Eduardo Bolsonaro diz que vai sair dos holofotes enquanto aguarda embaixada

Resultado de imagem para eduardo bolsonaro charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Rodolfo Costa e Augusto Fernandes
Correio Braziliense

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) vai abandonar os holofotes durante o período de recesso parlamentar. Depois de reafirmar ao presidente Jair Bolsonaro o interesse em assumir a embaixada norte-americana, em reunião no domingo, o parlamentar resolveu submergir à polêmica a fim de evitar mais exposição. Pessoas próximas dizem que ele não vai abandonar a “luta”, mas adotar uma “estratégia mais inteligente”.

O planejamento é ancorado na defesa feita por aliados. No Twitter, ele replicou e agradeceu uma mensagem de apoio do deputado Felipe Francischini (PSL-PR), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

REDE DO PSL – Em um primeiro momento, o suporte a Eduardo Bolsonaro é orgânico, sendo executado pela rede de apoiadores do PSL. Quem também o defendeu foi a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), para quem, para assumir o cargo, não há a necessidade de carreira diplomática.

“Eu apoio a indicação do Eduardo desde o começo. Fui uma das primeiras, que se pronunciou, e tem alguns pontos que a gente conversou. Primeiro, que esse cargo de embaixador não precisa ser diplomata. Você só precisa ser informado. Não vai ser alterado o corpo diplomático”, destacou.

NO PLANALTO – O maior cabo eleitoral de Eduardo durante o recesso parlamentar, no entanto, continuará sendo o pai. Nesta terça-feira (16/7), o presidente assumiu a responsabilidade e voltou a defender o filho, negando que seja uma tratativa para fazer o deputado “se dar bem”.

“Olha, se eu fosse um mau caráter, estaria indicando ele, como mau caráter que não sou, para um ministério desses que vocês sabem que tem dezenas de bilhões de orçamento. E não é essa a intenção. A intenção é nos aproximarmos cada vez mais com países que têm a economia mais próspera do mundo para que nós possamos, juntos, andar de mãos dadas”, declarou.

DETALHES? – O governo aguarda somente alguns detalhes para bater o martelo e confirmar a indicação de Eduardo. Primeiro, o Ministério das Relações Exteriores tem que enviar aos EUA o “agrément”, ou acordo com o nome do postulante à chefia da Embaixada brasileira em Washington.

“A partir da confirmação da firma desse documento, outras ações serão tomadas para a ida do deputado Eduardo Bolsonaro aos EUA como nosso embaixador. Não tem um tempo para isso, mas vamos perseguir de forma contínua e eficaz para que, no menor prazo possível, isso possa se concluir”, afirmou o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O porta-voz está equivocado. Só se pede “agrément” (aprovação do nome) depois de o embaixador ser nomeado. Pedir “agrément” de embaixador cujo nome ainda pode ser recusado pelos senadores é aumentar o vexame da indicação. (C.N.)

8 thoughts on “Eduardo Bolsonaro diz que vai sair dos holofotes enquanto aguarda embaixada

  1. Bolsonaro foi eleito não por ser o mais preparado para ser presidente, mas por ser contra o status quo deixado pelos petistas. Era essa a nossa esperança: moralizar, mudar, modernizar o país. No entanto a vaidade lhe subiu á cabeça e resultou num comportamento altamente reprovável. Isso me lembra os famosos personagens Dr. Henry Jekyll e Mr. Edward Hyde – uma hora Bolsonaro é o capitão em quem tinhamos esperanças, em outra hora é o Lula!
    Bolsonaro não se reelege, podem apostar que ganham.

  2. Li em alguns sites que a insistência de Bolsonaro em nomear o filho Embaixador nos EUA é porque não confia em nenhum diplomata porque acha que são esquerdistas demais e,portanto, inadequados para tocar o projeto anti globalista que tem em comum com Trump.

    Acho isso uma coisa muito grave e gostaria que a imprensa abordasse isso com mais profundidade. Mas só vejo notícias sobre fritar hambúrgueres , mordomias, nepotismo e as diabrites de sempre.

    A população está cada vez mais a margem da informação por causa da ignorância , desonestidade e histeria de grande parte da imprensa

  3. Examinem a reputação, a instituição, o potencial de interesse, o fato….

    Esse cara não serve nem pra fritar hambúrguer!

    Não é possível alterar uma instituição diplomática só porque o presidente quer.

    Nem diplomata, nem deputado, um descarado.

    E tem gente que acredita que esse clã dos inferno representa patriotismo…

  4. A esquerda não quer um fritador de hamburger, prefere comedor de cabrita.
    De 2003 e 2010 foram criadas 67 representações no exterior, o governo agora está fechando a torneira dos que não fritavam hambúrgueres nestas plagas.

Deixe uma resposta para Jaburu Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *