Eduardo Campos tenta acalmar e aplacar inimigos, os adversários ficam para depois. Renan sabe contar nos dedos, mas chama isso de MATEMÁTICA. Há muito tempo digo aqui: só o Brasil aumenta juros com satisfação, pensando que é solução.A emoção e o sofrimento na Comissão da Verdade.

Helio Fernandes

Foi emocionante, comovente, mas improdutiva a reunião na Alerj da Comissão da Verdade.  Assistir o depoimento de tantas vítimas da ditadura, revivendo muitos anos depois, tudo o que sofreram, foi realmente inacreditável. E é tudo duplamente improdutivo, a palavra obrigatória que usei no início.

Primeiro, que é impiedoso, cruel e destruidor. Praticamente ser torturado novamente, numa repetição do que aconteceu não só com os que depunham, mas também com os que desapareceram. Eram lembrados, mais tristeza, angústia, sofrimento.

E segundo, que a Comissão da Verdade sinaliza, claramente, que não vai revogar a tão proclamada “anistia ampla, geral e irrestrita”, que só absolveu os criminosos, assassinos, torturadores. Deixam entrever que não têm poderes para isso. Ou então repetem os que tentam suavizar os que não foram nunca suaves, mas agora seriam e são beneficiados pelo fato de terem morrido.

Repetindo Bernard Shaw: “Morreram fétidos de respeitabilidade, se julgando em odor de santidade”. Nada melhor para identificar esses torturadores, os que assumiram ou os que se esconderam. A Comissão da Verdade tem que restabelecer os fatos. Nem adianta a “justificativa” de que já morreram. Afinal, todos têm que morrer, não podem ser absolvidos, imunizados ou inocentados apenas porque o coração parou de bater. A vida, como esses crimes, não prescreve nunca.

O PRESIDENCIÁVEL AÉCIO,
EM MARCHA DESALINHADA

O ex-governador de Minas finalmente dá a impressão de que será candidato mesmo. Anuncia que vai percorrer o Brasil inteiro, “para ficar mais conhecido”. Isso não basta, é perda de tempo.

Pode, e nada contra, que percorra o Brasil todo, mas nas horas vagas. Durante a caminhada para atingir ou conquistar Brasília, precisa “morar” em São Paulo. Quer dizer: não apenas no estado e na capital, mas tentando obter o apoio de Alckmin e de Serra. Sem eles não vai nem para o segundo turno, que é o objetivo quase confessado.

O PARTIDO DE DONA MARINA
CHEGA AOS 500 MIL

É o primeiro passo para a candidatura. Nunca tive dúvidas de que ela atingiria o total necessário. Minha restrição, apenas em relação à propriedade ou transferência dos votos que teve em 2010, e se repetiria em 2014.

Nas pesquisas, não está correspondendo. O governador de Pernambuco, decepcionado, aparece bem abaixo dela, o que provoca desespero e quase desistência.

O ponto de referência tem de ser a votação do ex-governador Garotinho, pelo mesmo inexistente PSB: 15 milhões de votos. Longe disso não dá nem para conversar.

EDUARDO CAMPOS:
SINAIS DE DESISTÊNCIA

São cada vez mais numerosos e visíveis. Desde os problemas com a própria sucessão, até a sonata e fuga dos governadores que deveriam apoiá-lo, consagrá-lo, carregá-lo até o Planalto. Dia sim e outro também, Eduardo Campos vem com a afirmação de que é candidato e não de “mentirinha” (royalties para Joaquim Barbosa).

A fala de agora: “Sou perseguido por todos os lados, inventam coisas que eu não disse, minha candidatura é irreversível”. E os governadores do Amapá, Espírito Santo e Amapá, eleitos pelo PSB? E que dizem abertamente, “não é a hora do governador”. Digamos, ele tem 10 meses para falar por falar. Depois, acabou o tempo.

Mas para fingir que continua, parte para a ofensiva de desmontar os contrários, puxa, que trabalho. Em vez de começar pelos adversários, dá prioridade aos inimigos. E escolhe logo Ciro Gomes para jantar, quem mais importante e irreversível do que esse?

ESSE É O RENAN
CALHEIROS

O presidente do Senado comunicou ao Planalto que não colocaria em votação a MP que permitiria a redução das contas de luz para residências e empresas. Garantiu que, votada na Câmara na terça-feira e na outra segunda no Senado, não cumpriria os 7 dias que ele mesmo estabelecera.

E para que todos entendessem, resolveu decodificar e explicou: “Isso não é política, é matemática”. Ah! Renan, você nunca se preserva? Podiam ter dito a você, presidente do Senado (recusando proposta de um presidente da República), que MATEMÁTICA é o todo, ARITMÉTICA é a parte que trata apenas de números. Eu sei que não é fácil, Renan.

###

PS – Na semana passada, escrevi aqui: “Na próxima reunião do Copom, no próximo dia 29 (ontem), não haverá espaço para alta de 0,25. Ou fica nos atuais 7,50 ou sobe 0,50 para 8% cravados”.

PS2 – Subiu 0,50 num dia de notícias inteiramente desagradáveis. O dólar subiu quase 2 por cento, a Bolsa caiu 2,50 e o PIB do tamanho da frustração que provocou.

PS3 – No trimestre, alta de 0,6 do PIB , o que surpreendeu negativamente e desagradou a todos. Esperava-se alta de 1 por cento no trimestre, o que daria, mantida a media, alta de 4 por cento no ano.

PS4 – Como no primeiro trimestre de 2012, a alta foi exatamente desse 0,6%, e no final subiu apenas 0,8%. Todos torcem ou apostam para uma não repetição.

PS5 – E o ministro Mantega, que é sempre naturalmente otimista, não foi. Já se prevê um novo “pibinho”, por enquanto, de 2,9 para 2013.

 

 

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

22 thoughts on “Eduardo Campos tenta acalmar e aplacar inimigos, os adversários ficam para depois. Renan sabe contar nos dedos, mas chama isso de MATEMÁTICA. Há muito tempo digo aqui: só o Brasil aumenta juros com satisfação, pensando que é solução.A emoção e o sofrimento na Comissão da Verdade.

  1. O Senador Renan tem sido inteligente, mas não foi ao tomar essa decisão dos 7 dias, poderia ter sido elegante, dizendo “caso nào seja do interesse dos senadores…”, por exemplo a conta de energia, todos os senadores seriam favoráveis, tivesse consultados os senadores não se desgastaria. Não vota a conta de energia significa perca de votos.

  2. Mestre Hélio, que os seus dias sejam bons e, por favor, continue a nos brindar com a oportunidade de exercitarmos a criticidade, enquanto a canalhada se embebeda com a cretinice.

    Fatos e versões pra canalhada…

    Fatos e versões não importam, já que uns e outras têm a mesma origem para a canalhada:
    a hipocrisia cultivada como vício, o vício cultivado como virtude.

    Para a canalhada, daqui e alhures, fazer vista grossa ao incontestável
    – que a tortura como prática de Estado começou antes que qualquer grupelho pegasse em armas -,
    foi tão fácil quanto respirar o ar impregnado de terror das sessões de tortura,
    assim como foi e é respirar o ar puro d’uma região serrana.

    Fatos e versões não importam, já que uns e outras têm a mesma origem para a canalhada:
    a hipocrisia cultivada como vício, o vício cultivado como virtude.

    Para a canalhada, daqui e alhures, fazer vista grossa ao incontestável, que os atentados à Tribuna da Imprensa e Riocentro
    – típicos casos de terrorismo de Estado, mesmo depois de promulgada a Lei da Anistia de 1979 -, nada mais fácil:
    nada diz, não lhe tira o sono, o que lhe tira o sono, é criticar ditaduras além mar,
    pois a Ditadura instaurada AQUI, à partir de 1964 foi a redenção dos sonhos doentios da canalhada
    travestida de cristã e democrática ou até mesmo – humanista!?

    Fatos e versões não importam, já que uns e outras têm a mesma origem para a canalhada:
    a hipocrisia cultivada como vício, o vício cultivado como virtude.
    E assim viceja a canalhada de ontem e hoje,
    sempre de quatro, desde 64.

  3. SEGUNDO OS ESPECIALISTAS, A TORTURA É UMA ARMA DE GUERRA. FORAM PARA A GUERRA
    PORQUE QUISERAM!

    “A GUERRA não tem nada de bom, a não ser a vitória”.

    A LADAINHA DO “SOFRIMENTO”, O OBJETIVO FINAL É MAIS DINHEIRO COM POLPUDAS INDE-
    NIZAÇÕES, SUGANDO ASSIM, O SUOR DO SOFRIDO POVO BRASILEIRO QUE CADA VEZ MAIS PAGA IMPOSTOS PARA BANCAR TUDO ISSO QUE AÍ ESTÁ.

  4. A ANISTIA dada pelo Gen. JOÃO FIGUEIREDO, foi AMPLA, GERAL E IRRESTRITA, INCONTESTÁVEL, inclusive, ANISTIANDO todos os pequenos e médios produtores rurais devedores do Banco do Brasil. ANISTITOU, inclusive Ele (JOÃO FIGUEIREDO) quando o seu
    pai Gen. EUCLIDES FIGUEIREDO foi preso e deportado(sem salário) para o URUGUAI/ARGENTINA/ARGÉLIA por ter comandado as tropas de São Paulo em 32 contra o chamado Estado Novo do GETÚLIO VARGAS. E o pior, voltou ao Brasil e foi cursar a Escola Militar de Realengo, sagrou-se 1º lugar da turma e teve que receber a espada
    do Presidente da República. Sabe quem entregou-lhe a espada: o próprio GETÚLIO algoz
    do seu pai e de toda a sua família.

    É POR ISSO QUE DIGO: Indiretamente, João anistiou também a Ele mesmo.

    AGORA VEJA: Você receber uma comenda das mãos do algoz de sua própria família!
    É mole?

  5. O pífio crescimento da nossa economia e alta do dólar comprometem o governo da presidente Dilma.
    Caso não melhorarmos no segundo semestre e a administração Dilma apresentar mais um “pibinho” em comparação ao ano passado, Lula será o candidato do PT à presidência, razão pela qual observo um silêncio sepulcral por parte dos petistas em não defenderem e nem acusarem o governo atual pela sua inabilidade em nos fazer crescer e nos desenvolver como merecemos e precisamos.
    As previsões feitas neste espaço democrático com relação ao jogo estabelecido às candidaturas à presiência do País, começam a tomar forma, decididas que estão sendo pela economia e formação de nuvens negras se aproximando prevendo grandes temporais nesta área.
    Lamento que somente desta forma – econômica – poderemos sonhar com possíveis alterações neste sistema imposto pelo PT à sua retirada do poder após doze anos de promessas e afirmações que se transformaram em engodos e mentiras à população e ao Brasil.

  6. Mino ressaltou que a imprensa no Brasil está “alinhada de um lado só”. “A maior desgraça do país é representada por três séculos e meio de escravidão. A casa grande e a senzala continuam. É um pecado que indiretamente nós todos aceitamos, com a contribuição do jornalismo brasileiro, presente para nos confundir constantemente”, disse (Observatório da Imprensa).

  7. Sr. Hélio
    Desculpe usar seu espaço para abordar algo alheio aos assuntos de hoje de sua crônica, porém indigna-me tanto o fato, que ouso cometer esta impropriedade.
    O Brasil é e será sempre um país desigual, enquanto houver dois tipos de cidadãos: uns para quem a LEI é impiedosa, rigorosíssima e outros para quem a mesma foi feita para ser desrespeitada com cinismo e inconseqüência.
    No domingo o jornal ”O Globo” estampou uma reportagem ilustrada com fotos do belíssimo filho caçula do Sr. Eike Batista, nosso mais notório miliardário, abordando as idiossincrasias do jovem Adônis de 17 anos que namora uma “gostosona” (termo utilizado pelo jornal) seis anos mais velha do que o mesmo etc.
    Explica com detalhes que o rapaz não estuda em escola convencional e “faz seus estudos” em casa, com professores particulares, porque nunca se adaptou a nenhum estabelecimento regular….
    Outrossim, esse prodígio da nossa altíssima sociedade escolheu a “profissão “ de DJ onde fatura de 5 a 20 mil reais em cada apresentação, que podem ocorrer nos quatro cantos de nosso glorioso Brasil, deslocando-se no jato particular de seu genitor. Sendo que cada deslocamento custa cerca de 30 mil reais…
    Para completar sua “formação” intelectual e moral, jamais leu um livro – esse filme já vimos ????- e jamais assistiu a uma peça teatral, embora adore filmes de “ação”…
    Também busca a origem do seu nome Ólin, e ainda não conseguiu encontrar…. Todos conhecemos Odin da mitologia escandinava, porém Ólin também não encontrei ainda a origem.
    Com tanta sabedoria dos rebentos de Mr. Eike as divindades Thor e Odin devem estar estremecendo…..
    A reportagem é muito extensa, elucidativa e instrutiva, há que concordar, excelente matéria que honra qualquer profissional da área.
    Bem, eu devo ter ficado idiota de tanto gastar neurônios com leitura e busca do conhecimento, que há muito me ensinaram, é a mais nobre das aspirações humanas.
    Que eu saiba um menor de 17 anos “namorando” uma gostosona de 23 anos configura uma transgressão grave – isto para os brasileiros do lado de cá, obviously – podendo incorrer o de maior idade, em ato sedução de menor, assédio sexual ou que ouros eufemismos possamos utilizar.
    O trabalho infantil, adolescentes inclusive, fala-se muito por aí – embora saibamos que existe uma imprensa golpista e mentirosa, propalando iniqüidades contra cândidas almas – é proibido por LEI. Genitor algum pode permitir tal CRIME, mesmo os desvalidos do nordeste esquecido, árido, os esquálidos, famintos, que utilizam a ajuda dos numerosos rebentos –desconhecem métodos do controle de natalidade – para conseguir o pão de cada dia, ou melhor, a ração de farinha que lhes mitigue a fome…Estarei enganada??
    Também segundo umas dessas leis que tanto a TV divulga,:” TODAS AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES TÊM DE FREQUENTAR A ESCOLA, SOB PENA DE PUNIÇÃO PARA OS PAIS OU RESPONSÁVEIS.”
    Nos EUA, o aprendizado escolar particular é permitido, mas no Brasil, pelo menos em tese, NÃO.
    Para finalizar, jamais esquecer que : “quem lê jornal sabe mais e quem lê “O Globo” sabe muuuuuito mais”….
    Nossa gloriosa VÊNUS PLATINADA marcou um tento a favor do desrespeito às LEIS do Brasil, assim cinicamente, exibindo com total falta de pudor tal excrescência, que servirá de poderoso exemplo para nossa juventude.
    Se eu fosse miliardária processaria o império Marinho pela publicação da matéria, mas como sou povão, anônima e ignorante, permito-me a ousadia de solicitar ao senhor e sua equipe, sempre tão zelosos dos valores pátrios que usem sua potente VOZ para protestar contra tanto desrespeito.
    A minha é um sussurro no meio da multidão anônima, mas quando não se tem uma lâmpada, acenda-se um fósforo para iluminar a escuridão. A idéia é do grande Érico Veríssimo, mas continua válida nestes tempos de trevas morais assolando nosso país.
    Saudações

  8. Sr. Helio, o Sr. cravou os 8% antes mesmo do Copom! Já sei, foi a “tempestividade” de Tombini.

    A justificativa para a alta em dobro foi o desejo de que a trajetória de queda se mantenha por todo o ano e, também, o ano que vem.

    Quanto ao dólar, a previsão dos analistas é que continue subindo até chegar a R$2,70 em 2015.

    Na verdade todos estamos torcendo para que o nível de investimentos caminhe para, pelo menos, 21% e nos dê um crescimento mínimo de 3,5%.

    Os números divulgados pelo IBGE demonstram um quadro mais preocupante:

    1- as indústria brasileira encolheu -0,3% (Vendeu menos);
    2- as importações subiram +6.3%;
    3- as exportações caíram -6.4%;
    4- as empresas brasileiras venderam menos -6.3%; e,
    5- o consumo das famílias caiu 0,1%, o que explica a queda da inflação de demanda.

    Os americanos também cresceram 0,6%, a questão é que lá não tem a inflação que temos. De maneira que ela se torna a nossa principal preocupação junto como o baixo crescimento.

  9. Fatos e versões…

    Fatos e versões não importam, já que uns e outras têm a mesma origem para a canalhada: a hipocrisia cultivada como vício, o vício cultivado como virtude.

    Para a canalhada, daqui e alhures, fazer vista grossa ao incontestável – que a tortura como prática de Estado começou antes que qualquer grupelho pegasse em armas -, foi tão fácil quanto respirar o ar impregnado de terror das sessões de tortura, assim como foi e é respirar o ar puro d’uma região serrana.

    Fatos e versões não importam, já que uns e outras têm a mesma origem para a canalhada: a hipocrisia cultivada como vício, o vício cultivado como virtude.

    Para a canalhada, daqui e alhures, fazer vista grossa ao incontestável, que os atentados à Tribuna da Imprensa e Riocentro – típicos casos de terrorismo de Estado, mesmo depois de promulgada a Lei da Anistia de 1979 -, nada mais fácil: nada diz, não lhe tira o sono, o que lhe tira o sono, é criticar ditaduras além mar, pois a Ditadura instaurada AQUI, à partir de 1964 foi a redenção dos sonhos doentios da canalhada travestida de cristã e democrática ou até mesmo – humanista?!

    Fatos e versões não importam, já que uns e outras têm a mesma origem para a canalhada: a hipocrisia cultivada como vício, o vício cultivado como virtude.

    E assim viceja a canalhada de ontem e hoje, sempre de quatro, desde 64.

  10. Voltando ao Mino Carta!
    Quando dos outros segmentos do Pensamento Brasileiro em 513 anos, deixemos por conta da Tia Zulmira e aos beiços dos almanaques capivarol.

    O jovem Berto Fuchs registrava a necessidade de um PACTO SOCIAL, proposta, haja visto, na contramão das conveniências daqueles com cargos de poder de decisões, sobretudo a intelectualidade e a representação política disponíveis à sociedade brasileira, chegando ao paradoxo de expor à orfandade não apenas a massa assalariada, bem como o empresariado genuinamente nacional, setor economico que por óbvio não incluiria-se testas de ferros do universo especulativo financeiro internacional bem sucedidos como um Eike Baptista e a dinastia de Dom Roberto Marinho, e, sim, – como nas oropas e states antes do acesso aos patrimônios tecnológicos -, com coisas de fundo de quintal e riquezas naturais, base da economia brasileira (farta literatura sobre o assunto, passeia por Pindorama desde início do século XX, e até o PhD Fernando Henrique Cardoso já fazia referência a sistemas dependentes do contexto do mercado externo…).

    Baptista Filho, saudações!
    Não faço escambo com cultura revanchista, contudo té-a-té, uma alma-penada como um hoje Deputado Federal, parto para o esculacho, baixo as calças da figurinha e das seguranças e acintosamente assento-lhes algumas palmadas. Já ando de mala-e-cuia prás oropas!

  11. Uma pedaço da matilha râncida revira com as narinas pedacinhos de pão amanhecido no chão.
    Dá dó, pena e compaixão.
    A presidente Dilma deveria criar o bolsa-veterinário, para amparar os aleijadinhos atropelados pela História. Quem sabe, todos que tem rabo para abanar tenham direito de alguma coisa, nem que seja moedinhas na poupança.

  12. Vite Sandeu, bom estar contigo.

    Revanchismo? Sabe aquela propaganda, “parece, mas não é?!” Pois, é. Nem de longe é (revanchismo). Em qualquer tempo e lugar um País que aspira ser Nação necessita, minimamente que seja, ter conhecimento sobre sua própria História. Nesse aspecto, triste sina a nossa. Documentos oficiais do comércio humano (Escravidão) tupiniquim foram propositalmente destruídos. Dando um salto no tempo, de 1964 a 1985, idem. Outro salto no tempo – sem revanchismo, sarney, maluf, , dilma, zé dirceu, lula, eike… -, juntinhos, unha e carne: é um espetáculo digno de roliúde!

    … E aí me vem uma cambada de autointitulados democratas, cristãos, humanistas… falar da Ditadura d’outros Povos enquanto prosseguem de quatro, desde 64?! Existem vários nomes pra esse tipo de gente e de comportamento. Há mais de 2000 anos Alguém já se referia a tais tipos. Não mudaram. Não mudarão tão cedo. Renascerão muitas e muitas vezes até que a cal se esboroe dos seus exteriores. Aí levarão um susto quando se mirarem num espelho. Muito mais outras existências se passarão…

    Boa viagem, meu amigo.

  13. Prezado Batista Filho,
    Reconheço que temos de mudar a situação brasileira e impedir que certos fatos do passado continuem travestidos como democracia.
    Se, na década de sessenta, tivemos o regime militar, o seu final aparente seguiu em forma de desrespeito ao povo, insegurança, corrupção, desonestidade, tráfico de influência, e uma espécie de ditadura partidária, a comprovar o que afirmo a deplorável e imoral “aliança” como base de sustentação ao governo, eliminando a oposição.
    O povo, como sempre, ficou ao “Deus dará”, em se tratando de ser atendido quantos aos clamores que faz aos governantes que fazem ouvidos moucos quanto à Educação, Saúde e Segurança.
    Nessa sintonia, temos o bolsa-família como a maior fonte de votos para o PT à presidência do Brasil, significando a continuidade deste modelo que não é melhor que à época dos militares porque beneficia a mesma elite de antes, os banqueiros – tem sido na gestão petista os maiores lucros auferidos pelos bancos em todos os tempos -, e que nos coloca diante de uma insegurança que propicia o assassinato de milhares de pessoas anualmente, mais do que qualquer guerra ou revolução pelo mundo atualmente, além de depósitos de seres humanos que são os presídios, a maioria absoluta não sendo possível comparar às pocilgas em razão de serem piores que estas!
    Assim, imagino que comentar sobre ditaduras fora do Brasil se trata de um tema concernente a qualquer pessoa que tem ojeriza a regimes totalitários, haja vista que podemos através do voto – independente da maneira como tem sido obtido entre o povo brasileiro – alterar esta condição que não contempla nossas aspirações e desejos de um País altaneiro, soberano e desenvolvido!
    Portanto, existem diferenças do Brasil para com outras nações porque não somos impedidos de votar, apesar de a nominata dos candidatos ser decidida pelos partidos, mas temos a liberdade de escolha, de tirar fulano e colocar sicrano em seu lugar, e não querer mais este partido pela oportunidade de substitui-lo por outro.
    O problema que temos é a falta de consciência popular, a ausência de senso crítico, de não se ter condições de análise em face de um desnível cultural e de ensino gritantes com populações de países mais evoluídos, que exigem de seus governos comportamentos ilibados, enquanto que nós, os brasileiros, não nos importamos com suas condutas, desde que respinguem chances de paternalismo e de benefícios que contemplem o comodismo, menos de incentivos ao crescimento de ordem pessoal, educação, trabalho e planejamento familiar.
    Ora, mas se tivéssemos mais preparo, mais interesse pelo País e por nós mesmos, o poder estaria em nossas mãos para corrigir o leme deste gigantesco navio, bastava que mostrássemos ao timoneiro que o seu curso não é o ideal, que não nos serve, que queremos mudanças na trajetória.
    A meu ver, este é o detalhe que ainda nos faz criticar ditaduras exteriores, pois temos liberdades de ir e vir e de escolha de nossos governantes que são vedadas a várias nações, inclusive desenvolvidas como a China, por exemplo.
    Por outro lado, a generalização tem seus defeitos e comete pecados imperdoáveis.
    Considerando que os militares queriam tomar o poder no Brasil já em 1961, época da legalidade de Brizola, diante da reação para que Jango não assumisse a presidência com a renúncia de Jãnio Quadros, temos 52 anos deste acontecimento;
    Levando em conta o término do regime militar – 83/84, com o Movimento Diretas Já – até os dias de hoje, lá se vão quase trinta anos de devolução dos direitos civís e de liberdades individuais, período mais que suficiente para que o Brasil se transformasse em grande potência mundial.
    Por que tal possibilidade não aconteceu?
    Por que continuamos como nação emergente?
    De quem é a culpa ou a responsabilidade de permanecermos indefinidamente à espera do “milagre brasileiro”?
    Em outras palavras, Batista, e espero que tu me entendas, sou um democrata, humanista e cristão, sim, razão pela qual não vejo mais como acusar os militares como causadores de um povo sem maiores atenções e que podemos nos identificar como analfabetos funcionais, e de um País que se assemelha a um grande avião, dotado de motores robustos, alta tecnologia embarcada, radares potentes, aviônicos ultramodernos, porém sem pneus para rolar na pista e alçar voo rumo ao seu destino!
    E, o mais irônico, é que de todos os comandantes que tentaram pilotá-lo nos últimos trinta anos, NÃO SE DERAM CONTA DESTE DETALHE FUNDAMENTAL, QUE NÃO TEM PNEUS, pois está em cima de plataformas!!!
    Em outras palavras:
    Desde que a ditadura terminou, a primeira e decisiva atuação do governo eleito indiretamente, Tancredo, assumindo Sarney em seu lugar, deveria ter sido de revolucionar a EDUCAÇÃO!
    Collor, que o substituiu,idem;
    Itamar, igualmente;
    FHC, mais que os anteriores;
    Lula, como compromisso que prometera e não cumpriu de resgatar o Ensino Público;
    Dilma, que segue na cabine do avião mexendo em seus manches e balançando o corpo na tentativa que o avião pelo menos faça qualquer movimento, mas em vão o seu esforço, haja vista que o povo não entende porque sem instrução, as razões pelas quais entra e sai gente da cabine e nada acontece com o nossos aeroplano!
    Repito:
    Sou um humanista, cristão e democrata. Repudio as ditaduras existentes em qualquer quadrante deste planeta porque no Brasil ainda decido por mim mesmo, guardadas as devidas proporções da minha importância como cidadão e dinheiro no bolso, evidentemente, e provocações que fazes neste sentido não me incomodam, mas determinam que eu as responda porque quem cala consente e, decididamente, não é o meu caso.
    Continuarei a escrever pró ou contra quem eu entender que assim seja, inclusive registrando que rejeito o rótulo, a generalização, exatamente porque não faz a menor distinção entre culpados e inocentes, nascidos e não nascidos, responsáveis e irresponsáveis, deteriorando por completo os argumentos e alegações sobre esta maneira de colocar tudo e todos no mesmo patamar, como se fose possível somar arroz com feijão ou ignorar que menos com mais dá menos ou mais com menos continua menos, deixando de observar que menos com menos dá mais e mais com mais idem, ou seja, apoiando-nos ou não, que pensemos no Brasil, mas não podemos é concordar pessoalmente e negligenciar esta grandiosa nação.
    Concordo com a tua indignação com referência à ditadura, repito, pois eu já afirmara anteriormente, no entanto, deploro a generalização quando associas Humanidade, Democracia e Cristianismo com Ditadura, condição inconcebível e digna de contestação, exatamente o motivo me leva a escrever um comentário longo, de modo a não pairar dúvida alguma que NÃO quero polemizar, longe disso, mas não aceito passivamente que palavras possam ser escritas sem que elas ocasionem respostas diante de suas mensagens, ocasionalmente deturpadas e mal dirigidas, o mal da generalização como sempre.
    Saudações, Batista Filho.

  14. Jornalista Hélio Fernandes
    Faltou falar em emoção e sofrimento da mãe do soldado Mario Kozel Filho que foi explodido pelo “CARRO BOMBA”.

  15. Prezado Helio,

    Você, sempre bem informado mais uma vez enga-se no que tange a MATEMÁTICA e ARITMÉTICA na nota sobre Renan Calheiros.

    Não sou eleitor dele nem o admiro, mas, segundo a teoria os conjuntos, o conjunto maior abarca o menor. Você mesmo diz que a ARITMÉTICA esta CONTIDA em MATEMÁTICA. Logo, quando Renan fala em MATEMÁTICA, automaticamente abrange a ARITMÉTICA.

    Saudações
    Adalberto

  16. Um comentarista acima disse que a “previsão dos analistas” é do dolar vir a custar 2,70 em 2015. Como acho que esses analistas são derrubadores, anteontem mesmo apostavam em 7,75% na Selic e perderam por unanimidade, o negócio é apostar contra, talvez num curtíssimo prazo ou até o começo de 2014. Conheci um comerciante português que comprou muito a 3,10 em abril de 2003 e vendeu a 2,00 em meados de 2006 cansado de tanto perder, assim como um doleiro que mudou de ramo no período, passou a vender krugerrands e libras inglesas de ouro, por causa da apatia da clientela pelo dolar papel que era seu forte durante muito tempo.

  17. Bendl, boa noite!

    Entre o dito e o não dito, entre o que sai da boca e o que é expresso no papel, palavras, palavras, palavras… e um tanto de silêncio, por vezes sinalizando consentimento, outras omissão… Infelizmente as palavras são insuficientes pra expressar realmente o que sentimos ou o quê somos.

    É claro que você continuará a “escrever pró ou contra quem entender”, como sempre fez – por vezes sendo direto e noutras tergiversando o tanto quanto o espaço permitir -, e espaço é que não falta: coisa que a Ditadura instaurada de 1964 a 1985 não permitia. Nenhuma dúvida e plena concordância com relação ao primeiro enunciado nesse parágrafo, mas não sobre a última frase (vide teu comentário no artigo “População de Brasília tem o pior governo de toda sua História, José Carlos Werneck, sexta-feira, 23/novembro/2012”).

    Com relação à questão do presente artigo, como tantas outras, qualquer pessoa percebe – qualquer pessoa com um mínimo de discernimento e honestidade intelectual, claro -, quando outra pessoa tergiversa sobre determinado assunto interno e se mostra por demais loquaz quando se trata do mesmo tema, FORA do país. Esse é o ponto.

    No que concerne a autointitulação, não só você como qualquer pessoa se autointitula como quer ou pode. Bush, pai e filho, bem como Hitler se autointitularam cristãos. E daí? Vale o mesmo para quem se autointitula democrata ou humanista. As atitudes, as obras é que contam.

    Vida longa pr’ocê.

    Inté.

    PS. Quase esqueço, dessa vez você se superou: conseguiu a façanha de “encurtar” a Ditadura no Brasil!

  18. Batista Filho,
    “Encurtar” a ditadura?!
    Eu a alonguei, se tu tivesses feito o cálculo correto, ora.
    O regime militar iniciou em 31 de março de 1964, e terminou em 1985, portanto, 21 anos, tempo que tu o defines como “vinte e um anos de noite trevosa”.
    Nas minhas contas, 61 até 84, 23 anos.
    Penso que quem se superou em querer rotular as pessoas foste tu, onde uma simples conta de aritmética serve como pressuposto a simpatias inexistentes, mas que tu teimas em insistir diferentemente do registrado em comentários.
    Pode-se estabelecer sem sombra de erro, que tens contigo preconceitos a respeito de certos frequentadores deste Blog incomparável, eu, por exemplo, que não me faz lamentar e nem enaltecer a minha participação, mas querer entender as razões pelas quais se julgam pessoas e não suas idéias, ratificando o meu comentário anterior que se trata indubitavelmente do mal pernicioso da generalização!
    Mais a mais, aludir Hitler e a família Bush como cristãos, a título de exemplo em mostrar comportamentos contraditórios, então tu me autorizas a dizer que, todo o ateu é assassino por natureza, haja vista o genocídio cometidos por Mao e Stálin!
    Ao me identificar como Humanista, Cristão e Democrata, jamais matei alguém e preocupo-me com o ser humano, resgatando meus filhos que os criei, sustentei e formei, evidentemente junto com a minha esposa, mãe deles. Acredito em Deus, e considero a Democracia o melhor sistema mesmo com seus defeitos.
    Agora, tenho visto muitos homens que gostam de acusar e rotular os demais e que simplesmente abandonaram seus filhos e mulher em troca de emoções e porque alegam o direito à felicidade, razão egoísta, cínica e hipócrita, no entanto, o dedo está sempre em riste ou, conforme ditado de para-choque de caminhão, a predileção em apontar defeitos dos outros com o dedo sujo!
    Naturalmente quero dizer com esta afirmação, Batista, que, TODOS NÓS, indistintamente, temos defeitos e virtudes, motivo pelo qual o rótulo e a generalização são reflexivos, isto é, demonstram inexoravelmente que tentamos esconder o que somos quando vemos nos outros nossos próprios erros.
    Igualmente vida longa prá ti, Batista, de modo que o tempo nos proporcione espaço suficiente para que possamos nos corrigir, melhorar como pessoa, e aperfeiçoar nosso caráter e personalidade permanentemente postos à prova a cada dia que nasce.

  19. Bendl, boa noite!

    Não entendi boa parte do que você disse: texto e contexto, bem como o nexo entre o comentário das 10:17 pm e 6:15 pm. Me lembra “diálogo” de surdos separados por uma parede, sem direito a computador, rss!

    Reponho o assunto da minha primeira intervenção: Hélio Fernandes externa opinião sobre “A emoção e o sofrimento na Comissão da Verdade”. Veio-me à memória uma “cacetada” de artigos e comentários sobre ditaduras e ditaduras além-mar, enquanto sobre a Ditadura tupiniquim, vigente de 1964/85 – várias pessoas tergiversaram -, sobre as demais se expressaram de forma direta e objetiva. Expus o assunto da minha forma. Não tinha e não tenho porque nominar – olha, estou escrevendo isso pro fulano e pro sicrano -, percebe? Acha que isso é generalização? Acha que é endereçado a você? Paciência, mas, nesse caso, você não seria o único, certamente, rss! É assim que escrevo. Ainda bem que não estamos nos tenebrosos idos da Ditadura, onde censores paus-mandados diziam o quê podia ou não – ser dito ou escrito.

    Já é tarde, mas não tão tarde que não possamos curtir a sugestão de Darcy: ouvir a belíssima interpretação de Elis, “Aos nossos filhos”. Vamos nessa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *