende o apoio a Bolsonaro caso Alckmin não vá ao 2º turno. Como avalia?
Isso é um equívoco. Minha posição é diametralmente oposta. O grande sucesso do PSDB e sua justificativa histórica foi sua trajetória de trabalhar pela desradicalização do Brasil. Fernando Henrique sempre foi um moderador, um homem do diálogo. Enquanto não se fecham as urnas, é precipitação. O resultado da eleição está aberto. O PSDB deve mostrar a vantagem da via que oferece ao povo, que é o Geraldo Alckmin. 

O PSDB e Bolsonaro estão em campos opostos?
Houve um avanço nos direitos humanos no País. Isso foi feito por gente que pensa, age, acredita e sonha de maneira diferente do Bolsonaro. A mensagem que justifica o aparecimento do PSDB é ter conseguido a manutenção de uma democracia que não se ajusta à concepção de democracia que Bolsonaro tem. 

Em um eventual 2º turno sem Alckmin, o que falaria mais alto no partido: o antipetismo ou a rejeição a Bolsonaro?
Não devemos antecipar etapas. Essa é uma eleição de movimentos. O que me preocupa na polarização é que são dois movimentos que se hostilizam de uma forma que atravanca o desenvolvimento.

Existem mais pontos em comum entre tucanos e petistas do que entre tucanos e o candidato do PSL à Presidência?
Desde o momento que se soube da existência do Bolsonaro, ficou claro que ele é contra a nossa visão de democracia.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Interessante e inquietante a posição de José Gregori que é uma espécie de anão de ventríloquo de FHC. Se o PSDB não apoiar Bolsonaro, vai apoiar quem? Haddad? Era só o que faltava… (C.N.)

 

35 thoughts on ““É um equívoco ala do PSDB se aproximar de Bolsonaro”, diz José Gregori

  1. PSDB e PT sempre foram dois lados da mesma moeda. Uma ala dos tucanos queria aderir ao PT já em 1994, pondo o Tasso Jereissati como vice do Lula. O acordão só falhou porque plano real deu a FHC condições de se lançar candidato.

  2. FHC = LULA =====> LULA = FHC

    Fazem parte de um mesmo projeto de poder e dominação pela corrupção e aniquilamento do país.

    FHC apenas está usando seus papagaios para mandar seus recados canalhas.

    Bolsonaro não é a melhor opção é a única.

    E o povo já entendeu isso.

    Game Over!

  3. Podem perder as esperanças.
    Essa de Hadad vencer no segundo turno é pura fake da esquerdinha.
    Anastasia já está com Bolsonaro e ele é popularíssimo nas Gerais.

    Isto é só em Minas.

    Tem mais pelo Brasil afora.

    • Mario

      O Bispo Macedo da Igreja Universal declarou hoje apoio à Bolsonaro.

      As Assembleias de Deus já tinha fechado na sexta com o B17.

      São muitos milhões e milhões de votos a mais.

  4. Estratégia das Tesouras do comunismo. este anão gregori é outro comunista com punhos de rendas. O seu chefete FHC pavimentou a estrada para o Lula e continua a sua suja vassalagem ao comunismo petista. Não vai adiantar pois o Povo está mais informado e irá eleger Bolsonaro já no primeiro turno. E vários tucanos do bico podre irão também pegar cana dura pelos seus delitos contra o Estado. É só esperar mais uma semana e veremos!

  5. Carlos Newton:

    Nazi-fascismo jamais!

    Psdb: Se não apoiarem a terceira via ( Ciro Gomes ), para barrar o PT, menos pior é a neutralidade.
    Afinal, escolher entre o POSTO e o POSTE, ninguém merece!

    • Para isso seria preciso o Alckmin renunciar à candidatura o mais rápido possível.Talvez ele devesse fazer isso, assim ele poderia adquirir algum respeito do eleitorado, para o futuro.

  6. Filipe G. Martins

    As carreatas e manifestações em apoio à candidatura do Presidente Jair Bolsonaro não foram maiores apenas em volume, também foram muito mais abrangentes em termos de capilaridade. Se ontem tivemos uma manifestação da esquerda urbana, hoje tivemos uma reação do Brasil profundo.

  7. Imaginem uma situação hipotética em primeiro de Janeiro de 2019 Bolsonaro eleito tomando posse
    rodeado de banqueiros, “políticos”, os 3 filhos eleitos.

    Começa o discurso:

    Povo Brasileiro, trabalhador e trabalhadora “ARGH”.

    Após anos de luta estamos aqui para comunicar e comemorar que:

    O seu 13º salário vai sumir, seu abono de férias
    não será mais pago, mas pra quê abono de férias pra quê férias, pra quê 13º?

    O seu empregador não pagará mais os 20% sobre a folha de pagamento ao INSS, nós
    conseguimos, agora terão o direito de bater
    no peito e dizer que só querem o salário e mais
    nada, que terão de fazer uma previdência privada.

    Veja bem, a carteira de trabalho verde e amarela será a sua salvação, poderão bater no peito
    e dizer sou brasileiro sou verde e amarelo.

    Aposentadoria? Só com setenta anos, que bom
    serão produtivos até na velhice.

    Por outro lado, trabalhador(a), quem ganha muito
    vai pagar 20% de IR e quem ganha pouco também.
    Isso não é comunismo, é justiça social.

    Você que está aposentado volte a trabalhar pois
    o empregador não contribuindo ao INSS sua aposentadoria foi para o beleleu.

    Grandes empresários e banqueiros:

    Estão vendo, os trabalhadores e trabalhadoras estão entendendo todo o sufoco que vocês estão
    passando.
    Vocês agora vão pagar só o salário porque eles já ganham muito.

    PS. Trabalhadores e Trabalhadoras, os meus direitos e os dos meus filhos ficarão intactos.

    • Realmente faltou a salva de tiros, tiro é com ele mesmo!

      Bolsonaro declarou se não for eleito não terá nada para fazer.

      E o que ele andou fazendo nesses quase 30 anos como político?

      Provavelmente pedirá a sua aposentadoria devido aos quase 30 anos de trabalho árduo na câmara federal.

      Serão duas aposentadorias.

  8. Bolsonaro lidera sem dinheiro, sem partido, sem estrutura, sem coligações nem acordões políticos, sem tempo de TV, sem nunca ter disputado a presidência e sem poder fazer campanha pois tomou uma facada de militante terrorista de esquerda. Ele está humilhando o stablishment…

  9. Por que Bolsonaro promete mudar a embaixada brasileira para Jerusalém? Agrada a comunidade judaica, desagrada a sírio – libanesa ( onze vezes maior que a judaica) e mete a colher num vespeiro sem necessidade.

  10. Esse é da ala velha dos tucanos, a ala dos covardes e insensíveis com as aspirações populares. Os famosos esquerda caviar, politicos que como o próprio FHC,ele próprio um autentico esquerda caviar, uma vez se referiu, tem “nojo” de colocar seus caros calçados nos chãos de esgotos das periferias e dos rincões do interior do país.
    Mas o pior erro dessas alas, além da covardia e da traição, foi ter perdido o bonde da história e não terem percebido que desde 2013, no minimo, deveriam ter assumido o papel de serem o ANTI PT. Por covardia ou por ideologia não tiveram coragem de assumir esse papel, exceto quando contra a vontade de muitos caciques do partido Alckmin lançou o candidato João Dória à prefeitura de São Paulo e esse ganhou em 1º turno a eleição, assim como o próprio Alkcmin já tinha conseguido em 2010 e 2014 e até mesmo quando o então “impoluto” Aécio tinha conseguido mais de 65% dos votos válidos no 2º turno no estado de São Paulo.Melhor ditado para isso seria aquele “quem não te conhece que te compre”, pois esse mesmo então “impoluto” Aécio conseguiu perder a mesma eleição em seu próprio estado para a débil mental da Dilmanta.
    Essa velharada tucana por covardia(talvez por causa de muitos rabos presos) e por aproximação ideológica, desprezou seu eleitorado(anti-PT por natureza) e deixou aberto um enorme vácuo que foi preenchido jor Jair Bolsonaro.
    Concluindo, minha maior decepção nessas eleições foi com esse partido tucano covarde que está irremediavelmente condenado a cair para as 2ªs, 3ªs 4ªs e 5ªs divisões da politica. Vai perder também o importantissimo governo de São Paulo. isso servirá também como um castigo ao arrivista João Dória que também ajudou a apunhalar as costas de Alckmin,quando atrapalhou os planos dele que incluam o importantissimo apoio do PSB e o Joãozinho primeiro cobicionava a Presidencia e depois impôs sua candidatura a governador, largando a Prefeitura no meio do mandato e pior ainda inviabilizando totalmente os importantissimos acordos de Alckmin para tentar fortalecer sua candidatura em outros estados. Mas tudo bem, a fila anda, também aqui em São Paulo o vácuo também será ocupado por politicos de outros partidos tais como o atual(ex vice de Alckmin) governador Marcio França, por Paulo Skaf , pelo bolsonarista Major Olimpio entre outros.
    Essa velharada inglória do PSDB está com os dias contados. Não deixarão absolutamente nenhuma saudade, o horroroso PT só se manteve esse tempo todo no Poder porque teve como adversários esses tipos de politicos, que sempre foram antes mais nada grandes elitistas covardes.

    • O erro maior do PSDB foi ter escolhido Alckmin como candidato, uma figura totalmente desgastada e sob pesadas suspeitas. Nenhuma unanimidade dentro do partido o teria levado avante.

  11. Lembrando o eterno comandante Leonel de Moura Brizola: Em 1989, depois de trocar cotoveladas, cascudos pedradas e ofensas com Collor e Lula, que dissera: Brizola para chegar a presidente torce até o pescoço da própria mãe. Ao perder a eleição Brizola viaja para o Uruguai e vai descansar em sua fazenda. Dirceu, em nome de Lula, procura Brizola em sua residência. De lá por telefone consegue falar com Brizola. Quer apoio. Brizola diz que no dia seguinte voltaria ao Brasil para conversar. Dois dias depois recebe Lula em seu apartamento . Trancam-se em um quarto e lá ficam conversando a sós por quase uma hora. Tudo resolvido, o PDT apoiaria Lula no segundo turno. Na Barra, em uma reunião com a militância, Brizola é inquirido por um antiga militante: Quer dizer, governador que nós vamos ter que votar neste barbudo? Brizola, lembrando-se de Pinheiro Machado, um grande senador da primeira república, disse: É companheira, vamos ter que engolir o “sapo barbudo”. Isso ficou na história como se fosse uma ofensa a Lula. Depois, já no partido, didaticamente Brizola doutrina: Companheiros, pela primeira vez em nossa história a esquerda se une; O PDT está junto com o PSB, PCdoB e PT. Não podemos deixar de apoiar Lula e tentar derrotar Collor, que é o mal maior. Brizola em outro momento, nos disse: Companheiros ideologicamente o nosso verdadeiro adversário é o PT, mas temos que pensar no Brasil. Tanto é assim que aceitou ir para base do PT em sua primeira eleição. Mas quando Brizola viu as coisas suspeitas, principalmente feitas por Dirceu, reuniu o partido e disse: Amanhã, rompemos com o PT. Miro Teixeira, esse que anda aí, já tinha aceitado ser Ministro das Comunicações, sem que o partido soubesse e não saiu, como Brizola determinara. Brizola mandou chamá-lo e lhe disse: Miro, pede desligamento do PDT senão vou te expulsar. Isso é histórico. Assim era Brizola. Políticos dessa extirpe não existem mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *