Efeito Moro? Eduardo Leite diz que deixa a disputa se surgir um nome forte de centro

Sonhar com a presidência é normal”, diz Eduardo Leite | VEJA

Eduardo Leite aproveitou para fazer críticas a Joao Doria

Paula Soprana
Folha

Em disputa com João Doria nas prévias nacionais do PSDB, o governador gaúcho Eduardo Leite afirmou em um jantar com empresários na noite deste domingo (17) que não quer ser o salvador da pátria e que abriria mão da candidatura se houvesse um nome forte para a terceira via.

“A gente não pode mais permitir que se acredite que no Brasil a gente vai eleger um mito ou salvador da pátria. Eu não sou candidato a mito nem a salvador da pátria”, disse Leite, acrescentando que não se muda o país por ruptura.

ESFERA BRASIL – Em São Paulo para a campanha das prévias no partido, Leite participou de um jantar com mais de cem pessoas na capital paulista, organizado pelo grupo Esfera Brasil, que fomenta o diálogo entre o setor produtivo, o governo federal e o Congresso.

O evento foi na casa do empresário João Camargo, presidente da organização, no bairro Morumbi. Luiza Trajano, presidente do conselho do Magazine Luiza, Marcelo Claure, do Softbank, Chieko Aoki, do Blue Tree Hotels, Issac Sidney, presidente da Febraban, e Claudio Lottenberg, do conselho do Albert Einsten, eram alguns dos presentes.

Também compareceram cerca de dez prefeitos, como de Jacareí e São José dos Campos, e Gilberto Kassab, presidente do PSD, que afirmou a interlocutores que Leite irá vencer a disputa.

ENTUSIASMO – “Se Doria resolver o problema de rejeição e decolar nas pesquisas até as prévias, não tenho nenhum problema de retirar a candidatura, mas não estou vendo isso nesse momento”, disse o tucano. “Eu vou ganhar as prévias”, acrescentou.

Segundo presentes, o clima era de entusiasmo e alguns participantes trataram o evento como o jantar da virada. “Se tiver outro candidato que flagrantemente reúna melhor, que mais aglutine, que mais se viabilize, eu não vou ser obstáculo para fazer concililação. Eu quero ajudar esse país a sair dessa maluquice.”

O governador gaúcho também defendeu que o Brasil tenha um “centro que caminhe para a frente” e que ele não quer escolher entre ser eficiente e privatizar ou ser sensível e fazer programas sociais de transferência de renda. “Acho, inclusive, que são complementares. Preciso de um governo enxuto para ter recurso e aplicar naquilo que promova a população de baixa renda.”

CRÍTICAS A DORIA  – Em uma briga deflagrada na sigla, Leite alfinetou Doria durante a tarde. Afirmou que “negar participação no debate e lançar suspeitas à forma de votação é coisa do bolsonarismo”. “Espero que não volte o BolsoDoria.”

Ele referia-se à recusa inicial do paulista em participar de um debate, marcado para terça-feira (19), e à desconfiança levantada por aliados de Doria ao sistema de votação eletrônica do pleito, um aplicativo desenvolvido no Rio Grande do Sul. Leite também foi eleitor de Bolsonaro no segundo turno.

Na semana passada, o Esfera reuniu cerca de 20 empresários em um evento com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Na ocasião, o petista fez questão de pontuar o partido como uma sigla de centro-esquerda, disse não acreditar em uma terceira via e que a vingança de Lula seria fazer um bom governo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Devagar, devagarinho, igual ao Martinho da Vila, a sucessão começa a esquentar.  O PSDB entrou em crise, com a briga entre Leite e Doria, que é apoiado pela cúpula tucana. E ainda falta a definição de Sérgio Moro, que ocorrerá agora no início de outubro. (C.N.)

6 thoughts on “Efeito Moro? Eduardo Leite diz que deixa a disputa se surgir um nome forte de centro

  1. Os nomes mais fortes deste país podre até as entranhas são derrubáveis com um simples peido, por carência de autoridade moral. Nomes fortes, com apoio popular, já tem dois, Lula e Bolsonaro, de modo que nome por nome, partido por partido, bastam os dois. O que pode fazer a diferença, crianças, acordem, pelo amor de Deus, não são os nomes mas isto sim o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação.

  2. E quem seria esse nome do Centro?
    Rodrigo Pacheco, Arthur Lira, Marcos Rogério.
    Creio que esse nome ainda não surgiu no horizonte.
    Lula e Bolsonaro estão preocupados com essa Terceira Via, que pode embaralhar a disputa eleitoral em 2022.
    Não creio em nenhuma possibilidade nos pré candidatos do PSDB, Dória Leite e Arthur Virgílio.
    Quanto a Sérgio Moro, um bom nome para a disputa, simplesmente causa horror e medo nos dois gigantes, dos “extremos”. Esses dois são candidatos personalistas e tendem a se acomodar nos ataques mútuos para ambos chegarem ao segundo turno.
    O ex-juiz, xerife da Lava Jato não se decide, não tem Partido, plataforma e apoios significativos no meio partidário. Isso não é problema, pois Collor disputou com o minúsculo PRN e venceu a eleição. O problema é vencer e depois governar sem fazer alianças no Parlamento.
    É preciso saber também, qual será o candidato do maior Partido, o MDB. Será o homem das cartas, Michel Temer ou a guerreira Simone Teber?
    E o Doutor Mandetta, o destemido ministro da Saúde que enfrentou Bolsonaro e que tinha 84% de aprovação pela condução magnifica no combate a Pandemia e por isso, sofreu a fritura lenta, gradual e segura do presidente até ser demitido?
    O cenário político ainda está movediço, sujeito a chuvas e trovoadas.

  3. Eduardo Leite diz que deixa a disputa se surgir um nome forte de centro.
    O Governador do Rio Grande do Sul, com essa frase negativa, já desponta como um candidato que não acredita no seu taco. isso demonstra pouca sabedoria política. Antes do jogo começar jogou a toalha.

  4. Esta briga de tucanos é e sempre foi de mentirinha, tanto o governador dos gaúchos quanto o dos paulistas sabem que não se reelegem. Aí para não ficar feio se lançam no abismo, tudo em nome da Democracia. Jogo de cena de perdedor.

  5. Boa noite , leitores (as):

    Senhores Jorge Beja , Marcelo Copelli e Carlos Newton caso os ex-juízes e ministros Joaquim Barboza e Sérgio Moro não aceitem serem candidatos á Presidência da República , eu votarei no Governador gaúcho Eduardo Leite do PSDB , pois o ex-prefeito e atual governador de São Paulo não é confiável e não tem palavra , por ter abandonado e usado a prefeitura como trampolim , tal como fez o senador José Serra .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *