Eduardo Bolsonaro diz nada saber sobre ex-assessor e encerra entrevista

Resultado de imagem para eduardo bolsonaro

Eduardo Bolsonaro se aborreceu com a pergunta do repórter

Daniel Gullino e Eduardo Bresciani
O Globo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse nesta quarta-feira não ter informações sobre o Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu irmão Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), e encerrou de forma abrupta uma entrevista coletiva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCCB) na qual falava sobre a reunião da bancada do partido com o pai, o presidente eleito Jair Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro disse não ter contato com Queiroz após a revelação de que um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou movimentação atípica dele no montante de R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017. Questionado se sabia por que o ex-assessor ainda não havia se pronunciado, ele encerrou a entrevista.

“Estou em Brasília aqui direito, sou deputado federal, Brasília, São Paulo. Sobre essas questões aí, lamento informar, mas da vida do assessor do Flávio e de outras pessoas lá, eu não tenho informação. Eu sou a pessoa errada para esse tipo de pergunta” — disse o deputado federal.

À VONTADE – Antes de ser confrontado sobre o tema, ele falava à vontade sobre a reunião do partido com o pai. Contou que o deputado Waldir (GO) será líder da bancada do PSL no período do recesso e que uma eleição em fevereiro definirá o novo titular do posto, que vinha sendo ocupado pelo próprio Eduardo. O deputado afirmou também que o presidente eleito pediu aos deputados da bancada que tenham “serenidade” e não declarassem voto para a eleição para a Presidência da Câmara.

Eduardo Bolsonaro respondeu também a questionamentos sobre a confusão causada por mensagens trocadas no grupo de Whatsapp da bancada . Ele disse que o pai é contra esse tipo de grupo por não ser possível detectar quem vazou as conversas, mas negou que tenha havido proibição de conversas pelo grupo porque o pai “não é ditador”.

11 thoughts on “Eduardo Bolsonaro diz nada saber sobre ex-assessor e encerra entrevista

  1. Quem atirou a ‘laranja’ em Bolsonaro?

    por Ricardo Cappelli

    Presidente fraco é uma iguaria muito apreciada por políticos e empresários. Brasília não perdoa. Redes sociais podem ajudar a chegar ao poder. Mantê-lo é para profissionais.

    Bolsonaro montou um governo “autoral”. Entregou até aqui o que prometeu. Recebeu dos que o circundam apoios e tapinhas nas costas. Nas ruas da capital federal sorrisos e elogios costumam ser mais letais que tiros.

    Quem vazou o motorista milionário e seus saques volumosos? Quem ganhou e quem perdeu com o tiro desferido? Nem as seriemas acreditam que relatórios do COAF “vazam sozinhos”. Atenção aos jogadores:

    1 – O Núcleo Familiar – Os “bob filhos” são uma fonte permanente de risco e instabilidade. Já atropelaram o futuro chanceler e brigaram com a bancada do PSL. A beligerância desagregadora do clã precisava de um freio. O recado foi duro e pode custar a cabeça de um senador.

    2 – O Grupo Financista – Paulo Guedes possui dois contrapesos. Os militares dão sinais de que podem resistir à privatização desmedida. Moro é outro que pode criar dificuldades, principalmente para a turma que gosta de atuar em fundos de pensão. O mercado está faminto. Fará pressão por entregas fortes no primeiro ano. Pode ter decidido “refrescar” a memória do eleito, alertando sobre os compromissos assumidos.

    3 – Os Generais – Acompanham com preocupação o Capitão-Presidente. Temem que um eventual naufrágio arraste junto a imagem da instituição. Vêm ampliando a influência no governo. Vão disputar poder com Guedes e podem travar uma guerra surda com Moro. Abin e PF sempre se “estranharam”. Para os militares Bolsonaro é um “abacaxi-oportunidade”. Não fazem o estilo precipitados. De qualquer forma, Mourão não está ali para brincadeira.

    4 – O Núcleo Palaciano – Onyx e Bebianno não possuem força própria. O primeiro parece estar sendo fritado em banho-maria pelas demais alas do governo. Seu temperamento explosivo não tem ajudado. O segundo foi quem ajeitou o PSL para a campanha. Luciano Bivar emprestou seu partido por altruísmo? Que argumentos convenceram Bivar? O potencial de choque dos interesses do grupo de Bebianno com Guedes é razoável. Certamente daqui não veio o tiro. Só existem como extensão do poder do Capitão. Seria suicídio.

    5 – A Aliança do Coliseu – O bloco composto pela burocracia estatal antinacional e antipovo em aliança com a Globo chegou ao poder pelas mãos de sua ala mais radical. A família Marinho acabou atropelada pela ala curitibana. A emissora fez de Moro seu “representante-interlocutor”. O ex-juiz está numa sinuca de bico. Assiste calado sua fama de “justiceiro implacável” ser corroída pelo motorista milionário. A Aliança sonha com Moro na cadeira de Bolsonaro após um “pit stop” no STF. Detentor de luz própria, o ex-juiz pode até romper com o Capitão. Não fará isto antes da hora. Pelo aparato que está montando seu destino está traçado. Terá o governo nas mãos e passará a dar as cartas ou se isolará e cairá.

    6 – MC Centrão – numa sessão do Congresso, enquanto um senador discursava, um dos deputados esbravejava. Um moderado foi pedir ao colega que respeitasse a fala do senador e ouviu o seguinte: “não vou parar não, ta pensando o quê? O Senado é música clássica, aqui é baile funk!” A turma do Centrão está dançando ao som do “pancadão do Queiroz’. Publicamente declaram apoio desinteressado ao Capitão. Nos bastidores, contam com a desgraça do eleito. Como alimentar suas bases sem ocupar posições na Esplanada? Anseiam pela crise que obrigará o Planalto a retomar o “famigerado” presidencialismo de coalizão. São os mordomos do jogo. Sempre os principais suspeitos de tudo.

    7 – A oposição – está como cachorro caído do caminhão de mudança que foi atropelado pelo carro que vinha atrás. Tonta e dividida, resolveu morder o próprio rabo. É pouco provável que consiga ter acesso a alguma informação importante. Está mais para caça do que para caçador.

    8 – Os Tucanos – dizem que as aves de bico avantajado têm controle sobre uma banda da PF. O principal interessado no desgaste de Bolsonaro é Dória. O governador eleito de São Paulo quer o Planalto. E já provou que é capaz de pisar no pescoço de qualquer um. Aspira ser um “Bolsonaro empresário, etiquetado e quatrocentão”. Tomou uma taça de champanhe em homenagem a Fabrício Queiroz, sem sombra de dúvida.

    9 – Renan e Rodrigo Maia – são os principais beneficiados no curto prazo. Favoritos nas disputas pelas presidências da Câmara e do Senado, enfrentam resistências da família Bolsonaro. O Planalto pode até não ganhar sozinho as presidências das Casas, mas perder pode virar um problemão. Um eventual pedido de impeachment passa por lá. O carioca e o alagoano deram mais um passo em suas pretensões.

    O novo presidente gozará do seu período de lua de mel com a população. É improvável que o caso tenha potencial para derrubá-lo. Se virar hemorragia, a cabeça de seu filho Flávio pode ser suficiente para estancar a sangria.

    O jogo está começando na mesma voltagem da campanha. Os profissionais estão ávidos pela partida. Quem atirou a(o) laranja? Emoção não vai faltar.

  2. E a Grobo persiste, insiste, na ânsia de, por tanto repetir, a imagem do nosso presidente afetar. Um momento as coisas vão virar, o povo vai se encher e a rede de TV vai se danar. E é fácil como somar 2 + 2 = 4, se o calculista não for petista – basta todos começarem a boicotar.
    Não estou nada insinuando, muito menos tramando, mas é o que estimamos, se o cerco apertar: vai dar merda! E, por isso, se tiverem bom senso, é melhor logo parar.

  3. Estao apavorados, perderam a boquinha do governo , a globo e outras vao falir rapido sem ter como mamar nas tetas do governo…acabou o dinheiro pra eles por isso o ataque , todos ja sabiam dessa pratica de assessores darem dinheiro de volta aos politicos e nunca falaram nada a respeito porque estavam recebendo as verbas do governo pra manter eles de boca calada, Prendam todos que se beneficiaram nos ultimos 15 anos e nao vai haver um politico que se salva. Todos os senadores sao milionarios e os deputados ainda tem a capacidade de pedir metado ou mais do dinheiro dos assessores

  4. HA..HA.,..HA..HA… (Como fazia o mestre Helio na sua Tribuna da Imprensa dos velhos tempos… )…
    Quer dizer que os podres já estão aparecendo no governo do “salvador da pátria” ? Ha..ha…ha..
    estavam pensando o que eleitores deste Sr. que o mesmo era santo? HA..HA..HA….Uma cousa é certa se fosse nos EUA…este Sr. e sua família já estavam encanados e na jaula pelo FBI…HA..HA..HA.. E o mais importante neste governo das vaidades e ambições de limpeza “ética” é que o jogo (a posse) ainda nem se deu por concreto …HA…HA…HA… Agora quero ver os defensores deste Sr. agora eleito …virem defendê-lo…HA..HA..HA.. Ué o ladrão não era o LULA ?

    Uma cousa deve-se aprender nesta vida … Só DEUS é perfeito o resto tudo é carente de sua GRAÇA E SALVAÇÃO…
    YAWHE SEJA LOUVADO….

  5. Seu juiz, apita aí, segue o jogo! Ninguem gosta de mudanças. E vão haver muitas. Êta povo que estrebucha esse do planalto!
    Fez muito bem o Dep. Eduardo em não guarnecer os inimigos com mais assunto para lhe atacar e a seu pai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *