Eduardo Cunha já decidiu fazer delação premiada e leva o Planalto à loucura

Resultado de imagem para temer preocupado com cunha charges

Charge do Paixão, reproduzida da Gazeta do Povo

Carlos Newton

O antigo ditado diz que todos os caminhos levam a Roma. O ex-deputado Eduardo Cunha até nutria essa esperança, por ter cidadania italiana, mas sabia que seria apenas uma ilusão. Como ficou comprovado no caso do mensaleiro Henrique Pizzolato, não adiantaria Cunha fugir para a Itália, porque fatalmente também seria preso e extraditado para o Brasil. Ou seja, o ex-presidente da Câmara ficou encurralado, sem alternativa. Já perdera quase tudo – o cargo, o mandato parlamentar, o prestígio social, o respeito das comunidades evangélicas, a maior parte dos bens e muito mais. Só lhe restou a família e um pouco do dinheiro que a Lava Jato ainda não conseguiu mapear. Mas acontece que mulher Cláudia Cruz também está sendo processada, vai depor em novembro perante o juiz Sérgio Moro, e uma das filhas do casal continua sob investigação.

Portanto, Cunha se tornou um homem sem futuro e sem perspectivas. É por isso que passou os últimos meses se preparando para a delação premiada, ao começar a escrever suas memórias e selecionar documentos e provas, com ajuda do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, que em Brasília operava lavagem de dinheiro para políticos e autoridades. Funaro acabou preso em julho pela Lava Jato, mas antes disso entregou a Cunha uma quantidade enorme de recibos, anotações e documentos.

DESESPERO NO PLANALTO – O delator Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, indicado ao cargo pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL), vai depor novamente neste sábado, em Fortaleza, para acrescentar informações sobre as propinas que repassou aos caciques do PMDB em forma de doações de campanha, e próprio Michel Temer está entre os políticos citados por Machado. Por isso, no Palácio do Planalto, o clima é de terror e desespero, agravado pela prisão de Cunha.

Temer e o chamado núcleo duro do Planalto (Eliseu Padilha, Moreira Franco e Geddel Vieira Lima) já sabem que o ex-presidente da Câmara vai se oferecer para delação. Todos estão torcendo para que a força-tarefa não aceite a proposta de Cunha e as negociações emperrem, como aconteceu com os acordos de colaboração da Odebrecht e da OAS, que estão demorando demais a se concretizar.

CUNHA VAI DESTRUÍ-LOS – O ex-presidente da Câmara se considera traído por todos os caciques do PMDB, que  conseguiram blindar Renan e não se mobilizaram para ajudá-lo, depois que ele aceitou na Câmara o pedido de impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Por isso, Cunha agora quer destruí-los, um a um.

Sua delação não se limitará às contas do PMDB, partido ao qual repassava parte das propinas arrecadadas. Ele pretende entregar também parlamentares do PT, do PSDB, do PSD, do DEM e de outros partidos que o traíram. Um dos alvos principais será o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que hoje ocupa a cadeira que pertenceu a Cunha.

Como diz a Bíblia (em Mateus 22:14), muitos serão chamados, mas poucos os escolhidos. Na hora da cassação, Cunha só teve apoio de 61 deputados, que agora ele pretende poupar, entre eles o deputado Paulinho da Força, criador do partido Solidariedade. O resto vai entrar no camburão, onde sempre cabe mais um.

QUESTÃO DE TEMPO – Vai demorar um pouco até a delação de Cunha se completar, depois que seus dados forem cruzados com as informações de Sérgio Machado e de outros delatores. Até que isso ocorra, os caciques do PMDB e de outros partidos poderão concluir seus atuais mandatos. Mas todos eles também acabarão varridos pelo furacão a ser causado pelas revelações de Cunha.

Caso a força-tarefa da Lava Jato consiga acelerar os trabalhos e o presidente Temer fique sem condições de governabilidade, não há razões para pânico. Será eleito indiretamente um presidente para mandato-tampão, a vida seguirá seu curso, até a posse do próximo governante. E o resto é folclore, como diz nosso amigo Sebastião Nery.

5 thoughts on “Eduardo Cunha já decidiu fazer delação premiada e leva o Planalto à loucura

  1. É de conhecimento de todos, que sempre houve corrupção em todos os governos, mas, não como no governo do PT, que foi uma corrupção ampla, geral e irrestrita que atingiu todos os órgãos públicos. Não há dúvidas, que toda essa corrupção teve na melhor das hipóteses a omissão do Lula e da Dilma, caso contrário não haveria tantos assaltos aos cofres públicos. Se era para se locupletar, todos que hoje estão envolvidos, se acharam com o mesmo direito..
    Todo esse trabalho da Polícia Federal e da justiça é reflexo, é a herança maldita do governo petista.

  2. Gostei de ver o encontro do José Dirceu com Moro. Dirceu pediu a Moro o direito de cumprir prisão domiciliar porque precisa trabalhar para sustentar a filha de 6 anos.

    Conversa civilizada entre um juiz e o réu. Bonita de ver. O que vai dar não sei, nem sei se já deu e eu é que estou no atraso da história.

    • Conversa de duas pessoas educadas, civilizadas. O sofrimento dele é não acompanhar a criação da filha! Espero que o juiz haja com o coração. Sei que a cabeça está acima do coração para a gente usá-la em primeiro lugar, mas não custa ouvir a voz que vem do coração.

  3. A impunidade vai continuar no Brasil, o sujeito rouba do erário publico, fica menos de 1 ano em cana, faz a famosa delação com o premio de sair com dinheiro no bolso, vale a pena roubar dinheiro do povo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *